Fisioterapia Geriátrica - Apostilas- Enfermagem, Notas de estudo de . Universidade Federal da Bahia (UFBA)
Pamela87
Pamela8727 de Fevereiro de 2013

Fisioterapia Geriátrica - Apostilas- Enfermagem, Notas de estudo de . Universidade Federal da Bahia (UFBA)

PDF (272 KB)
8 páginas
1000+Número de visitas
Descrição
Apostilas sobre a fisioterapia geriátrica, definição, objetivos, capacidade funcional no idoso, fraqueza muscular, fraturas.
20pontos
Pontos de download necessários para baixar
este documento
baixar o documento
Pré-visualização3 páginas / 8
Esta é apenas uma pré-visualização
3 shown on 8 pages
baixar o documento
Esta é apenas uma pré-visualização
3 shown on 8 pages
baixar o documento
Esta é apenas uma pré-visualização
3 shown on 8 pages
baixar o documento
Esta é apenas uma pré-visualização
3 shown on 8 pages
baixar o documento

Fisioterapia Geriátrica

Introdução

O que é Geriatria?

Geriatria é o ramo da medicina que enfoca o estudo, prevenção e tratamento das doenças e da incapacidade em idades avançadas. O termo deve se distinto de gerontologia, que é o estudo do envelhecimento em si.

Geriatras são médicos especializados no cuidado com o idoso e têm sua formação variável em diferentes países, mas geralmente esta passa por uma formação generalista (medicina interna, medicina de família, etc.) e a seguir são treinados nos aspectos específicos da saúde do idoso. Em geral os geriatras têem de passar por um exame de qualificação para a especialização para obter um título ou certificado de especialista.

Objetivos da Geriatria?

Objetivos da Geriatria:

• Manutenção da Saúde em idades avançadas

• Manutenção da funcionalidade

• Prevenção de doenças

• Detecção e tratamento precoce

• Máximo grau de independência

• Cuidado e apoio durante doenças terminais

• Tratamentos seguros

Capacidade funcional no idoso:

Com o envelhecimento, ocorre a homeostenose – declínio estimado em algumas funções – e há uma maior vulnerabilidade à doenças como: infecções, doenças cardiovasculares, neoplasias malignas, dentre outras.

De acordo com a cronologia, em países em desenvolvimento o idoso é o indivíduo que tem 60 anos de idade ou mais. E em países desenvolvidos, o indivíduo que tem 65 anos de idade ou

docsity.com

mais. Os indivíduos considerados muito idosos são aqueles que possuem 80/85 anos de idade ou mais.

A capacidade funcional ao longo da vida vai reduzindo, na terceira idade é importante manter independência e prevenir incapacidade, por isso, reabilitar e garantir qualidade de vida. O processo natural de envelhecimento associado às doenças crônicas é o responsável pela limitação do idoso.

Nesta fase da vida é importante focar sempre na prevenção, pois nem sempre o indivíduo irá manifestar sintomas de doença, até o idoso aparentemente saudável requer cuidados, pois as manifestações de doenças nos idosos são: atípicas, sub-clínicas, os sintomas são inespecíficos e geralmente não relatados, o início é insidioso e é muito fácil “perder” um diagnóstico. As principais ocorrências no idoso são (os gigantes da geriatria - :instabilidade, incontinencia, iatrogenia, imobilidade e insuficinência): imobilidade, insuficiência cognitiva, iatrogenia, instabilidade e quedas, incontinência, delírio, demência e depressão.

O papel da geriatria na prevenção da instabilidade e queda em idosos

Sabemos que o envelhecimento traz várias alterações anatômicas e fisiológicas, e que estas alterações que tornam o paciente idoso mais frágil, desta forma ele estará mais propenso a sofrer quedas. A fisioterapia preventiva ajuda para que estes pacientes consigam superar as constantes ameaças ao seu equilíbrio, não só melhorando suas capacidades funcionais como também lhes conscientizando de suas limitações, e sugerir algumas alterações em seus lares para lhes conferirem maior segurança, para que não venham a sofrer uma queda. A proposta preventiva visa melhorar a qualidade de vida destes idosos, visto que as quedas trazem inúmeras conseqüências podendo em casos mais graves levar o idoso a óbito.

QUEDAS

Devido à melhora da assistência médica e prevenção de complicações após queda, tem ocorrido uma redução nas mortes, principalmente do sexo feminino atribuídas a quedas. As lesões acidentais são a sexta causa de morte em pessoas de 75 anos ou mais, e representam a causa isolada mais comum de mortalidade acidental, correspondendo a 70%. Nos indivíduos com 65 anos ou mais as quedas matam mais do que a pneumonia ou diabetes, e todos os tipos de acidentes combinados. No entanto a maior parte das quedas não resulta em morte, a queda ainda está associada com morbidade significativa. Aproximadamente 40% das quedas em mulheres com mais de 75 anos de idade resultam em fraturas, comparados com 27 % em homens.

docsity.com

A fratura de quadril é a lesão por conseqüência da queda que mais comumente leva à hospitalização e a duração da internação é quase o dobro daquela para todas as outras causas de internação hospitalar no idoso.

FRAQUEZA MUSCULAR

A fraqueza muscular é sugerida por uma incapacidade do paciente para andar sobre seus calcanhares ou artelhos, levantar-se de uma cadeira ou após abaixar-se sem utilização dos braços ou segurar-se no assento da cadeira. Freqüentemente associada com quedas e tropeços. Pode ocorrer debilidade muscular difusa com em apenas de 4 a 6 semanas de repouso absoluto no leito.

INSTABILIDADE POSTURAL

A instabilidade postural aumenta com o envelhecimento e se manifesta por uma perda de reflexos de correção e um aumento na oscilação do corpo. A manutenção da estabilidade postural é uma função complexa, que requer integração central apropriada de sensações visuais, vestibulares e proprioceptivas, todas sofrendo declínio funcional com o envelhecimento. O tempo da reação também aumenta, aumentando o intervalo entre a percepção do perigo e a ação para evitá-lo.

CONSEQÜÊNCIAS MAIS COMUNS EM IDOSOS QUE SOFRERAM QUEDA Quedas são a causa mais comum de fraturas. A freqüência de queda entre os idosos é devida, em parte, a uma incidência elevada de condições clínicas de base.

FRATURA DO ÚMERO PROXIMAL

Ocorre comumente com uma queda com a mão estendida.

FRATURA DE COLLES

No ano de 1814, Abraham Colles descreveu esta fratura da extremidade distal do antebraço, ocorre devido à queda sobre o braço estendido.

FRATURAS DO FÊMUR

A fratura do fêmur é comum entre indivíduos idosos. Possui elevados índices de mortalidade e morbidade, e grande custo financeiro. Quando sua incidência, a fratura do fêmur aumenta com a idade, a partir dos 50 anos; é duas vezes mais freqüente nas mulheres. Estas fraturas da extremidade superior do fêmur são menos freqüentes do que as fraturas vertebrais, no entanto trazem maior morbidade e mortalidade. De 80 a 90% das fraturas de fêmur ocorrem por

docsity.com

conseqüência de queda. No idoso, a massa muscular e de tecidos moles em torno dos quadris costuma estar diminuída, de modo que o quadril é menos capaz de resistir ao impacto da queda.

FRATURA DO COLO DO FÊMUR

Esta fratura localiza-se no colo do fêmur, e pode ser dividida em:

Fratura intracapsular que leva geralmente à interrupção do aporte sangüíneo à cabeça do fêmur, e isto explica a grande incidência de necrose asséptica e de falta de consolidação neste tipo de fratura. As fraturas extracapsulares, dificilmente levam a um comprometimento da irrigação da cabeça do fêmur.

FRATURA INTERTROCANTÉRICA

São fraturas geralmente provocadas por uma queda, normalmente ao nível do solo. Estas fraturas são classificadas de acordo com o número de fragmentos ósseos.

FRATURA DE VÉRTEBRA

Esta lesão normalmente é provocada por uma atividade que aumenta a carga compressiva sobre a coluna (por exemplo, levantar um peso, inclinar-se para frente, pisar em falso ao andar ou por uma queda).

SÍNDROME DO IMOBILISMO

É quando a pessoa idosa precisa ficar imobilizada, devido uma queda, resultando em uma fratura. O repouso beneficia a região lesada, mas seu prolongamento prejudica o resto do organismo. As complicações afetam sistemas com o cardiorespiratório, vascular, endócrino, gastrointestinais, urinário, muscular, esquelético e neurológico. Sendo que estas complicações podem ser aumentadas dependendo dos fatores pré existentes de cada paciente.

Prevenção de doenças nos idosos

O planejamento para a prevenção de doenças nos idosos consiste em:

* Corrigir os hábitos deletérios (alimentação não balanceada, inatividade física, tabagismo, obesidade, abuso de drogas).

* Postergar diagnósticos e tratamento adequado das doenças

* Usar medicamentos racionalmente (prescrição consciente, início e término, respeito à orientação, uso x abuso, evitar auto-medicação, efeitos “mágicos”).

docsity.com

* Equilibrar os ambientes emocionais (tentar fazer com que eles sempre estejam felizes)

* Ampliar a rede de suporte social(rede de apoio) fazer d tudo para q a cada dia q passa os idosos tenham mais chances de tratamentos

* Não deixar que o idoso crie expectativas. Rejeitar a fantasia do “rejuvenescimento ou da eterna juventude”

* Estimular a prática de atividade física aeróbia, para aumento de resistência, força e flexibilidade, para manter função e unir os benefícios físicos aos sociais.

* Adequar o ambiente doméstico diminuindo o risco de acidentes como quedas e suas consequências muitas vezes de prognóstico sombrio.

* Educar os cuidadores dos idosos dependentes, bem como reconhecer o seu adoecimento.

* Estar atento aos sinais de maus tratos e denunciá-los.

Fisioterapia em idosos

O ponto principal encontrado na literatura é a prevenção de futuras quedas; o segundo é treinar os pacientes sobre como lidar com as quedas; o terceiro é recuperar a segurança e a auto estima do paciente idoso. Os fisioterapeutas identificam os fatores tanto intrínsecos como extrínsecos que aumentam a possibilidade da ocorrência de uma queda em uma pessoa idosa, também como nas suas conseqüências desde que estes fatores identificados se que sejam acessíveis às medidas de fisioterapia. Uma medida importante é ajudar o indivíduo da terceira idade a recuperar sua autoconfiança no que diz respeito a suas capacidades posturais. É necessário evitar a imobilização desnecessária e suas conseqüências, para diminuir os efeitos de futuras quedas. Deste modo podemos realizar um impacto sobre a autoconfiança. Para resumir os objetivos fisioterapêuticos nas pessoas da terceira idade que correm o risco de sofrer quedas são:

I. melhorar a capacidade do indivíduo para resistir às ameaças ao seu equilíbrio.

II. Aumentar a segurança deste indivíduo em seu ambiente.

III. Recuperar a confiança do paciente e das pessoas que cuidam deste, no que fiz respeito a sua capacidade de se locomover da maneira mais segura e eficaz em seu ambiente.

ANDADORES

O fisioterapeuta tem que estar preparado para recomendar um de quatro rodas rolador, que possibilita uma marcha natural ininterrupta e confere ao usuário da terceira idade maior grau de

docsity.com

mobilidade independente, porem sua desvantagem é dentro de casa pela dificuldade nas manobras pelo espaço limitado. O andador sem nenhuma roda precisa ser levantado antes de cada passo, em desacordo com o ritmo normal e criando um momento de instabilidade, durante o qual o paciente idoso fica sem qualquer apoio.

MULETAS

Estas podem ser indicadas para uso temporário, dificilmente são indicadas por tempo prolongado em pacientes idosos, e sua vantagem é que podem ser usadas em degraus e escadas.

BENGALAS

Pode ser recomendada uma bengala simples ou a quadrúpede (esta é segura com uma das mãos, possuindo uma base de quatro pés), e o cabo possui um formato ergonômico. As bengalas são úteis quando o paciente idoso requer um apoio mínimo, ou quando ele percorre apenas um trecho curto, ou quando há pouco espaço dentro de casa e não possibilidade do emprego de um aparelho de maior tamanho.

Curiosidades:

* Estudos mostram que 28 a 35% das pessoas com mais de 65 anos sofrem uma quedas e com o avançar da idade esta pode chegar a 50%, sendo mais comum em mulheres.

* Idosos saudáveis tendem a cair durante atividade que provocam um grande desafio ao equilíbrio (como exemplo: ir ao banco, pegar ônibus) em contra partida, idosos frágeis tendem a cair em casa durante atividades rotineiras (usar vaso sanitário, tomar banho).

* Existem vários fatores que levam à quedas:

-distúrbios do equilíbrio

-uso inadequado de medicamentos

-problemas visuais

-dores pelo corpo (artrite, lombalgia)

-doenças neurológicas (Parkinson, demências, AVC)

-fraqueza muscular

docsity.com

-objetos espalhados pelo chão

-escadas sem corrimão

-chão encerado

-iluminação inadequada

-sola escorregadia

-uso de sapatos inadequados

-tapetes soltos

* A atividade física e o combate ao sedentarismo têm papel preponderante no bem-estar e na manutenção da capacidade funcional dos idosos. Observou-se relação inversa entre atividade física e incidência de doença isquêmica do coração. As doenças crônicas têm maior incidência nos idosos, principalmente as cardiovasculares e as neoplasias.

* A população com idade superior a 80 anos e o grupo que mais cresce, e a reabilitação preventiva é muito importante no sentido de melhorar a qualidade de vida destas pessoas.

* A adaptação fisiológica ao treinamento físico nos idosos é mais bem realizada com exercícios de menor intensidade, com maior freqüência e com duração mais prolongada.

* Os efeitos benéficos da atividade física nos idosos são múltiplos, entre os quais destacam-se a manutenção da mobilidade articular e melhora da coordenação neuromuscular, da flexibilidade, da estabilidade articular e da força muscular, bem como da resistência dos tendões. Esses efeitos reduzem a incidência de quedas, freqüentes nos idosos. A osteoporose, importante problema no envelhecimento, apresenta melhora, pois a atividade provavelmente limita a perda mineral dos ossos.

* A vertigem é importante causa de quedas no idoso.

docsity.com

* Segundo Guccione (2002), em homens e mulheres entre 60 e 80 anos, a taxa média de diminuição na altura é de cerca de 2 cm por década, podendo atingir até 12 cm nos casos mais extremos de perda óssea.

* O idoso não está sujeito apenas a modificações na sua arquitetura ou na densidade óssea, a alteração no disco intervertebral relacionada à idade é um fenômeno bastante conhecido. A estabilidade dos segmentos móveis e a sustentação da coluna vertebral também apresentam alterações no idoso.

* A depressão e a deterioração cognitiva estão entre os problemas de saúde mental mais importantes em pessoas idosas. Ambas as condições têm graves conseqüências e incluem uma diminuição na qualidade de vida, declínio funcional, uso aumentado de serviços, e alta mortalidade.

* As principais doenças reumáticas em idosos são: artrose, lombalgia, artrite, tendinite, bursite, arterite e a gota.

* A fisioterapia geriátrica surge como um promotor de qualidade de vida para o idoso, melhorando sua movimentação, equilíbrio e coordenação. Além disso, a fisioterapia aumenta a força muscular e diminui as dores, reduzindo os riscos de quedas e trazendo mais independência nas atividades do dia-a-dia.

docsity.com

comentários (0)
Até o momento nenhum comentário
Seja o primeiro a comentar!
Esta é apenas uma pré-visualização
3 shown on 8 pages
baixar o documento