Mastocitoma Canino - Apostilas - Veterinária, Notas de estudo de . Centro Universitário de Caratinga (UNEC)
Roxana_Br
Roxana_Br27 de Fevereiro de 2013

Mastocitoma Canino - Apostilas - Veterinária, Notas de estudo de . Centro Universitário de Caratinga (UNEC)

PDF (137.0 KB)
4 páginas
666Número de visitas
Descrição
Apostilas do estudo de caso do mastocitoma canino. Descrição de espaços existentes na clínica veterinária, atividades exercidas, casos acompanhados.
20pontos
Pontos de download necessários para baixar
este documento
baixar o documento
Pré-visualização3 páginas / 4
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Pré-visualização finalizada
Consulte e baixe o documento completo
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Pré-visualização finalizada
Consulte e baixe o documento completo

Graduação em Medicina Veterinária

ACOMPANHAMENTO DE MÉDICO VETERINÁRIO EM CLÍNICA E CIRURGIA DE PEQUENOS ANIMAIS.

Descrição de espaços existentes na Clínica Veterinária

Sala de recepção

Consultório

Sala de cirurgias

Sala de Internação

Ala para animais com doenças virais

Sala de hospedagem

Espaço reservado para banho e tosa

Sala de Radiologia

Sala pós-operatória

4. Atividades exercidas

Cirurgia de pequenos animais

Raio-x

Banho e tosa

Limpeza de tártaro

docsity.com

Coleta de sangue, fezes, urina enviado para exame laboratorial

5. Casos acompanhados

Cadela mestiça de 8 anos com tumor de Sticker localizado na vagina apresentando caroços e hemorragia na região, cão em tratamento á 3 semanas com quimioterapia e está havendo melhoras.

Cadela Poodle de 7 anos, controle anual de vacina Octopla e foi realizada consulta rotina verificando o estado dos ouvidos, olhos , palpação das mamas, dentes e batimento cardíaco, o animal apresentava saudável.

Cadela poodle de 8 anos apresentando Otti e luxação na pata traseira direita, houve coleta de sangue para exame de leishmaniose, o animal foi medicado, retorno está marcado para após 15 dias , o proprietário aguarda resultado do exame laboratorial em cinco dias úteis.

Cão macho de raça indefinida com 5 anos apresentando falta de apetite , aumento da temperatura corporal e aumento do escroto com ferimento, a Médica Veterinária propôs a cirurgia de retira dos testículos e escroto pois se trata de Tumor (neoplasia escrotal).

6. Descrição de caso clínico acompanhado

O cão é um macho com 5 anos de idade, chamado Rex e de raça indefinida .

O proprietário ao observar que seu cão apresentava falta de apetite e aumentos do escroto com nódulo firme e ulcerádo procurou a clínica veterinária , a médica Drº Cíntia Amaral prescreveu antibiótico e antinflamatório por um período de 7 dias, no término do tratamento o cão retornou a clínica.

A médica Veterinária propôs uma cirurgia de castração com retirada do escroto.

Antes do inicio da cirurgia todo material foi esterilizado em estufa e os panos na autoclave.

docsity.com

O cão foi encaminhado a sala de cirurgia, primeiramente foi checada a temperatura corporal do animal, após aplicado sedativo e anestésico endovenoso, feita retirada de todo excesso de pêlo e desinfectação da região escrotal (figura-01), em seguida colocado no soro.

Antes do inicio da cirurgia feita a verificação dos reflexos, retirou-se os dois testículos(figura- 02) que apresentavam tamanho e aspectos normais, logo após foi então feita a retirada do escroto(figura-03 e 04), clampeou os vasos com Gatgut (absorvível pelo organismo) para estancar o sangue, após realizou-se procedimento de sutura dos tecidos internos(Gatgut) (figura-05) para diminuir o espaço morto, com pontos simples e contínuos. Em seguida foram dados pontos simples e separados na derme,material não-absorvível (figura-06).

Durante todos os procedimentos cirúrgicos os reflexos foram checados para possível necessidade de reaplicação de anestésico. Finalizando a cirurgia o escroto foi encaminhado para biopsia.

O animal foi encaminhado para a sala pós operatória que ficará em observação por 12 horas na clínica antes de ser dado alta e está com retorno marcado para após 7 dias, para verificar o estado clínico.

7. Justificativa do caso clínico escolhido

Ter acompanhado uma cirurgia interessante e abordada por vários pesquisadores que discutem e procuram saber o motivo do crescimento desorganizado de uma célula do corpo de um animal.

8. Desenvolvimento á partir de referência bibliográfica

Os tumores são mais comumente mastocitomas (MTC) ou melanomas, desconhece-se a causa dos MTC, embora já se tenha descrito que áreas cronicamente inflamadas estão em maior risco de desenvolvimento tumoral. Nos cães, 50% dos MTC são malignos , especialmente na áreas prepucial, inguinal e perineal, os mastocitomas não possuem nenhuma aparência distintiva, podem ser espessamente cutâneos salientes, imberbes, ulcerados, eritematosos, bem definidos e/ou difusos.

As ulceras podem causar anorexia, vômito, diarréias e/ou melena, a liberação de heparina e enzimas proteolíticas pode prolongar a coagulação e retardar a cicatrização de ferimentos após ressecção e os tumores que originam na pele tendem a ser benignos .

As neoplasias testiculares mais comuns são os sertolinomas, os tumores de células intersticiais e os seminomas, elas ocorrem com freqüência equivalente . Os tumores que envolvem testículos escrotais são geralmente benignos, enquanto os que envolvem testículos

docsity.com

criptorquídicos podem ser malignos, sendo que os tumores testiculares interferem na função testicular por invadirem ou comprimirem os túbulos seminíferos ou produzirem um excesso de testosterona por parte de um tumor de células intersticiais pode contrbuir para adenomas perianais, hérnias perineais e hiperplasias protáticas benignas.

Os tumores grandes podem causar distensão ou destruição da túnica, e seu crescimento pode se estender ao longo do cordão espermático, os sinais regridem com a castração e ablação escrotal.

9. Conclusão

Em todos procedimentos clínicos é fundamental a higiene, limpeza das instalações e instrumentos utilizados no processo cirúrgico.

O conhecimento, a habilidade e experiência foram fundamentais para o sucesso da cirurgia realizada.

10. Referências Bibliográficas

NELSON, Richard W. Medicina interna de pequenos animais. 2.ed. Rio de janeiro:cap.11, p. 897 á 904.

FOSSUM, Theresa wel. Cirurgia de pequenos animais.

REZENDE, Bárbara c.; DALGI, Maria l. Revista clínica veterinária. n.45,jul/ago,2003, p. 44 á 49.

docsity.com

comentários (0)
Até o momento nenhum comentário
Seja o primeiro a comentar!
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Docsity is not optimized for the browser you're using. In order to have a better experience we suggest you to use Internet Explorer 9+, Chrome, Firefox or Safari! Download Google Chrome