Atualidade - Apostilas - Biologia e Geologia, Notas de estudo de . Centro Universitario Nove de Julho (UNINOVE)
Jose92
Jose9214 de Março de 2013

Atualidade - Apostilas - Biologia e Geologia, Notas de estudo de . Centro Universitario Nove de Julho (UNINOVE)

PDF (91.0 KB)
4 páginas
1000+Número de visitas
Descrição
Apostilas de Biologia e Geologia sobre Atualidade.
20pontos
Pontos de download necessários para baixar
este documento
baixar o documento
Pré-visualização3 páginas / 4
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Pré-visualização finalizada
Consulte e baixe o documento completo
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Pré-visualização finalizada
Consulte e baixe o documento completo

Vazamento de óleo acaba em tragédia nos EUA

Publicado em 04/08/2010 Apesar de a situação estar praticamente contornada, os EUA ainda vão sentir por muitos anos os reflexos do maior desastre natural da história do país. Na noite do dia 20 de abril de 2010 aconteceu uma explosão na plataforma do Golfo do México, nos EUA, que matou 11 funcionários. A plataforma afundou e milhares de litros de óleo foram jogados ao mar durante vários dias. Uma tragédia que não pode ser medida. O vazamento de óleo ameaça a fauna, a flora e a pesca da região.

Os Estados Unidos ainda não têm ideia das consequências deste ato. O desastre no Golfo do México trouxe inúmeros problemas: ameaças ao ecossistema; prejuízos à indústria pesqueira e ao turismo; desgaste político; revisão dos incentivos à indústria petroleira; maior regulamentação do setor petrolífero e incentivo à discussão sobre energias alternativas.

A mancha negra que se estendeu sobre o Oceano Atlântico em razão do vazamento de petróleo cru e de gás no Golfo do México causou, além de danos ao meio ambiente, perdas econômicas e políticas para o governo norte-americano.

O acidente também obrigou o governo norte-americano a revisar as políticas de energia e a regulamentação do setor petrolífero que explora o óleo mineral em águas profundas. É uma discussão que também interessa ao Brasil, que deve definir em breve as regras de exploração do petróleo na camada pré-sal.

Atualmente, uma média de 25 mil barris são recuperados por dia no mar, dos 35 mil a 60 mil liberados do poço avariado da plataforma Deepwater Horizon. Estados da costa tentaram o tempo todo evitar consequências ainda piores, construindo barreiras de areia próximo do litoral e queimando petróleo na superfície.

Até então, o Exxon Valdez, que em 1989 despejou 41 milhões de litros de óleo em uma área de vida selvagem no Alasca, tinha sido o mais prejudicial vazamento de óleo do país.

Argentina aprova casamento entre homossexuais

Publicado em 27/07/2010 A Argentina aprovou recentemente o casamento entre casais homossexuais. A data, 15 de julho de 2010, vai entrar para a história, pois a Argentina é o primeiro país da América Latina (o segundo no continente, depois do Canadá) e o décimo no mundo a legalizar a união entre pessoas do mesmo sexo.

Entre as mudanças está o recebimento total da herança, no caso de morte de um dos cônjuges, permissão para adoção de crianças (antes, somente um dos membros da relação poderia adotar), uso de sobrenome comum para crianças adotadas ou para filhos naturais de um dos parceiros, e direito, para o casal de receber pensão, pagar impostos e pedir crédito. Segundo o texto do projeto, “o matrimônio terá os mesmos requisitos e efeitos, independentemente de os envolvidos serem do mesmo ou de diferente sexo”.

Depois de passar na Câmara dos Deputados no dia 5 de maio, a lei foi sancionada no Senado por 33 votos a favor, 3 abstenções e 23 votos contrários. O debate entre os parlamentares durou 14 horas.

A Igreja Católica argentina e grupos evangélicos organizaram um protesto contra a iniciativa, que incluiu uma manifestação com cerca de 60 mil pessoas em frente ao Congresso. Porém, uma pesquisa realizada apontava que os argentinos, em sua grande maioria, era a favor do casamento entre pessoas do mesmo sexo.

Diferentemente de países como Uruguai e Colômbia, que somente autorizam as uniões civis de casais gays, a nova legislação argentina reconhece também direitos e benefícios jurídicos e sociais. Para isso, ela substituiu, no Código Civil, os termos "marido e mulher" por "contratantes", igualando os direitos de casais gays e heterossexuais.

Outros nove países possuem leis específicas sobre casamento gay, válidas para todo o território nacional: Holanda, Espanha, Bélgica, África do Sul, Canadá, Noruega, Suécia, Portugal e Islândia. Em Portugal, a lei que autoriza o casamento entre pessoas do mesmo sexo foi promulgada no dia 17 de maio de 2010. Na Islândia, a norma entrou em vigor no dia 27 de junho.

Nos Estados Unidos, seis estados permitem o casamento gay: Massachusetts, Connecticut, Iowa, Vermont, New Hampshire e Washington D.C. A Cidade do México também aprovou recentemente uma lei semelhante.

Já no Brasil, casais homossexuais precisam recorrer à Justiça para conseguir os mesmos direitos válidos para uniões heterossexuais. Com isso, ficam à mercê de decisões pontuais de juízes de comarcas, ou seja, não há uma padronização quanto às sentenças.

Existem projetos de leis sobre união estável e direitos civis de homossexuais que tramitam no Congresso brasileiro desde 1995. O que impede que sejam votados é o lobby de políticos conservadores ou ligados a setores religiosos, além da rejeição de parcela do eleitorad

O valor do pré-sal para o Brasil Publicado em 21/07/2010 O assunto tomou conta do país e vem gerando polêmica desde então. As descobertas de petróleo a 7 mil metros abaixo da superfície do mar podem alçar o Brasil a um status de potência petrolífera e econômica. Mas o que é o pré-sal? O que ele pode representar ao país e quais os problemas que podemos herdar junto com a exploração?

A camada pré-sal é um gigantesco reservatório de petróleo e gás natural, localizado nas Bacias de Santos, Campos e Espírito Santo (região litorânea entre os estados de Santa Catarina e o Espírito Santo). Estas reservas estão localizadas abaixo da camada de sal - portanto, de 5 a 7 mil metros abaixo do nível do mar.

O petróleo encontrado nesta área, que engloba três bacias sedimentares (Santos, Campos e Espírito Santo), é de qualidade superior àquele comumente extraído da camada pós-sal, que fica acima da extensa camada de sal. Estas reservas se formaram há aproximadamente 100 milhões de anos, a partir da decomposição de materiais orgânicos.

Ainda não se sabe estimar a quantidade total de petróleo e gás natural contidos na camada pré-sal. No momento, há uma enorme especulação sobre quantos barris de petróleo pode conter o pré-sal. Uma estimativa realizada fala em algo entre 30 e 50 bilhões de barris – o que já aumentaria em cerca de quatro vezes as reservas brasileiras, que contavam com 12,1 bilhões de barris em janeiro deste ano.

Mas os números podem ser ainda maiores. Alguns acreditam que o pré-sal poderia esconder no mínimo 100 bilhões de barris – o que colocaria o Brasil em 6º lugar entre as maiores reservas de petróleo do mundo. Já outros chegam a afirmar que o pré-sal pode guardar 338 bilhões de barris, o que faria do Brasil o maior detentor de reservas provadas do mundo, superando de longe a Arábia

Saudita – hoje com 264 bilhões de barris.

Para efeito comparativo, se o preço por barril de petróleo cair para US$ 100 dólares, os 338 bilhões de barris dariam uma renda em potencial de US$ 33,8 trilhões de dólares, quase três vezes o PIB dos Estados Unidos ou 19 vezes o PIB brasileiro.

Se forem confirmadas as estimativas da quantidade de petróleo da camada pré-sal brasileira, o Brasil poderá se transformar, futuramente, num dos maiores produtores e exportadores de petróleo e derivados do mundo. Porém, os investimentos deverão ser altíssimos, pois, em função da profundidade das reservas, a tecnologia aplicada deverá ser de alto custo.

Acredita-se que somente por volta de 2016 estas reservas estejam sendo exploradas em larga escala. Enquanto isso, o governo brasileiro começa a discutir o modelo de exploração que será aplicado.

A poluição causa estragos devastadores ao ser humano

Publicado em 24/08/2010 Muitas pessoas não conseguem entender os estragos provocados pela poluição na vida do homem. Alguns fingem que não está acontecendo nada e outros nem querem saber dos resultados trágicos causados pela poluição. Há muito tempo, autoridades tentam alertar o mundo sobre os efeitos da redução da camada de ozônio, do efeito estufa, da perda da biodiversidade e da poluição de rios e mares.

Uma cultura embutida na cabeça das pessoas que deu certo foi a de não jogar lixo pelas janelas dos carros. Lembra como era comum? Viajantes jogavam latas, pacotes de salgadinhos, tudo pela janela. As pessoas, ao longo dos anos, criaram uma consciência do quanto isto prejudica o meio em que vivemos. Apesar deste avanço, isso ainda é muito pouco perto de tudo que estamos e ainda vamos enfrentar. A população não se dá conta de que está a cada dia avançando em meio a um problema que talvez não teremos como solucionar.

Estamos passando por um processo de poluição cumulativa, cujos efeitos só serão sentidos a longo prazo, por isso se trata de um fato tão difícil de ser entendido. Apesar disso, esses problemas têm merecido atenção especial no mundo inteiro, por se multiplicarem significativamente em um curto espaço de tempo e com a certeza de um grande balanço em todos os seres vivos.

A Terra recebe uma quantidade de radiação solar que, em sua maior parte (91%), é absorvida pela atmosfera terrestre, sendo o restante (9%) refletido para o espaço. A concentração de gás carbônico oriunda principalmente da queima de combustíveis fósseis dificulta ou diminui o percentual de radiação que a Terra deve refletir para o espaço, o que provoca o aumento da temperatura média da superfície terrestre.

Especialistas no assunto já afirmaram que o aquecimento global é irreversível, outros dizem que podemos controlar, mas não solucionar o problema.

Existem vários fatores que fazem com que tenhamos que, mais cedo ou mais tarde, encarar a dura realidade. Algumas destas poluições chamam a nossa atenção:

Poluição Atmosférica Consiste na introdução de substâncias, gases poluentes ou energias no ar. Esta situação provoca danos absurdos ao ser humano, ao ecossistema e ao meio ambiente em geral. Os contaminantes do ar provêm de diversas fontes, como fábricas, centrais termoelétricas, veículos, incêndio de florestas, etc.

A poluição atmosférica causa ainda impactos negativos na saúde humana, cujo grau de incidência e de perigo depende do nível de poluição, assim como dos poluentes envolvidos. Os problemas com maior expressão estão relacionados aos sistemas respiratório e cardiovascular.

Poluição Hídrica O Brasil é um país rico em água própria para o consumo, porém a população e as autoridades competentes não se preocupam o suficiente com este bem natural indispensável para o ser humano. A população não se dá conta e acha que os rios são latas de lixo. As pessoas criaram o hábito de jogar entulhos nos rios, que além de obstruírem a passagem das águas, podendo causar enchentes, provocam um dano sem tamanho no meio ambiente.

Em plantações de arroz, o agricultor não se preocupa e libera água contaminada com agrotóxico diretamente nos córregos e, assim, contamina toda a rede. Um dos problemas também bastante conhecidos é a falta de infra-estrutura das cidades. O administrador público acha que o mar é uma “rede de tratamento de esgoto” e faz a canalização das casas para o meio ambiente, como um esgoto a céu aberto.

Poluição do Solo A poluição do solo consiste em uma das formas de poluição que afeta particularmente a camada superficial da crosta terrestre, causando malefícios diretos ou indiretos à vida humana, à natureza e ao meio ambiente em geral. Consiste na presença indevida no solo de elementos químicos estranhos, como os resíduos sólidos ou efluentes líquidos produzidos pelo homem, que prejudicam as formas de vida e seu desenvolvimento regular.

Existem vários tipos de poluição no solo. As mais conhecidas são a poluição agrícola, a poluição provocada pelos aterros sanitários e a incineração desses detritos. Uma das principais consequências é a infertilização do solo para plantação e a contaminação da água. Sendo assim, a terra torna-se improdutiva e não há possibilidades de cultivo.

Os estragos feitos à natureza diariamente têm provocado um efeito desastraso no meio ambiente. A população clama por menos poluição mas não faz nada para reverter o processo. Estamos cientes da real situação de rios e mares, da falta de fiscalização e sobretudo da incapacidade humana de reverter este processo.

comentários (0)
Até o momento nenhum comentário
Seja o primeiro a comentar!
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Docsity is not optimized for the browser you're using. In order to have a better experience we suggest you to use Internet Explorer 9+, Chrome, Firefox or Safari! Download Google Chrome