Embrio2, Notas de aula de Biologia. Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)
Ana_Lu_za.Moreira
Ana_Lu_za.Moreira13 de Dezembro de 2015

Embrio2, Notas de aula de Biologia. Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)

DOCX (163 KB)
8 páginas
361Número de visitas
Descrição
resumo embriologia
20pontos
Pontos de download necessários para baixar
este documento
baixar o documento
Pré-visualização3 páginas / 8
Esta é apenas uma pré-visualização
3 shown on 8 pages
baixar o documento
Esta é apenas uma pré-visualização
3 shown on 8 pages
baixar o documento
Esta é apenas uma pré-visualização
3 shown on 8 pages
baixar o documento
Esta é apenas uma pré-visualização
3 shown on 8 pages
baixar o documento

Cavidades do corpo - São elas: pericárdica, pleural e peritoneal.

- A cavidade pericárdica se forma durante o dobramento céfalo-caudal, enquanto a cavidade peritoneal aparece durante o dobramento lateral.

- O intestino é suprido por artérias advindas da mesentério dorsal – Intestino anterior = tronco celíaco, intestino médio = artéria mesentérica superior e intestino posterior = artéria mesentérica posterior.

- Basicamente dentro da cavidade pericárdica se encontra o coração, o músculo diafragma divide as cavidades pleural e peritoneal. A cavidade cardíaca é separada da pleural pela membrana pleuropericárdica. O canal pericárdioperitoneal dá origem a cavidade pleural.

- A membrana pleuropericárdica, forma o pericárdio fibroso pelo que parece.

- Como dito anteriormente diafragma separa cavidade pleural e peritoneal, ele é formado pelo septo transverso + mesentério dorsal do esôfago + membranas pleuroperitoneais + células musculares, sendo então não somente músculo, sendo músculo mesmo a sua periferia. Ele nem sempre está no mesmo lugar durante o desenvolvimento embrionário. Aos 24 dias se encontra na altura dos 3º a 5º somitos. Com 41 dias começam a chegar mioblastos do somitos para eles, junto de fibras nervosas, e por conta do dobramento do embrião este se encontra nos somitos torácicos. Com 52 dias, se situa na 1ª lombar, com entrada dos nervos frênicos pelas membranas pleuropericárdicas.

Membros (Stella)

- Feto: aparece característica da espécie (humano = formação dos dígitos) - Embrião: não é possível diferenciar espécies

- Tubo neuralsinalizaformação dos membros (“brotamento”) - Ectoderme fica espessa em determinadas regiõesbrotamento do membro torácico e brotamento do membropelvino (regiões distintas que tem uma série de sinalizações) – genes específicos para cada parte

- Tubo neural sinaliza para somito - Mesoderma lateral começa a diferenciar em mesênquima (proliferação de células que forma brotamento, célulasmesenquimais = potencial de diferenciação muitogrande, células tronco) - Cartilagemossificar → crescer ossoenvolver por músculo - Tudo sinalizado por tubo neural e somito - Porção externa do embrião = ectoderma de revestimento

- Quando essas células mesenquimais começam a sofrer sinalização, divide-se broto em porções:

Zona de progresso (mais medial) Zona de atividade polarizada

- Eixos no broto para saber onde vão ser formadas certas estruturas

- Inicialmente a mão não tem divisãocoberta por ectoderma de revestimento - Crescimento de uma linha única para que dígitos possam crescer

GENES IMPORTANTES - Genes da família de Fgf (8 e 10) → expressão muito grande - Shh → lá do tubo neural - BMP → começa a diferenciar células em osso - Todos ligados a formação de membros → genes ligados à diferenciação de estruturas

O QUE DIFERENCIA MT DE MP - Um único gene sendo expresso no broto dos MT e MP - Precursor da diferenciação: gene Tbx

Tbx 5 → membro torácico Tbx 4 → membro pelvino

NÃO HA SIMILARIDADE ENTRE ESPÉCIES, MAS HÁ HOMOLOGIA - Hox B → diferenciação da escápula - Hox B 10 úmero - Cada região influenciada por um Hox diferente

- : placa única - Mas dentro já começou diferenciação - Placa para de crescer, mas dígitos crescem para fora - Corpo manda sinalização para fazer apoptose da membrana interdigital

- Falanges fusionadas = problema no Hox - Não regressão damembrana = problema na apoptose

Aparelho faríngeo e Face Aparelho faríngeo

- Paradinha de arcos branquiais, que são intumescências cefálicas, separadas por sulcos/ fendas.

- Fazem parte do aparelho faríngeo = Arcos faríngeos, bolsas faríngeas, fendas faríngeas e membranas faríngeas.

- Com contribuintes da Crista Neural (forma esqueleto + tecido conectivo + gânglios neurosensores do crânio), da Ectoderme (Forma epitélio oral + epiderme face e garganta + gânglio epibranquial), Mesoderme (Músculos da cabeça e pescoço + base do crânio + vasos sanguíneos) e por fim Endoderme (epitélio e glândulas).

Arcos faríngeos

- Constituídos por um tronco arterial, um componente cartilaginoso, muscular e nervoso.

Componentes cartilaginosos

- 1º Arco = Separado em processo mandibular ventral, que forma cartilagem de Meckel e os ossículos da orelha (martelo e bigorna). O processo maxilar dorsal forma o osso maxilar, zigomático e temporal.

- 2º Arco = Constituído por cartilagem de Reichert, forma os ossos estribo, processo estiloide do temporal e corno menor do hióide.

- 3º Arco = Unicamente o corno maior do hióide.

- 4º Arco = Forma as cartilagens laríngeas, exceto a epiglote.

Componentes musculares

- 1º Arco = Forma os músculos da mastigação.

- 2º Arco = Forma a musculatura da expressão facial.

- 3º Arco = Unicamente o músculo estilofaríngeo.

- 4º Arco = Levantador do véu palatino e os músculos constritores da faringe.

Componentes nervosos

- 1º Arco = Trigêmeo, no caso dois dos seus ramos, maxilar e mandibular.

- 2º Arco = Facial.

- 3º Arco = Glossofaríngeo.

- 4º Arco = Vago.

O componente arterial tá meio zuado no slide, caguei pra ele, Mas dá pra fazer uma associação bem brisada entre os arcos, tipo faz sentido o 2º arco que forma musculatura facial formar também o nervo facial, os outros se você brisar mais ainda consegue associar.

Bolsas faríngeas

- 1ª Bolsa faríngea = Formar o recesso tubotimpânico e a tuba auditiva.

- 2ª Bolsa faríngea = Tonsila palatina.

- 3ª Bolsa faríngea = Forma paratireoide inferior e o menino Timo.

- 4ª Bolsa faríngea = Paratireoide superior e as células parafoliculares da tireoide (aquelas fodidas que fazem calcitonina).

- 5ª Bolsa faríngea = Forma porra nenhuma, se funde com a 4ª.

Fendas faríngeas¿

- 1ª Fenda = Forma o meato acústico externo.

- 2ª, 3ª e 4ª Fendas = Formam juntas o seio cervical.

Face e cavidade bucal

Desenvolvimento da língua

- Seus 2/3 anteriores são a parte oral, advindos dos brotos linguais distais. Advindo do primeiro arco faríngeo.

- O 1/3 posterior é a parte faríngea da língua, vem do 3º arco faríngeo, parece que um pouco do 2º.

- A inervação a gente já sabe- 2/3 anteriores sensibilidade = trigêmeo, gustativa = facial. O outro 1/3 pra tudo é glossofaríngeo. E o músculo mesmo é o hipoglosso.

Desenvolvimento da face

- Existem cinco proeminências na face onde ocorrerão proliferação de células da crista neural.

Saliência frontonasal Testa + dorso + ápice do nariz;

Saliências nasais laterais Lados do nariz;

Saliências nasais mediais Septo nasal + segmento intermaxilar;

Saliências maxilares Regiões superiores da bochecha + lábio superior;

Saliências mandibulares Queixo + lábio inferior + regiões inferiores da bochecha.

- A cavidade nasal se forma a partir do placódio nasal, ocorre umas treta de invaginação, forma a fosseta nasal, depois o saco nasal cavidade nasal no final.

Placenta - Placenta é uma paradinha misteriosa que é feita pela mãe e pelo crianço dentro dela. Em diferentes espécies aparece em tempos de gestação diferente mas o maior aqui do quadro é 37 dias nas equina.

- No slide estava mostrando a implantação e tals, ai começa a falar sobre decíduas.

- Decíduas = Camada funcional do endométrio gravídico, que será eliminado por ocasião do parto. Possui três regiões com nomes correspondentes a seu local de implantação.

Decídua basal: Acima do concepto;

Decídua capsular: Parte superficial da decídua, que cobre o concepto;

Decídua parietal: Restante da decídua.

- Duas paradinhas: Córion viloso = Componente fetal; vilosidades espaço interviloso (sangue materno) É o 6 na imagem. E decídua basal, componente materno.

- No endométrio gravídico as células deciduais acumulam o glicogênio e lipídios. Durante o desenvolvimento a decídua capsular, parte mais próxima do embrião, se funde com a parietal e some.

- A placenta é dividida em septos, onde passam veias e artérias. Lembrar que a veia umbilical que transporta sangue com O2 e a artéria umbilical com CO2.

- A placenta possui 3 funções principais:

Metabolismo: Na fase inicial sintetiza glicogênio, colesterol e ácidos graxos.

Transporte de gases e nutrientes: Por meio de difusão simples, facilitada, transporte ativo e pinocitose. Passam alguma imunidade passiva, por meio de anticorpos Ig alfa e beta vão para o feto. Paradinha de eritroblastose fetal, causado por IgG da mãe. Confere imunidade contra difteria, varíola e sarampo. Drogas são as paradinhas que passam mais facilmente, alguns vírus também.

Secreção endócrina: Basicamente hormônios proteicos, tal como hCG, somatotrofina coriônica humana, tireotrofina coriônica humana, corticotrofina coriônica humana, estrogênio e progesterona.

- A placenta atua como: Pulmão, rim, intestino e hipófise do bichinho.

Classificações

- Quanto aos bichos: Tem os prototheria – mamíferos que botam ovos (tipo ornitorrinco e équdina (menino knuckles)). Os metatheria – Possuem placenta rudimentar e transitória (tipo cangurus). E tem os eutheria – esses são fodendo placentários mesmo, com todo desenvolvimento do feto no útero.

- Classificação de acordo com arranjo das membranas fetais

- Quando o saco vitelínico é muito grande e encosta no cório = Cório Vitelina (Ex = Marsupiais).

- Quando o alantoide é grande e encosta no cório = Cório alantoide (Ex= Suínos).

- Quando âmnio é muito grande e se encosta no cório = Cório amniótica (caso do humano).

- Classificação de acordo com o formato da junção materno-fetal

- Difusa: Nesse tipo existe placenta somente em pequenos pontos do cório. (Ex suínos e equinos).

- Cotiledonária: A placenta se apresenta em formato de botões por todo o cório. (Ex: Ruminantes)

- Zoonária: A placenta se encontra em formato de faixa no meio do cório. (Ex: Carnívoros)

- Discoidal: A placenta é basicamente um disco em contato com o cório. (Ex: Humanos).

- Classificação de acordo com o padrão de interdigitalização dos tecidos materno- fetais

- Pregueada= São pregas da mucosa uterina e trofoblasto que se interdigitam (Ex: Suínos, primatas).

- Lamelar= Pregas mais complexas com múltiplas ramificações. (Ex: Carnívoros e primatas novamente, que coisa ein).

- Vilosa= Formação de árvores vilosas (Ex: Ruminantes e humanos, humanos são o que¿ Primatas, exatamente, eles estão em todos os lugares).

- Tubercular mista = Mistura vilosa e pregueada (Ex: Callithrix, que porra é essa? Sei la.).

Labiríntica = Córion penetrando por lacunas ou canais. (Ex: Alguns primatas, roedores, etc.)

- Como pudemos ver os primatas são os fodões da placenta, tem todos os tipos, pesquisei e Callithrix são primatas também.

- Classificação quanto as barreiras placentárias

Epteliocorial = Ocorre justaposição das membranas sem invasão tecidual. (Ex: Suínos, equinos).

Sineptelicorial = Com migração de células trofoblásticas para o epitélio uterino em alguns pontos. (Ex: Ruminantes).

Endoteliocorial = Com intimo contato do trofoblasto com endotélio materno. (Ex: Carnívoros).

Hemocorial = Invasão de células no endotélio materno. (Ex: Humanos).

- Classificação pela inter-relação entre fluxo sanguíneo materno-fetal

- Dividida em concorrente (fluxo paralelo), multiviloso (Entra vasos da mãe em vasos do feto parece), corrente-cruzada (É bem bagunçado) e contra-corrente (sentidos opostos, mais efetivo, única coisa que lembro da aula).

Parto

- Para o parto ocorrer pelo que parece o hipotálamo sinaliza para hipófise liberar adrenocorticotrofina, que por sua vez faz a adrenal liberar estrógenos, coisa assim.

- E também a hipófise libera oxitocina, que estimula as contrações uterinas.

Anexos embrionários

- São paradinhas formadas juntamente com o embrião, destinadas a realizar papéis importantes para ele, se tornam inúteis após o nascimento.

- Entre elas podemos citar: Saco vitelino (nutrição), Âmnio (Proteção, envolve o feto), Alantóide (Possuí vasos sanguíneos fazendo ligação da circulação fetal+materna) e o Cório (Envolve o embrião e membranas fetais.).

Evolução

- Colocando atoamente, mas peixes e anfíbios possuem apenas saco vitelino, com ausência de âmnio. Já repteis e aves, possuem saco vitelino, âmnio (possibilitando desenvolvimento terrestre) e alantóide + cório (acredito que casca). Já os mamíferos possuem placenta, possibilitando desenvolvimento no útero.

- Tem aquele tubarãozinho que o professor mostrou que tem cordão umbilical.

Falando agora individualmente

- Âmnio

- Esse fodendo cara envolve o embrião, nele circula o líquido amniótico que permite o crescimento externo simétrico do embrião, é uma barreira contra infecções, faz desenvolvimento dos pulmões, etc.

- Saco vitelino

- Esse cara é ligado ao intestino médio pelo pedículo vitelino, some com coisa de 20 semanas. Faz transferência de nutrientes na 2ª e 3ª semana, um início da formação do sangue, origem das células germinativas primordiais, etc.

- Alantóide

- Faz formação do sangue da 3ª a 5ª semana, persistindo como veia e artérias umbilicais. Paradinha de úraco, um ligamento umbilical mediano, da bexiga ao umbigo.

Agora falando da placentação em algumas espécies

- Suínos

- É uma placenta corioalantóide permanente, difusa, pregueada, epiteliocorial, sem invasão trofoblásticas, com separação total das membranas ao parto, fluxo de corrente- cruzada a contra-corrente.

- Equinos

- Corioalantóide e coriovitelina, difusa, vilosa, epiteliocorial e com fluxo multiviloso.

- Ruminantes

- Corioalantóide, saco vitelino regride totalmente, sendo Cotiledonária com número de cotilédones variando entre as espécies, por exemplo vaca tem de 80-140 mas cervídeos de 3-8.

- Carnívoros

- Tipo corioalantóide, coriovitelina em 10% da superfície (gatos), Zoonária, lamelar, Endoteliocorial, moderada reação celular decidual e fluxo de corrente cruzada.

- Humanos

- Discoidal, vilosa, hemomonocorial a termo, com forte reação celular decidual e fluxo multiviloso.

comentários (0)
Até o momento nenhum comentário
Seja o primeiro a comentar!
Esta é apenas uma pré-visualização
3 shown on 8 pages
baixar o documento