Evolução Histórica do Atomo - Apostilas - Quimica, Notas de estudo de Química. Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)
Maraca
Maraca1 de Março de 2013

Evolução Histórica do Atomo - Apostilas - Quimica, Notas de estudo de Química. Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)

PDF (138.3 KB)
4 páginas
930Número de visitas
Descrição
Apostilas sobre a evolução histórica dos modelos atômicos, tipos de métodos experimentais, tipos de modelo.
20pontos
Pontos de download necessários para baixar
este documento
baixar o documento
Pré-visualização3 páginas / 4
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Pré-visualização finalizada
Consulte e baixe o documento completo
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Pré-visualização finalizada
Consulte e baixe o documento completo

EVOLUÇÃO HISTORICA DA IDEIA DE ATOMO

A menor partícula que caracteriza um elemento químico é chamado de átomo. Ele é composto por um núcleo, (prótons e nêutron) e elétrons.

As primeiras ideias sobre a constituição da matéria foram propostas pelos gregos por volta de 400 a.C.

O nome átomo (do grego átomo=indivisível),surgiu quando Demócrito (460a.c- 370a.c),admitiu que qualquer tipo de mateia seria formado por pequenas partículas ,essas partículas foram então chamadas de átomos.

Os átomos de Demócrito deveriam atender as seguintes condições:

Os átomos constituíram toda e qualquer matéria.

Os átomos seriam qualitativamente iguais, diferindo apenas, na forma, no tamanho e na massa.

Para justificar a razão dos átomos serem invisíveis, Empírico (241a.c- 270a.c),sugeriu eu havia um limite para o tamanho dos átomos.

Leucipo de Demócrito disseram que a matéria poderia ser dividida, porem não infinitamente, sendo assim ao parti-las varias vezes, chegaríamos a uma partícula muito pequena: uma esfera, invisível, impenetrável e invisível.

O MODELO ANATOMICO DE DALTON

John Dalton em 1807 baseou seu modelo nos antigos conceitos dos gregos. Sendo assim, imaginou o átomo como uma pequena esfera, com massa definindo propriedades características. Ao imaginar esse modelo. Dalton definiu elemento químico como sendo átomos que possuem a mesma massa, tamanho e forma.

John Dalton formalizou seu modelo nos seguintes postulados:

Toda materia é composta de particulas fundamentais os atomos.

Os atomos são permanentes e indivisiveis, eles não podem ser criados e nem destruidos

Os elementos são caracterizados por seus átomos. Todos os átomos de diferentes elementos têm diferentes propriedades

As transformções químicaas consistem em uma combinação, separação ou arranjos de atomos.

Compostos químicos são formados de átomos de dois ou mais elementos em uma razão fixa.

MODELO PUDIN DE PASSAS DE THOMSON

docsity.com

O físico inglês, Joseph Thomson, efetuou experiências em tubos de descargas, descobrindo a existência de partículas subatômicas de carga elétrica negativa os elétrons.

Esta descoberta conduziu a proposta, em 1909, de um novo modelo atômico, em que o átomo seria uma massa esférica maciça, em que os elétrons positivo uniformemente distribuída, e que os átomos (corpúsculos de carga elétrica negativa) se encontravam dispersos.

Os elétrons existiriam em números suficientes para que a carga global do átomo fosse nula. Um paralelismo com o pudim de passas justifica a designação atribuída-Modelo do pudim de passas. Modelo atômico de Thomson modelo de pudim de passas.

O MODELO ATÔMICO DE RUTHERFORD

Em 1908, realizando experiências de bombardeio de lâminas de ouro com partículas alfa, partículas de carga positiva, liberadas por um elemento radioativo denominado polônio. Rutherford fez uma importante constatação: a grande maioria das partículas atravessava diretamente a lâmina, algumas sofriam pequenos desvios, e outras em numero muito pequeno, sofriam grandes desvios em sentido contrario.

Essa experiência permitiu a Rutherford concluir que:

O átomo não é maciço, apresentando mais espaço vazio do que preenchido;

A maior parte da massa do átomo se encontra em uma pequena região denominada hoje de núcleo dotada de carga positiva os prótons;

Girando ao redor do núcleo estão os elétrons, muito mais leves que os prótons.

A contagem do numero de partículas que atravessavam e que ricocheteiam permite fazer uma estimativa de que um raio de uma tomo de ouro é da ordem de 10 mil vezes maior que o raio do núcleo.

Em resumo: o modelo de Rutherford representa o átomo constituído em um pequeno núcleo rodeado por grande volume no qual os elétrons estão distribuídos. O núcleo carrega toda a carga positiva e a maior parte da massa do átomo.

MODELO ATOMICO DE NIEL BOHR

Em 1913, o cientista Bohr reuniu algumas observações, experiências e teorias já existentes para aprimorar a explicação de modelo atômico, e propôs os seguintes postulados:

Os elétrons nos átomos descrevem sempre órbitas circulares ao redor do núcleo, chamadas de camadas ou níveis de energia.

Cada um desses níveis possui um valor determinado de energia (estados estacionários).

Os elétrons só podem ocupar os níveis que tenham uma determinada quantidade de energia.

docsity.com

Os elétrons podem saltar de um nível para outro mais externo, desde que absorvam uma quantidade bem definida de energia (quantum de energia).

Cada órbita é denominada de estado estacionário e pode ser designada por letras K, L, M, N, O, P, Q. As camadas podem apresentar:

K = 2 elétrons

L = 8 elétrons

M = 18 elétrons

N = 32 elétrons

O = 32 elétrons

P = 18 elétrons

Q = 2 elétrons

Cada nível de energia é caracterizado por um número quântico (n), que pode assumir valores inteiros: 1, 2, 3, etc.

O conceito de quantização de energia eletrônica de Bohr é ainda considerado essencialmente correto, embora suas ideias sobre órbitas não o sejam.

Em resumo o modelo atômico de Dalton foi baseado na proposição de que os átomos são indivisíveis, imutáveis, e aparentemente sem estrutura, e este foi o o sucesso na explicação de muitas das características de transformação químicas. Os experimentos com tubos de Crookes mostraram que os átomos tem partes positivas e negativas, sendo esta ultima chamada de elétron. J.J. Thomson propôs que o átomo é constituído de uma esfera positiva grande e difusa, no qual os elétrons eram encaixados. Mais tarde, Rutherford e seus colaboradores mostraram que o átomo consiste em minúsculo núcleo que contem toda carga positiva e quase toda massa do átomo, rodeado pelos elétrons. Este modelo é considerado ainda o mais correto. O modelo atômico de Rutherford aumentou a duvida sobre a localização e movimentação dos elétrons no átomo. De acordo com a física clássica, seria esperar que os átomos entrassem em colapso e assim deixassem de existir. Bohr então apontou que havia uma falha da física clássica quanto a movimentação e as propriedades de partícula muito pequenas. Começando com o fato de que elementos exibem um espectro de linhas, desenvolveu um modelo atômico no qual postulou a existência de níveis de energia atômica quantizada.

Hoje acreditamos que o núcleo dos átomos consiste em prótons carregados positivamente. O numero de prótons do núcleo e chamado de numero atômico (Z), e o numero total de prótons mais nêutrons é o numero de massa (A). Os átomos de um dado elemento tem o mesmo

docsity.com

numero de prótons, mas isótopo de um elemento tem diferentes números de nêutrons e, consequentemente deferentes massa.

REFERENCIAS

RUSSEL, John Blair. Química Geral. 2 ed. São Paulo: Makron Books, 1994.

FELTRE, Ricardo. Química Geral. 5 ed. São Paulo: Moderna, 2000.

PERRUZZO, Francisco e CANTO, Eduardo. Química. 1 ed. São Paulo: Moderna.,2005.

docsity.com

comentários (0)
Até o momento nenhum comentário
Seja o primeiro a comentar!
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Docsity is not optimized for the browser you're using. In order to have a better experience we suggest you to use Internet Explorer 9+, Chrome, Firefox or Safari! Download Google Chrome