Exercícios complementares  - Exercícios - Introdução a Epidemiologia, Notas de estudo de Epidemiologia. Universidade Estadual do Ceará (UECE)
Kaka88
Kaka886 de Março de 2013

Exercícios complementares - Exercícios - Introdução a Epidemiologia, Notas de estudo de Epidemiologia. Universidade Estadual do Ceará (UECE)

PDF (166.1 KB)
6 páginas
13Números de download
1000+Número de visitas
100%de 1 votosNúmero de votos
Descrição
Apostilas e exercicios de Epidemiologia sobre o estudo dos exercicios complementares.
20pontos
Pontos de download necessários para baixar
este documento
baixar o documento
Pré-visualização3 páginas / 6
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Pré-visualização finalizada
Consulte e baixe o documento completo
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Pré-visualização finalizada
Consulte e baixe o documento completo
Exercícios_complementares_2011_final

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE INSTITUTO DE ESTUDOS DE SAÚDE COLETIVA DEPARTAMENTO DE MEDICINA PREVENTIVA - FACULDADE DE MEDICINA PÓS-GRADUAÇÃO EM SAÚDE COLETIVA DISCIPLINA: INTRODUÇÃO À EPIDEMIOLOGIA

Exercícios complementares

1) Suponha que você inicie a observação de um grupo de 1000 pessoas com 65 anos ou mais por três anos. No início do período de observação, 100 delas apresentavam câncer de pulmão, sendo que 40 evoluíram para o óbito durante o período de observação. Adicionalmente, 15 pessoas desenvolveram câncer de pulmão durante o período de seguimento, sendo que 10 delas faleceram. Das 885 restantes, que não apresentaram câncer de pulmão ao longo dos três anos de seguimento, 150 morreram por outras causas. Responda:

a) Calcule e interprete o risco (incidência acumulada) de câncer de pulmão nos três anos de seguimento.

b) Houve perda de 150 indivíduos ao longo do seguimento por óbito por outras causas. Caso houvesse informação sobre quando esses óbitos ocorreram. Que outra medida de incidência de doença poderia ser calculada e como?

c) Calcule o risco de mortalidade por câncer de pulmão no período de observação. d) Calcule a letalidade do câncer de pulmão nessa população.

2 ) Em 1º de janeiro de 2002, havia 100 casos de hanseníase em uma cidade no interior do estado de Mato Grosso, sendo a estimativa populacional da cidade igual a 100.000 habitantes. Dentre estes pacientes ocorreram 20 óbitos durante o ano 2002 e dez pacientes receberam alta durante o ano. Em 31 de dezembro de 2002, havia 170 casos de hanseníase nessa mesma cidade. Sabe-se que essa cidade apresentava uma população estável, com emigração e imigração irrisórias. Considerando os dados acima, calcule:

a) A taxa de incidência de hanseníase na cidade em 2002.

b) A prevalência da doença em 31 de dezembro de 2002.

c) Qual o significado medidas de frequências calculadas nos itens A e B.

3). Um ensaio clínico foi conduzido para testar a efetividade de uma determinada droga D na prevenção específica da doença X. 20 homens sadios entre 20 e 49 anos foram

docsity.com

aleatoriamente designados a pertencer a um dos dois grupos: - grupo de tratados (T) , isto é, que receberam vitamina C e um outro grupo que recebeu placebo (grupo controle - C). O período de observação do estudo foi de 6 meses. As saídas foram sempre no meio do mês em questão, devido a ocorrência da doença ou não aderência ao estudo (perda). O quadro abaixo apresenta as características principais de cada participante do estudo. Características dos participantes do estudo sobre o efeito protetor da droga D na doença X.

indivíduo grupo meses Doença X

1 T 6 não 2 C 5 sim 3 T 6 não 4 C 2 não 5 T 6 não 6 C 4 sim 7 T 5 sim 8 C 6 não 9 T 4 sim 10 C 3 sim 11 T 3 não 12 C 4 sim 13 T 5 sim 14 C 4 sim 15 T 6 não 16 C 3 não 17 T 5 não 18 C 5 não 19 T 3 sim 20 C 4 sim

a) Calcule a medida de freqüência mais apropriada neste estudo segundo o grupo de

tratamento (T ou C). Justifique e interprete os resultados. b) Considere que os indivíduos 19 e 20 evoluíram para o óbito pela doença X ao final do

mês de ocorrência da doença X. Calcule e interprete a mortalidade e a letalidade da doença X.

docsity.com

4) Um surto de intoxicação alimentar, ocorrido em uma penitenciária três horas depois de servido o almoço, foi investigado por uma equipe de epidemiologistas e alguns dados são apresentados a seguir.

Total de pessoas que comeram cada combinação de alimentos

Itens consumidos Comeu peixe Não comeu peixe

Comeu salada de ovos 75 100

Não comeu salada de ovos 200 50

Total de pessoas que comeram cada combinação de alimentos e que adoeceram

Itens consumidos Comeu peixe Não comeu peixe

Comeu salada de ovos 80 75

Não comeu salada de ovos 70 15

a) Calcule a medida de freqüência de intoxicação alimentar (por 100) em pessoas que

comeram ambos alimentos servidos e interprete o seu significado.

b) Qual dos itens consumidos serviu como a provável fonte de contaminação neste

surto? Justifique sua resposta.

5) Os dados a seguir vieram de um estudo, realizado em 1990, em que nove áreas geográficas dos EUA foram monitoradas para a incidência de câncer.

Homens Brancos Homens Negros

Idade (anos) Nº de casos de câncer de

bexiga

Nº de homens nas áreas

pesquisadas

Nº de casos de câncer de

bexiga

Nº de homens nas áreas

pesquisadas 0 -54 319 7.574.000 20 1.088.000

55 - 59 253 388.000 10 37.000 60 – 64 370 382.000 16 34.000 65 – 69 524 346.000 27 30.000 70 – 74 550 265.000 20 21.000 75 - 84 817 288.000 27 21.000

docsity.com

a) Quais são as taxas de incidência bruta para câncer de bexiga em homens brancos e negros? Qual a razão entre as duas taxas?

b) Quais as taxas de incidência ajustadas para idade para câncer de bexiga em homens brancos e negros? Usar como população padrão homens brancos. c) Qual a razão de incidência padronizada (homens brancos em relação a homens negros)?

d) Porque a razão de incidência padronizada é mais baixa que a razão entre as taxas brutas?

6) Após levantar os dados de duas unidades de tratamento intensivo (UTI), o gestor das unidades se depara com a seguinte tabela:

Óbitos e número de atendimentos em duas unidades de tratamento intensivo do Hospital X, Ano Y (dados fictícios).

Clínica Evolução

Total Alta Óbito

CTI A 180 120 300 CTI B 160 40 200 Total 340 160 500 Óbitos e número de atendimentos em duas unidades de tratamento intensivo, segundo gravidade do paciente, Hospital X, Ano Y (dados fictícios).

Unidade

Gravidade Evolução

Total Alta Óbito

CTI A Baixa

10

0

10

Média 100 50 150 Alta 70 70 140

CTI B

Baixa

130

10

140

Média 30 10 40 Alta 0 20 20

Total

340 160 500

Baseado nos dados apresentados calcule a taxa de mortalidade do CTI A, utilizando a distribuição dos pacientes segundo gravidade da doença do CTI B como padrão.

docsity.com

7) Doll e Hill efetuaram a partir de 1951 um estudo de acompanhamento para estudar a associação entre tabagismo e diferentes tipos de câncer. Após dez anos obteve-se os seguintes resultados sobre a associação entre tabagismo e câncer de pulmão:

Hábito de fumar em números de

cigarro/dia Óbitos de câncer de

pulmão Pessoa-ano de observação

Nunca fumaram 3 42800 1-14 22 38600 15-24 54 38900 25 e mais 57 25100 Sub-total dos fumantes 133 102600 Total 136 145400

a) Calcule as medidas de associação neste estudo, comparando diferentes níveis de exposição. O que elas expressam? b) Qual o excesso de risco para óbito de câncer de pulmão em fumantes atribuível ao fumo? c) Calcule e interprete esse excesso de risco em percentual d) Calcule o Risco Atribuível Populacional (RAP) e) Calcule o Risco Atribuível Populacional Proporcional (RAP%)

8) Num “screening” de massa 1.329 homens entre 40-59 anos foram examinados com relação ao colesterol sérico e pressão sistólica. Depois foram acompanhados por 6 anos para observar o desenvolvimento de doença coronariana (DC). No início do período nenhum apresentava DC.

COLESTEROL

(mg/100 ml) PAS < 147 PAS 147-166 PAS ≥ 167

N

casos de DC

N casos de DC

N casos de DC

< 220

431

10

93

3

49

7

220-259 347 19 74 6 49 6 ≥ 260 185 19 57 11 44 11

a) Calcule o risco relativo dos homens com colesterol sérico de 260 mg/100ml ou mais e pressão sistólica inferior a 147 mm Hg em relação aos homens com colesterol inferior a 220 mg/ml e pressão sistólica inferior a 147 mm Hg. b) Calcule o risco relativo dos homens com colesterol sérico inferior a 220 mg/100ml e pressão sistólica de 167 mm Hg ou mais em relação aos homens com colesterol inferior a 220 mg/ml e pressão sistólica inferior a 147 mm Hg. c) Calcule o risco relativo dos homens com colesterol sérico de 260 mg/100ml ou mais e pressão sistólica de 167 mm Hg ou mais em relação aos homens com colesterol inferior a 220 mg/ml e pressão sistólica inferior a 147 mm Hg.

docsity.com

9) Uma vacina contra influenza foi testada num grupo de voluntários do sexo feminino. De 95 mulheres que receberam a vacina, 3 tiveram influenza. Dentre as 48 que receberam placebo, 8 tiveram influenza. Desconforto importante ou moderado foi relatado por 27% das que receberam vacina e 24% das que receberam placebo. Calcule o risco relativo de: a) Adoecer de influenza b) Desconforto após a vacinação. c) Calcule a eficácia da vacina 10) Objetivando averiguar a associação de alguns fatores de risco para hemorragia peri- intraventricular (HPIV), estime a razão de chance (Odds ratio) associado ao peso inferior a 1.500g.

Peso (g) HPIV <1.500 1.500-2.000 total

Presente 24 15 39 Ausente 32 49 81

Total 56 64 120

docsity.com

comentários (0)
Até o momento nenhum comentário
Seja o primeiro a comentar!
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Docsity is not optimized for the browser you're using. In order to have a better experience we suggest you to use Internet Explorer 9+, Chrome, Firefox or Safari! Download Google Chrome