Invertebrados - Apostilas - Biologia_Parte2, Notas de estudo de Biologia
Saloete
Saloete17 de Julho de 2013

Invertebrados - Apostilas - Biologia_Parte2, Notas de estudo de Biologia

PDF (26.5 KB)
5 páginas
509Número de visitas
Descrição
Apostilas de Biologia sobre o estudo dos Invertebrados, Características dos filos, Reprodução, Respiração, Exemplos, Estrutura, Desenho do animal correspondente
20pontos
Pontos de download necessários para baixar
este documento
baixar o documento
Pré-visualização3 páginas / 5
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Pré-visualização finalizada
Consulte e baixe o documento completo
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Pré-visualização finalizada
Consulte e baixe o documento completo

Oligoquetos: animais detritívoros que compõe o húmus. Escavam galerias e canais buscando alimento (restos vegetais) e abrigo. Têm a pele revestida de muco, são viscosas, pois fazem respiração cutânea, este auxilia o seu deslocamento e as protege de doenças. Sua reprodução se dá por fecundação cruzada e são hermafroditas. Ex: minhoca. Poliquetos: marinhos, ficam flutuando ou ainda no interior de tubos fabricados por eles mesmos, à base de calcário de restos de conchas e da areia. Apresentam muitas cerdas e a sua respiração é branquial. Ex: tubícola. Hirudíneos: alimentam-se de sangue de vertebrados. Vivem em regiões de pântanos ou charcos, isto é, em ambientes úmidos. Apresentam uma ventosa na região da boca além de uma mandíbula serrilhada. Não apresentam cerdas pelo corpo. Ex: sanguessuga.

Resumo Diagnose de um anelídeo: Animal de corpo metamerizado; triblásticos; celomado; sistema digestivo completo; simetria bilateral. Habitat: animais de vida livre, terrestres e de água doce ou salgada. Exemplos: Um oligoqueto terrestre bem conhecido é a minhoca-louca e a sanguessuga. Sistema digestivo: presente, completo (intestino com regiões diferenciadas – faringe, papo, moela e etc.) digestão extracelular. Sistema circulatório: presente, do tipo fechado (presença de vasos pulsáteis). Sistema respiratório: ausente (trocas gasosas ocorrem pela superfície corporal, bem irrigada de sangue). Sistema excretor: presente (excreção por meio de nefrídios). Sistema nervoso: presente (composto por uma nervosa ventral, com um par de gânglios por segmento). Reprodução: sexuada; existindo espécies monóicas e dióicas; em alguns casos o desenvolvimento é direto, e em outros existem estágios larvais.

6. Filo dos Moluscos

Os moluscos são animais de corpo mole, A maioria apresenta uma concha de calcário, com variedade de cores, formas e tamanhos e que normalmente são externas e algumas vezes podem ser internas. Os moluscos são também adaptados a todos os tipos de ambientes: terrestre e aquático. Seu corpo apresenta três partes: cabeça, pé e massa visceral, na cabeça ficam a boca e os olhos, o pé é uma forte massa usada para locomoção e fixação. As classes de moluscos são: Gastrópodes: apresentam uma única concha e seu corpo é mole, mas apresenta uma forte musculatura que o ajuda a se locomover. Seu sistema digestivo é bem desenvolvido e apresentam um par de tentáculos na cabeça com olhos nas pontas. A boca apresenta uma mandíbula e a rádula usada para ralar o alimento, seu pulmão é em forma de câmara. São exemplos de gastrópodes a lesmas, o caracol e o caramujo. Bivalves: Apresentam duas valvas interligadas por fortes músculos formando a sua concha, seu corpo mole fica protegido no interior destas valvas. Não apresentam cabeça e seu pé se expande para fora ou se recolhe completamente quando ele se fecha. São chamados de animais filtradores, já que retiram da água as partículas de alimento e o oxigênio que circula entre as suas brânquias. São exemplos mariscos, lepas e ostras. Cefalópodes: O aspecto de seu corpo justifica seu nome, os pés na cabeça. Apresenta uma concha interna no interior do corpo. A massa visceral é na realidade a cabeça e os pés são modificados em tentáculos. Estes animais se locomovem auxiliados pelo movimento da água que passa por um tubo ou sifão que fica junto à cabeça. São carnívoros e a sua respiração é branquial. Apresentam ventosas para fixação nos tentáculos. São exemplos o polvo, a lula, o Nautilus e o Argonauta.

Resumo Diagnose de um molusco: animais de mole, com ou sem concha; triblástico; cavidade corporal denominada celoma; sistema digestivo completo, com glândula digestiva anexa e simetria bilateral. Habitat: animais vida livre, terrestres de água doce ou salgada; raras formas parasitas têm larvas que vivem em guelras de peixes. Exemplos: mexilhão, lula, polvo e o caracol de jardim. Sistema digestivo: presente, completo (intestino com regiões diferenciadas com digestão extracelular e intracelular). Sistema circulatório: presente, do tipo aberto (com coração e vasos sanguíneos nos quais circulam o sangue) Sistema respiratório: presente (trocas gasosas ocorrem em órgãos especializados como as brânquias e os pulmões; sistema acoplado ao circulatório). Sistema excretor: presente (excreção por meio de nefrídios, estrutura especializada na remoção de resíduos). Sistema nervoso: presente (composto por três ou quatro pares de gânglios nervosos, ligados a nervos que afligem o corpo). Reprodução: sexuada; existindo espécies monóicas e dióicas em alguns casos o desenvolvimento é direto em outros existem estágios larvais.

7. Filo dos Artrópodes

Contém a maioria dos animais conhecidos, aproximadamente 1.000.000 de espécies, sendo muitas delas extremamente abundantes em número de indivíduos. O filo é um dos mais importante ecologicamente, pois domina os ecossistemas terrestres e aquáticos em número de espécies ou indivíduos ou em ambos. O corpo é segmentado externamente em graus diversos e as extremidades pares são articuladas, sendo diferentes em forma e função. São revestidos por um exoesqueleto de quitina. Seu sistema nervoso, olhos e outros órgãos sensitivos são proporcionalmente grandes e bem desenvolvidos. Este é o único grande filo de invertebrados com membros adaptados à vida terrestre, independente de ambientes úmidos, além de que os insetos são os únicos invertebrados capazes de voar. As diversas espécies são adaptadas a vida no ar, na terra, no solo e em água doce, salobra e salgada. Sua simetria é bilateral, apresentam sistema circulatório lacunar, respiram por brânquias, traquéias, pulmões ou pela superfície do corpo.

Têm glândulas especiais de excreção e sistema nervoso com gânglios dorsais. Os sexos são geralmente separados em macho e fêmea e a fecundação é geralmente interna, podem ser ovíparos e ovovivíparos, geralmente apresentam estágio de larva e sofrem metamorfose. A maioria dos zoólogos acredita que os artrópodos provavelmente surgiram de algum grupo primitivo de poliquetos. Há cinco principais classes de artrópodes, que estudaremos em seguida.

Insetos: Maior classe dos artrópodes com mais de 700 mil espécies. Apresentam um esqueleto externo (exoesqueleto) de quitina, sofrem muda (troca de esqueleto) conforme o crescimento, tem o corpo dividido em: cabeça, tórax e abdome e ainda 6 patas. Possuem um par de antenas, há dois pares de asas, mas espécies com um par ou ainda sem asas. Sofrem metamorfose, após a cópula e a fecundação, a fêmea deposita os ovos que se transformam em larvas, depois em pupas e no final na forma adulta do inseto. Sua respiração é traqueal, sendo esta ramificada pelo corpo. Seu aparelho circulatório é lacunoso (coração e câmaras). Seu aparelho bucal pode ser mastigador ou triturador, sugador, picador e lambedor. Eles têm grande importância ecológica e podem estar relacionados com a transmissão de doenças. Exemplos de insetos: pulga, mosca, barata, borboleta, abelha, besouro, formiga e pernilongo.

Aracnídeos: São artrópodes quelicerados e com um par de palpos. Seu corpo é dividido em cefalotórax e abdome, além dos 4 pares de pernas. Não apresentam asas e antenas. Seu desenvolvimento é direto, a maioria é peçonhenta e alguns são parasitas. Sua respiração é filotraqueal. São exemplos de aracnídeos: as aranhas, os escorpiões e os ácaros.

Crustáceos: São artrópodes geralmente aquáticos. Apresentam o corpo dividido em cefalotórax e abdome, este fica protegido por uma crosta de quitina e calcário que forma o exoesqueleto. Os microcrustáceos são de grande importância ecológica, pois formam o plâncton. Apresentam dois pares de antenas e vários pares de pernas, sendo algumas modificadas em forma de remos (birremes). Sofrem metamorfose, pois as fêmeas depositam seus ovos após a fecundação que irão se transformar em larvas e mudar até atingir a fase adulta. São exemplos de crustáceos: paguro, camarão, lagosta, lepa, siri e caranguejo.

Diplópodes e Quilópodes: São animais de corpo alongado e segmentado, isto é, dividido em segmentos ou anéis. Apresentam vários pares de patas e um par de antenas. Os quilópodes apresentam um par de patas por anel ou segmento, são animais mais velozes e apresentam forcípulas, um exemplo é a lacraia. Os diplópodes apresentam dois pares de pata por anel ou segmento, sua antena é menor e conseguem se enrolar, um exemplo é o piolho de cobra.

Resumo Diagnose de um artrópode: animal de patas articuladas e exoesqueleto quitinoso; corpo metamerizado; triblástico, celomado; sistema digestivo completo; simetria bilateral. Principais classes do filo: Crustáceos (crustáceos): dotados cefalotórax e abdome; dois pares de antenas e cinco pares de patas locomotoras. Insetos: corpo dividido em cabeça tórax e abdome; um par de antenas; três pares de patas locomotoras no tórax; sem apêndice abdominal; Aracnídeos: corpo dividido em cefalotórax e abdome; sem antena; quatro pares de patas locomotoras no cefalotórax; sem apêndice abdominal. Habitat: Crustáceos: animais de vida livre, a maioria vive nos ambientes aquáticos, de água doce e salgada; poucas formas terrestres, que precisam de muita umidade. Insetos: vive em todos os ambientes, estando ausente apenas no mar, são os únicos invertebrados capazes de voar.

Aracnídeos: a maioria terrestre, com poucos representantes aquáticos. Exemplos Crustáceos: camarão, lagosta, siri azul etc. Insetos: mosca domestica pernilongo e pulga etc. Aracnídeos: aranha, escorpião. Reprodução: Crustáceos: sexuada; espécies dióica, com copula; a fecundação ocorre externamente; o desenvolvimento pode ser direto ou apresentar diversos tipos de larvas. Insetos: sexuada espécie dióicas; com copula; a fecundação ocorre internamente; o desenvolvimento pode ser direto, indireto com metamorfose gradual ou indireto com metamorfose completa. Aracnídeos: sexuada espécie dióica; com copula a fecundação ocorre internamente, O desenvolvimento direto

8. Filo dos Equinodermos

Os equinodermos são todos marinhos, mas não nadam e não flutuam, eles se arrastam ou ficam fixos ao fundo ou em rochas. Apresentam espinhos recobertos por uma fina camada de pele. Assumem diferentes formas e tamanhos, apresentam simetria radial, isto é, seu corpo é dividido em duas metades idênticas. Sua locomoção se dá com o auxílio do sistema ambulacrário, que funciona com a pressão dá água que circula dentro de tubos que ficam interligados aos pés (encontrados aos pares). Sua respiração é branquial e seu esqueleto é formado por placas de calcário, sendo desta maneira bem resistente e desenvolvido. O sistema digestivo é bastante simples, havendo uma boca e o ânus. A reprodução se dá em animais de sexos diferentes, que liberam seus gametas masculinos e femininos na água (fecundação externa). Sistema excretor ausente. Sem cabeça, corpo disposto ao longo de um eixo oral-aboral. Todos são animais grandes e nenhum é parasita ou colonial. Existe uma considerável controvérsia quanto aos grupos do filo que seriam os mais primitivos. Alguns zoólogos dão preferência as formas sésseis, enquanto outros acreditam que os de vida livre teriam surgido primeiro. Os equinodermos têm cinco classes.

Asteróides: as estrelas do mar abundam em quase todas as costas marinhas, especialmente em praias rochosas e ao redor de pilares em portos. Várias espécies vivem desde linhas de mares até profundidades consideráveis. Seu corpo consiste em um disco central e braços afilados. Apresentam esqueleto externo de calcário e se locomovem através da circulação de água por seus pés ambulacrais.

Ofiuróides: Os ofiúros possuem cinco braços longos e finos e móveis, unidos em um disco central. Não apresentam ânus, apenas a boca. Por causa da sua aparência são também chamados de serpentes do mar.

Holoturóideis: Os pepinos do mar, também conhecidos como holotúrias, apresentam um comportamento diferente. Quando as condições estão ruins, ou mesmo quando estão sendo atacados, soltam parte de seu intestino e enquanto seu predador se ocupa com parte de seu sistema digestivo, ele foge.

Crinóides: Semelhantes a flores são chamados de lírios do mar. Normalmente ficam fixos em rochas ou mesmo no fundo da mar. Seu corpo é um pequeno cálice em forma de taça, de placas calcárias, ao qual estão presos cinco braços.

Equinóides: Seu esqueleto é interno e composto por calcário. Geralmente apresentam espinho em grande quantidade ao redor do corpo que auxiliam na sua locomoção e servem pra sua proteção contra predadores. Os ouriços do mar apresentam o tubo digestivo completo, com boca e ânus.

Resumo Diagnose de um Equinodermos: animais dotados de simetria radial quando adultos; celomados; esqueleto interno; sem metâmera; sistema digestivo completo; sistema circulatório, excretor e respiratório ausente ou reduzido. Habitat: animais de vida livre, exclusivamente marinho. Exemplos: são bem conhecidos ouriços-do-mar ou pindas, as estrelas e a corrupio ou bolachas-de-praia; Sistema digestivo: Presente, completo (intestino sem grandes diferenciações, com glândulas digestivas; digestão extracelular). Sistema circulatório: ausente (distribuição de substancias pelo fluido celômico) Sistema respiratório: ausente (trocas gasosas facilitadas pelo sistema hidrovascular) Sistema excretor: ausente (excreções diretamente na água) Sistema nervoso: presente (composto por um anel nervoso em torno da boca). Reprodução: sexuada; espécies dióicas; gametas eliminados na água, fecundação externa; desenvolvimento indireto, vários tipos de larvas.

.

comentários (0)
Até o momento nenhum comentário
Seja o primeiro a comentar!
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Docsity is not optimized for the browser you're using. In order to have a better experience we suggest you to use Internet Explorer 9+, Chrome, Firefox or Safari! Download Google Chrome