Dengue - Apostilas - Biologia, Notas de estudo de Biologia
Saloete
Saloete17 de Julho de 2013

Dengue - Apostilas - Biologia, Notas de estudo de Biologia

PDF (67.9 KB)
4 páginas
714Número de visitas
Descrição
Apostilas de Biologia sobre o estudo do Dengue, Definição, Diagnóstico, Transmissão, Tratamento, Prevenção, Papel do Agente de Saúde da Fns.
20pontos
Pontos de download necessários para baixar
este documento
baixar o documento
Pré-visualização3 páginas / 4
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Pré-visualização finalizada
Consulte e baixe o documento completo
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Pré-visualização finalizada
Consulte e baixe o documento completo

O DENGUE Doença das regiões tropicais e subtropicais que ocorre epidemicamente. O dengue estava erradicado do Brasil há cerca de 40 anos. Durante o ano 1986, registraram-se epidemia da infecção nos estados do Rio de Janeiro, Alagoas e Ceará, tendo notificados cerca de 800 mil casos. A situação atual é grave e os epidemologistas chegam a considerar impossível o controle da doença. No decorrer do primeiro semestre do ano de 1986, na cidade de Nova Iguaçu, localizaram, numa região chamada de Baixada Fluminense, no estado do Rio de Janeiro, surgiram vários casos de uma estranha doença, que se caracterizava por febre alta e grande prostração das pessoas acometidas. Em pouco tempo, esta enfermidade se alastrou acometendo em torno de 2000 pessoas naquela cidade. Este acontecimento chamou a atenção das autoridades sanitárias que começam a investigar o fato. Após estudos das pessoas contaminadas e exames laboratoriais registrados, chegou-se a conclusão que a doença em questão era a febre Dengue. Nesta ocasião, a disseminação da moléstia já tinha atingido proporções de uma epidemia, tendo sido registrados outros casos em outros lugares da Baixada, bem como Niterói e no Rio de Janeiro.

O QUE É DENGUE?

O dengue é uma doença febril aguda, de etiologia viral (quatro sorotipos Den-1, Den-2, Den-3 e Den-4) e de evolução benigna na forma Clássica e a temida Febre Hemorrágica do Dengue. O agente etiológico do dengue é um arbovirus (transmitido por artrópodes) do gênero Flavivirus, pertencente à família Flaviviridae. Os vetores são Mosquitos do Gênero Aedes, que faz a transmissão pela picada (durante o dia) do mosquito infectado, no ciclo Homem-Aedes-Homem. A transmissibilidade no homem começa um dia antes do aparecimento da febre e vai até o sexto dia da doença (viremia), no mosquito após repasto de sangue, o vírus se localiza nas glândulas salivares, onde se multiplica depois de 8 a 12 dias de incubação, que uma vez infectado, o mosquito assim permanece até o final de sua vida (6 a 8 semanas). O período de incubação varia de 3 a 15 dias, sendo em média de 5 a 6 dias. A suscetibilidade ao vírus do Dengue é universal. A Febre Hemorrágica do Dengue apresenta os sintomas iniciais indistintos daqueles do Dengue Clássico, evoluindo rapidamente para manifestações hemorrágicas de gravidade variável. A manifestação hemorrágica mais comum é a prova do laço positiva (Não realizá-la com garrote ou torniquete). Nos casos graves, após o desaparecimento da febre entre o 3o e 7o dia, o estado do paciente se agrava rapidamente, com o surgimento dos sinais de insuficiência circulatória (choque). Caracteriza-se por uma febre que se inicia bruscamente, durando de quatro a cinco dias e oscilando entre 38 a 40 C. Junto coma febre, surge a dor de cabeça, dores musculares e articulares muito fortes, fraqueza, prostração e falta de apetite. Três a quatro dias após o início do quadro surge manchas vermelhas na pele, o exantema, que podem ser semelhantes às do sarampo, da rubéola ou mesmo da escarlatina. Esse exantema é mais acentuado nas regiões palmoplantares, podendo originar prurido.

QUAL A DURAÇÃO DA DOENÇA?

Em média, o dengue dura de dois a quatro dias nas crianças de e de sete dias nos adultos. A prostração e a falta de apetite podem perdurar por alguns dias após a fase febril da doença.

COMO É FEITO O DIAGNÓSTICO?

O diagnóstico do dengue é feito basicamente pelo quadro clínico, muito característico, mas pode ser feito por exames de sangue e isolamento do vírus.

COMO SE TRANSMITE A DOENÇA?

A única forma de transmissão da dengue é através da picada do mosquito AEDES AEGYPTI. Não existe contato inter- humano. Após a contaminação a doença pode levar de três à quinze dias para ser manifestar, mas isso ocorre na maioria das vezes em cinco ou seis dias. O homem é capaz de transmitir o vírus para o mosquito desde um dia antes do aparecimento dos sintomas até cinco dias após terem surgido os sintomas. O mosquito torna-se infectante entre oito e onze dias após ter picado o enfermo e assim permanecer pelo resto de sua vida.

QUAL O TRATAMENTO DO DENGUE?

Não existe tratamento específico contra a dengue. A pessoa doente de dengue deve manter-se em repouso, beber muito líquido e só usar medicamento para aliviar as dores e febre. Não devem ser usados remédios à base de ácido acetil salicílico, como a Aspirina e o AAS. Caso haja piora do estado do doente deve-se procurar orientação médica. As pessoas que já contraíram a forma benigna devem procurar, imediatamente, atendimento médico em caso de reaparecimento dos sintomas, pois pode ocorrer o risco de estar com dengue hemorrágico, que é a forma mais grave da doença, e que pode levar à morte.

COMO DEVE SER FEITA A PREVENÇÃO DA DOENÇA?

O melhor método para se combater a dengue é evitando a procriação do mosquito Aedes aegypti que é feita em ambientes úmidos ou em águas paradas. Quando a equipe da Fundação Nacional de Saúde -FNS passar com o "fumacê" que pulveriza inseticida, abra completamente as portas e janelas, cubra os alimentos, as gaiolas, os aquários, e os latões contendo água de beber. Outras maneiras de combater a Dengue.

 Vasos de plantas ou flores: mantenha o prato que fica embaixo dos vasos sempre seco. Verifique isso todos os dias. Não tenha em casa plantas em vasos com água, como os gravatás e bromélia. Encha o vaso de terra ou areia.

 Jarra de flores: troque a água duas vezes por semana, lave bem a jarra para eliminar os ovos do mosquito que podem estar nas paredes ou no fundo.

 Copinhos plásticos, tampinhas de garrafas ou refrigerantes, casca de coco ou de ovos, esvazie todos para evitar que venham acumular água de chuva e jogue-os fora na lixeira.

 As garrafas vazias devem ser guardadas em lugares cobertos e de cabeça para baixo.  Bebedouro de aves e animais devem ser guardados em lugares frescos e a água ser

trocada todos os dias, ou pelo menos uma vez por semana, e serem lavados com bucha ou escova.

 Pneus velhos devem ser furados para escoar a água da chuva. De preferência mantenha-os em lugares cobertos e secos.

 Poços, tambores e outros depósitos de água devem sempre ter tampa.  Banheiras deixadas no quintal devem ser colocadas de cabeça para baixo. Os

borracheiros devem trocar a água dos depósitos uma vez por semana.  Sapatos velhos jogados em lugares abertos também acumulam água. Jogue-os no lixo.  As caixas d'água e cisternas de prédios devem ser limpas com freqüência e devem ficar

tampadas.  Os latões de lixo devem ser limpos.  O lixo caseiro deve ser ensacado em plástico e posto à disposição da limpeza urbana.  Chame a limpeza urbana de sua cidade para remover lixo e entulhos, bem como para

escoar águas paradas ou empoçadas. Não existe vacinação contra o DENGUE, por isto, a única maneira de se prevenir e erradicar a doença é através do combate e extermínio do mosquito transmissor da moléstia, e isto é feito através da eliminação de objetos que possam acumular água, como pneus velhos, latas ou vidros vazios, túneis abertos, vasos com plantas aquáticas, caixas d’água sem tampa.

 Nos casos de plantas aquáticas recomenda-se que a água seja trocada semanalmente. É nesses locais que o AEDS AEGYPTI deposita seus ovos que originarão as larvas que, por sua vez, formarão o novo mosquito. As autoridades sanitárias já montaram uma campanha para combater o mosquito através da eliminação dos focos de reprodução do mesmo, como depósitos de pneus velhos, e ainda realizando pulverizações com inseticida de toda área suspeita da presença do mosquito e de suas larvas.

 Colaborar com o agente de saúde da FNS, na execução de seu trabalho, abrindo portas e janelas quando o "fumacê" passar pela sua rua, pois isso facilitará a ação do inseticida na eliminação dos mosquitos.

 Comunicar a FNS casos suspeitos de dengue. O PAPEL DO AGENTE DE SAÚDE DA FNS

O agente de saúde da FNS é um amigo da comunidade porque seu trabalho é o de evitar que ocorra o aparecimento de doenças na população, principalmente as transmitidas por mosquitos. Por isso, quando ele chegar à sua casa, receba-o como amigo e ajude-o a fazer o seu trabalho com facilidade e rapidez. Lembre-se que a saúde de outras famílias depende dele. Os serviços de saúde colaboram através da busca ativa em depósitos de água (larvas) e de combate ao mosquito na sua forma adulta, impedindo que o mosquito chegue às áreas onde ele ainda não existe e atacá-los com inseticida nas áreas já infectadas (vigilância entomológica) e providenciando o tratamento médico dos doentes com dengue (vigilância epidemiológica) Nas cidades, existem locais propícios para a proliferação dos mosquitos que são denominados "pontos estratégicos", e entre os mais importantes se destacam as borracharias, postos de gasolina, cartódromos, ferro velho, cemitério, etc. As equipes da FNS instalam nesses pontos estratégicos armadilhas artificiais para atrair os mosquitos, detectar sua presença na área e imediatamente eliminá-los, mantendo assim a cidade livre da presença indesejável deste temível inimigo.

O INSETICIDA USADO PARA COMBATER O MOSQUITO É PREJUDICIAL À SAÚDE?

Todos os inseticidas apresentam algum grau de toxidade, por isto, quando houver pulverização em locais residenciais, as crianças recém-nascidas e animais domésticos devem ser afastados,

COMO RECONHECER O MOSQUITO TRANSMISSOR DA DOENÇA?

O AEDS AEGYPTI é um mosquito de cor escura, rajado,

com manchas brancas pelo corpo e perna. Ao contrário do pernilongo comum, tem hábitos diurnos, ou seja, só pica durante o dia. Se houver qualquer suspeita da presença deste mosquito em áreas residenciais ou próximas, deve-se comunicar à SUCAM ou qualquer outro órgão de saúde, como as SECRETÁRIAS DE

SAÚDE.

BIBLIOGRAFIA Programas de Saúde - Nova edição atualizada Ayrton César Marcondes - Editora Ática - Pag. 88/89 Programa de Saúde Demétrio Gowdak - Editora Ática - Pag. 40

comentários (0)
Até o momento nenhum comentário
Seja o primeiro a comentar!
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Docsity is not optimized for the browser you're using. In order to have a better experience we suggest you to use Internet Explorer 9+, Chrome, Firefox or Safari! Download Google Chrome