Fabricação de Celulose - Resumo - Engenharia Quimica - UFPR, Notas de estudo de Engenharia Química. Universidade Federal de Alagoas (UFAL)
Roberto_880
Roberto_8805 de Março de 2013

Fabricação de Celulose - Resumo - Engenharia Quimica - UFPR, Notas de estudo de Engenharia Química. Universidade Federal de Alagoas (UFAL)

PDF (161.7 KB)
4 páginas
824Número de visitas
Descrição
Apostilas de engenharia quimica sobre o estudo da fabricação de celulose, fabricação da polpa, tipos de fibras, testes de caracterização de papel.
20pontos
Pontos de download necessários para baixar
este documento
baixar o documento
Pré-visualização3 páginas / 4
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Pré-visualização finalizada
Consulte e baixe o documento completo
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Pré-visualização finalizada
Consulte e baixe o documento completo

Extração da Matéria Prima

PREPARAÇÃO DE MATÉRIA PRIMA

O início do processo de fabricação de celulose é o manuseio da matéria-prima que acontece no Pátio de Madeira, onde as toras são recebidas da floresta descascadas. As toras são deslocadas para um Pátio de Estocagem ou diretamente para o Picador seguindo uma logística pré- detearminada.

As toras são descarregadas em mesas dosadoras, lavadas e, por esteiras, levadas ao picador. Um disco rotativo de 12 facas transforma, em poucos segundos, as toras em pequenos cavacos que são depositados em um Pátio de Cavacos.

Essa ação visa buscar um tamanho ideal que facilite a ação na etapa de Cozimento. A separação dos cavacos por tamanho acontece numa peneira vibratória, antes do silo de cavaco do Digestor Continuo, desclassificando os cavacos que estão fora de especificação, descartando-os para serem utilizados como combustível na Caldeira de Biomassa.

Os cavacos classificados são transportados para o Silo de Cavacos do Digestor Contínuo, através de esteiras que contam com sistemas de detecção de metais, para evitar danos ao processo.

- Estoque de cavacos

A madeira de pínus e de eucaliptos são as matérias-primas mais comumente utilizadas para a fabricação de papel. Após o corte, as toras são descascadas, dando origem aos cavacos que geram a celulose e são usadas como combustível para produzir vapor e eletricidade.

2- Fabricação da Polpa

A madeira é feita de fibras celulosas aderidas umas às outras por uma "cola", chamada lignina. Para converter madeira em polpa, estas fibras devem ser separadas pela remoção da lignina.

Papel e matéria-prima

docsity.com

A matéria-prima básica para a fabricação de papel, cartão e papelão ondulado é a celulose, proveniente em sua grande maioria, da madeira.

As fibras se classificam em:

•Fibra longa (2 a 5 mm) : Coníferas do tipo Pinus; Vegetais de outras famílias: sisal, bambu

•Fibra curta (0,5 a 1,5 mm) : Folhosas como eucalipto, acácia, etc...

Tipos de fibras :

bambu cipó

Espada de São Jorge

A celulose de fibra longa tem a propriedade de conceder ao papel resistência mecânica, característica necessária em embalagens de transporte e distribuição como caixas de papelão ondulado e os sacos multifoliados, enquanto a celulose de fibra curta proporciona um papel de melhor formação, indicado quando se deseja excelente superfície de impressão e para laminação.

As características do papel, cartão e papelão não dependem apenas do tipo de fibra utilizada, mas também de seu processo de fabricação, aditivação e acabamento.

Testes de caracterização de papel

1 - Os troncos são descascados

2 - Picados

3 - Digestores: cozimento em soda cáustica

4 - Pasta celulosica e água

5 - Prensagem e secagem

docsity.com

6 - Bobina O QUE PODE SER RECICLADO E NÃO-RECICLADO

FABRICAÇÃO DE PAPEL |

|

O papel, descoberto há mais de 2000 anos pelos chineses, era produzido com linho, algodão ou cânhamo. Em 1840, o alemão Keller moeu cavacos de madeira para extrair fibras, produzindo polpa de celulose, muito mais eficaz. Nos últimos anos a tecnologia evoluiu muito. As fases de fabricação do papel são:1. Estoque de cavacos: o processo de obtenção da Celulose é iniciado com o descascamento e lavagem de toras de eucalipto, para posterior picagem. Com isto são produzidos cavacos de dimensões uniformes, que são encaminhados ao cozimento, após processo de peneiramento. | | |

|

2. Fabricação da Polpa: são três os processos básicos de fabricação: |

|

2.1 Processo Mecânico: passagem dos cavacos por refinadores e prensagem contra pedras de moer, na presença de água e vapor, desfibrando a celulose, obtendo a polpa. |

2.2 Processo Químico- conhecido como Processo Kraft (que em alemão quer dizer "FORTE"), adiciona hidróxido de sódio e sulfato de sódio aos cavacos, em vasos pressurizados e em alta temperatura, liberando fibras da celulose através de lenta dissolução da lignina, composto orgânico que possui poder calorífico semelhante ao do petróleo, aproveitado no processo.Para a produção específica de Papel Kraft se despeja a polpa de celulose produzida, de coloração marrom, devidamente tratada, na caixa de entrada da máquina de produção de papel, para a produção de bobinas. (conforme exposto no item 4- adiante). | | |

|

2.3 Processo de reciclagem- utiliza aparas de papel, misturando água, desintegrando-as em pulpers (liqüidificadores industriais de grande porte). Contaminantes (plástico, metal, vidro, polyetileno, etc.) são retirados através de peneiras e eletroímãs. Se necessário, é retirada tinta presente na polpa de celulose resultante, através da ação combinada de água, substâncias químicas, calor e energia mecânica.Geralmente o Processo de Reciclagem é voltado à produção de Papel Kraft, devido a polpa obtida ser de coloração marrom. Para isto se despeja a polpa de celulose devidamente tratada, na caixa de entrada da máquina de produção de Papel Kraft, para a fabricação de bobinas (conforme exposto no item 4- adiante). |

|

docsity.com

A polpa marrom oriunda destes três processos, dependendo do caso, pode então ser depurada, passando pela pré-deslignificação com oxigênio, reduzindo o consumo de produtos químicos na etapa seguinte. |

|

3. Branqueamento: para a fabricação de certos tipos de papel, (não para o Papel Kraft) a polpa deve ser branqueada , processo realizado com baixas quantidades de produtos químicos e livre de cloro molecular, chamado ECF (Elemental Chlorine Free).Tais produtos químicos dissolvem e eliminam a lignina (adesivo natural das fibras) restante- resultando numa polpa branca e com menor tendência de amarelar com o passar do tempo. | | |

|

4. Formação da Folha- a polpa é despejada na caixa de entrada da máquina de produção de papel, com água excedendo 97% do conteúdo. A mistura é aspergida sobre a tela formadora móvel. A ação filtrante da tela, combinada com vácuo, extrai a maior parte da água contida na polpa, formando a folha de papel.Nos instantes seguintes, a folha é prensada por diversos conjuntos de rolos, para remover mais água. Tracionada por cilindros aquecidos a vapor, atravessa a área de secagem, extraindo-se a maior parte da água restante.Finalmente, o papel é enrolado em mandris (rolo jumbo), que são rebobinados e segmentados em rolos menores, seguindo para acabamento. | | |

|

5. Acabamento- as bobinas menores são processadas por equipamentos que cortam as folhas em resmas, empacotam e paletizam os produtos. |

|

|

docsity.com

comentários (0)
Até o momento nenhum comentário
Seja o primeiro a comentar!
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Docsity is not optimized for the browser you're using. In order to have a better experience we suggest you to use Internet Explorer 9+, Chrome, Firefox or Safari! Download Google Chrome