Cardiologia - Apostilas - insuficiência cardíaca, Notas de estudo de Cardiologia. Faculdade Medicina Estadual (ISEP)
Pipoqueiro
Pipoqueiro8 de Março de 2013

Cardiologia - Apostilas - insuficiência cardíaca, Notas de estudo de Cardiologia. Faculdade Medicina Estadual (ISEP)

PDF (95.0 KB)
2 páginas
606Número de visitas
Descrição
Apostilas e exercicios de Cardiologia sobre o estudo da insuficiência cardíaca, causa, complicação, mortalidade.
20pontos
Pontos de download necessários para baixar
este documento
baixar o documento

INSUFICIÊNCIA CARDÍACA 1. Principal causa de IC é hipertensão arterial; 2. Percentual de ICC >65 anos 6-10%; 3. Complicação (precoce/tardia) da HAS, DAC, doenças orovalvares, cardio e periocardiopatias 4. Sobrevida da IC após 1 ano de diagnóstico 62%; 5. Mortalidade anual CF IV cerca de 15% ao ano; 6. Fisiopatologia: HAS por sobrecarga de (volume/pressão). Doença valvar por sobrecarga de (volume/pressão). IAM por sobrecarga de (volume/pressão) 7. Mecanismos envolvidos na fisopatologia neurohumoral ttônus simpático/ sistema renina- angiotensinaaldosterona/ vasopressina / endotelina 1 / citocinas / peptídeos natriuréticos aumentados / prostaglandinas vasodilatadoras aumentadas 8. São efeitos da Angiotensina II na IC: vasoconstrição poderosa, aumento da aldosterona, aumento de endotelina-1 (vasoconstritora e estimulante da hipertrofia de cardiomiócitos), remodelação ventricular pelo SRA tissular, aumento de ação da ECA que degrada bradicinina; 9. São efeitos do sistema nervoso simpático na IC: aumento de FC, estímulo à secreção de renina; downregulation de receptores beta-adrenérgicos; 10. Sinais e sintomas de IVE: confusão, dificuldade de concentração, cefaleia, insônia, ansiedade, cardiomegalia, taquicardia, pulso alternante, arritmias, baixa reserva, oligúria, nictúria, dispneia, ortopneia, dispneia paroxística noturna, respiração de Cheyne-Stokes, edema agudo de pulmão, fadiga, astenia; 11. Sinais e sintomas de IVD: confusão, dificuldade de concentração, cefaleia, insônia, ansiedade, cardiomegalia, taquicardia, pulso alternante, arritmias, baixa reserva, nictúria, derrames cavitários, edema de MMII, cianose, estase jugular, hepatomegalia, dor pulsátil, esplenomegalia, refluxo hepatojugular, fadiga, astenia; 12. Sinais e sintomas de ICC: dispneia paroxística noturna, distensão de veias do pescoço, estertores, cardiomegalia, EAP, galope B3, pressão venosa >16cm H2o, refluxo hepatojugular positivo, edema de membros, tosse noturna, dispneia de esforço, hepatomegalia, derrame pleural, capacidade vital reduzida a 1/3 do normal, taquicardia >120bpm; 13. Classificação funcional da IC NYHA: I assintomática, II IC leve a moderada com sintomas sob exercício leve ou moderado, III IC grave com sintomas em repouso; 14. Estadiamento da IC: A alto risco de desenvolver IC, B doença estrutural do coração assintomática para IC, C doença estrutural com sintomas de IC anteriormente ou no momento, D IC refratária que requer intervenções especializadas; 15. Evolução da IC: fatores de risco/ lesão miocárdica/ disfunção de VE/ insuficiência cardíaca; Danielle C. Lourenço dos Santos 2010101183-5 – t.: 401 16. Cite 5 etiologias da IC: doença isquêmica, HAS, doença de Chagas, cardiomiopatia, dorogas (BCC, agentes citotóxicos); 17. Débito cardíaco = FC x volume sistólico; 18. Fração de Ejeção = (volume diastólico final volume sistólico final) / VDF; 19. Valor normal da Fração de Ejeção: >= 50%; 20. iECA, betabloqueadores e ressincronização promovem remodelamento reverso da miocardiopatia dilatada; 21. Na IC sistólica há volume sistólico (reduzido/aumentado), volume diastólico final (reduzido/aumentado), pressão diastólica final (reduzido/aumentado), fração de ejeção (normal/ reduzida), ventrículos (menores/maiores) que átrio e presença de (B3/B4) 22. Na IC diastólica há volume diastólico final (reduzido/aumentado), pressão diastólica final (reduzido/aumentado), fração de ejeção (normal/ reduzida), ventrículos (menores/maiores) que átrio e presença de (B3/B4) 23. Cite 5 fatores de descompensação da IC: infecção, interrupção da medicação, anemia, álcool, arritmias; 24. Valor normal de BNP: <100pg/ml; 25. Cite 5 fatores de mau prognóstico da IC: >65 anos, múltiplas internações hospitalares, má perfusão, B3, taquicardia; 26. Recomenda-se ingesta de 2-3g/dia de sódio por dia p/ pacientes c/ IC (exceto para a classe III, cuja ingesta deve ser <2g/dia);

docsity.com

27. iECA é a classe de medicação recomendada p/ todas as classes de IC 28. BRA usados sempre na IC (verdadeiro/falso) 29. Efeitos colaterais da IECA: hipotensão sintomática, tosse seca, alteração no paladar, angioedema; 30. Cite 3 benefíciosnda IECA na IC: melhora função ventricular, a qualidade de vida e reduz a progressão da doença; 31. Cite 3 benefícios dos beta-bloqueadores: reduzem hiperatividade simpática, remodelamento reverso, melhoram a FE; 32. (Beta bloqueador / Diurético) é a classe de medicação recomendada, em associação c/ IECA e/ou BRA, para pacientes em CF II-IV 33. Antagonista da aldosterona indicado para pacientes (sintomáticos/assintomáticos) com disfunção (sistólica/diastólica) em classes funcionais I e IIb associadas ao tratamento padrão 34. Diuréticos são indicados quando há sintomas de congestão; Danielle C. Lourenço dos Santos 2010101183-5 – t.: 401 35. Cite 5 efeitos colaterais do diurético: hipopotassemia, hipomagnesemia, hiperuricemia (pode levar à gota), hipovolemia ou desidratação, insuficiência renal; 36. Hidralazina + nitrato recomendados quando há contra-indicação a iECA e BRA; 37. Digital indicado sempre na IC (verdadeiro/falso) 38. Digitálicos indicados na FE <45% , (assintomáticos/sintomáticos) na classe I, FE <45% assintomáticos na classe II e FE>45% assintomáticos na classe III; 39. Cite 3 indicações de anticoagulantes: lentificação circulatória, estase venosa e hipercoagulabilidade; 40. No tratamento da ICFEN: controle da hipertensão arterial e tratar isquemia; 41. Usa diurético na ICFEN quando há sintomas de congestão; 42. Ressincronização indicada quando IC (assintomática/sintomática), FE (normal/reduzida), QRS (estreito/alargado) com terapia medicamentosa (subótima/otmizada) 43. Sobre o perfil hemodinâmico, o paciente pode ser, de acordo com a perfusão em repouso, quente (perfusão normal/ perfusão baixa) ou frio (perfusão normal/ perfusão baixa). E de acordo com o grau de congestão pode ser úmido (congestão presente/ congestão ausente) ou seco (congestão presente/ congestão ausente). 44. O paciente compensado é (quente/frio) e (úmido/seco) 45. O paciente em choque cardiogênico é (quente/frio) e (úmido/seco).

docsity.com

comentários (0)
Até o momento nenhum comentário
Seja o primeiro a comentar!
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Docsity is not optimized for the browser you're using. In order to have a better experience we suggest you to use Internet Explorer 9+, Chrome, Firefox or Safari! Download Google Chrome