Oferta e Demanda - Resumo - Economia, Notas de estudo de Economia. Universidade de São Paulo (USP)
Oscar_S
Oscar_S26 de Fevereiro de 2013

Oferta e Demanda - Resumo - Economia, Notas de estudo de Economia. Universidade de São Paulo (USP)

PDF (734.2 KB)
28 páginas
1000+Número de visitas
Descrição
Oferta e demanda, revisão dos conceitos básicos sobre a oferta e a demanda. Aplicações da teoria e situações reais.
20pontos
Pontos de download necessários para baixar
este documento
baixar o documento
Pré-visualização3 páginas / 28
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Pré-visualização finalizada
Consulte e baixe o documento completo
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Pré-visualização finalizada
Consulte e baixe o documento completo

O BÁSICO SOBRE A OFERTA E A DEMANDA

OBSERVAÇÕES PARA O PROFESSOR

Este capítulo apresenta uma revisão dos conceitos básicos sobre a oferta e a demanda que os alunos devem ter estudado no curso introdutório de economia. O tempo a ser gasto nesse capítulo depende do grau de profundidade da revisão que os alunos necessitam. O capítulo se diferencia da maioria dos livros-texto de microeconomia em nível intermediário no que se refere ao tratamento dos conceitos básicos de oferta e demanda, que são discutidos e ilustrados através da análise de alguns dos principais mercados mundiais (trigo, gasolina e automóveis). As aplicações da teoria a situações reais contribuem de forma significativa para a compreensão dos conceitos teóricos.

Os alunos costumam encontrar algumas dificuldades para compreender a análise de oferta e demanda. Uma das principais fontes de confusão refere-se à distinção entre movimentos ao longo da curva de demanda e deslocamentos da demanda. É importante discutir a hipótese de ceteris paribus, enfatizando que, ao representar uma função de demanda (através de um gráfico ou de uma equação), todas as demais variáveis são supostas constantes. Os movimentos ao longo da curva de demanda ocorrem apenas devido a mudanças no preço. Quando as demais variáveis mudam, a função de demanda se desloca. Pode ser útil discutir um exemplo em que a função de demanda dependa diretamente de outras variáveis além do preço do bem, tais como a renda e o preço de outros bens, de modo a mostrar aos alunos que essas outras variáveis efetivamente afetam a função de demanda, estando "escondidas" no intercepto da função de demanda linear. O Exemplo 2.9 trata de funções de demanda e oferta que dependem do preço de um produto substituto. Outra possível dificuldade dos alunos refere-se ao instrumental matemático envolvido na análise de oferta e demanda. Em particular, pode ser útil rever o método de solução de um sistema com duas equações e duas incógnitas. Cabe observar que esse é um bom momento para decidir o nível de formalização a ser utilizado em sala de aula; caso se opte pela utilização intensiva de álgebra e cálculo, é recomendável fazer uma revisão dessa matéria antes de prosseguir.

É importante enfatizar os aspectos quantitativos da curva de demanda através da distinção entre a quantidade demandada como função do preço, Q = D(P), e a função de demanda inversa, na qual o preço é função da quantidade demandada, P = D -1(Q). Dessa forma, a posição do preço no eixo-Y e da quantidade no eixo-X podem ficar mais claras.

docsity.com

Os estudantes também podem se perguntar de que forma o mercado se ajusta a um novo equilíbrio. Um mecanismo simples de ajustamento é o modelo de ajustamento parcial da teia de aranha, cuja apresentação (baseada no exemplo tradicional do ciclo do milho ou em qualquer outro exemplo) adiciona um certo realismo à discussão e agrada bastante aos estudantes. Caso se opte por escrever a função de demanda explicitamente em função da renda e dos preços de outros produtos, pode-se discutir alguns exemplos interessantes que explorem as inter-relações entre mercados ( em particular, a forma pela qual as mudanças em um mercado afetam o preço e a quantidade nos demais mercados.

Esse capítulo apresenta os conceitos de elasticidade-preço, elasticidade-renda e elasticidade cruzada; entretanto, pode-se postergar a discussão da elasticidade-renda e cruzada até o Capítulo 4, quando o tema da elasticidade da demanda será retomado. O conceito de elasticidade apresenta muitas dificuldades para os estudantes; por isso, é útil explicitar claramente as razões pelas quais uma empresa poderia estar interessada em estimar uma elasticidade. Para tanto, pode-se usar exemplos concretos, como um artigo do Wall Street Journal, publicado na primavera de 1998, em que se discutia de que forma o conceito de elasticidade podia ser usado pela indústria cinematográfica para cobrar preços diferentes para se assistir a filmes diferentes. Dado que os estudantes universitários costumam assistir a muitos filmes, esse é um exemplo que motiva bastante seu interesse. Cabe notar, por fim, que essa discussão pode ser adiada até o momento em que se discutirá o conceito de receita.

QUESTÕES PARA REVISÃO

1. Suponha que um clima excepcionalmente quente ocasione um deslocamento para a direita da curva de demanda de sorvete. Por que o preço de equilíbrio do sorvete aumentaria?

Suponha que a curva de oferta se mantenha inalterada. O clima excepcionalmente quente causa um deslocamento para a direita da curva de demanda, gerando, no curto prazo, um excesso de demanda ao preço vigente. Os consumidores competirão entre si pelo sorvete, pressionando o preço para cima. O preço do sorvete aumentará até que a quantidade demandada e a quantidade ofertada sejam iguais.

[pic]

Figura 2.1

docsity.com

2. Utilize as curvas de oferta e demanda para ilustrar de que forma cada um dos seguintes eventos afetaria o preço e a quantidade de manteiga comprada e vendida:

a. Um aumento no preço da margarina.

A maioria das pessoas considera a manteiga e a margarina bens substitutos. Um aumento no preço da margarina causará um aumento no consumo de manteiga, deslocando a curva de demanda de manteiga para a direita, de D1 para D2 na Figura 2.2.a. Esse deslocamento da demanda causará o aumento do preço de equilíbrio de P1 para P2 e da quantidade de equilíbrio de Q1 para Q2.

[pic]

Figura 2.2.a

b. Um aumento no preço do leite.

O leite é o principal ingrediente na fabricação da manteiga. Um aumento no preço do leite elevará o custo de produção da manteiga, deslocando a curva de oferta de manteiga para a esquerda, de S1 para S2 na Figura 2.2.b. Isso resultará em um preço de equilíbrio mais alto, P2, de modo a cobrir os custos mais elevados de produção, e a uma menor quantidade de equilíbrio, Q2.

[pic]

Figura 2.2.b

Observação: Dado que a manteiga é produzida a partir da gordura extraída do leite, a manteiga e o leite são, na verdade, produtos complementares. Levando em consideração tal relação, a resposta a essa questão será diferente. De fato, à medida que o preço do leite aumenta, a quantidade ofertada também aumenta. O aumento na quantidade ofertada de leite

docsity.com

implica maior oferta de gordura para a produção de manteiga e, portanto, um deslocamento da curva de oferta de manteiga para a direita. Conseqüentemente, o preço da manteiga cai.

c. Uma redução nos níveis de renda média.

Suponha que a manteiga seja um bem normal. Uma redução no nível de renda média causa um deslocamento da curva de demanda de manteiga de D1 para D2, causando a redução no preço de equilíbrio de P1 para P2, e na quantidade de equilíbrio de Q1 para Q2. Veja a Figura 2.2.c.

[pic]

Figura 2.2.c

3. Suponha que um aumento de 3% no preço de sucrilhos cause uma redução de 6% em sua quantidade demandada. Qual é a elasticidade da demanda de sucrilhos?

A elasticidade da demanda é a variação percentual na quantidade demandada dividida pela variação percentual no preço. A elasticidade da demanda de sucrilhos é [pic], que é maior (em valor absoluto) que -1,0 e, portanto, implica uma curva de demanda elástica.

4. Por que as elasticidades de longo prazo da demanda são diferentes das elasticidades de curto prazo? Considere duas mercadorias: toalhas de papel e televisores. Qual das duas é um bem durável? Você esperaria que a elasticidade-preço da demanda de toalhas de papel fosse maior a curto ou a longo prazo? Por quê? Como deveria ser a elasticidade-preço da demanda de televisores?

A diferença entre as elasticidades de curto e longo prazo de um bem é explicada pela velocidade com que os consumidores reagem a mudanças no preço e pelo número de bens substitutos disponíveis. O aumento no preço das toalhas de papel, um bem não-durável, levaria a uma reação pouco significativa dos consumidores no curto prazo. No longo prazo, porém, a demanda de toalhas de papel seria mais elástica, devido à entrada no mercado de novos produtos substitutos (tais como esponjas e toalhas de cozinha). Por sua vez, o aumento no

docsity.com

preço dos televisores, um bem durável, poderia levar a mudanças substanciais no curto prazo. Por exemplo, o efeito inicial do aumento no preço dos televisores poderia ser o adiamento das compras de novos aparelhos. Mais cedo ou mais arde, porém, os consumidores trocarão seus televisores antigos por aparelhos mais novos e modernos; logo, a demanda pelo bem durável deve ser mais elástica no longo prazo.

5. Explique por que, no caso de muitas mercadorias, a elasticidade-preço de longo prazo da oferta é maior do que a elasticidade de curto prazo.

A elasticidade da oferta é a variação percentual na quantidade ofertada dividida pela variação percentual no preço. Um aumento no preço leva à elevação da quantidade ofertada pelas empresas. Em certos mercados, algumas empresas são capazes de reagir rapidamente, e com custos baixos, a mudanças no preço; outras empresas, porém, não conseguem reagir com a mesma rapidez, devido a restrições de capacidade produtiva no curto prazo. As empresas com restrição de capacidade no curto prazo apresentam elasticidade da oferta mais baixa que as demais; entretanto, no longo prazo, todas as empresas conseguem aumentar sua produção, de modo que a elasticidade agregada de longo prazo tende a ser maior que n curto prazo.

6. Suponha que o governo regulamente os preços da carne bovina e do frango, tornando-os mais baixos do que seus respectivos níveis de equilíbrio de mercado. Explique por que ocorreria escassez dessas mercadorias e quais os fatores que determinarão a magnitude dessa escassez. O que deverá ocorrer com o preço da carne de porco? Explique resumidamente.

Quando o preço de um bem é fixado abaixo do nível de equilíbrio, a quantidade que as empresas estão dispostas a ofertar é menor do que a quantidade que os consumidores desejam adquirir. A magnitude do excesso de demanda depende das elasticidades relativas da demanda e da oferta. Se, por exemplo, ambas a oferta e a demanda são elásticas, a escassez é maior do que no caso de ambas serem inelásticas. Dentre os fatores que determinam tais elasticidades e, portanto, influenciam o excesso de demanda, cabe destacar a disposição dos consumidores a comer menos carne e a capacidade dos agricultores de mudar a quantidade produzida.

O racionamento é comum em situações caracterizadas por excesso de demanda, nas quais alguns consumidores não conseguem adquirir as quantidades desejadas. Os consumidores com demanda insatisfeita tentarão adquirir produtos substitutos, aumentando a demanda e os

docsity.com

preços de tais produtos. Assim, face à fixação dos preços da carne bovina e do frango abaixo do nível de equilíbrio, o preço da carne de porco deve aumentar.

7. Durante uma discussão sobre anuidades, uma funcionária da universidade argumenta que a demanda por vagas é completamente inelástica ao preço. Como prova disso, ela afirma que, embora a universidade tenha duplicado o valor das anuidades (em termos reais) nos últimos 15 anos, não houve redução nem no número, nem na qualidade dos estudantes que vêm se candidatando às vagas. Você aceitaria essa argumentação? Explique de forma resumida. (Sugestão: a funcionária faz uma afirmação a respeito da demanda por vagas, mas ela realmente está observando uma curva de demanda? O que mais poderia estar ocorrendo?)

Se a demanda é constante, a empresa individual (a universidade) pode determinar o formato da curva de demanda com que se defronta através de aumento de preço e análise das variações na quantidade vendida. A funcionária da universidade não está observando uma curva de demanda inteira, mas apenas o preço e a quantidade de equilíbrio nos últimos 15 anos. Se a demanda se desloca para cima, à medida que também a oferta se desloca para cima, a demanda poderia assumir qualquer valor. (Veja a Figura 2.7, por exemplo.) A demanda poderia estar se deslocando para cima pelo fato de que o valor do ensino universitário aumentou e os estudantes estão desejando pagar um preço alto por cada vaga. Seria necessária uma pesquisa de mercado mais extensa para se concluir que a demanda é completamente inelástica ao preço.

[pic]

Figura 2.7

8. Utilize os deslocamentos das curvas de oferta e demanda para ilustrar os efeitos dos eventos a seguir ocorridos no mercado de maçãs. Esclareça qual a direção da modificação ocorrida tanto no preço como na quantidade vendida.

a. Os cientistas descobrem que comer uma maçã por dia, de fato, evita doenças.

docsity.com

As pessoas demandarão mais maçãs, levando a um deslocamento para a direita da curva de demanda. O preço de equilíbrio das maçãs aumentará, assim como a quantidade de equilíbrio.

b. O preço das laranjas triplica.

Dado que as laranjas são substitutos prováveis para as maçãs, a curva de demanda de maçãs se deslocará para a direita. O preço de equilíbrio das maçãs aumentará, assim como a quantidade de equilíbrio.

c. A seca reduz a colheita de maçãs a um terço da quantidade normal.

A curva de oferta de maçãs se deslocará para a esquerda, fazendo com que o preço de equilíbrio aumente e a quantidade de equilíbrio diminua.

d. Milhares de estudantes universitários abandonam os estudos para se tornarem colhedores de maçãs.

O aumento da oferta de colhedores de maçãs levará a uma diminuição no custo de colocar maças no mercado. Esse custo mais baixo tem como conseqüência um deslocamento para a direita da curva de oferta de maçãs, causando uma queda no preço de equilíbrio e um aumento na quantidade de equilíbrio.

e. Milhares de estudantes universitários abandonam os estudos para se tornarem plantadores de maçãs.

Haveria um deslocamento da curva de oferta de maçãs para a direita, levando a uma diminuição do preço de equilíbrio a um aumento da quantidade de equilíbrio.

9. Suponha que curva de demanda de um produto seja dada por Q=10-2P+Ps, onde P é o preço do produto e Ps é o preço de um bem substituto. O preço do bem substituto é $2,00.

docsity.com

(a) Suponha P=$1,00. Qual é a elasticidade-preço da demanda? Qual é a elasticidade cruzada da demanda?

Primeiro, é preciso calcular a quantidade demandada ao preço de $1,00.

Q=10-2(1)+2=10.

Elasticidade-preço da demanda = [pic].

Elasticidade cruzada da demanda = [pic].

(b) Suponha que o preço do bem, P, aumente para $2,00. Agora, qual seria a elasticidade-preço da demanda, e qual seria a elasticidade cruzada da demanda?

Primeiro, é preciso calcular a quantidade demandada ao preço de $2,00:

Q=10-2(2)+2=8.

Elasticidade-preço da demanda = [pic].

Elasticidade cruzada da demanda = [pic].

10. Suponha que, em vez da redução na demanda suposta no Exemplo 2.7, um aumento no custo da produção de cobre leve a curva de oferta a se deslocar para a esquerda em 40%. O que ocorrerá com o preço do cobre?

docsity.com

Se a curva de oferta se desloca para a esquerda em 40%, então, a nova quantidade ofertada será 60% da quantidade ofertada original, a qualquer preço. Por conseguinte, a nova curva de oferta é

Q’ = 0,6(-4,5+16P) = -2,7+9,6P. Para calcular o novo preço de equilíbrio do cobre, considere a nova oferta igual a demanda, tal que -2,7+9,6P=13,5-8P. Resolvendo para o preço: P= $0,92 por libra para o novo preço de equilíbrio.

11. Suponha que a demanda por gás natural seja perfeitamente inelástica. Qual será o efeito, se houver algum, do controle de preços do gás natural?

Se a demanda por gás natural for perfeitamente inelástica, então, a curva de demanda será vertical. Os consumidores irão demandar uma determinada quantidade e pagarão qualquer preço por ela. Neste caso, um controle de preços não terá efeito sobre a quantidade demandada.

EXERCÍCIOS

1. Considere um mercado competitivo no qual as quantidades anuais demandadas e ofertadas a diversos preços sejam as que aparecem no esquema no final deste exercício:

|Preço |Demanda |Oferta |

|($) |(milhões) |(milhões) |

| 60 |22 |14 |

| 80 |20 |16 |

|100 |18 |18 |

|120 |16 |20 |

docsity.com

a. Calcule a elasticidade-preço da demanda quando o preço for $80 e também quando o preço for $100.

Sabemos que a elasticidade-preço da demanda pode ser calculada por meio da equação 2.1 expressa no livro:

[pic]

Com um aumento de $20 em cada preço, a quantidade demandada diminui em 2. Logo,

[pic]

Ao preço P = 80, a quantidade demandada é igual a 20 e

[pic]

Similarmente, ao preço P = 100, a quantidade demandada é igual a 18 e

[pic]

b. Calcule a elasticidade-preço da oferta quando o preço for $80 e também quando o preço for $100.

A elasticidade da oferta é dada por:

[pic]

docsity.com

Com um aumento de $20 em cada preço, a quantidade ofertada aumenta em 2. Logo,

[pic]

Ao preço P = 80, a quantidade ofertada é igual a 16 e

[pic]

Similarmente, ao preço P = 100, a quantidade ofertada é igual a 18 e

[pic]

c. Quais são o preço e a quantidade de equilíbrio?

O preço e a quantidade de equilíbrio são dados pelo ponto em que a quantidade ofertada é igual à quantidade demandada. Como vemos na tabela, o preço de equilíbrio é $100 e a quantidade de equilíbrio é 18 milhões.

d. Suponha que governo estabeleça um preço teto de $80. Haverá escassez? Em caso afirmativo, qual será sua dimensão?

Com um preço teto de $80, os consumidores desejam adquirir 20 milhões; entretanto, os produtores fornecerão apenas 16 milhões. Isso resultará em uma escassez de 4 milhões.

2. Considere o exemplo 2.4 sobre o mercado do trigo. No final de 1998, o Brasil e a Indonésia abriram seus mercados para os agricultores dos EUA (Fonte: http://www.fas.usda.gov/). Suponha que esses novos mercados tenham adicionado 200 milhões de bushels à demanda de

docsity.com

trigo dos EUA. Qual será o preço do trigo no livre mercado e que quantidade será produzida e vendida pelos agricultores dos EUA neste caso?

As seguintes equações descrevem o mercado do trigo em 1998:

QS = 1944 + 207P

e

QD = 3244 - 283P.

Se o Brasil e a Indonésia adicionassem 200 milhões de bushels à demanda de trigo dos EUA, a nova curva de demanda [pic] seria igual a QD + 200, ou

[pic] = (3244 - 283P) + 200 = 3444 - 283P.

Igualando a oferta à nova demanda, podemos determinar o novo preço de equilíbrio,

1944 + 207P = 3444 - 283P, ou

490P = 1500, ou P* = $3,06 por bushel.

Para calcular a quantidade de equilíbrio, substitua o preço na equação de oferta ou na de demanda:

QS = 1944 + (207)(3,06) = 2.577,67

e

QD = 3444 - (283)(3,06) = 2.577,67

docsity.com

3. Uma fibra vegetal é comercializada em um mercado mundial competitivo, e preço mundial é $9 por libra. Quantidades ilimitadas estão disponíveis para importação pelos EUA a este preço. A oferta e demanda domésticas dos EUA, para vários níveis de preço, são apresentadas abaixo.

|Preço |Oferta dos EUA |Demanda dos EUA |

| |(milhões lb.) |(milhões lb.) |

|3 |2 |34 |

|6 |4 |28 |

|9 |6 |22 |

|12 |8 |16 |

|15 |10 |10 |

|18 |12 |4 |

a. Qual é a equação da demanda? Qual é a equação da oferta?

A equação da demanda tem a seguinte especificação: Q=a-bP. Inicialmente, calculamos a inclinação, dada por

[pic]

Esse resultado pode ser verificado observando-se, na tabela, que sempre que o preço aumenta 3 unidades, a quantidade demandada cai 6 milhões de libras. Inserindo o valor calculado de b na equação, a demanda passa a ser Q=a-2P. Para determinar a, pode-se substituir Q e P por qualquer par de preço e quantidade demandada apresentado na tabela; por exemplo, Q=34=a-2*3, de modo que a=40 e a demanda é Q=40-2P.

A equação da oferta tem a especificação Q=c+dP. Inicialmente, calculamos a inclinação, dada por

docsity.com

[pic]

Esse resultado pode ser verificado observando-se, na tabela, que sempre que o preço aumenta 3 unidades, a quantidade ofertada aumenta 2 milhões de libras. Inserindo o valor calculado de d na equação, a oferta passa a ser [pic] Para determinar c, pode-se substituir Q e P por qualquer par de preço e quantidade ofertada apresentado na tabela; por exemplo, [pic] de modo que c=0 e a oferta é [pic]

b. Ao preço de $9, qual é a elasticidade-preço da demanda? E ao preço de $12?

Elasticidade da demanda para P=9 é [pic]

Elasticidade da demanda para P=12 é [pic]

c. Qual é o preço elasticidade da oferta ao preço de $9? E ao preço de $12?

Elasticidade da oferta para P=9 é [pic]

Elasticidade da oferta para P=12 é [pic]

d. Qual será o preço nos EUA e a quantidade de importações do país sob o livre mercado?

Na ausência de restrições ao comércio, o preço nos EUA será igual ao preço mundial, ou seja, P=$9. A esse preço, a oferta doméstica é 6 milhões de libras, enquanto que a demanda doméstica é 22 milhões de libras. Logo, as importações são de 16 milhões de libras, correspondentes à diferença entre demanda e oferta doméstica.

docsity.com

4. A agência de controle de aluguéis da cidade de Nova York descobriu que a demanda agregada é: QD = 100 - 5P, com a quantidade medida em dezenas de milhares de apartamentos e o preço correspondendo ao aluguel mensal médio expresso em centenas de dólares. A agência observou também que o aumento em Q para valores mais baixos de P é conseqüência de um maior número de famílias (de três pessoas) vindas de Long Island para a cidade, demandando apartamentos. A associação de corretores de imóveis da cidade reconhece que essa é uma boa estimativa da demanda, e apresenta a seguinte estimativa da oferta: QS = 50 + 5P.

a. Se a agência e a associação estiverem corretas a respeito da demanda e da oferta, qual será o preço do livre mercado? Qual será a variação da população da cidade caso a agência estabeleça um aluguel médio mensal máximo de $100 e todas as pessoas que não consigam encontrar um apartamento deixem a cidade?

Para calcular o preço do livre mercado de apartamentos, devemos igualar a oferta à demanda:

100 - 5P = 50 + 5P, ou P = $500,

pois o preço está medido em centenas de dólares. Inserindo o preço de equilíbrio na equação de oferta ou na de demanda, podemos determinar a quantidade de equilíbrio:

QD = 100 - (5)(5) = 75

e

QS = 50 + (5)(5) = 75.

Observa-se que, para um aluguel de $500, são alugados 750.000 apartamentos.

Se a agência de controle de aluguéis fixar o aluguel em $100, a quantidade ofertada será de 550.000 (QS = 50 + (5)(1) = 55), que corresponde a uma redução de 200.000 apartamentos em relação ao equilíbrio de livre mercado. (Supondo três pessoas por apartamento, isso implicaria uma perda de 600.000 pessoas.) Para o aluguel de $100, a demanda de apartamentos é de

docsity.com

950.000 unidades; logo, verifica-se uma escassez de 400.000 unidades (950.000-550.000). A população da cidade diminuirá em apenas 600.000 pessoas, em decorrência da queda no número de apartamentos de 750.000 para 550.000, ou 200.000 apartamentos com três pessoas.

[pic]

Figura 2.4

b. Suponha que a agência ceda às solicitações da associação, estabelecendo um aluguel mensal de $900 para todos os apartamentos a fim de permitir aos proprietários uma taxa de retorno “razoável”. Se 50% de qualquer aumento na oferta de apartamentos de longo prazo surgir a partir de novas construções, quantos apartamentos terão sido vendidos?

Ao preço do aluguel de $900, a oferta de apartamentos será 50 + 5(9) = 95, ou 950.000 unidades, que corresponde a um aumento de 200.000 unidades em relação ao equilíbrio de livre mercado. Logo, (0,5)(200.000) = 100.000 unidades seriam construídas. Cabe ressaltar, porém, dada uma demanda de apenas 500.000 unidades, 400.000 unidades não seriam alugadas.

5. Grande parte da demanda de produtos agrícolas dos EUA vem de outros países. No Exemplo 2.4, a demanda agregada é Q = 3244 - 283P. Sabemos também que a demanda doméstica é Qd = 1700 - 107P e a oferta doméstica é QS = 1944 + 207P. Suponha que a demanda por exportação de trigo sofra uma queda de 40%.

a. Os agricultores norte-americanos estão preocupados com essa queda na demanda de exportação. O que deve acontecer com o preço do trigo dos EUA sob o livre mercado? Os agricultores têm razão de estar preocupados?

Dada a demanda agregada, Q = 3244 - 283P, e a demanda doméstica , Qd = 1700 - 107P, podemos obter a demanda de exportação por resíduo, Qe = 1544 - 176P.

O preço de equilíbrio inicial é obtido igualando-se a demanda agregada à oferta:

docsity.com

3244 - 283P = 1944 + 207P, ou

P = $2,65.

O melhor procedimento para tratar da queda da demanda de exportação em 40% é supor que a curva de demanda de exportação gira para baixo e para a esquerda em torno do intercepto vertical, de modo que a demanda diminui 40% para todos os preços, e o preço de reserva (o preço máximo que o país estrangeiro está disposto a pagar) não se altera. Se a curva de demanda se deslocasse para baixo e para a esquerda paralelamente à curva original, o efeito sobre o preço e a quantidade seria o mesmo em termos qualitativos, mas seria diferente em termos quantitativos.

A nova demanda de exportação é 0,6Qe=0,6(1544-176P)=926,4-105,6P. Graficamente, a demanda de exportação girou em torno do intercepto, conforme ilustrado na figura 2.5a abaixo:

[pic]

Figura 2.5a

A demanda total passa a ser

QD = Qd + 0,6Qe = 1700 - 107P + (0,6)(1544 - 176P) = 2626,4 – 212,6P.

Igualando oferta agregada e demanda agregada,

1944 + 207P = 2626,4 – 212,6P, ou

P = $1,63,

docsity.com

que corresponde a uma redução significativa do preço de mercado em relação ao preço de equilíbrio original de $2,65 por bushel. A esse preço, a quantidade de equilíbrio é 2280,65 milhões de bushels. A receita total diminuiu de $6614,6 milhões para $3709,0 milhões. A maioria dos agricultores estaria preocupada.

b. Agora, suponha que o governo dos EUA queira adquirir anualmente uma quantidade de trigo que seja suficiente para elevar seu preço até o nível de $3,50 por bushel. Com essa queda na demanda da exportação, qual seria a quantidade de trigo que o governo teria que comprar a cada ano? Quanto isto custaria ao governo?

Para o preço de $3,50, o mercado não está em equilíbrio. As quantidades demandadas e ofertadas são

QD = 2626,4-212,6(3,5)=1882,3, e

QS = 1944 + 207(3,5) = 2668,5.

O excesso da oferta é, portanto, 2668,5-1882,3=786,2 milhões de bushels. O governo deve adquirir essa quantidade manter o preço em $3,5, e gastará $3,5(786,2 milhões) = $2751,7 milhões por ano.

6. Em 1998, os americanos fumaram 470 bilhões de cigarros. O preço médio no varejo era de $2 por maço. Estudos estatísticos mostraram que a elasticidade-preço da demanda é –0,4, e a elasticidade-preço da oferta é 0,5. Utilizando essa informação, derive as curvas de demanda e de oferta lineares para o mercado de cigarros.

Seja a curva de demanda Q=a+bP e a curva de oferta Q=c+dP, onde a, b, c, e d são as constantes que você tem que calcular dadas as informações acima. Para começar, lembre-se da fórmula da elasticidade-preço da demanda

docsity.com

[pic]

São fornecidos os valores da elasticidade, de P, e de Q, o que significa que você pode resolver para a inclinação, que é b, na fórmula da curva de demanda acima.

[pic]

Para calcular a constante a, insira os valores de Q, P, e b na fórmula acima tal que 470=a- 94*2 e a=658. A equação da demanda é, portanto, Q=658-94P. Para encontrar a curva de oferta, lembre-se da fórmula da elasticidade da oferta e prossiga como acima:

[pic]

Para calcular a constante c, insira os valores de Q, P, e d na fórmula acima tal que 470=c+117,5*2 e c=235. A equação da oferta é, portanto, Q=235+117,5P.

7. No Exemplo 2.7 vimos os efeito de uma diminuição de 20% na demanda de cobre sobre o seu preço, utilizando curvas de oferta e de demanda lineares que foram desenvolvidas na Seção 2.6. Suponha que a elasticidade-preço a longo prazo para a demanda do cobre fosse de –0,4 em vez de –0,8.

a. Mantendo a premissa anterior de que o preço e a quantidade de equilíbrio são P* = $0,75 por libra e Q* = 7,5 milhões de toneladas métricas por ano, derive uma curva de demanda linear que seja consistente com a elasticidade, agora, menor.

Seguindo o método mostrado na Seção 2.6, resolvemos para a e b na equação de demanda QD = a - bP. Primeiro, sabemos que para a função de demanda linear [pic]. Aqui, ED = -0,4 (a elasticidade-preço a longo prazo), P* = 0,75 (o preço de equilíbrio), e Q* = 7,5 (a quantidade de equilíbrio). Resolvendo para b,

docsity.com

[pic], ou b = 4.

Para encontrar o intercepto, inserimos os valores de b, QD (= Q*), e P (= P*) na equação de demanda:

7,5 = a - (4)(0,75), ou a = 10,5.

A equação de demanda linear consistente com a elasticidade- preço a longo prazo –0,4 é, portanto,

QD = 10,5 - 4P.

b. Utilizando essa curva de demanda, recalcule o efeito de uma queda de 20% na demanda do cobre sobre o seu preço.

A nova demanda é 20% menor do que a original (utilizando nossa convenção de que a quantidade demandada é reduzida em 20% para qualquer preço):

[pic][pic].

Igualando isso à oferta,

8,4 – 3,2P = -4,5 + 16P, ou

P = 0,672.

Com a queda de 20% na demanda, o preço do cobre cai para $ 0,672 por libra.

docsity.com

8. O Exemplo 2.8 analisa o mercado mundial de petróleo. Utilizando os dados fornecidos neste exemplo,

a. Mostre que as curvas da demanda a curto prazo e da oferta competitiva a curto prazo podem realmente ser expressas por

D = 24,08 – 0,06P

SC = 11,74 + 0,07P.

Primeiro, considerando a oferta dos países não membros da OPEP:

Sc = Q* = 13.

Com ES = 0,10 e P* = $18, ES = d(P*/Q*) implica d = 0,07.

Inserindo os valores de d, Sc, e P na equação de oferta, c = 11,74 e Sc = 11,74 + 0,07P.

Similarmente, dado que QD = 23, ED = -b(P*/Q*) = -0,05, e b = 0,06. Inserindo os valores de b, QD = 23, e P = 18 na equação de demanda, temos 23 = a – 0,06(18), tal que a = 24,08.

Portanto, QD = 24,08 – 0,06P.

b. Mostre que as curvas da demanda a longo prazo e da oferta competitiva a longo prazo podem realmente ser expressas por

docsity.com

D = 32,18 – 0,51P

SC = 7,78 + 0,29P.

Como acima, ES = 0,4 e ED = -0,4: ES = d(P*/Q*) e ED = -b(P*/Q*), implicando 0,4 = d(18/13) e –0,4 = -b(18/23). Então, d = 0,29 e b = 0,51.

Em seguida, resolva para c e a:

Sc = c + dP e QD = a - bP, implicando 13 = c + (0,29)(18) e 23 = a - (0,51)(18).

Então, c = 7,78 e a = 32,18.

c. No final dos anos 90, a Arábia Saudita, membro da OPEP, era responsável pela produção de 3 bilhões de barris de petróleo por ano. Suponha que uma guerra ou revolução levasse a Arábia Saudita a parar a produção de petróleo. Utilize o modelo acima para calcular o que aconteceria com o preço do petróleo no curto e no longo prazo se a produção da OPEP diminuísse em 3 bilhões de barris por ano.

Com a oferta da OPEP reduzida de 10 bb/ano para 7 bb/ano, insira essa oferta menor, de 7 bb/ano, nas equações de oferta de curto e de longo prazo:

Sc( = 7 + Sc = 11,74 + 7 + 0,07P = 18,74 + 0,07P e S( = 7 + Sc = 14,78 + 0,29P.

Essas são equacionadas com a demanda de curto e de longo prazo tal que:

18,74 + 0,07P = 24,08 – 0,06P,

docsity.com

implicando que P = $41,08 no curto prazo; e

14,78 + 0,29P = 32,18 - 0,51P,

implicando que P = $21,75 no longo prazo.

9. Considere o Exemplo 2.9, que analisa os efeitos do controle de preços do gás natural.

a. Utilizando os dados disponíveis no exemplo, mostre que as seguintes curvas de oferta e de demanda realmente descreviam o mercado em 1975:

Oferta: Q = 14 + 2PG + 0,25PO

Demanda: Q = -5PG + 3,75PO

onde PG e PO são os preços do gás natural e do petróleo, respectivamente. Verifique também que, se o preço do petróleo for $8,00, essas curvas implicariam um preço de $2,00 para o gás natural no livre mercado.

Para resolver este problema, nós aplicamos a análise feita na Seção 2.6 à definição de elasticidade cruzada da demanda dada na Seção 2.4. Por exemplo, a elasticidade cruzada da demanda por gás natural com relação ao preço do petróleo é:

[pic]

[pic] é a mudança na quantidade de gás natural demandada, devido a uma pequena mudança no preço do petróleo. Para as equações de demanda lineares, [pic] é constante. Se representamos a demanda:

docsity.com

QG = a - bPG + ePO

(observe que a renda é mantida constante), então [pic] = e. Inserindo na fórmula da elasticidade cruzada, [pic], onde [pic] e [pic] são o preço e a quantidade de equilíbrio. Sabemos que [pic] = $8 e [pic] = 20 trilhões de pés cúbicos (Tpc). Resolvendo para e,

[pic], ou e = 3,75.

Similarmente, se a forma geral da equação de oferta é representada por:

QG = c + dPG + gPO,

a elasticidade cruzada da oferta é [pic], que sabemos ser 0,1. Resolvendo para g,

[pic], ou g = 0,25.

Os valores para d e b podem ser calculados utilizando as equações 2,5a e 2,5b dadas na Seção 2.6. Sabemos que ES = 0,2, P* = 2, e Q* = 20. Logo,

[pic], ou d = 2.

Também, ED = -0,5, então,

[pic], ou b = -5.

Inserindo esses valores de d, g, b, e e em nossas equações de oferta e de demanda lineares, podemos resolver para c e a:

20 = c + (2)(2) + (0,25)(8), ou c = 14,

e

20 = a - (5)(2) + (3,75)(8), ou a = 0.

docsity.com

Se o preço do petróleo for $8,00, essas curvas implicam um preço de $2,00 no mercado livre de gás natural. Insira o preço do petróleo nas curvas de oferta e de demanda para a verificação dessas equações. Depois, iguale uma curva à outra e resolva para o preço do gás.

14 + 2PG + (0,25)(8) = -5PG + (3,75)(8), 7PG = 14, ou

PG = $2,00.

b. Suponha que o preço regulamentado em 1975 para o gás fosse de $1,50 por mil pés cúbicos, em vez de $1,00. Qual teria sido a dimensão do excesso de demanda?

Com o preço regulamentado de $1,50 para o gás natural e o preço do petróleo igual a $8,00 por barril,

Demanda: QD = (-5)(1,50) + (3,75)(8) = 22,5, e

Oferta: QS = 14 + (2)(1,5) + (0,25)(8) = 19.

Com a oferta de 19 Tpc e a demanda de 22,5 Tpc, haveria um excesso de demanda de 3,5 Tpc.

c. Suponha que o mercado de gás natural não tivesse sido regulamentado. Se o preço do petróleo subisse de $8 para $16, O que teria ocorrido com o preço do gás no mercado livre?

Se o preço do gás natural não tivesse sido regulamentado e o preço do petróleo subisse de $8 para $16, então,

Demanda: QD = -5PG + (3,75)(16) = 60 - 5PG, e

Oferta: QS = 14 + 2PG + (0,25)(16) = 18 + 2PG.

docsity.com

Igualando a oferta e a demanda e resolvendo para o preço de equilíbrio,

18 + 2PG = 60 - 5PG, ou PG = $6.

O preço do gás natural teria triplicado de $2 para $6.

10. A tabela abaixo mostra o preço no varejo e as vendas de café instantâneo e café torrado para 1997 e 1998.

| |Preço no varejo de café |Vendas de café |Preço no varejo de café |Vendas de café torrado |

| |instantâneo |instantâneo |torrado | |

| | | | | |

|Ano |($/lb.) |(milhões lb.) |($/lb.) |(milhões lb.) |

|1997 |10,35 |75 |4,11 |820 |

|1998 |10,48 |70 |3,76 |850 |

a. Utilizando esses dados, estime a elasticidade-preço da demanda a curto prazo para café torrado. Derive, também, a curva de demanda linear para café torrado.

Para calcular a elasticidade, deve-se, primeiro, estimar a inclinação da a curva de demanda:

[pic].

Sabendo a inclinação, podemos, então, estimar a elasticidade utilizando os dados de preço e quantidade mostrados na tabela acima. Dado que se presume que a curva de demanda seja

docsity.com

linear, a elasticidade será diferente em 1997 e 1998, porque o preço e a quantidade são diferentes. Você pode calcular a elasticidade nos dois anos e no ponto médio entre os dois anos:

[pic]

Para derivar a curva de demanda de café torrado, observe que a inclinação da curva de demanda é –85,7=-b. Para encontrar o coeficiente a, utilize qualquer um dos pontos da tabela acima de modo a obter a=830+85,7*4,11=1172,3 ou a=850+85,7*3,76=1172,3. A equação da curva de demanda é, portanto,

Q=1172,3-85,7P.

b. Agora, estime a elasticidade-preço da demanda a curto prazo de café instantâneo. Derive a curva de demanda linear de café instantâneo.

Para calcular a elasticidade, deve-se estimar, primeiro, a inclinação da a curva de demanda:

[pic].

Sabendo a inclinação, podemos, então, estimar a elasticidade utilizando os dados de preço e quantidade mostrados na tabela acima. Dado que se presume que a curva de demanda seja linear, a elasticidade será diferente em 1997 e 1998, porque o preço e a quantidade são diferentes. Você pode calcular a elasticidade nos dois anos e no ponto médio entre os dois anos:

[pic]

Para derivar a curva de demanda de café instantâneo, observe que a inclinação da curva de demanda é -38,5=-b. Para encontrar o coeficiente a, utilize qualquer um dos pontos da tabela acima de modo a obter a=75+38,5*10,35=473,1 ou a=70+38,5*10,48=473,1. A equação da curva de demanda é, portanto,.

docsity.com

Q=473,1-38,5P.

c. Qual dos dois cafés possui a elasticidade-preço da demanda a curto prazo mais elevada? Por que você acha que isso acontece?

O café instantâneo é significativamente mais elástico do que o café torrado. Na verdade, a demanda por café torrado é inelástica e a demanda por café instantâneo é elástica. O café torrado pode ter uma demanda inelástica no curto prazo, pois muitas pessoas consideram o café um bem necessário. Por outro lado, o café instantâneo pode ser visto, por muitos, como um substituto conveniente, mas imperfeito, para o café torrado. Dado o preço mais elevado, por libra, do café instantâneo e a preferência de muitos consumidores por café torrado, a demanda por este será menos elástica do que a demanda por café instantâneo. Observe, também que o café torrado é um bem de luxo; sua demanda se encontra à direita da demanda por café instantâneo. Isso levará a demanda por café torrado a ser mais inelástica, pois, qualquer que seja o preço, a quantidade demandada será maior para café torrado do que para café instantâneo. Essa diferença de quantidade será grande o suficiente para compensar a diferença na inclinação das duas curvas de demanda.

docsity.com

comentários (0)
Até o momento nenhum comentário
Seja o primeiro a comentar!
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Docsity is not optimized for the browser you're using. In order to have a better experience we suggest you to use Internet Explorer 9+, Chrome, Firefox or Safari! Download Google Chrome