Custeio por Absorção - Apostilas - Engenharia Elétrica, Notas de estudo de Engenharia Elétrica. Universidade Federal de Alagoas (UFAL)
Ronaldinho890
Ronaldinho8904 de Março de 2013

Custeio por Absorção - Apostilas - Engenharia Elétrica, Notas de estudo de Engenharia Elétrica. Universidade Federal de Alagoas (UFAL)

PDF (315.0 KB)
10 páginas
663Número de visitas
Descrição
Apostilas de engenharia elétrica sobre o estudo da demonstração do sistema Custeio por Abosrção, na busca de definir um maior controle das atividades produtivas, bem como na alocação do custo originário de cada ítem e de...
20pontos
Pontos de download necessários para baixar
este documento
baixar o documento
Pré-visualização3 páginas / 10
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Pré-visualização finalizada
Consulte e baixe o documento completo
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Pré-visualização finalizada
Consulte e baixe o documento completo

CUSTEIO POR ABSORÇÃO NA REFORMA E MANUTENÇÃO ELÉTRICA DE CARRETA FRIGORÍFICA: UM ESTUDO DE CASO

Resumo: O custeio por absorção foi criado devido as necessidades de controle dos gastos na transformação de produtos e serviços, originários em qualquer função laboral respeitados os critérios próprios, associados, portanto, as normas da contabilidade. Na gestão gerencial, a escolha do custo é a ferramenta principal na tomada de decisões, pois é a partir dela que se busca utilizar recursos para interpretar, analisar, direcionar, encontrar os fatores, determinar a origem, distribuí-los corretamente e avaliar a capacidade produzida do período proposto. O objetivo deste artigo foi demonstrar o sistema Custeio por Absorção, na busca de definir um maior controle das atividades produtivas, bem como na alocação do custo originário de cada ítem e departamento, como os custos fixos, variáveis, diretos e indiretos; respeitando os critérios básicos na elaboração da demonstração funcional e laboral praticável na empresa.

Palavras-chave: Custeio por Absorção; Reforma e Manutenção Elétrica.

1. Introdução

A Revolução Industrial, iniciada na Inglaterra em meados do século XVIII e, posteriormente, propagada no século XIX, ocasionou um aperfeiçoamento tecnológico que gerou grande impacto na área produtivas das organizações daquela época.

Portanto, o fortalecimento da Revolução Industrial proporcionou a transformação do modo de produção (deixando de ser artesanal e passando a ser fabril). Após a transição, a área industrial sentiu a necessidade de estabelecer padrões mensuráveis do processo produtivo. A deficiência da utilização de técnicas de mensuração e análise dos custos de produção foi um dos gargalos apresentados pelas empresas.

No século XX, a demanda do mercado passou a ser superior à produção, existindo, assim, a necessidade de melhorias na produtividade e padronização de produtos e peças industriais, devido à exigência da demanda do mercado (que era capitalista e apresentava grande ascensão na área produtiva).

Atualmente, devido à abertura dos mercados comerciais, as empresas tornaram-se competitivas, objetivando, portanto, a produção de produtos a um baixo custo e com boa qualidade, além da necessidade de um maior mix de produtos a serem ofertados pelas empresas aos clientes.

docsity.com

Desta forma, o monitoramento dos processos produtivos das organizações passa a ser indispensável na tentativa de as empresas tornarem-se competitivas no mercado. Além disso, o processo de controle de custos passa a ser primordial devido à necessidade de melhoramento da análise dos custos, tendo em vista o bom desempenho das empresas frente às concorrentes.

Alguns dos fatores que podem proporcionar um melhor controle dos custos de produção podem ser, a saber: i) redução ou minimização dos desperdícios/perdas; ii) aquisição de pequenos lotes de produtos; iii) baixo estoque; iv) melhoramento da qualidade dos produtos produzidos; v) correção de problemas existentes durante o processo de produção; v) aperfeiçoamento na fabricação de produtos; vi) adequação do produto/serviço juntamente com a mão-de-obra utilizada no processo; etc..

O objetivo deste artigo foi demonstrar o sistema Custeio por Abosrção, na busca de definir um maior controle das atividades produtivas, bem como na alocação do custo originário de cada ítem e departamento, como por exemplo: custos fixos, variáveis, diretos e indiretos; respeitando os critérios básicos na elaboração da demonstração funcional e laboral praticável na empresa.

O custeio por absorção é uma ferramenta que o empresário e o administrador deve possuir para a realização de um levantamento mais detalhado em direção da tomada de decisões, quantidade e qualidade por período do produto etc.. Portanto, a realização deste estudo proporcionará a elaboração esquemática do “Sistema de Custeio por Absorção em Reforma e Manutenção Elétrica em Carreta Frigorífica” .

2. Gestão de Custos pelo Sistema Custeio por Absorção

Na gestão gerencial a primeira etapa é o mapeamento dos setores definindo a atividade em processo produtivo da manutenção. Para a realização deste processo, ainda que independentemente da orientação competitiva escolhida, torna-se necessária à aceitação não só da direção da empresa, como também de todo seu corpo funcional, tendo em vista a observação de como se dá à ocorrência de cada um dos custos a serem dimensionados. Há uma visão recorrente de que todo e qualquer custo seja nocivo, mesmo aqueles que são orientados à prestação do serviço e a manutenção da mesma. No intuito de originarem receitas, estas são imprescindíveis e estarão sempre presentes nas atividades econômicas, com propósito de gerar lucro, inerentes ao processo que são inevitáveis para a manutenção e condução do sistema produtivo.

Observa-se, portanto, na orientação estratégica do sistema de custeio que, na maioria das vezes, existe um desconforto para os gestores das empresas em determinar: qual o melhor método a ser usado e qual o critério a ser escolhido quando se tem uma transformação do produto e manutenção, relacionados com a competitividade, concorrência e permanência no mercado.

docsity.com

Para a atividade de coleta de dados, cabe aos gestores planejarem o uso integrado dos recursos que a empresa disponibiliza, bem como obter condições para a realização sistemática de sua coleta:

• Utilizar direcionadores dos custos;

• Encontrar os fatores que causam os custos;

• Determinar a origem dos custos;

• Distribuí-los corretamente;

• Verificar a capacidade das divisões de suportar os custos.

Quanto ao processamento dos dados, o mesmo tem a função de analisar, interpretar, organizar e alocar os informes recebidos e qualificá-los como apoio da decisão aos gestores buscando a melhor lucratividade nos negócios. Desta forma, a utilização dos procedimentos para a distribuição dos custos é a utilização da contabilidade gerencial para apurar o resultado obtido. Os custos são alocados em objetos de custos, inseridos nos gastos básicos determinantes da atividade da produção ou manutenção/serviço.

3. Conceitos dos Custos Relacionados na Formação do Custeio por Absorção

O custo está inserido em toda a vida do indivíduo, uma vez que todos os bens necessários de sua utilização têm um custo. O estudo de custo muitas vezes ocasiona dificuldades no entendimento, podendo trazer conflitos na distinção da nomenclatura, “Custos Diretos, Custos Indiretos, Custos Variáveis”. Na vião de BORNIA (2002); DUTRA (2003); LEONE (1996 e 2000); MARTINS (2006); RIBEIRO (1999); SANTOS (2005); e WERNKE (2005), podem ser definidos como sendo:

Custos Diretos – São aqueles que possibilitam saber a parcela aplicada em cada produto, insumo destinado a uma função específica, não havendo variação tamanho, sabendo a parcela de aplicação de cada produto no momento de sua apicação. Ex.: (matéria-prima direta e mão- de-obra direta), ser diretamente apropriado a cada tipo de produto ou serviço, no momento de sua ocorrência.

Custos Indiretos – São aqueles que no momento de sua ocorrência não pode apropriar diretamente a cada tipo de produto ou serviço e sim possibilita a segregar a parcela pertencente a cada produto em forma de rateio. Ex.: (aluguel, depreciação de máquina ou imóvel, impostos periódicos, iluminação. Etc...).

Custos Fixos – São aqueles de estrutura que ocorrem período após período, independente da atividade e do volume produzido. Ex.: (aluguel, fábrica, etc...).

Custo Variável - São aqueles que variam em função do volume de atividade, voluma produzido no período. Ex.: (matéria-prima e mão-de-obra direta).

docsity.com

Custeio por Absorção – É aquele que mesmo o nome indica, absorve o custo de cada produto ou serviço apropriando todos os tipos de custos da produção do período. São todos os custos alocados aos bens e serviços produzidos que compreendem os custos variáveis, fixos, diretos e indiretos, por meio da apropriação direta enquanto os custos diretos e os indiretos com base no critério de rateio.

A luz do pensamento de Martins (2003, p. 37)

Custeio por absorção é o método derivado da aplicação dos Princípios da Contabilidade geralmente aceitos. Consiste na apropriação de todos os custos de produção aos bens elaborados e serviços, e só os de produção; matéria-prima, mão-de-obra e todos os gastos relativos ao esforço de produção distribuídos para todos os produtos ou serviços transformados.

Dutra (2003, p.226) e Bornia (2002, p.55) definem custo por absorção como sendo:

O método chamado de custeio Pleno ou Integral, é o mais utilizado quando se trata de apuração de resultado e consiste em associar aos produtos e serviços, custos que ocorrem na área de elaboração, ou seja, os gastos referentes às atividades de execução de bens e serviços. Esse método, que satisfaz aos Princípios da Contabilidade, não considera as despesas como integrante dos estoques dos bens e serviços, mas todos os custos aplicados em sua obtenção.

No custeio por absorção integral, (ou total) a totalidade dos custos (fixos e variáveis) são alocados aos produtos. Este sistema se relaciona com a avaliação de estoques, ou seja, com o uso da contabilidade de custos como apêndice da contabilidade financeira, que se presta para gerar informações para usuários externos à empresa. Assim, pode-se, simplesmente, identificar esse princípio com o atendimento das exigências da contabilidade financeira para a avaliação de estoques. Muitas vezes, entretanto, suas informações são também, utilizadas como fins gerenciais.

Bornia (2202), Dutra (2003) e Martins (2006) teoricamente utilizam o custeio por absorção como uma estratégia para que a empresa adquira uma expectativa de lucro e mantenha sua permanência no mercado. Consiste em determinar o mais real e verdadeiro custo possibilitando diretamente a tomada de decisões para ganhos financeiros futuros, tanto a longo prazo como no curto prazo.

A finalidade deste processo é o auxilio e controle do desempenho real da produção, comparar variações ocorridas no período do processo de produção ou serviço, isto é, o valor da matéria-prima e mão-de-obra (custo variável) com a apropriação dos custos fixos considerando a margem de contribuição de cada elemento possibilitando o conhecimento do que apresenta-se como custeio integral.

docsity.com

O custeio por absorção identifica todos os custos, diretos e indiretos existentes tanto na atividade da transformação de produtos (indústria), como em serviços, manutenção, comércio, custos pessoais etc.

3.1. Vantagens do Sistema de Custeio por Absorção

O custeio por absorção é o método mais adequado para as finalidades contábeis, tendo em: i) vista auxiliar; ii) avaliar o estoque; iii) determinar o valor total do custo dos produtos vendidos; e iv) a realização de serviços registrados na Demonstração de Resultado do Exercício (DRE).

Portanto, a utilização do custeio analisado é exigida pela legislação brasileira e por determinação legal que deve compor o custo dos bens e serviços vendidos. Sob a perspectiva da contabilidade, a mesma atende a legislação fiscal e deve ser utilizada quando a empresa usa este tipo de custeio de forma integrada.

3.2. Desvantagens do Sistema de Custeio por Absorção

WERNKE (2005) qualifica a área contábil, pois exibe o valor real onde influência contestações na adequação gerenciais, porque o custeio por absorção nas informações gerenciais tende avaliar a forma em que o produto ou serviço teria uma rentabilidade de venda menor que a desejada em relação a outros sistemas e controle de custos. Outro ponto desfavorável do custeio por absorção é a utilização dos rateios para distribuir os custos entre os produtos e serviços, nem sempre tais critérios são objetivos ou adequados aos fatores da produção, podendo distorcer a rentabilidade dos produtos e serviços, penalizando alguns e beneficiando outros na visão do gerenciamento.

4. Aspectos Metodológicos

O objetivo deste trabalho foi demonstrar a importância do custeio por absorção como ferramenta de redução de custos da empresa “alfa”.

Quanto à classificação da pesquisa, a mesma pode ser considerada, a saber: i) pesquisa descritiva; ii) levantamento documental; iii) levantamento bibliográfico; iv) observação in loco; e v) estudo de caso (VERGARA, 1997; YIN, 1994).

A pesquisa descritiva tem como características a utilização de questionário de pesquisa e entrevista junto a integrantes da empresa analisada.

docsity.com

O levantamento documental tem como escopo principal a obtenção e análise de dados, informações e/ou documentos ou qualquer outra fonte de informação primária fornecida pela empresa “alfa”.

O levantamento bibliográfico teve o propósito de realizar uma revisão de livros e manuais acadêmicos com a finalidade de dar um maior embasamento literário a pesquisa (VERGARA, 1997).

A observação in loco tem a característica de verificar os acontecimentos ocorridos durante a realização da pesquisa na própria empresa (VERGARA, 1997). Portanto, este tipo de observação tem a finalidade de vivenciar o estudo no ambiente da empresa pesquisada.

O estudo de caso (Yin, 1994), possibilita uma coleta de dados e informações mais acessível ao pesquisador (por limitar-se ao estudo de apenas uma empresa), como também da obtenção de recursos menos sofisticados no intuito de determinar a quantidade de dados e informações explorados no decorrer da pesquisa. É imprescindível que haja elementos suficientes para a realização do objeto de estudo.

5. Análise e Discussão dos Resultados

O método de alocação específica utilizado para a distribuição dos custos da Reforma e Manutenção Elétrica em Carreta Frigorífica, consiste em analisar e separar os custos diretos e indiretos de acordo com as características dos mesmos. Após a realização da distribuição dos custos por atividade, busca-se a alocação individual dos ítens.

É importante salientar que o método de custeio por absorção consiste em encontrar uma base mais justa para a distribuição dos custos.

A alocação dos custos foram realizadas com base na atividade prestada internamente na empresa, especialmente na Reforma e Manutenção Elétrica de Carreta Frigorífica, prestação de serviço próprio da organização. No quadro 1, apresenta-se um demonstrativo dos Custos Direto, Indiretos e Total.

Quadro 01 - Demonstrativo dos Custos, Direto , Variáveis e Total

Quantidade Descrição Unitário R$ Total

Custos Diretos

32 Mtrs Fio 7x 1,5 7,86 251,52

08 Un Sinaleiras laterais 4,83 38,64

docsity.com

02 Un Sinaleiras traseiras 64,79 129,58

07 Un Sinaleiras superiores 4,94 34,58

02 Un Sinaleiras inferiores dianteiras 3,89 7,78

02 Um Tomadas 24,51 49,02

20 Mtrs Fio 2 x 1,5 1,31 26,20

02 Un Sinaleiras luz placa 3,03 6,06

01 Un Farolete interno 18,69 18,69

04 Un Chave de contato 3,67 14,68

01 Un Porta fusível 2,41 2,41

20 Un Braçadeiras plásticas 0,61 12,20

02 RL Fita isolante 2,87 5,74

02 Un Funcionários diretos - 2.800,00

TOTAL 3.397,10

Custos Indiretos

Gasto com energia elétrica R$ 5.192,15 0,1% R$ 51,92

Custeio total da Manutenção Elétrica R$ 3.449,02

Fonte: Elaborado pelos autores

O sistema de custeio por absorção com base nos comparativos acima monstra o acontecimento do custo da Reforma Elétrica na carreta (baú), somente se dá quando há a ocorrência de acidente, considerando fato não rotineiro no qual não pode-se determinar o período deste custo.

O custo da alocação de materiais e mão-de-obra na manutenção elétrica simples é a que pode-se ter uma base de período. O normal ocorre a cada seis meses, todavia esta previsão pode acontecer em menos tempo, devido a atividade de deslocamento e concentração dos aspectos ambientais, como por exemplo: chuva, sol, frio e calor; tudo isso determina o tempo de utilização do material alocado.

Utiliza-se, também, como base para o cálculo do material processado, a mão-de-obra direta, o custo aplicado e o frete da carreta. Todos estes aspectos geram a determinação da composição do faturamento proposto.

docsity.com

Mão-de-obra Direta (MOD) 2 hrs / R$ 25,45

Material R$ 202,00

Total R$ 227,45

Na comparação do custeio devido a Reforma Elétrica temos os seguintos valores:

Mão-de-obra Direta 16 hrs / R$ 203,68

Material R$ 597,10

Total R$ 800,78

É interessante observar os parâmetros usados pela empresa que utiliza a própria mão-de- obra, pois resulta do valor denominado pelo seu próprio custo originário. Comparando o mesmo com Manutenção Tercerizada, chega-se aos seguintes valores:

Manutenção Reforma Elétrica Tercerizada usando os critérios estabelecidos no Custeio por Absorção chega-se aos seguintes valores:

Mão-de-obra por carreta R$ 250,00

Material R$ 600,00

Total R$ 850,00

Manutenção Elétrica Simples Tercerizada:

Mão-de-obra e material por hora 2hr/ R$ 25,00

Total R$ 50,00

Antes de determinar qual é a melhor atividade a ser realizada pela empresa (levando-se em consideração ou não a mão-de-obra terceirizada), deve-se ter como parâmetro o tempo de realização da atividade, pois é a partir deste indicador que a empresa irá verificar todo o lead time da operação, tendo em vista a disponibilidade do produto dentro da data aprazada, na quantidade específica, temperatura adequada, preço justo etc. Todas essas atividades são importantes tendo em vista a prática da operação ser refrigerada.

Neste estudo de caso analisou-se apenas a formação de uma carreta devido as limitações encontradas pela empresa. A mesma realiza suas atividades utilizando toda a capacidade útil da carreta (mais de 700 unidades disponíveis).

docsity.com

5. Considerações Finais

O presente trabalho apresentou as vantagens e desvantagens da utilização do sistema de custeio por absorção, tendo em vista a busca por obtenção de diferencial competitivo, com o objetivo de reduzir o preço do produto final (redução do custo final do produto).

O custeio por absorção deve ser utilizado quando a empresa apresentar uma equipe bem treinada tendo em vista coleta, acumulação e organização de todos os dados que servirão de parâmetros para a realização do rateio e a manutenção do perfeito funcionamento da atividade, com o propósito de oferecer um resultado satisfatório e de acordo com a realidade da organização. A escolha do custeio por absorção levou em consideração do alcance de uma maior rentabilidade e agilidade na tomada de decisão pela empresa.

O trabalho descrito é resultante da comparação do valor de custo procedente de uma aplicação técnica demonstrativa pelo custo real de Reforma e Manutenção Elétrica de um dos equipamentos principais utilizados na atividade da empresa. Portanto, através da análise comparativa pode-se chegar a um melhor faturamento, margem de contribuição, bem como redução dos custos, despesas e gastos obtidos pela empresa durante a atividade de Reforma e Manutenção Elétrica numa Carreta Frigorífica.

O controle de custos é a dimensão de quanto a empresa pode investir e traçar metas tendo capacidade de competição e de manter-se diante da concorrência.

O mercado globalizado exige que as empresas busquem cada vez mais se posicionarem estrategicamente no mercado. Este posicionamento estratégico é obtido a partir da redução de custos e utilização de um sistema de custeio direcionado para a operação realizada pela empresa. Portanto, quanto maior for a redução dos custos da atividade realizada maior será o retorno financeiro e consequentemente a obtenção de uma melhor rentabilidade.

Referências bibliográficas

BORNIA, Antonio Cezar. Análise Gerencial de Custos. Porto Alegre: Bookman, 2002.

DUTRA, René Gomes. Custos Uma Abordagem Prática. 5. Ed. São Paulo: Editora Atlas, 2003.

LEONE, George S.G. Planejamento, Implantação e Controle. 2 Ed.São Paulo. Ed. Atlas,1996.

_________________. Planejamento, Implantação e Controle. 3 Ed.São Paulo. Ed. Atlas,2000.

MARTINS, Eliseu. Contabilidade de Custos. 9. Ed. São Paulo: Editora Atlas, 2006.

RIBEIRO, Osni de Moura. Contabilidade de Custos Fácil. 6 Ed. São Paulo. Ed Saraiva, 1999.

docsity.com

SANTOS, Joel J.. Análise de Custos: sistema de custeio, relatórios e estudos de casos. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2005.

VERGARA, Sylvia Constant. Projetos e relatórios de pesquisa em administração. São Paulo: Atlas, 1997.

YIN, R.K. Estudo de Caso, Planejamento e Métodos. 2ªed. Porto Alegre: Bookman, 1994.

WERNKE, Rodney. Análise de Custos e Preços de Venda. Editora Saraiva, 2005.

WWW. senacrs.com.br/2007/personal20079.

ABNT, Norma 6023 – Informação e Documentação – Referencias e elaboração.

ABNT, Norma 10520 – Informação e Documentação – Apresentações de Citações.

ABNT, Norma 14724 - Inforamação e Documentação.

docsity.com

comentários (0)
Até o momento nenhum comentário
Seja o primeiro a comentar!
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Docsity is not optimized for the browser you're using. In order to have a better experience we suggest you to use Internet Explorer 9+, Chrome, Firefox or Safari! Download Google Chrome