Câncer do Colo do Útero - Apostilas -  Ginecologia_Parte1, Notas de estudo de . Faculdade Medicina Estadual (ISEP)
Pipoqueiro
Pipoqueiro11 de Março de 2013

Câncer do Colo do Útero - Apostilas - Ginecologia_Parte1, Notas de estudo de . Faculdade Medicina Estadual (ISEP)

PDF (498.0 KB)
12 páginas
967Número de visitas
Descrição
Apostilas de Ginecologia sobre o estudo do Câncer do Colo do Útero, Quadro Clínico, Diagnóstico, Citologia Cervicovaginal, condutas.
20pontos
Pontos de download necessários para baixar
este documento
baixar o documento
Pré-visualização3 páginas / 12
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Pré-visualização finalizada
Consulte e baixe o documento completo
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Pré-visualização finalizada
Consulte e baixe o documento completo
Slide 1

Introdução

 São alterações celulares que tem uma progressão gradativa.

 Algumas displasias se curam espontaneamente, sem tratamento.

Incidência no Mundo

 É responsável, anualmente, por cerca de 471 mil casos novos e pelo óbito de, aproximadamente, 230 mil mulheres por ano;

 A incidência torna-se evidente na faixa etária de 20 a 29 anos e o risco aumenta rapidamente até atingir seu pico geralmente na faixa etária de 45 a 49 anos;

Incidência no Brasil  Terceira neoplasia maligna mais comum entre as mulheres;

 Quarta causa de morte por câncer no sexo feminino; ;

 O câncer de colo do útero é mais incidente na região Norte, seguido das regiões Centro-Oeste e Nordeste. Menos incidente na região Sudeste e Sul.

45,2

23,924,3

36,3

36,1 Norte

Sul

Sudeste

Centro-Oeste

Nordeste Cada 100.000 casos

 Estimativas de novos casos: 18.430 (2010)

 

 Número de mortes: 4.812 (2008)

Fatores de Risco

Câncer de Colo do Útero

Infecção pelo HPV

Precocidade Sexual Tabagismo

Parceiros com múltiplas parceiras

Múltiplos parceiros

Baixas condições sócio-econômicas

HPV e o Câncer de Colo do Útero

 O principal agente causal deste câncer é o vírus do papiloma humano;

 O HPV é uma família de vírus com mais de 80 tipos;

 Infectam a região genital, podendo ocasionar lesões que, se não tratadas, se transformam em câncer de colo do útero;

Células vaginais infectadas pelo HPV

 Afeta a área genital tanto de homens como de mulheres;

 Pode ficar instalado no corpo por muito tempo sem manifestações;

 Verrugas genitais ou condilomas acuminados são as infecções clínicas mais comuns;

HPV no pênis

HPV na vulva e vagina

 Somente uma pequena fração das mulheres infectadas com um tipo de papilomavírus oncogênico, eventualmente desenvolverá câncer do colo do útero;

 Co-fatores que aumentam o potencial de desenvolvimento do câncer genital em mulheres infectadas pelo HPV:

. número elevado de gestações;

. uso de contraceptivos orais;

. Tabagismo ( das céls de Langerhans *);

. infecção pelo HIV e outras DST (como herpes e clamídia).

* células de defesa

 Na maior parte das vezes a infecção pelo HPV não apresenta sintomas. A mulher tanto pode sentir um leve prurido, ter dor durante a relação sexual ou notar um corrimento;

 O mais comum é ela não perceber qualquer alteração em seu corpo;

Colo do útero normal HPV no colo do útero

Lesões Precursoras Classificação Histológica dos Cânceres do Colo do Útero

Tumores epiteliais Lesões escamosas Lesões intra-epiteliais escamosas (NIC) Carcinomas de células escamosas Carcinoma epidermóide Lesões glandulares Adenocarcinoma in situ Adenocarcinoma Outros tumores epiteliais Carcinoma adenoescamoso Carcinoma adenocístico Tumores mesenquimais Tumores mistos epiteliais e mesenquimais Miscelânea Tumores secundários

 O carcinoma epidermóide é o mais comum (90%), seguido pelo adenocarcinoma (8%);

 O conceito de neoplasia intra-epitelial cervical (NIC) foi sugerido por Richart em 1967;

 As NIC são consideradas formas pré-invasivas. Dividem-se em três graus (I, II, III), conforme características cito-histológicas e têm o objetivo de estabelecer prognóstico;

 NIC de baixo grau (NIC I e condiloma plano) e NIC de alto grau (NIC II e III)

Neoplasias Intra-epiteliais cervicais A classificação é dada pela espessura proporcional do

epitélio cervical com alterações citológicas:

 NIC I - crescimento anormal restrito ao terço inferior do epitélio (Displasia Leve)

 NIC II - lesão envolvendo entre 1/3 a 2/3 do epitélio a partir da base (Displasia Moderada)

 NIC III - lesão envolvendo mais de 2/3 do epitélio (Displasia Acentuada e Carcinoma In Situ)

comentários (0)
Até o momento nenhum comentário
Seja o primeiro a comentar!
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Docsity is not optimized for the browser you're using. In order to have a better experience we suggest you to use Internet Explorer 9+, Chrome, Firefox or Safari! Download Google Chrome