Nebulosidade - Apostilas - Geografia, Notas de estudo de . Universidade Federal da Paraíba (UFPB)
Osvaldo_86
Osvaldo_864 de Março de 2013

Nebulosidade - Apostilas - Geografia, Notas de estudo de . Universidade Federal da Paraíba (UFPB)

PDF (163.2 KB)
5 páginas
1000+Número de visitas
Descrição
Apostila de geografia sobre o estudo da nebulosidade, formação, classificação, identificação, descrição e obsevação, conclusão.
20pontos
Pontos de download necessários para baixar
este documento
baixar o documento
Pré-visualização3 páginas / 5
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Pré-visualização finalizada
Consulte e baixe o documento completo
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Pré-visualização finalizada
Consulte e baixe o documento completo

NEBULOSIDADE

SUMÁRIO

INTRODUÇÃO 4

1 FORMAÇÃO 5

2 CLASSIFICAÇÃO 5,6

3 IDENTIFICAÇÃO,DESCRIÇÃO E OBSERVAÇÃO 7,8,9,10,11

CONCLUSÃO OU CONSIDERAÇÕES FINAIS 12

REFERÊNCIAS 13

INTRODUÇÃO

NEBULOSIDADE

Nebulosidade é um elemento meteorológico que traduz a fração da abóbada celeste que é ocupada por nuvens. Segundo as normas meteorológicas atuais, o céu é dividido em octas (ou décimas, dependendo da região) e, a partir do número de octas com cobertura total de nuvens, a nebulosidade é dividida em:

a) Céu limpo ou ensolarado: nenhum vestígio de nuvens (nenhuma octa encoberta).

b) Céu quase limpo: pelo menos uma octa está encoberta.

c) Céu pouco nublado: pelo menos duas octas encobertas;

d) Céu parcialmente nublado: pelo menos quatro octas (aproximadamente metade do céu) encobertas pelas nuvens;

e) Céu quase nublado: no mínimo seis octas encobertas.

d) Céu nublado: as oito octas estão totalmente encobertos pelas nuvens.

docsity.com

1 FORMAÇÃO

Concentração de nuvens que tem um efeito de barreira sobre a luz solar, ou seja, o número de dias por ano em que o céu está cheio de nuvens. A nebulosidade está inter-relacionada a evaporação, esta é importante para a formação das chuvas. A nebulosidade é também um fator do clima, pois a nuvens não deixam passar todos os raios solares refletidos pela superfície da terra e diminui a quantidade de calor que a crosta terrestre perde por irradiações. É por este motivo que nos dias de muita nebulosidade não faz tanto frio como nos dias com luz do sol.

Através da observação das nuvens podemos observar, ou identificar, as condições atmosféricas de determinado local, pois estas refletem em sua quantidade, forma e estrutura. Para que haja a formação de nuvens é necessário que parte do vapor d’água contido na atmosfera se condense, formando pequenas gotículas de água, ou solidifique, formando minúsculos cristais de gelo. A esta formação, ou aglomerado de cristais de gelo e gotículas damos o nome de nebulosidade.

2 CLASSIFICAÇÃO

Classificação internacional das nuvens (Descrição, altura, Altitude extensão vertical). A identificação das formas de nuvens baseia-se em definições especificas e descrições dadas no Atlas Internacional de Nuvens. As nuvens encontram-se num processo contínuo de evolução e aparecem numa variedade infinita de formas. É, no entanto, possível definir um número limitado de formas características, frequentemente observadas em todo o mundo, nas quais se podem agrupar, em linhas gerais, as nuvens que são:Cirros (Ci);Cirro cúmulos (Cc);Cirros tratos (Cs);Alto cúmulos (Ac);Altos tratos (As);Nimbostratos (Ns);Estrato cúmulos (Sc);Estratos (St);Cúmulos (Cu);Cumulo nimbo (Cb).

Esquematicamente, os dez gêneros podem representar-se segundo o quadro seguinte, agrupados em família e gênero:

3 IDENTIFICAÇÃO, DESCRIÇÃO E OBSERVAÇÃO

Cirros (Ci) - Nuvens isoladas - filamentos brancos e delicados - bancos ou faixas estreitas brancas ou quase brancas - aspecto fibroso ou sedoso.

docsity.com

Cirro cúmulos (Cc) - Banco, lençol ou cantada delgada de nuvens brancas, sem sombras próprias, constituídas por elementos muito pequenos em forma de grãos, de pregas, etc.; ligados ou não, e dispostos mais ou menos regularmente; a maioria dos elementos tem largura aparente inferior a um grau.

Cirro stratos (Cs) - Véu nebuloso transparente e esbranquiçado, de aspecto fibroso ou liso, que cobre total ou parcialmente o céu. Pode produzir fenômenos de halo.

Alto cúmulos (Ac) - Banco, lençol ou camada de nuvens brancas ou cinzentas, geralmente com sombras próprias, constituídas por lâminas, massas globulares, rolos, etc.; às vezes parcialmente fibrosos ou difusos, ligados ou não. A maioria dos elementos dispostos regularmente tem largura aparente entre um e cinco graus.

Alto stratos (As) - Lençol ou camada de nuvens acinzentadas ou azuladas de aspecto esfriado, fibroso ou uniforme, que cobre total ou parcialmente o céu, e tem porções suficientemente tênues para que se veja o Sol, pelo menos vagamente, corno através de vidro despolido. O alto stratos não produz fenômenos de halo.

Nimbo stratos (Ns) - Camada nebulosa cinzenta, muitas vezes sombria. O aspecto torna-se difuso pela queda mais ou menos contínua de chuva ou neve. É suficientemente espesso, em todos os pontos, para ocultar o Sol. Por baixo da camada existem frequentemente nuvens baixas esfarrapadas, ligadas ou não a ela.

Estrato cúmulos (Sc) - Banco, lençol ou camada de nuvens cinzentas ou esbranquiçadas, ou cinzentas e esbranquiçadas, quase sempre - com porções escuras, constituídas por massas em mosaico, glóbulos, rolos, etc.; de aspecto não fibroso (exceto quando vira), ligados ou não. A maioria dos pequenos elementos dispostos regularmente tem largura superior a 5 graus.

Estratos (St) - Camada nebulosa, geralmente cinzenta, de base bastante uniforme. Quando se vê o Sol através da camada, o contorno é nítido. Ás vezes os St apresentam-se em forma de bancos esfarrapados. A precipitação, quando existe, é sob a forma de chuvisco.

docsity.com

Cúmulos (Cu) - Nuvens isoladas, geralmente densas e de contornos nítidos. Desenvolvem-se verticalmente em forma de montículos, cúpulas, torres, etc.; cuja região superior parece muitas vezes uma couve-flor. As posições iluminadas pelo Sol são quase sempre de um branco brilhante, enquanto a base é realmente sombria, e sensivelmente horizontal. Estas nuvens (Cu) são, às vezes, esfarrapadas.

Cumulo nimbo (Cb) - Nuvem densa e forte, de grande extensão vertical, em forma de montanha ou enormes torres. A região superior, pelo menos em parte é, em regra lisa, fibrosa ou estriada, e quase sempre achatada. Esta parte espraia-se frequentemente em forma de bigorna ou grande penacho.

É possível prever o tempo em um determinado local, observando as nuvens?

Sim. Podemos ter uma idéia bastante aproximada em uma trilha apenas pela observação das condições atmosféricas. Mas, para tal, é necessário que tenhamos um mínimo de conhecimento das formações e suas implicações.

Partindo do início, para haver nuvens é preciso que haja vapor d'água na atmosfera para que esta se condense e forme minúsculos cristais de gelo.

O que devemos observar?

De primeira, a altura em que são formadas e a altura de sua base em relação ao solo. Quanto mais próxima ao solo e mais escura for a nuvem, maior probabilidade de chuvas.

Quais os tipos de nuvens mais comuns em região tropical?

CONCLUSÃO OU CONSIDERAÇÕES FINAIS

A importância da nebulosidade e visibilidade na meteorologia é registrar o comportamento da atmosfera livre, dada pela evolução do tempo em ventos de altitude, umidade, estabilidade, turbulência, etc. A nebulosidade é muito importante na aeronáutica, pois as rotas aéreas são baseadas nas informações sobre a qualidade e tipos de nuvem encontrados, suas estruturas e características perigosas. Erros relacionados ao instrumento e à leitura de tal. Para que represente melhor a realidade do momento da medição meteorológica, os instrumentos e a medida devem possuir certo grau de precisão, relacionados a erros sistemáticos, e acurácia,

docsity.com

relacionada a erros aleatórios. Um erro sistemático pode ocorrer a partir de uma calibração errônea do instrumento e um erro aleatório pode ocorrer a partir do não alinhamento da visada perpendicularmente á escala do instrumento (erro de paralaxe).

A finalidade da observação meteorológica é documentar as condições atuais da atmosfera e assim montar um histórico climatológico do local, colaborando na previsão do tempo, transporte aéreo, atividades agrícolas, defesa civil, poluição, etc.

A observação meteorológica deve ser feita com métodos objetivos que estejam amplamente justificados pelo conhecimento disponível sobre a física da atmosfera e que obedeçam a normas internacionais, para que tais dados coletados possam ser comparados com de outros lugares do mundo.

REFERÊNCIAS

* http://www.master.iag.usp.br/

* http://pt.shvoong.com

* http://www.biomania.com.br

* www.estacao.iag.usp.br/instrumentos

* http://www.fpcolumbofilia.pt

docsity.com

comentários (0)
Até o momento nenhum comentário
Seja o primeiro a comentar!
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Docsity is not optimized for the browser you're using. In order to have a better experience we suggest you to use Internet Explorer 9+, Chrome, Firefox or Safari! Download Google Chrome