Evolução das Plantas Superiores - Apostilas - Biologia_Parte1, Notas de estudo de Biologia. Centro Universitario Nove de Julho (UNINOVE)
Jose92
Jose9214 de Março de 2013

Evolução das Plantas Superiores - Apostilas - Biologia_Parte1, Notas de estudo de Biologia. Centro Universitario Nove de Julho (UNINOVE)

PDF (1.2 MB)
40 páginas
1000+Número de visitas
Descrição
Apostilas de Biologia sobre o estudo da Evolução das Plantas Superiores, pigmentos fotossintéticos, reserva energética, constituição da parede celular, formação da placa celular na mitose.
20pontos
Pontos de download necessários para baixar
este documento
baixar o documento
Pré-visualização3 páginas / 40
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Pré-visualização finalizada
Consulte e baixe o documento completo
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Pré-visualização finalizada
Consulte e baixe o documento completo

Morfologia Vegetal Evolução das Plantas Superiores

Pigmentos fotossintéticos; Reserva energética; Constituição da parede celular; Formação da placa celular na mitose.

Para ser considerado vegetal

• Multicelular; • Eucarionte; • Parede celular; • Autótrofo; • Ciclo diplobionte; • Reprodução oogâmica.

Problemas da Vida Terrestre

Cutícula para evitar a dessecação; Estômatos para as trocas gasosas; Camada de células estéreis em volta dos órgãos

reprodutores; Retenção do zigoto no gametângio feminino para a

proteção do embrião; Desenvolvimento de um sistema vascular.

Classificação dos Organismos

• Diferentes meios para se classificar organismos

• Esquema geral seguido: – divisão em Três Domínios – Archaea, Bacteria (Eubacteria) e Eukarya

• Domínio Eukarya: – Quatro Reinos: Protista (Metaphyta e Metazoa),

Animalia, Fungi e Plantae

• Principais categorias taxonômicas – Domínio, reino, filo, classe, ordem, família, gênero

e espécie

Relações filogenéticas

Algas verdes (grupo externo) Briófitas Pteridófitas Gimnospermas Angiospermas

Gametângios revestidos por células estéreis Embrião retido no gametângio feminino

Vasos condutores de seiva

Sementes

Flores e frutos

Espermatófitas (plantas que produzem sementes)

Traqueófitas (plantas vasculares)

Embriófitas

Reino Metaphyta Relações de Dominância na

Metagênese

METAGÊNESE

Alternância de Gerações

Alternância de Fases

Ciclo Diplobionte

Reprodução sexuada

Oogâmica Gameta masculino pequeno e móvel e Gameta feminino grande e imóvel

• FOLHA • Definição • órgão vegetativo das plantas, geralmente verde • Ativo fotossinteticamente e capaz de realizar as

trocas gasosas com o meio. • Em geral, nasce sobre o caule ou seus ramos e

possui estrutura achatada e fina, de modo que o tecido clorofiliano, responsável pela fotossíntese, fica próximo à superfície.

• Origem • primórdios foliares localizados nas extremidades

dos caules e dos ramos, de crescimento limitado

Características Gerais Folha completa

• Pecíolo – haste que sustenta a folha – Conecta ao caule

• Limbo – parte achatada e dilatada da folha – luz do sol e para realizar as trocas gasosas com o

ambiente

• Bainha – expansão achatada do pecíolo para aumentar a fixação

• Estípulas – pequenos apêndices na base do pecíolo

• Aumentam a área fotossintetizante • Proteção - espinhos

Características Gerais

• Todas as folhas apresentam uma camada de abscisão (queda)

• Quanto à divisão do limbo

• Folhas simples: – possuem o limbo inteiro – indiviso

• Folhas compostas: – têm o limbo dividido em partes menores - folíolos. – devem possuir apenas uma camada de abscisão

Tipos de folhas

• Incompletas – falta ou pecíolo, ou estípulas ou bainha.

• Folhas com ócrea – são folhas em que as estípulas são grandes e

envolvem o caule

• Folha invaginante – tem bainha grande para aumentar sua fixação

• Folha séssil – limbo, pelo qual se fixa diretamente ao caule

Heterofilia

• Diferentes tipos de folhas – associado ao ambiente

• Sagitária • três tipos de folhas: • Submersas – alongadas • Flutuantes – arredondadas • Aéreas

Metamorfoses foliares

• Formas adaptadas à função: especializações • Exemplos:

• Espinho - folha modificada para economia de água • Escama - folha geralmente subterrânea modificada

que protege brotos - lírio • Catáfilo - folha subterrânea modificada que protege

o broto nos bulbos tunicados - cebola • Gavinha - folha modificada para permitir a fixação

dos caules sarmentosos • Bráctea - folha modificada que acompanha as flores

com função de proteção ou atração • Espata - bráctea especial que protege as

inflorescências do copo-de-leite e do antúrio • Carnívora ou insetívora - folha adaptada para atrair,

capturar e digerir pequenos animais que vão ser utilizados como adubo

Anatomia da Folha

• Forma laminar • Duas epidermes:

– superior e inferior, revestidas por uma cutícula para dificultar as perdas de água.

• Mesófilo – entre as duas epidermes – células de parênquima onde estão mergulhados

os tecidos de condução - nervuras.

Há diversos tipos de mesófilo:

• Mesófilo assimétrico – • possui um parênquima paliçádico – superior • parênquima lacunoso – inferior • Característico das folhas de dicotiledôneas

• Mesófilo simétrico – • parênquimas paliçádicos preenchido por

parênquima lacunoso • Semelhantes • Característico das folhas de monocotiledôneas

• Mesófilo indiferenciado - tem apenas um tipo de parênquima não diferenciado.

• É característico de folhas de monocotiledôneas

Quanto ao número e a disposição dos folíolos

• unifoliadas • com um único folíolo unido por um pecíolo ao pecíolo da

folha

• pinadas • com folíolos dispostos ou alternadamente ao longo da

raque, o eixo comum

• palmadas ou digitadas • com mais de três folíolos partindo de uma base comum

Tipos de nervação ou venação

• peninérvea ou pinada • uma única nervura central primária dá origem a nervuras de ordem

superior

• palmatinérvea ou actinódroma • três ou mais nervuras primárias divergem radialmente de um ponto

inicial comum

• curvinérvea ou acródroma • duas ou mais nervuras primárias ou secundárias bem

desenvolvidas formas arcos que convergem no ápice da folha

• campilódroma • muitas nervuras primárias partindo de um ponto comum

convergem no ápice foliar

• paralelinérvea ou paralelódroma • uma ou mais nervuras primárias originam-se lado a lado na base da

folha e correm paralelamente até o ápice da folha, onde convergem

• O pecíolo das folhas é a parte que une a lâmina à base. Faz, assim, a conexão entre limbo e caule. Geralmente, o pecíolo é côncavo ou achatado em sua porção superior e arredondado em sua porção basal.

• Tal forma facilita a sustentação da folha, ao mesmo tempo em que confere flexibilidade e permite movimento, auxiliando na exposição da lâmina foliar à luz (fototropismo).

• Em geral, o pecíolo se une à base do limbo foliar. Há casos, porém, em que se conecta ao meio da lâmina foliar.

• Com relação ao pecíolo, as folhas podem ser classificadas em:

• peciolada, quando o pecíolo está presente;

• séssil, quando não há pecíolo e a lâmina prende-se diretamente ao caule, e

• peltada, quando o pecíolo une-se à folha pela região central desta.

• A base foliar é a porção terminal do pecíolo que, em algumas famílias vegetais, encontra-se bem desenvolvida.

• Sua provável função é a de proteger as gemas axilares do caule.

• Em muitas monocotiledôneas a base é grande e muito bem desenvolvida Recebe aqui o nome de bainha e prende as folhas invaginantes ao caule.

• Muitas plantas apresentam ainda uma estrutura delicada de tecido delgado saindo acima da bainha. É a chamada lígula, cuja função é acumular água.

• Algumas possuem estípulas, que em algumas plantas são tão desenvolvidas que podem ser confundidas com folhas. Na ervilha (Pisum sativum), realizam fotossíntese.

Modificações Foliares

• Gavinhas - As gavinhas servem para prender a planta a um suporte, enrolando-se nele.

• Espinhos - Os espinhos são estruturas de proteção, muitas vezes lignificadas. Além de exercer a função de proteção, as folhas modificadas em espinhos podem ter a função de reduzir a transpiração, tal como ocorre em muitas cactáceas (ex. figo-da-índia, Opuntia sp.).

• Brácteas - As brácteas são folhas coloridas e vistosas, cuja função é a de atrair polinizadores. Parecem-se, muitas vezes, às pétalas de uma flor (ex. primavera, Bougainvillea spectabilis).

• Filódios - Os filódios são folhas reduzidas, nas quais o pecíolo alarga-se adquirindo forma de limbo e exercendo suas funções fotossintéticas.

• Cotilédones são as primeiras folhas do embrião vegetal e servem para acumular reservas ou então para realizar a transferência de reservas do albúmen para o embrião em desenvolvimento.

• Catáfilos (também denominados de escamas) protegem as gemas vegetativas, além de realizar fotossíntese.

• Entre as plantas conhecidas por carnívoras ou insetívoras, algumas das suas folhas são modificadas, assumindo vários aspectos, entre os quais citamos os ascídios com a forma de um jarro, dotado ou não de tampa, em cujo interior existem glândulas que segregam sucos digestivos capazes de digerir insetos.

• Os principais tipos de ascídios se encontram nas espécies dos seguintes gêneros: Nepenthes, Sarracenia, Cephalotus, Darlingtonia. Com o mesmo significado biológico dos ascídios, encontramos os utrículos do gênero Utricularia.

comentários (0)
Até o momento nenhum comentário
Seja o primeiro a comentar!
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Docsity is not optimized for the browser you're using. In order to have a better experience we suggest you to use Internet Explorer 9+, Chrome, Firefox or Safari! Download Google Chrome