Estatuto do idoso - Resumo - Enfermagem, Notas de estudo de . Universidade Federal da Bahia (UFBA)
Pamela87
Pamela8727 de Fevereiro de 2013

Estatuto do idoso - Resumo - Enfermagem, Notas de estudo de . Universidade Federal da Bahia (UFBA)

PDF (264.9 KB)
9 páginas
1000+Número de visitas
Descrição
Resumo sobre o Estatuto do idoso, introdução, sexualidade do idoso, síndromes geriátricas, incontinência urinária, instabilidade e quedas.
20pontos
Pontos de download necessários para baixar
este documento
baixar o documento
Pré-visualização3 páginas / 9
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Pré-visualização finalizada
Consulte e baixe o documento completo
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Pré-visualização finalizada
Consulte e baixe o documento completo

1. Introdução

*

Este trabalho tem por objetivo descrever a importância da criação do estatuto do idoso visando às políticas públicas de saúde, em que são asseguradas pelo estatuto. Nos dias atuais a visão do envelhecimento com saúde e qualidade de vida vem ganhando espaço e com isso a preocupação da sexualidade na terceira idade, onde são abordados aspectos fisiológicos e psicológicos. Mas com o passar da idade os idosos são acometidos de vários tipos de doenças e síndromes, onde serão abordadas aqui as principais síndromes geriátricas que por muitas vezes deixam debilitados ou com sequelas extensas.

*

*

*

*

*

*

2. Estatuto do idoso

* O estatuto do idoso é a Lei 10.741, que foi sancionado pelo presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, em 1 de outubro de 2003, e publicada no Diário Oficial da União 3 de outubro de 2003 e garantindo e ampliando os direitos dos brasileiros com mais de 60 (sessenta) anos.

O estatuto do idoso foi formulado a partir da Comissão de Bioética, formado por parlamentares, profissionais e especialistas das áreas da saúde, do Direito, assistência social e entidades e organizações não governamentais, todos voltados para a defesa dos direitos e proteção dos idosos. O idoso possui direito à liberdade, à dignidade, à integridade, à educação, à saúde, a um meio ambiente de qualidade, , torna crime os maus tratos ao idoso, entre outros direitos fundamentais, cabendo ao Estado, à sociedade e à família a responsabilidade pela proteção e garantia desses direitos. Com esse objetivo de assegurar os direitos da pessoa idosa, a Secretaria Especial dos Direitos Humanos da Presidência da República realiza um trabalho essencial na divulgação do Estatuto e na implementação de suas ações em parceria com os Estados e Municípios.

docsity.com

Na área da saúde é garantido ao idoso pelo estatuto do idoso:

* Atendimento preferencial no Sistema Único de Saúde (SUS).

* A distribuição de remédios aos idosos, principalmente os de uso continuado deve ser gratuita, assim como a de próteses e órteses.

* Os planos de saúde não podem reajustar as mensalidades de acordo com o critério da idade.

* O idoso internado ou em observação em qualquer unidade de saúde tem direito a acompanhante, pelo tempo determinado pelo profissional de saúde que o atende.

O objetivo principal do estatuto do idoso é o amparo, assistência e proteção ao idoso, e esclarece sobre os deveres da família, das instituições, do governo e da população em relação aos idosos.

Já a política nacional do idoso assegura os direitos sociais, promovendo sua autonomia, integração e participação na sociedade, tais como:

* O direito ao transporte coletivo público gratuito e reservas de 10% dos assentos;

* Nos transportes coletivos estaduais, a reserva de duas vagas gratuitas para idosos com renda igual ou inferior a dois salários mínimos;

* O beneficio de um salario minimo ao idoso que vive com familia carente;

* É crime, discriminação, violência, crueldade e opressão;

* Prioridade na tramitação dos processos, procedimentos e execução dos atos e diligências judiciais;

* 50% de descontos em atividades de cultura, esporte e lazer;

* Reserva de 3% de unidades residências nos programas habitacionais públicos;

O estatuto traz como crime que varia de multa até a detenção as famílias que abandonem o idoso em hospitais e casas de saúde. Para os casos de condições desumanas, ou até mesmo a morte do idoso a punição é maior.

Nas entidades de cuidados ao idoso quem responde civil e criminalmente por atos praticados contra os idosos, são os dirigentes da instituição. As punições vão de advertência até a interdição da unidade.

3. Sexualidade do idoso

docsity.com

Na atualidade as descobertas na medicina vêm revolucionando o estilo comportamental de homens e mulheres da terceira idade. Durante o processo de envelhecimento ocorrem diversas alterações físicas, psicológico e sociocultural. E essas alterações influenciam no comportamento sexual do idoso.

Os aspectos psicológicos trazem a ideia que o idoso é uma pessoa rabugenta, sem paciência e que não integra a sociedade como membro efetivo, e muita das vezes traz como preconceito a sexualidade na terceira idade. Fazendo com que a autoestima e o interesse pelo sexo sejam diminuídos.

Com o passa dos anos corpo passa por modificações fisiológicas e alguns processos trazem delimitações físicas ao idoso no momento da sexualidade.

As limitações físicas estão relacionadas ao:

* Desconhecimento das alterações fisiológicas do envelhecimento;

* Doenças clínicas;

* Autoestima negativa;

* Problemas emocionais;

* Barreiras sociais, religiosas ou culturais;

* Dificuldades de relacionamento conjugal e falta de comunicação;

* Ausência de parceiro;

* Institucionalização;

* Doenças terminais.

As mudanças anatomo-fisologica também influenciam de forma significativa nesse processo. Tais como:

* No homem ocorre a diminuição da produção de espermatozoides, maior tempo para atingir a ereção completa, que nem sempre é alcançada, o que gera medo e impotência; Necessidade de estimulação direta do pênis devida redução da resposta de outros estímulos sensoriais; Retardo redução da força e volume na ejaculação; Dificuldade em manter a ereção durante a relação; Período de latência maior para nova ereção; Redução da frequência sexual.

* Na mulher ocorre a menopausa que gera muitas mudanças hormonais e físicas, a redução da lubrificação vaginal, do libido, da duração do orgasmo e dos pelos genitais; Atrofia vaginal, uretral e mamas; Acidez vaginal e aumento de vaginites; Aumento da gordura corporal. Podendo ocasionar desconforto, dor e sangramento nas relações;

docsity.com

Os profissionais da área de saúde devem estar atentos para orientar enquanto os sintomas físicos e psicológicos, assim como orientações para que o idoso mantenha relações sexuais saudáveis.

4- Síndromes geriátricas

Com o envelhecimento o corpo humano sofre diversas alterações fisiológicas, entre elas muitas agravam significativamente a qualidade de vida do idoso. Entre muitas aqui serão abordadas as principais que alteram de forma significativa a qualidade de vida do idoso.

4.1. Incontinência urinária

Incontinência urinaria é a eliminação involuntária de urina, que induz a problemas higiênicos ou sociais. As consequências deste sintoma são de longo alcance, e devem ser considerados como psicossociais e econômicos.

As mudanças sofridas no trato urinário com a idade são:

* A diminuição da contratilidade e do poder de adiar a micção:

* A pressão e a duração do fechamento dos canais urinário são diminuídas nas mulheres;

* Contrações involuntárias, de bacteriúria e do volume residual pós miccional são aumentados;

* No homem há o aumento da próstata;

* Aumento da excreção, onde a maior parte da excreção de ingesta de líquidos é durante a noite, induzindo a noctúria.

* Em certos casos clínicos como: doença de Parkinson, demência, apoplexia, diabetes e outros.

Por esses motivos, a incontinência urinaria pode ser dividida em duas largas categorias – a transitória, na qual o alivio do estressor pode melhorar ou eliminar a incontinência; e estabilizada, na qual não é encontrado nenhum estressor identificável.

4.1.1 Tipo de incontinência urinaria

Incontinência Transitória

A incontinência transitória tem frequentemente um inicio agudo, tem resultado de condições mórbidas fora do trato urinário. Algumas causas são delírio, infecção, uretrite atrófica ou

docsity.com

vaginite, farmacêutico, psicológico, excreção urinaria excessiva, redução da mobilidade e impactação de fezes.

Causas estabelecidas:

* Incontinência funcional é quando se presume que a função do trato urinário está integra, porém outras influências contribuem para o sintoma. Portanto este tipo de incontinência deverá ser admitido como perturbação funcional que contribui em vez de causar a incontinência.

* Hiperatividade do detrusor é quando existe a inibição das contrações da bexiga e esta se contrai precipitadamente, induzindo o escoamento da urina.

* Hipoatividade do detrusor ocorre quando a capacidade contrátil da bexiga é tão reduzida que resulta em incontinência por transbordamento.

* Incompetência valvular ou incontinência de estresse é devido ao enfraquecimento das estruturas do assoalho pélvico ou, menos comum, ao dano ou incompetência do próprio esfíncter da uretra.

* Obstrução uretral poderá induzir a retenção urinaria e distensão da bexiga com incontinência em excesso, gotejamento pós miccional, ou incontinência urgente associada a uma atividade excessiva do detrusor.

* Incontinência mista é uma condição em que existe uma combinação dos tipos antes citados.

4.2. Instabilidade e quedas

Instabilidade e quedas podem ser os marcadores de má saúde ou declínio da função. As quedas podem ter seria consequências físicas e psicológicas, incluindo lesões, hospitalizações, perturbação da mobilidade, restrição das atividades, declínio funcional, colocação em asilos, e medo de cair novamente.

Inúmeras alterações devidas a senescência e a doença podem influenciar os elementos do sistema de controle postural, resultando em dificuldades do controle da tarefa biomecânica. O risco de quedas é acumulativos, isto é aumenta a medida que os fatores aumentam. Entre elas estão:

* Capacidades funcionais, onde o idoso é, mas lento para desempenhar funções básicas como, por exemplo, sentar.

* Contexto ambiental são o resultado das interações da capacidade de equilíbrio atual e as condições ambientais, por exemplo, atravessar uma avenida de carros bastante movimentada.

docsity.com

* Estressores tóxicos e metabolismo agudo são a quando existe outro fator associado à queda, por exemplo, hipotensão.

4.3. Hipotensão ortostática, tonteiras e síncope

Algumas alterações fisiológicas como a complacência arterial, tortuosidade no sistema nervoso, a hipertrofia cardíaca, entre outras causas pode contribui para os episódios de hipotensão, tonteiras e sincope.

4.3.1. Hipotensão ortostática

A hipotensão ortostática esta associada a tonteira, pré sincope, sincope, quedas, acidentes vasculares cerebrais e infarto do miocárdico. Frequentemente resulta em múltiplas causas, e em geral é reversível, e o tratamento apropriado poderá melhorar a função e a independência.

4.3.2. Tonteira

Representa a razão mais comum de pacientes com mais de 65 anos de idade ou mais consultam o medico. Normalmente vem acompanhado de outros sintomas como: vertigens, pré sincopes, desequilíbrio e delírios inespecíficos, e necessários avaliação minuciosa para se obtiver a causa da tonteira.

4.3.3 Síncope

A síncope é a perda transitória da consciência e do tono postural, que cessa espontaneamente sem intervenção ressucitativa e sem deixar sintomas residuais. Nos idosos deve se avaliado as causa da sincope, para iniciar tratamento adequado para reduzir os episódios.

4.4. Demência

É uma síndrome de disfunção adquirida persistente em vários domínios da função intelectual, incluindo a memória, a linguagem, a capacidade visual e espacial e a cognição. Os distúrbios de humor e as alterações na personalidade e no comportamento frequentemente acompanham a deterioração intelectual. A demência resulta de uma ampla variedade de condições, incluindo distúrbios degenerativos, vasculares, neoplásicos, desmienilizantes, infecciosos, inflamatórios, tóxicos, metabólicos e psiquiátricos. O estabelecimento pode ser abrupto, mas frequentemente um processo gradativo. A maioria das doenças que levam a demência seja progressiva, em alguns casos o seu curso pode ser modificado através de intervenções terapêuticas apropriadas. Apesar da identificação precisa da causa da demência e do fornecimento de tratamento sintomático, os pacientes afetados sofrem um comprometimento acentuado e progressivo da sua função social e ocupacional.

4.4.1. Causas da demência

docsity.com

* Demência tipo Alzheimer – atinge geralmente após os 55 anos de idade, o seu curso é marcado por uma deteriorização gradual da função intelectual, declínio na capacidade de realizar atividades de rotina cotidiana e de lidar com as alterações na personalidade e no comportamento. Os aspectos neurocomportamentais da demência clássica do tipo Alzheimer incluem o comprometimento da memória, distúrbios de linguagem, déficits visuais e espaciais e comprometimento da capacidade de fazer cálculos e abstrações. Apresentam alterações na personalidade, tornam se mais passivos mais agressivos na demonstração de emoção e menos espontâneos. Embora os pacientes com mal de Alzheimer apresentem distúrbios neuropsicológicos e comportamentais marcantes, as funções primarias, somatossensoriais e visuais permanecem intactas durante quase todo curso da doença.

* Demência frontotemporal – a doença de Pick e outras demências fronto temporais são um grupo heterogêneo de distúrbios que partilham muitos aspectos clínicos com o Alzheimer, no estagio inicial a memória, o calculo e a função visual e espacial são preservados, o aspecto mais acentuado é a mudança na personalidade incluindo desinibição, impulsividade, jocosidade inapropriada e intrometimento.

* Distúrbios degenerativos subcorticais – os aspetos neuropsicológicos incluem distúrbios da concentração e atenção, motivação precária, velocidade de processamento de informação comprometida, distúrbios na memória e apresentam distúrbios proeminentes de movimentos, dependendo do estado podem apresentar hipocinese, estado parkinsoniano rígido ou distúrbio hipercinético, coréico, distônico ou atáxico, nesta categoria se distúrbios os principais são: o mal de Parkinson, a doença de Wilson, paralisia supranuclear progressiva, doença de Huntington, doença de Fahr, atrofias multissistêmicas e demência talâmica.

* Demência dos corpos de Lewy é caracterizada por um acumulo patológico dos corpos de Lewy no tronco e no córtex cerebral. Consistem de marcantes flutuações no conhecimento, alucinações visuais e auditivas, obscuridade de consciência e suaves sintomas espontâneos extrapiramidais.

* Demência vascular é resultado de uma lesão cerebral isquêmica, os déficits neuropsicológicos variam de acordo com a área lesada.

* Demência toxicas e metabólicas, normalmente produzem efeitos breves na percepção o delírio, e os distúrbio sistêmicos.

* Distúrbio psiquiátrico relacionado a demência é caracterizada por esquecimento, retardo psicomotor, pouca motivação e atraso cognitivo. Essa síndrome vem sendo reconhecida como a demência da síndrome de depressão.

*

*

docsity.com

* 4.5. Delírio

É uma síndrome caracterizada por confusão mental aguda, distúrbio da atenção, do ciclo sono/vigília e da atividade psicomotora que pode estar anormalmente elevada ou reduzida. Inicia-se aguda ou subagudamente e compromete a consciência, apresentando curso flutuante durante o dia e se manifesta por comprometimento global das funções cognitivas. No idoso geralmente aparece sob a forma de sonolência, letargia ou estupor, mas também pode apresentar a forma de hipervigilância.

4.6. Depressão

É um distúrbio da área afetiva e do humor com forte impacto nas atividades de vida, além de ser a doença psiquiátrica que mais comumente leva ao suicídio. Os sintomas, mas frequentes são: fadiga matutina, lentidão psicomotora. Redução da afetividade, nervosismo, ansiedade, alterações do ciclo sono/vigília, alterações no apetite, poliqueixas, falta de interesse e perda da capacidade de sentir prazer. No idoso é uma condição muito importante a se avaliada, pois boa parte do isolamento social e outros sintomas estão diretamente ligados à depressão. Que tem causas diversas como: a morte do cônjuge, afastamento da família, institucionalização, doenças neurodegenerativas, entre outras.

4.7. Imobilidade

A síndrome de imobilidade é resultante da limitação de movimentos e da capacidade funcional, que geram dificultam à mudança postural e à locomoção corporal. Causas da síndrome de imobilidade geralmente estão ligadas a internações, cirurgias, infecções agudas, ou também de aspectos crônicos como: osteoporose, doenças neuropáticas, osteoarticulares, cardiopatas, pulmonares, esclerose, vasculares, trombose venosa, quedas e outros.

As principais complicações causadas pela síndrome de imobilidade, mas comuns são: úlceras de pressão, dermatites, anquilose em fraturas, encurtamento de tendões, fecaloma, desnutrição, problemas respiratórios, depressão.

Si

docsity.com

5. Conclusão

O estatuto do idoso entrou em vigor para garantir a inclusão social e os direitos da população da terceira idade. Incluindo os idosos nas políticas publicas de saúde, como prioridade a atenção primaria. De acordo com o envelhecimento o corpo passa por diversas alterações anatômicas, fisiológicas e psicológicas. Com passa dos anos o corpo sofre alterações que dificultam ou diminui o interesse pela sexualidade do idoso, onde é necessária a educação para que os preconceitos e tabus ainda existentes não se torne uma barreira para vida sexual, e que os idosos possam desfrutar da sexualidade de forma prazerosa, assim aumentando a autoestima e elevando a qualidade de vida.

As síndromes acometidas aos idosos são caracterizadas pelas questões físicas que por muitas vezes deixam os idosos acamados ou com algum tipo de imobilidade, mas também podem ser acometidos por síndromes que envolvem o comportamento psicológico e social, assim o fazendo ser excluído do convívio social e familiar.

6. Referências bibliográficas

Geriatria prática – Terceira edição – Editora Revinter

NETTO M. P. Gerontologia: A velhice e o Envelhecimento e a visão globalizada. Ed. Beauvoir, 1990.

Http: www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/2003/L10.741.htm

Http://www.scielo.br/pdf/reeusp/v42n1/04.pdf

docsity.com

comentários (0)
Até o momento nenhum comentário
Seja o primeiro a comentar!
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Docsity is not optimized for the browser you're using. In order to have a better experience we suggest you to use Internet Explorer 9+, Chrome, Firefox or Safari! Download Google Chrome