BIM, Projetos de Engenharia Civil. Centro Universitario Belas Artes de Sao Paulo (FEBASP)
ana.miranda.tiago
ana.miranda.tiago18 de Junho de 2015

BIM, Projetos de Engenharia Civil. Centro Universitario Belas Artes de Sao Paulo (FEBASP)

DOC (937.0 KB)
9 páginas
866Número de visitas
Descrição
MODELAGEM DA INFORMAÇÃO DA CONSTRUÇÃO EM EMPRESAS DE ENGENHARIA CIVIL: UMA ANÁLISE DE NOVAS FERRAMENTAS EM TECNOLOGIA NO SETOR DA CONSTRUÇÃO CIVIL PARA FINS DE MODELAGEM DE PROJETOS.
20pontos
Pontos de download necessários para baixar
este documento
baixar o documento
Pré-visualização3 páginas / 9
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Pré-visualização finalizada
Consulte e baixe o documento completo
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Pré-visualização finalizada
Consulte e baixe o documento completo

Modelagem da Informação da Construção em Empresas de

Engenharia Civil: Uma análise de novas ferramentas em

tecnologia no setor da construção civil para fins de modelagem de

projetos Ana Carolina Miranda1; André Riiti Pinto2; Flávio Morais de Castro³; Guilherme Resende

Leroy4; Natália Bessas5; Saulo Oliveira6; Victor Preisser7;

Maria Teresa Zanatta8 (Orientador) Centro Universitário de Belo Horizonte, Belo Horizonte, MG 1ana.miranda.tiago@gmail.com; 2dedetp@yahoo.com.br;

3flaviomoraisdecastro@hotmail.com; 4leroaaa@gmail.com; 5nataliabessas@yahoo.com.br;

6saulo.oliveira@phvengenharia.com.br; 7victorpreisser@hotmail.com;

8maria.coutinho@prof.unibh.br;

Resumo:

A Modelagem da Informação da Construção ou Building Information Modeling, (BIM), é uma tecnologia que

possibilita às empresas da indústria da construção civil maior segurança, confiabilidade, rapidez e qualidade. É uma opção tecnológica que se pode fazer na implantação dos empreendimentos com o objetivo de reduzir

desperdícios e otimizar o uso de materiais, contribuindo assim para um desenvolvimento sustentável. Com o BIM,

podem-se gerir as documentações técnicas da edificação e manter um sistema de informação e comunicação

entre empresas e profissionais projetistas, proprietários, incorporadores, construtores e quaisquer outros agentes

envolvidos no processo. A tecnologia BIM está mais avançada em empresas de projetos industriais do que em

empresas de projetos residenciais e comerciais. Projetistas e empresas de projetos residenciais e comerciais

estão envolvidos no processo de substituição do desenvolvimento tradicional de projetos bidimensionais para

modelos tridimensionais parametrizados, enquanto projetistas e empresas de projetos industriais já estão

implementando interoperabilidade entre modelos de diversas disciplinas, o que corresponde a uma fase mais

adiantada de implantação. Portanto, por mais que exista uma grande complexidade do conceito de BIM, na verdade revela-se de forma simples como modelagem e uma outra visão dos projetos na engenharia.

Palavras-chave: Implementação do BIM, Modelagem da Informação da Construção, Construção Civil.

Abstract: The Building Information Modeling or Building Information Modeling (BIM) is a technology that enables enterprises of the construction increased security, reliability, speed and quality industry. It is a technology option that can make the implementation of projects aimed at reducing waste and optimizing the use of materials, thus contributing to sustainable development. With BIM, one can manage the technical documentation of building and maintaining a system of information and communication between companies and professional designers, owners, developers, builders and other agents involved in the process. BIM is more advanced in industrial projects than in projects of residential and commercial businesses. And designers of residential and commercial projects companies are involved in the process of replacing the traditional two-dimensional development projects for parameterized three-dimensional models, while designers and industrial design firms are already implementing interoperability between models from different disciplines, which corresponds to a more advanced stage deployment. So, as much as there is great complexity of the concept of BIM actually reveals itself simply as modeling and another view of engineering projects. KEYWORDS: Implementation of BIM, Building Information Modeling, Civil Construction.

____________________________________________________________________________

1. Introdução

O processo natural de evolução da engenharia civil,

remete à aplicação dos conhecimentos e tecnologia

em prol da melhoria e conservação do meio ambiente,

construindo e levando infraestrutura para a população

com menor impacto negativo possível.

Em todo o planeta, o material mais utilizado pelo

homem, é o concreto (no que diz respeito à volume),

ficando atrás apenas do uso da água (MACEDO,

2010). Isto se deve ao fato de ter como fim a

construção de residências e grande parte da

infraestrutura necessária ao desenvolvimento humano.

O uso da tecnologia tem papel fundamental para a

melhoria dos processos construtivos, bem como à

eficiência e eficácia na execução dos mesmos. Por

esse motivo, novos softwares na informática estão

empregados no planejamento, desenvolvimento,

execução e acompanhamento de projetos. Esse tem

um importante papel relacionado à sustentabilidade,

aliado na redução do consumo de materiais e em

retrabalhos por erros de projetos, demonstrando assim

a evolução da Engenharia Civil.

Nesse trabalho será abordado o conceito de BIM, ou

Modelagem da Informação da Construção, os

significados, aplicações, utilidades e como essa nova

forma de processar as informações na forma de

modelagem está transformando a construção civil.

2. Problemas de Pesquisa

No mundo da engenharia um detalhe pode

acrescentar ou interferir em um projeto inteiro. Se uma

inclinação ou elevação é mal calculada, o processo de

construção pode ser repentinamente cheio de

complicações. Se um tubo não se encaixa em seu

espaço atribuído, o utilitário que se planeja

meticulosamente concebido para tal poderia precisar

de alguma grande revisão. Se um cliente de repente

quer mudar o pé direito de uma construção, então a

classificação da planta, layouts de estacionamento,

plantas de serviços públicos e plantas de captação de

águas pluviais terão de ser recalculados. Portanto,

este trabalho enfoca a informação sobre um método

que ajuda no planejamento e ações corretivas,

proporcionando a economia de tempo na solução

desses problemas, representando a evolução da

Engenharia Civil.

A formatação dos artigos submetidos deve obedecer

às normas estabelecidas neste documento, que se

basearam nas normas da Associação Brasileira de

Normas Técnicas – ABNT – NBR 6022 (2003) e NBR

14724 (2005). Aconselha-se ao autor a utilização

deste modelo para editar o artigo. As informações

sobre a autoria (nome do autor, afiliação e endereço

eletrônico) serão excluídas, pela Comissão Editorial,

durante o processo de avaliação.

2.1..Elementos Pré-textuais

Há alguns anos atrás esses detalhes literalmente

enviavam arquitetos e engenheiros de volta à

prancheta de desenho custando horas de trabalho e

resmas de papel. Hoje, felizmente para os arquitetos,

engenheiros, a modelagem de informações de

construção 3D, o software BIM, pode recalibrar

projetos em questão de minutos e ajudar a evitar erros

caros antes que eles aconteçam. Os engenheiros

PAGE \* MERGEFORMAT 1

podem produzir e comparar diferentes plantas,

coordenar e visualizar detalhes sem adivinhação. Mais

tarde, se dúvidas ocorrerem durante a construção,

desenhos revistos podem ser incorporados nos

desenhos de construção quase pelo toque de um

botão. Em cada etapa o BIM pode prever com

precisão não só a terceira dimensão em que o projeto

será semelhante, mas também os que nos referimos

como a quarta e quinta dimensões, a programação

que vai ter e quanto o projeto custará. É essa

profundidade de informação e detalhes 3D, 4D, 5D e

projeto que faz o BIM tão essencial para engenheiros

civis e tão valioso para os seus clientes.

2.2..Objetivos

2.2...1... Objetivo Geral

O objetivo deste trabalho é elaborar e explorar

a modelagem de projetos no ambiente das novas

tecnologias.

2.2...2... Objetivos Específicos

A pesquisa será feita com objetivo de entender qual é

o conceito aplicado à modelagem de informações na

engenharia, os softwares existentes, benefícios da

utilização desses recursos e a sua representatividade

para as empresas do setor.

Pretende-se:

Pesquisar do conceito, benefícios, aplicações

do BIM;

Verificar como o mercado tem aderido ao

conceito do BIM e se vem sendo usado;

Verificar a viabilidade de sua utilização;

Concluir em uma apresentação explicativa

simplificada conceitual, para os estudantes de

engenharia.

3. Justificativa

Os métodos executivos de obras na Engenharia Civil

são considerados arcaicos de um certo modo, uma

vez que vem sendo utilizadas as mesmas técnicas de

execução há vários anos, com pequenas inserções de

novas tecnologias, como é o caso por exemplo dos

pré-moldados. No entanto, por trás da execução

propriamente dita, a Engenharia Civil vem evoluindo a

cada dia com a inclusão da informativa na análise de

projetos, planejamento e acompanhamento das obras.

A pesquisa é importante para a equipe, por

acrescentar novos conhecimentos referentes às

técnicas construtivas, de acompanhamento e

planejamento. Este trabalho tem importância tanto

para a comunidade científica quanto para os

acadêmicos que o realizam, por ser uma análise do

modo com o qual o homem, às vezes carentes de

conhecimento técnico, utiliza de suas tecnologias afim

de melhorar seus processos em eficiência e eficácia.

Portanto, nesse momento da graduação, se vê uma

grande necessidade de expor aos estudantes, o que

tem sido utilizado de novas tecnologias no âmbito da

construção civil. Ao elaborar um trabalho com

objetivos exploratórios e de divulgação estará se

atingindo a meta.

4. Referencial Teórico

A sigla BIM representa o termo Building Information

Model ou Building Information Modeling, que significa

tanto Modelo de Informação da Construção quanto

Modelagem de Informação da Construção, é um

conjunto de informações geradas e mantidas durante

todo o ciclo de vida de uma construção. (SENSU,

PDEPÓSG. RONAIBI DE SOUZA).

Os BIM são frequentemente vistos como a nova

geração de ferramentas CAD. A necessidade de criar

um modelo central representativo dos processos de

construção, levou a que se percebesse a importância

em abandonar a simples representação de elementos

através de linhas, formas e texto, e se passasse a

representar um modelo como uma associação de

elementos individuais, através de uma modelação

orientada por objetos. Para tal, os elementos passam

a ser definidos, sendo-lhes atribuído significado

semântico e associadas propriedades. São

estabelecidas ligações que definem o modo de

interação dos elementos entre si e com o modelo

global. Os objetos são organizados numa estrutura

racional dividida por especialidade e estratificada por

nível de pormenorização. (ALVES, Celestino Maia

Fradique)

Numa típica aplicação BIM a concepção do edifício é

feita através da agregação dos elementos construtivos

tanto em 2D como em 3D. Para cada elemento

construtivo, por exemplo uma parede, é possível

especificar não só os parâmetros geométricos como a

espessura, o comprimento e a altura, como também

outros parâmetros como o material da parede, as

tramas de superfície, propriedades térmicas e

acústicas, custos de material e custos de construção,

entre outros, permitindo inclusive ao utilizador a

introdução de parâmetros ao seu critério. (ALVES,

Celestino Maia Fradique)

BIM é diferente de CAD 3D. Num BIM a informação

encontra-se interligada por via de relações

paramétricas o que significa que as alterações são

processadas em tempo real em todo o modelo,

evitando a propagação de erros e dinamizando os

processos de atualização. A automatização da

produção das peças automáticas de um projeto é uma

das grandes bandeiras da modelação BIM, com as

vistas a serem obtidas automaticamente a partir do

modelo do edifício. Esta funcionalidade tira partido das

relações paramétricas entre os elementos do modelo

na medida em que permite trabalhar em qualquer uma

das vistas sem a preocupação de ajustar as restantes.

O modelo executa as alterações automaticamente.

Por outro lado, sendo o utilizador a definir que vista

pretende extrair, consegue-se retirar pormenores que

de forma manual são demasiado complexos para

desenhar. (SILVA, JORGE MIGUEL SANTOS, 2013.)

Um BIM engloba várias especialidades da construção.

Assim, as aplicações mais correntes permitem a

concepção de modelos de arquitetura, modelos de

estruturas e modelos de redes. Certas aplicações,

como por exemplo o Autodesk Revit, separam os

módulos por diferentes aplicações, no entanto, este

tipo de sistema vem preparado para sincronizar os

vários modelos de modo a centralizar a informação e

a permitir a sobreposição de projetos com vista à

detecção de erros. No caso da Autodesk e para este

efeito, existe uma outra aplicação, o NavisWorks, cuja

função é a compatibilização de projetos e identificação

de conflitos. (SILVA, Pedro Daniel Moreira da. 2012.)

A compatibilização de modelos é uma das bandeiras

do BIM, possibilitando uma visão global sobre o

projeto, a compatibilização dos elementos, a

identificação de erros e omissões, a produção de

vistas e pormenores complexos e a extração de

quantidades globais, no entanto, esta função obriga a

requisitos de interoperabilidade entre sistemas.

Interoperabilidade define-se como a capacidade de

dois ou mais sistemas trocarem dados entre si e

representa um dos mais fortes motivos para as

derrapagens orçamentais, com estudos a apontarem

valores na ordem dos bilhões de dólares gastos por

ano. Atualmente, a adopção de ferramentas BIM ainda

se encontra numa fase inicial, pelo que ainda não é

possível identificar uma preferência clara dos

utilizadores a nível de aplicação BIM, logo, os

problemas de interoperabilidade subsistem. Nos

últimos tempos, um formato, mais do que todos os

outros, tem sobressaído consideravelmente no que diz

respeito à interoperabilidade entre sistemas, o modelo

IFC (Industry Foundation Classes). Desenvolvido pela

buildingSMART, uma associação não lucrativa

composta por profissionais ligados à construção,

pretende-se que o modelo IFC funcione como a ponte

de ligação entre aplicações BIM, operando não só

como formato de interoperabilidade mas também

como sistema de classificação para organizar e definir

o modo de representação da informação da

construção. (FERREIRA, Bruno, 2012)

5. Metodologia

Este trabalho é de natureza exploratória porque ele

tem como objetivo verificar um conceito já existente no

mercado, com objetivo verificar os reais benefícios de

sua aplicação como modelagem da construção civil.

Levantar pontos positivos e negativos na possibilidade

de concluir sua viabilidade de utilização no dia-a-dia

das empresas de engenharia.

Conforme Gil (1999), os métodos de pesquisa podem

se classificar em métodos que proporcionam as bases

lógicas da investigação científica e métodos que

esclarecem procedimentos técnicos da investigação

científica. A revisão bibliográfica, obrigatória em

qualquer pesquisa, compõe-se dos recursos

fornecidos por livros, artigos e periódicos científicos, e

presta-se à definição do sistema conceitual da

pesquisa, sua fundamentação teórica e a identificação

do estágio em que se encontram os conhecimentos

acerca do tema investigado.

A partir de uma extensa pesquisa bibliográfica

relacionada ao tema, tanto do ponto de vista teórico,

como prático, procurou-se abordar todos os itens

apontados como objetivo de estudo. Serão utilizadas

diversas mídias para a pesquisa, como artigos, teses

e monografias; sites da grande rede, livros, revistas e

catálogos técnicos.

A metodologia foi segmentada nas seguintes etapas:

A escolha bibliográfica para embasamento sobre o

tema estudado;

Análises gerais e considerações finais do trabalho

para apresentação.

6. Desenvolvimento

6.1..Atualidade

Hoje, Building Information Modeling (BIM), um

processo de criação virtual rico em informações de

modelos tridimensionais de um edifício ou estrutura

está sendo aproveitado de alguma forma em todas as

fases do processo de entrega do projeto, desde a

concepção até a construção e para operações de

manutenção. Isso está muito longe de onde

estávamos há 10 anos. Extraordinários avanços em

tecnologia e processos não só fez o BIM possível,

mas efetivamente necessário a sua utilização em

muitos projetos hoje.

Grande parte da razão para este movimento pode ser

atribuído ao fato de que os benefícios do BIM, a partir

de uma melhor visualização e análise do modelo de

coordenação aumentado e custos reduzidos de

projeto, estão sendo realizados de uma forma ou de

outra por todos os principais intervenientes, incluindo

os engenheiros estruturais. A adoção tem progredido

significativamente nos últimos anos, embora em

grande parte devido à proliferação de mais pedidos

para se ter modelos BIM como resultado final do

projeto. A capacidade de propor mais projetos e

potencialmente ganhar mais negócios são

motivadores poderosos para qualquer empresa obter

prontamente o BIM e se tornar mais competitiva.

Figura - Visualização do projeto em 2D (CAD)

Figura - Visualização do projeto em 3D (CAD)

No entanto, além de ser capaz de responder a mais

solicitações de proposta, a indústria estrutural está

ficando para trás em alguns segmentos semelhantes

de outros projetos da indústria da construção, tais

como a engenharia civil e o MEP. A razão para isso é

que na maioria dos projetos a criação de desenhos

usando um modelo BIM para a coordenação ainda são

os principais usos do software BIM por engenheiros

estruturais e a documentação não é dependente das

ligações de análise ou modelos de outras disciplinas.

6.2..Dados de Utilização dos Usuários

A Autodesk anunciou que o número de usuários de

seu software baseado em modelo 3D passou a marca

de um milhão. Embora o software 3D para desenho

mecânico, como o Autodesk Inventor, seja o padrão na

indústria de fabricação há muitos anos, o marco de um

milhão de usuários não poderia ter sido alcançado tão

cedo sem a adoção crescente do 3D na forma de

modelagem das informações da construção (BIM) em

toda a indústria da construção civil.

Figura - Visualização do projeto em 3D (BIM)

Figura - Figura 3 - Visualização do projeto em 3D (BIM)

6.3..Suas Utilizações e Benefícios

Ao utilizar o BIM, as empresas podem perceber uma

maior eficiência diminuindo a necessidade de gastar

tempo de um engenheiro em tedioso retrabalho do

projeto e coordenação de mudanças e se concentrar

em verdadeira engenharia e tarefas de resolução de

problemas. Isto é possível graças a uma redução dos

erros introduzidos por mudanças no projeto. Os erros

são sempre uma possibilidade quando as mudanças

são feitas, e são praticamente um dado. Quando as

mudanças são complexas e acompanhadas pelo

estresse e pressa associada aos estágios finais de um

projeto em um modelo de ligação verdadeiramente

associado, reflete as alterações feitas aos elementos

de todo o modelo reduzindo assim a margem de erro.

O engenheiro tem ainda um papel de trabalho

intensivo durante o processo de modelagem BIM mas

é capaz de visualizar, isolar, cortar e filtrar áreas ou

elementos da estrutura em 3D permitindo resolver

mais diretamente um problema. Detecção de conflitos

e monitoramento de elementos chave podem reduzir

encomendas de mudança não descritas que poderiam

surgir.

É possível listar itens específicos de benefícios,

seguem:

Visualização do Projeto: o software BIM permite que

projetistas e clientes visualizem os locais propostos

com mais detalhes realistas do que nunca

Detecção de Conflito: Com o BIM os engenheiros

podem analisar projetos verticalmente e

horizontalmente e realizar detecções de conflitos em

tempo real conforme o projeto progride. Com as

mudanças de projeto ocorrendo o software vai

automaticamente fazendo ajustes e engenheiros ficam

em alerta para potenciais conflitos, quer entre os

vários tubos ou com o local que o envolve.

Figura – Projeto e Detalhamento

Conjuntos de regras e anotação dinâmica: Com o

software BIM os engenheiros podem fazer listas de

peças com conjuntos de regras específicas e custos

associados e o software vai automaticamente

aperfeiçoar o projeto com base em parâmetros de

engenharia para gerar a mais eficiente solução de

custo eficaz para os clientes. Acima, conjuntos de

regras, cálculos de fluxo e custo dos itens são

vinculados a cada tubo nos sistemas de serviços

públicos e automaticamente se atualizam com as

alterações de projeto.

Análise do volume do terreno pré e pós construção: O

BIM pode fornecer análise de volume extremamente

detalhado, pré e pós construção. Acima, um desenho

de corte/aterro mostra a pré-análise de volume local

de uma construção com os números vermelhos

indicando a profundidade que o terreno precisa ser

cortado e o verde que indicando o quanto será

necessário de aterro.

Figura - Representação de curvas topográficas em 3D

6.4..Implementação do BIM e suas Transformações

O BIM vai continuar sendo um grande responsável em

transformar o segmento com mais empresas de

engenharia e arquitetura reconhecendo as mesmas

oportunidades, benefícios e valores. Enquanto o

segmento continua a educar-se em tecnologias

avançadas com o BIM, as empresas vão ver a

necessidade de aumentar a colaboração entre todos

os participantes do projeto. Mais empresas, por sua

vez, irão se concentrar em firmar novas relações

unidas por fluxos de trabalho e tecnologias comuns a

fim de operar sob uma abordagem mais concentrada

em seus princípios.

De acordo com um recente relatório SmartMarket

McGraw Hill, o uso de BIM por engenheiros estruturais

deverá dobrar nos próximos anos. Portanto, a

questão não é se deve considerar a implementação

BIM, mas é quando será implementado.

Ao mover-se para o BIM é importante lembrar que é

mais do que um movimento lateral, é uma alteração

no processo também. Compreender as medidas

necessárias envolvidas ao fazer a transição e fazer os

investimentos necessários em consultoria e tecnologia

são cruciais para uma transição bem sucedida.

A transição para o BIM não deve ser vista como um

mal necessário. Em vez disso, esta transformação em

nosso segmento é algo a ser feito com uma mente

aberta. Uma busca de novas abordagens e novas

ferramentas para resolver os desafios do projeto em

comum que pode aumentar a eficiência, melhorar a

qualidade do trabalho e avançar no processo global do

projeto. É quando podemos realmente começar a ver

como o BIM significa melhores negócios.

6.5..Desafios e Dificuldades de Utilização

Um desafio especial para os engenheiros estruturais

por exemplo, que impacta a sua taxa de adoção, é a

capacidade de efetivamente integrar o projeto de

análise estrutural para o processo BIM. A maioria das

empresas ainda iniciam o seu projeto em um pacote

de software de análise e depois trazem os desenhos

CAD 2D do arquiteto para produzir um modelo

analítico.

O problema com este fluxo de trabalho é que, ao

menos que se possa ligar esse modelo em um

ambiente BIM, é onde ele termina. Como resultado,

muitas empresas de “BIM prontos” acabam criando

um modelo do todo que está completamente

desconectado do modelo analítico. Ao longo dos

últimos anos, a interoperabilidade entre as

ferramentas de software melhorou muito, mas ainda

não é perfeita.

Entre algumas das queixas mais comumente relatadas

são problemas com a falta ou deslocamento de

elementos ao importar modelos BIM para a ferramenta

analítica. Isto pode ser devido ao fato de que o

programa não suporta este elemento particular ou o

elemento de modelo estava no formato do tipo errado,

posição errada ou não ligado.

Outra questão relacionada a isso é que um monte de

engenheiros descobriu que não é prático o “ir e vir”

entre o BIM e o software analítico mais que uma vez.

Isto se deve ao nível de esforço necessário para

simplificar a geometria adequada a fim de executar a

análise ou o mapeamento envolvido para interpretar

os elementos. Além disso, existe um efeito de

alterações em cascata no modelo onde os resultados

analíticos foram já utilizados na concepção de vários

outros elementos. É por isso que é importante

realmente entender as limitações das ligações de

análise e a melhor prática de desenvolvimento de um

fluxo de trabalho de modelagem interna.

No entanto, apesar de algumas destas questões,

muitas empresas de engenharia estrutural já

descobriram que os benefícios do BIM podem

superam os desafios.

7. Conclusão

O BIM trouxe a arte de construção de engenharia para

a luz do dia muito mais que somente dutos, vigas ou

estruturas mais atraentes. É bastante evidente que um

modelo 3D comunica o resultado final como nenhum

desenho de linha simples jamais poderia comunicar.

Só isso já é um grande benefício para o engenheiro,

seu cliente e a equipe.

Embora seja comum que o BIM custe mais, devido a

necessidade de compra de licenças de softwares,

contratação de mão-de-obra especializada, etc.,

muitos destes custos percebidos são relativos e com

base numa série de fatores. Por exemplo, escala do

projeto e complexidade, fluxo de trabalho da empresa,

sua capacidade de produzir com eficiência vários

cenários estruturais hipotéticos e seu processo de

acompanhar e atualizar as alterações de forma

eficiente, só para citar alguns.

Portanto, por mais que exista uma grande

complexidade do conceito de BIM, na verdade revela-

se de forma simples como modelagem e uma outra

visão dos projetos na engenharia. Uma vez que

podem ser desenhados todos os detalhes e itens que

compõem uma construção e reuni-los em um só

projeto visual em 3D, a informação é concentrada,

portanto pode ser analisada como um todo,

verificando as interferências de um tipo de projeto ao

se encontrar com outro. É algo muito útil em um

grande projeto, para grandes empresas, em que a

execução pode ser comprometida ao se trabalhar com

diversos tipos de projeto, como hidráulico, elétrico, etc.

Mas conclui-se que para pequenas empresas e

empresas que trabalham com a padronização, como

o caso de construtoras residências, trata-se de algo

fora do alcance, ao se depender de grandes

investimentos e mão-de-obra especializada.

8. Agradecimentos

Os autores agradecem ao Diretor do IET, ao

Coordenador, Professores e Alunos do curso de

Engenharia Civil do UniBH, que vêm contribuindo, a

cada ano, para o enriquecimento deste modelo.

____________________________________________________________________________

9. Referências

MACEDO, 2010 <http:// amacedofilho.blogspot.com.br/2012_01_01_archive.ht ml> Acesso em: 15 set. 2014

WIKIPEDIA DEFINIÇÃO DE BIM <http://pt.wikipedia.org/wiki/BIM> Acesso em: 15 set. 2014

GIL, Antonio C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 5. ed. São Paulo: Editora Atlas S.A., 1999. 206p.

Leo Salce, Intl Assoc AIA, LEED AP – Structurally Speaking – April, 2012 <http://www.structuremag.org/article.aspx? articleID=1433> Acesso em: 21 set. 2014

Hannah George, – Associate – ICT & Security, Norman Disney & Young <http://www.thenbs.com/topics/bim/articles/ bimCollaborationAndEngineering.asp> Acesso em: 17 set. 2014

Curtis Smith, – Zooming In: BIM Modeling for Civil Engineering – <http://dialogue.gspnet.com/Dialogue/GSP-Dialogue/ February-2013/Zooming-In-BIM-Modeling-for-Civil- Engineering> Acesso em: 17 set. 2014

O BIM na Engenharia Civil I: Estruturalmente falando <http://engdofuturo.com.br/o-bim-na-engenharia- parte-1-estruturalmente-falando/> Acesso em: 22 set. 2014

O BIM e a Engenharia Civil <http://www.plataformabim.com.br/2013/05/o-bim-e- engenharia-civil.html> Acesso em: 15 set. 2014

<http://www.bibliotecadigital.ufmg.br/dspace/bitstream/ handle/1843/ISMS-8Z4LWY/miguel_pereira.pdf? sequence=2> Acesso em: 18 set. 2014

<http://webserver2.tecgraf.puc-rio.br/~lfm/teses/ NicolaPapadopoulos-Mestrado-2014.pdf> Acesso em: 20 set. 2014

<http://techne.pini.com.br/engenharia-civil/191/ gerente-bim-profissional-e-o-responsavel-pelo- aprimoramento-da-285986-1.aspx> Acesso em: 10 set. 2014

comentários (0)
Até o momento nenhum comentário
Seja o primeiro a comentar!
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Docsity is not optimized for the browser you're using. In order to have a better experience we suggest you to use Internet Explorer 9+, Chrome, Firefox or Safari! Download Google Chrome