Fluxo de Caixa nas Empresas - Resumo - Economia, Notas de estudo de Economia. Universidade de São Paulo (USP)
Oscar_S
Oscar_S26 de Fevereiro de 2013

Fluxo de Caixa nas Empresas - Resumo - Economia, Notas de estudo de Economia. Universidade de São Paulo (USP)

PDF (211.4 KB)
7 páginas
548Número de visitas
Descrição
Fluxo de caixa nas empresas. O desenvolvimento da contabilidade brasileira para superar as dificuldades financeiras.
20pontos
Pontos de download necessários para baixar
este documento
baixar o documento
Pré-visualização3 páginas / 7
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Pré-visualização finalizada
Consulte e baixe o documento completo
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Pré-visualização finalizada
Consulte e baixe o documento completo

1 INTRODUÇÃO

A contabilidade vem prestando um serviço de fundamental importância para as sociedades e as nações, em diferentes organizações econômicas. Essas ações agem como ferramenta e instrumento de gestão e de controle, para um melhor acompanhando das constantes mudanças da economia mundial. A contabilidade brasileira vem se desenvolvendo e seguindo normas internacionais. Esse desenvolvimento se deu para melhor adequação da economia no processo de globalização. Desenvolvendo assim, mecanismo de superação das dificuldades financeiras.

Com a ajuda da contabilidade, as empresas planejam melhor suas estratégias, utilizando vantagens competitivas para ganhar espaço, se colocando em posições muitas vezes de ataque, planejando assim, suas defesas financeiras, para melhor alcançar objetivos e gerando valor a sua entidade.

As finanças têm assumido nas empresas da atualidade um papel crucial. Com a necessidade de administrar cada vez melhor seus negócios e diagnosticar seus recursos é que se viu a necessidade de implantar em tempo cada vez menor alternativas para analisar possíveis problemas.

Esses problemas são decorrência de suas próprias ações, pois as empresas buscam lucros e retornos acima da média. Esses ganhos acima da média são superiores aos que os investidores esperariam obter e com isso colocam sua empresa em constante risco.

A administração dessa empresa que vive se arriscando, busca encontrar meios para alcançar metas de curto, médio e longo prazo, em um ambiente competitivo e volátil, e administrar negócios requer competência, com isso se destacam os conhecimentos técnicos e gerenciais feitos pela alta direção da empresa em diversos níveis.

O fluxo de caixa veio para ajudar a por fim em uma busca excessiva por um sistema que lhe permite enxergar a realidade financeira da empresa. E como pano de fundo dessas decisões está a quantidade de informação primária. Boas informações são fundamentais para todas as áreas funcionais, e notadamente para a administração financeira o fluxo de caixa é quem da essa informação relevante.

docsity.com

Mas só se consegue certas informações com um planejamento financeiro, e por se um processo gerencial, que diz respeito às formulações dos objetivos para a seleção de programas de ação para a execução de metas das empresas, esse planejamento leva em conta condições internas e externas da empresa.

Saber utilizar os instrumentos de planejamento de forma coerente é uma das dificuldades das empresas, pois elas têm que adaptar às necessidades a sua realidade. E o que determina grande parte do sucesso é a capacidade de adequar-se às mudanças do ambiente, antecipando assim, aos concorrentes, pois conseguir perpetuar no mercado atualmente possui algo mais que boa sorte para as empresas.

Em virtude de toda realidade da empresa é que os administradores, que são responsáveis pelo planejamento financeiro devem ter constante preocupação de conseguir as melhores formas de alcançar seus objetivos. Sendo assim apresenta-se como tema para esse projeto: Contribuição do fluxo do caixa como ferramenta de gestão das microempresas e empresas de pequeno porte.

Quando as microempresas (ME) e empresas de pequeno porte (EPP) buscam um fluxo de caixa, elas querem na verdade procurar entender realmente o processo de formação da liquidez de sua empresa. Pois uma empresa que não sabe na realidade o que está acontecendo em seu caixa, corre um serio risco de quebrá-lo, e esse tipo de risco é que elas querem evitar com a utilização do fluxo.

O problema a ser analisado é: De que forma a utilização do fluxo de caixa poderá contribuir para a gestão das microempresas e empresas de pequeno porte?

Todo empresário sonha em ver sua empresa prosperar. Mas ele no começo não faz idéia que uma má analise ou um não acompanhamento dos recursos pode levá-lo a beira da falência.

Com essa análise minuciosa ela poderá identificar que atividades estão liberando ou retirando recursos do fluxo de caixa, com isso não seria um blefe dizer que a geração do caixa é mais importante do que a geração de lucro, já que uma empresa quebra não por lucro e sim pela falta

docsity.com

de caixa. Pois são varias empresas que se inviabilizam financeiramente, e procuram recursos financeiros de terceiros, mesmo apresentando lucros contábeis.

Mas pode acontecer o contrario também, as empresas sobrevivem e sobreviveram longos períodos de prejuízo viabilizando a liquidez. A análise do fluxo de caixa permite que os sintomas de fragilização da estrutura de capital de giro sejam detectados a tempo para se tomar as medidas necessárias à correção desta distorção.

Devido a alguns fatores que possam ajudar no crescimento das empresas, elas precisam ter conhecimento, e como essa ferramenta de gestão pode evitar uma futura mortalidade.

O tema, objeto da monografia, é de grande interesse para as microempresas e empresas de pequeno porte, e assim se justifica que, muitos não sabem na realidade como gerir seu caixa, e isso implica num alto índice de mortalidade das mesmas logo no início das suas atividades.

No presente trabalho será feita uma análise sobre o fluxo de caixa como ferramenta utilizada na gestão e controle financeiro pelas microempresas e empresas de pequeno porte e se essa ferramenta realmente é utilizada para otimização de seus recursos. O objetivo geral que se propõe para este tema é:

Apresentar evidencia junto às microempresas e empresas de pequeno porte, se as mesmas usam o fluxo de caixa como ferramenta de gestão no planejamento e controle financeiro, e se é um instrumento útil na tomada de decisão.

- Conceituar microempresas e empresas de pequeno porte;

- Caracterizar fluxo de caixa;

- Apresentar a contribuição do fluxo de caixa como ferramenta na gestão das microempresas e empresas de pequeno porte.

Nas páginas que seguem, é apresentada uma estruturação prévia do que será exposto na monografia, também se evidencia a estrutura do projeto passando por todas as fases

docsity.com

necessárias até a bibliografia selecionada para o seu desencadeamento, com a exposição da delimitação do tema, dos objetivos, da justificativa; enfim, da metodologia a ser empregada na elaboração.

2 REVISÃO LITERÁRIA

O principal objetivo das empresas que buscam como meta a maximização de seus recursos, é se manter estável a cada período. O fluxo de caixa é um instrumento de controle que auxilia a essas empresas na visão, previsão e controle das suas movimentações financeiras. Com isso ele permite uma melhor identificação previa e posterior das sobras e faltas no caixa, possibilitando que as empresas planejem melhor suas ações futuras, acompanhando assim seu desempenho.

Para Goldratt e Cox (1990, p.45.46),

Se você possuir (recursos) suficiente, então o fluxo de caixa não é importante. Mas se você não os possuir, nada é mais importante. É uma questão de sobrevivência. Fique acima da linha e tudo bem. Fique abaixo e você esta morto.

É antiga a preocupação das entidades em enxergar a realidade financeira e patrimonial dos seus negócios. Isso começou muito antes do que se imagina. Há relatos de Tales de Mileto, que ele teria estudado “contabilidade” no Egito há cerca de 600 anos antes de Cristo.

A Necessidade de se desenvolver demonstrações do fluxo de caixa decorre do aumento da complexidade das atividades operacionais, o que provoca grandes disparidades entre o período no qual os lançamentos de entrada e de saída são apresentados e o período em que o correspondente fluxo de caixa realmente ocorre, provocando assim, uma oscilação no fluxo e desfavorecendo uma transparência da situação financeira da entidade.

Para Gitman (1997:586),

docsity.com

O fluxo de caixa é a espinha dorsal da empresa. Sem ele não se saberá quando haverá recurso suficiente para sustentar as operações ou quando haverá necessidade de financiamentos bancários. Empresas que necessitem continuamente de empréstimos de ultima hora poderão se deparar com dificuldades de encontrar bancos que as financiem.

O fluxo de caixa visa focar o regime de caixa, não sendo aplicável o princípio da competência, por ser um instrumento gerencial, que controla a efetiva movimentação financeira da empresa, ele pode ser diário, semanal, mensal e anual. Para compor um (DFC), as empresas tem que seguir uma estrutura, essa estrutura tem que conter disponibilidade, atividade operacionais, atividades de investimentos, atividades de financiamentos.

Por ser um instrumento contábil legal, dando um contexto mais formal e rígido, os gestores utilizam como controle contábil nas entidades.

Para reforçar a necessidade do DFC, em dezembro de 2007 foi assinada a Lei 11.638 na qual determinou que a partir do exercício de 2008, os relatórios de fluxo de caixa passassem a ser um dos documentos de apresentação obrigatória pelas sociedades anônimas, inclusive pelas sociedades de capital fechado de grande porte.

Smith afirma (1994, p 42),

Os balanços expressam apenas as opiniões dos auditores, e não os fatos. Dinheiro é fato. Caixa é fato. Não se produz caixa com artifícios contábeis. Os investidores devem olhar para as empresas como olham os banqueiros. O que importa é o caixa. Se uma empresa reporta lucros elevados, mas não esta gerando caixa, ela pode não estar gerando lucro algum. É preciso ter mente que o que quebra uma empresa não é a falta de lucro; as empresas quebram por falta de caixa.

No mundo dos negócios, dinheiro é o denominador comum à maioria das transações. Sendo mais fácil entender de fluxo de caixa do que fluxo contábil. Assim não ter caixa para pagar os salários do mês traz mais prejuízo à empresa do que ter prejuízo contábil no mês.

docsity.com

Cada vez mais é observado que no processo de tomada de decisão, a utilização de uma ferramenta gerencial é essencial. E o DFC é provavelmente essa ferramenta que fará a diferença para as microempresas e empresas de pequeno porte no manejo acertado do seu caixa.

3 METODOLOGIA

A pesquisa a ser empregada será Bibliográfica/Exploratória, com procedimentos de análise do material de pesquisa para reflexões, crítica sobre os resultados obtidos. As indicações bibliográficas deverão obedecer às normas da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas). Faz-se necessário uma pesquisa de campo com um questionário para as microempresas e empresas de pequeno porte para verificação se os empresários donos destas empresas fazem uso das ferramentas apresentadas no projeto. As informações serão tabuladas e demonstradas em gráficos.

4 CRONOGRAMA

atividades |mar |abr |mai |jun |jul |ago |set |out |nov | |Criação do Desenho Teórico | |x |x | | | | | | | |Elaboração do Projeto de Pesquisa | | | |x |x | | | | | |Entrega do Projeto de Pesquisa | | | |x | | | | | | |Coleta de informações para a Monografia | | | | |x |x | | | | |Aplicação de instrumentos da Pesquisa de Campo | | | | | |x |x | | | |Processamento de informações coletadas | | | | | | |x | | | |Elaboração da primeira versão da Monografia | | | | | | |x |x | | |Revisão de Português | | | | | | | |x | | |Entrega ao Departamento | | | | | | | | |x | |Defesa da Monografia | | | | | | | | |x | |

5 REFERÊNCIAS

1 AZEVEDO, Osmar Reis. DFC e DVA: Demonstração dos fluxos de caixa e do Valor Adicionado. 1 ed. São Paulo: IOB, 2008.

2 FILHO, Ademar Campos. Demonstração dos Fluxos de Caixa: Uma Ferramenta Indispensável para Administrar sua Empresa. 1 ed. São Paulo: Atlas, 1999.

docsity.com

3 SÁ, Carlos Alexandre. Fluxo de Caixa: A visão da Tesouraria e da Controladoria. 2 ed. São Paulo: Atlas, 2008.

docsity.com

comentários (0)
Até o momento nenhum comentário
Seja o primeiro a comentar!
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Docsity is not optimized for the browser you're using. In order to have a better experience we suggest you to use Internet Explorer 9+, Chrome, Firefox or Safari! Download Google Chrome