Osteoporose - Apostilas - Reumatologia, Notas de estudo de . Faculdade Medicina Estadual (ISEP)
Tucupi
Tucupi11 de Março de 2013

Osteoporose - Apostilas - Reumatologia, Notas de estudo de . Faculdade Medicina Estadual (ISEP)

PDF (113.0 KB)
3 páginas
713Número de visitas
Descrição
Apostilas de Reumatologia sobre o estudo da osteoporose, definição, fraturas, Diagnóstico, fatores de risco.
20pontos
Pontos de download necessários para baixar
este documento
baixar o documento

Osteoporose

– Doença esquelética mais comum, caracterizada pela perda da resistência óssea (densidade + qualidade óssea) capaz de levar a um aumento do risco de fraturas;

Baixa densidade mineral óssea (Osteopenia) - Não indica risco de fratura;

– Densidade mineral óssea (DMO): - Medido pela densitomeria óssea - Boa relação com o risco de fratura

– Qualidade óssea: - Turn-over, arquitetura, microarquitetura, dano acumulado, matriz, mineralização

– Fratura por fragilidade - São aquelas por baixos impacto ou queda da própria altura (exceto dígitos)

– Formação óssea depende de sexo, raça, exercícios físicos, alimentação e exposição solar;

– Perda óssea ocorre em função de sexo (menopausa), alimentação, exercícios físicos, drogas, doenças, idade;

– Clínica: assintomática;

– Fraturas: * Vertebrais: 1/3 sintomáticas, Dor, Compressão neurológica, Cifose com distúrbios ventilatórios, Redução da altura * Ossos longos: - Colles (50-60 anos) -Quadril (70-80 anos) – Cirurgias – TEP – Infecções - Mortalidade 40% ( = CA de mama!); * Queda qualidade de vida: - Depressão - Dependência FRATURAS PREDIZEM FRATURAS!

– Diagnóstico de Osteoporose: - fraturas por fragilidade - densitometria óssea > DMO - biópsia óssea

*Por quê avaliar DMO? - correlação com risco de fraturas!

Mulheres pós-menopausa Homens > 50 anos

- correlação com biomarcadores ósseos - monitorar terapia

*Biomarcadores- Monitorização (CTX sérico) - Marcam OP de alto ou baixo turn-over - Boa correlação com risco de fratura* - Investigação OP secundária

# Densitometria Óssea: - tubo RX (dupla energia) vs detector. - quantidade radiação mínima.

- acurácia e precisão. - BMD > g/cm2 .

*risco de fratura: - T- score (adultos jovens) - Z- score (mesma idade)

docsity.com

> desvios-padrão (banco dados internacional) - contra-indicação > gestação.

Crítério para diagnóstico de OP

Diagnóstico T Score

Normal ≥ -1,0 SD

Osteopenia - 1,0 até -2,5 SD

Osteoporose ≤ 2,5 SD

Osteoporose Severa ≤ 2,5 SD com fratura por fragilidade

Risco de fratura (densitometria óssea) + riscos clínicos = tratamento

# Fatores de risco *Maiores -Idade - Fratura prévia - Baixo peso (<58kg) - Corticoterapia - História familiar fratura quadril - Tabagismo - Alcoolismo - Artrite reumatoide

# Tratamento: Objetivo - reduzir risco de fraturas]

• Medidas gerais - Dieta - Exercícios (c/ exposição solar) 30 min / 3x / semana > BMD e RRF idosas Caminhada / carga leve ou moderada Redução do risco de queda por ganho de força muscular - Interrupção do tabagismo - Evitar drogas que afetem a massa óssea

• Cálcio 1500mg/dia (mulheres menopausadas e homens idosos) cálcio elementar Doses divididas, junto às refeições

• Vitamina D Aumenta a captação de Ca++; reduz PTH Mínimo 800 UI / dia Cálcio + Vitamina D → reduz fratura → Indicação de medidas farmacológicas: Mulher pós-menopausa + Tscore + fator de risco

Tratamento - NOF

T score < - 2,5

T score < -2,0 + fator de risco

docsity.com

Fatores de risco para fraturas

Fratura prévia

Glicocorticóides

Idade

IMC

* Bisfosfonatos Alendronato: 10mg/dia ou 70mg/semana Risendronato 5mg/dia ou 35mg/semana Ibandronato 150mg/mês ou 3mg IV/3 meses Ácido Zolêndronico 5mg IV/ ano

*SERMs :(moduladores seletivos do receptor de estrogênios) > primeira linha; anti-catabólicos Raloxifeno e tamoxifeno

*Terapia Hormonal Efetivo anti-catabólico Paraefeitos cardiovasculares > sint. Menopausa

*PTH Anabólico quando administrado intermitentemente Tereparatida (fração recombinante 1-34) 20mcg/dia Ação osteoblástica (posteriormente osteoclástica) Tratamento 18-24 meses > osteossarcoma? Efeito qualitativo superior*, BMD*, redução fraturas Indicação: OP grave, falhas ou intolerância outros tto

# Acompanhamento

*Exames de base: DO e marcadores biológicos - DO estável ou ganho BMD = 1 – 2 anos (MVS !!!) - Marcadores (CTX sérico) redução 50% em 6m - 50% má aderência (doença assintomática) -15 % falha com alendronato ou estrógeno

***Atenção homens! - Pouco tratados - Maior mortalidade

docsity.com

comentários (0)
Até o momento nenhum comentário
Seja o primeiro a comentar!
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Docsity is not optimized for the browser you're using. In order to have a better experience we suggest you to use Internet Explorer 9+, Chrome, Firefox or Safari! Download Google Chrome