Mecanismo da contração muscular - Apostilas - Biologia, Notas de estudo de Biologia. Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)
Pao_de_acucar
Pao_de_acucar5 de Março de 2013

Mecanismo da contração muscular - Apostilas - Biologia, Notas de estudo de Biologia. Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)

PDF (375.1 KB)
3 páginas
1000+Número de visitas
Descrição
Apostilas e exercicios de Biologia sobre o estudo do mecanismo da contração muscular, resumo dos eventos da contração muscular.
20pontos
Pontos de download necessários para baixar
este documento
baixar o documento
V - PRINCPIOS DE ANATOMIA, HISTOLOGIA E FISIOLOGIA DO SISTEMA MUSCULAR

Capítulo 4: Parte 2 1

3 - MECANISMO DA CONTRAÇÃO MUSCULAR

A contração de um músculo resulta do encurtamento de suas fibras, o que por sua vez resulta do encurtamento dos filamentos de actina e miosina, que ativamente deslizam e se encaixa um entre o outro. Na fig.5.2b, a zona H representa apenas os filamentos de miosina, pois na fibra descontraída os miofilamentos de actina penetram parcialmente na faixa A. A linha Z corresponde a várias uniões entre dois filamentos de actina. O segmento entre duas linhas Z consecutivas é chamado de sarcômero e corresponde à unidade contrátil da fibra muscular. Durante a contração muscular o sarcômero diminui, devido à aproximação das duas linhas Z, e a zona H chega a desaparecer. Cada sarcômero pode contrair- se independentemente. Quando muitos sarcômeros se contraem juntos, eles produzem a contração do músculo como um todo. O retículo sarcoplasmático serve como local de reserva de íons Ca++, que participa do complexo molecular formado pela actina / miosina permitindo que ocorra a contração muscular. A célula muscular quando relaxada tem baixos níveis de cálcio no citoplasma. Quando um impulso nervoso estimula uma célula muscular, ocorre alterações na permeabilidade da membrana do retículo sarcoplasmático e o cálcio difunde-se para o citoplasma. No citoplasma, o cálcio forma um complexo com as proteínas contráteis permitindo a contração das miofibrilas uma vez cessado o estímulo, restabelece-se o sistema de transporte ativo do retículo sarcoplasmático e o excesso de Ca++ é "bombeado" para o interior do retículo, cessando assim a contração muscular.

A contração das fibras musculares esqueléticas é comandada por nervos motores, que se conectam com os músculos através das placas motoras ou junções mioneurais. Com a chegada do impulso nervoso, ocorre liberação de acetilcolina na fenda sináptica, que através da interação com seus receptores faz o sarcolema ficar mais permeável ao sódio, o que resulta em sua despolarização.

Uma fibra nervosa pode inervar uma única fibra muscular ou até 160 ou mais fibras musculares e formam uma unidade motora (fig. 5.3). A fibra muscular não é capaz de graduar sua contração, então as variações na força de contração do músculo são devidas às variações no número de unidades motoras mobilizadas (esquema 2).

Fig. 5.3 - Unidade motora - inclui mais fibras do que aparecem aqui; em média 150 fibras musculares cada.

docsity.com

Capítulo 4: Parte 2 2

ESQUEMA 1 - Resumo dos eventos da contração muscular

O impulso nervoso chega ao terminal nervoso e libera acelticolina

Acetilcolina combina com receptores na célula muscular

Membrana da célula muscular se despolariza

A despolarização leva a liberação de Ca++ do retículo sarcoplasmático para o citoplasma

Ca++ forma complexo com as proteínas contráteis

Os filamentos de actina /miosina se contraem, levando à diminuição do tamanho do sarcômero

(devido à aproximação de 2 linhas Z)

Muitos sarcômeros contraindo-se juntos levam à contração de todo o músculo

Os músculos esqueléticos produzem seu movimento puxando os tendões. Os tendões por sua vez puxam os ossos. Muitos músculos passam através de junções e são ligados aos ossos. A contração traz para perto ou afasta um osso daquele com o qual este articula.

Os músculos só podem puxar, não podem empurrar. Atuam antagonisticamente um ao outro; o movimento produzido por um pode ser revertido pelo outro. 0 bíceps, por exemplo, permite que flexionemos nosso braço, enquanto que o tríceps permite que o estendamos (figura 5.4).

docsity.com

Capítulo 4: Parte 2 3

Fig. 5.4 - Arranjo antagônico dos músculos bíceps e tríceps

Os principais músculos do corpo humano poderão ser vistos no laboratório e serão citados de acordo com o segmento corpóreo a que pertencem:

docsity.com

comentários (0)
Até o momento nenhum comentário
Seja o primeiro a comentar!
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Docsity is not optimized for the browser you're using. In order to have a better experience we suggest you to use Internet Explorer 9+, Chrome, Firefox or Safari! Download Google Chrome