Dermatologia - Apostilas - piodermites, Notas de estudo de Dermatologia. Faculdade Medicina Estadual (ISEP)
Pipoqueiro
Pipoqueiro8 de Março de 2013

Dermatologia - Apostilas - piodermites, Notas de estudo de Dermatologia. Faculdade Medicina Estadual (ISEP)

PDF (150.1 KB)
3 páginas
1000+Número de visitas
Descrição
Apostilas de Dermatologia sobre o estudo das piodermites, definição, Staphylococcus aureus, impetigo estafilocócico, foliculites, furúnculo.
20pontos
Pontos de download necessários para baixar
este documento
baixar o documento

PIODERMITES: – infecções de pele por cocos piogênicos (Staphylococcus aureus e Streptococcus pyogenes); – 7% da população; – hospital e coletividade; – faixa etária: RN, 5-6a; – sazonal: verão (microclima propício); – ocorre por oportunismo; – barreiras/fatores que facilitam a colonização:

– a flora residente permanente e transitória dificulta colonização de outras bactérias; – barreira mecânica celular, com renovação da epiderme; – barreira química (ác. graxos não saturados); – umidade: quanto maior, mais fácil a colonização; – pH:ácido dificulta e alcalino facilita a colonização; – capacidade imune do pcte; – patogenicidade e virulência do germe;

Staphylococcus aureus: – coagulase positivo é patogênico; – toxinas: alfa, esfoliatina, penicilinase, hemolisinas...; – faz parte da flora transitória de 1/3 da pop. em geral – sítios reservatórios principais:

vestíbulos nasais (35%) e região perineal (20%) – pode disseminar provocando doença e transmissão a outros indivíduos ao colonizar mãos;

– principal defesa contra esta bactéria: fagocitose por neutrófilos; – predisponentes as estafilococcias: diabetes descompensado, insuf. renal, malignidades

hematológicas, desnutrição, alcoolismo, corticoterapia, imunossupressores; – impetigo estafilocócico:

– ou bolhoso; – contagioso; – pústula duradoura e crosta fina; – tendência à confluência das lesões e aspecto circinado; – lesões exulcerocrostosas que lembram queimadura de cigarro;

foliculites: – estafilos no folículo pilossebáceo; – ostial ou impetigo de Bochhart → pústulas pequenas e superficiais, centradas por

pelo, inicialmente pruriginosas. Criança: couro cabeludo, adulto: face ântero-medial das coxas e nádegas;

– decalvante: depilação definitiva do pelo. Evolução crônica e centrífuga. Couro cabeludo, barba e MMII. Mais incidente no homem;

– queloidiana: pústulas confluentes, forma fístulas e há fibrose de aspecto queloidiano. Nuca. Homem melanodérmico adulto. Crônica. Rebelde;

– foliculite ou sicose de barba: pústulas isoladas e confluentes formando placas infiltradas. Crônica. Dx diferencial de sicose lupoide da barba, que é decalvante;

furúnculo: – estafilococcia necrotizante do aparelho pilossebáceo; – forma nódulo profundo eritematoso, centrado por pelo, doloroso, quente, com

necrose central – carnegão; – comum nas áreas mais pilosas sujeitas a fricção (axilas e nádegas); – preferência pelo adulto jovem; – confluência de furúnculos ou: antraz ou carbúnculo (acomete várias unidades

pilossebáceas contíguas);

docsity.com

– furunculose de repetição: 6-24 episódios de furúnculo por ano ou, 3+ episódios a cada 3 meses;

– conduta: – prevenção da colonização por S. aureus no paciente e familiares: mupirocina

tópica em narinas, unhas e região perineal, 2x/dia, por 5d consecutivos; – casos mais resistentes: manter a medicação 2x/dia, 5d a cada mês, por 1a;

hidroadenite supurativa: – processo primário: obstrução folicular por queratina com extensão por contiguidade

para gls apócrinas e infecção secundária por estafilococo; – nódulos inflamatórios indolentes, dolorosos, de evolução aguda ou crônica que

fistulizam e formam bridas cicatriciais; – tto: assepsia local, ATBs tópicos, isotretinoína oral, exerese cirúrgica dos folículos;

periporite: – infecção estafilocócica de glândulas sudoríparas écrinas; – atinge crianças (abscessos do lactente); – nódulos inflamatórios que supuram, eliminando pus cremoso; – sucede à miliária (brotoeja) e acomete principalmente pescoço, nádegas, tronco e

coxas; – tto: evitar calor, ATB tópico ou sistêmico;

panarício: – infecção estafilocócica do aparelho ungueal (tecido periungueal);

síndrome da pele escaldada estafilocócica (SSSS): – doença bolhosa superficial causada esfoliatina do S. aureus (esfoliatina une-se à

desmogleína 1 na zona granulosa da epiderme, ativando proteases e formando bolhas subcórneas como no pênfigo foliáceo);

– principalmente crianças (em adultos é raro e mata 60% dos imunocompetentes e quase 100% dos imunodeprimidos);

– normalmente tem curso benigno; – infecção primária normalmente na conjuntiva, nasofaringe, ouvido ou pele seguido

de rash eritematoso escarlatiforme principalmente nas flexuras; – forma bolhas flácidas em 24–48h nas flexuras e ao redor de orifícios que, ao

romperem, originam extensas áreas exulceroexsudativas – como grande queimado; – sinal de Nikolsky: positivo; – raramente acomete mucosas; – tto: hospitalização e penicilina-penicilinases resistentes EV + cuidados gerais;

Streptococcus pyogenes: – o + patogênico é o beta-hemolítico do grupo A; – secreta o fator M (virulência); – inibe a fagocitose por dificultar a ativação do complemento pela via alternativa; – na pele é sempre patogênico; – contágio por contato direto; – necessidade de efração cutânea para desenvolver infecção (prurido); – predisponentes: diabetes, linfomas e deficiências imunológicas; – principal mecanismo imunológico de defesa – opsoninas contra a ptn M; – complicação: GNDA (glomerulonefrite difusa aguda); – erisipela:

– infecção estreptocócica da derme com comprometimento linfático; – fatores de risco: tinha dos pés, insuficiência venosa, diabetes, tromboflebite, trauma,

alcoolismo;

docsity.com

– incubação: poucos dias; – sinais e sintomas: eritema e edema intensos e bem delimitados, linfangite e

linfadenopatia + sintomas gerais; – processos + intensos: bolhas e até necrose com ulceração; – sítios de predileção: MMII (tinea pedis) e face (dermatite seborreica); – recorrências: frequentes. Após cada uma, permanece certo grau de linfedema (edema

duro) que tende à elefantíase [principalmente nostra (obesos)]; – complicações: nefrite e septicemia; – tto:

– penicilina procaína IM de 12/12h; – casos + graves: penicilina cristalina EV, de 4/4h; – casos recorrentes: penicilina benzatina IM de 21/21 dias;

celulite: – denominação do mesmo processo quando atinge principalmente hipoderme; – evolução semelhante a erisipela, sendo o eritema menos vivo e as bordas mal

delimitadas (pode ser estafilocócica ou não); – dx diferencial: tromboflebite (pernas), angioedema, hermes zoster (face), erisipela; – tto: repouso, elevação do membro, analgesia, ATB sistêmico, corticoides sistêmicos

se for celulite hemorrágicas (causada por TNF alfa); – ectima:

– estrepto ou estreptoestafilocócica; – pústula que se aprofunda formando úlcera coberta por crosta espessa e aderente

(pernas), deixa cicatriz ao involuir; – pode ser única, mas em geral há várias lesões – tto: cuidados locais (água e sabão, compressas de água boricada ou permanganato),

ATB tópicos e sistêmicos; – impetigo estreptocócico:

– contagioso; – forma bolhas ou vesículas tão efêmeras que quase nunca são detectadas, logo se

transformam em pústulas e rompem-se, formando lesões exulcerocrostosas (crosta espessa melicérica) que lembram queimadura de cigarro;

– no impetigo estafilocócico, as bolhas são resistentes, a crosta é fina e lesões tendem a confluir com aspecto circinado;

– no estreptocócico não há tendência a circinação; – atinge principalmente face e MMSS; – complicação: glomerulonefrite pós-estreptocócica;

abscesso: – normalmente estreptocócicos, mas podem ser estafilocócicos; – nódulo profundo, eritematoso, quente, doloroso e sintomas gerais; – tende à circunscrição e supuração;

fleimão: – normalmente estreptocócicos, mas podem ser estafilocócicos; – área eritematosa, quente, dolorosa, com tendência à difusão;

docsity.com

comentários (0)
Até o momento nenhum comentário
Seja o primeiro a comentar!
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Docsity is not optimized for the browser you're using. In order to have a better experience we suggest you to use Internet Explorer 9+, Chrome, Firefox or Safari! Download Google Chrome