Pedagogia da Natação - Trabalho - Educação Fisica, Notas de estudo de . Centro Universitário de Brasília (UniCEUB)
Homer_JS
Homer_JS27 de Fevereiro de 2013

Pedagogia da Natação - Trabalho - Educação Fisica, Notas de estudo de . Centro Universitário de Brasília (UniCEUB)

PDF (268.1 KB)
9 páginas
1000+Número de visitas
Descrição
Trabalho sobre a evolução das técnicas utilizada para o aprendizado e alguns dos métodos utilizados para fundamentar um programa de ensino de natação para crianças.
20pontos
Pontos de download necessários para baixar
este documento
baixar o documento
Pré-visualização3 páginas / 9
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Pré-visualização finalizada
Consulte e baixe o documento completo
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Pré-visualização finalizada
Consulte e baixe o documento completo

1 - Introdução

O nadar é entendido como qualquer ação motora que o individuo realiza intencionalmente para se deslocar em meio líquido. Esse conceito faz com que não nos prendemos apenas nos nados já conhecidos (crawl, costas, peito e borboleta) quando realizamos um programa de ensino da natação.

Estudos mostram que muitos professores conhecem a importância da fundamentação metodológica de suas aulas, porem não aplicam, por não terem o conhecimento de sua aplicabilidade e pela falta de conhecimento conceitual das diversas etapas, mas sim pela dificuldade de adaptá-las à sua didática. (Lima, 2006)

Um dos aspectos mais importantes que esses estudos mostram é que há uma sequencia normal de desenvolvimento motor no meio liquido que pode ser observada desde que haja a oportunidade para que os alunos interajam neste meio. Os professores devem, portanto conhecer as diversas metodologias e sequencias didáticas para que o aluno possa aproveitar da melhor maneira, não só o aprendizado do nadar, mas também usufruir de todos os benefícios que podem ser conquistados com a prática da natação.

Neste presente estudo vamos tentar esclarecer e mostrar a evolução das técnicas utilizada para o aprendizado e alguns dos métodos mais utilizados para fundamentar um programa de ensino de natação para crianças, buscando identificar o que há em comum e o que difere nos métodos apresentados até hoje na literatura.

2- Natação

Segundo TAHARA e SANTIAGO (2006), a busca pela pratica da natação vem se modificando através dos tempos, a procura por essa atividade se dá atualmente, em busca do lazer, satisfazendo as necessidades intrínsecas e desejos dos indivíduos. A prática da natação trazem muitos benefícios a curto e a longo prazo para todos as pessoas, independente da idade, do gênero, da raça ou de problemas físicos ou mentais de seus praticas, as principais delas está a sensação de bem-estar que a prática da atividade física proporciona, melhora da auto-estima, da oxigenação no sangue, diminuição da freqüência cardíaca, do estresse, melhora da capacidade respiratória entre muitos outros.

O mesmo autor destaca que o ambiente aquático vem sendo utilizado desde os primórdios como local para limpeza corporal, local para práticas religiosas, área de lazer entre outros. Atualmente existem vários trabalhos realizados nesses ambientes como, por exemplo, a pratica da natação, hidroginástica, pólo aquático, hidroterapia, pois este ambiente favorece muitas

docsity.com

funções orgânicas para que haja um melhor desenvolvimento das atividades, também favorecida pelos diferentes métodos de tratamento da água.

FERNANDES, COSTA (2006) relata que um dos primeiros registros sobre a prática da natação vem do século XIII a.C. japoneses e chineses realizavam exercícios físicos na água com objetivos médicos, os gregos praticam a natação buscando um desenvolvimento ótimo do corpo, os germânicos mergulhavam seus filhos nas águas geladas buscando um aumento da resistência dos mesmos.

Lima (2006), a aprendizagem da natação, há tempos atrás, era realizado com um modelo mecanicista, pois era ensinado por técnicos de natação, sem uma grande preocupação no bem estar dos alunos e, muitas vezes, fugindo do objetivo do praticante. Alguns anos antes a natação era ensinada por militares, que utilizavam a natação para condicionar os soldados.

A aprendizagem, em qualquer segmento de ensino, deve ser composta por um planejamento, um método que norteará o trabalho para que o objetivo do praticante seja alcançado com maior eficácia. Entendemos por método, um caminho ou procedimento, organizado racionalmente com a finalidade de tornar mais fácil e mais produtivo para o alcance de determinada meta. (Rays, 1996)

Para elaborar um programa de aprendizagem da natação para crianças devem-se respeitar as fases de desenvolvimento de seus praticantes, suas necessidades, experiências anteriores, adaptando os objetivos e a sequência pedagógica para o aprendizado ser feito com segurança e sucesso.

Santos (1996) comenta que o homem começou a conviver no meio aquático para sua subsistência. A pesca, a utilização da água para beber, e para afazeres higiênicos como banho ou lavagem de instrumentos, a criação de pequenas embarcações e fez com que o homem por necessidade entrasse na água e dominasse seu corpo. Estes fatores foram fundamentais para o homem perceber que teria que aprender a sobreviver no meio aquático.

Para Damasceno (1992, p. 20) “a integração do homem ao meio líquido [...] têm-no levado a criar constantemente novas formas de se locomover na água”. Assim, propostas de ensino, metodologia foram surgindo. A pedagogia de ensino da natação tem como função auxiliar na melhora dos movimentos dentro do meio líquido sem o risco de afogamento.

Segundo Catteau e Garoff (1990) nadar é praticar atividade física na água, coordenando: equilíbrio, respiração e propulsão. A pedagogia da natação vai atuar no âmbito de melhorar esses três elementos.

Para Velasco (1994) a natação deve proporcionar o prazer e gerar boas experiências, além de desenvolver integralmente o indivíduo. Para que isso seja possível, o professor deve ter uma boa relação com seu aluno, trabalhar de forma lúdica e utilizar uma pedagogia que atenda as necessidades do aluno.

docsity.com

Segundo Damasceno (1992) a natação, muitas vezes, está sendo trabalhada como um esporte de competição de alto nível, onde o melhor rendimento e o nadar mais rápido são valorizados, sendo assim uma atividade excludente. Porém, o autor atenta para o fato de que ela não pode ser vista somente desta maneira. Ela deve contribuir para o desenvolvimento da personalidade do indivíduo e de suas relações sociais buscando integrar e estimular a todos.

Sabemos que dentro da água, as forças físicas que agem sobre o indivíduo, como gravidade e impacto, são reduzidas. Assim, Damasceno (1992) e Lima (1999) comentam que a natação pode ser praticada em todas as fases da vida sem o risco de restrições.

3- MÉTODOS DE ENSINO DA NATAÇÃO

Muitos autores apresentam métodos para a elaboração de um programa de aprendizagem da natação para crianças, observando sempre a continuidade dos objetivos a serem trabalhados para que haja um aproveitamento excelente, tornado o trabalho mais proveitoso. FERNANDES e DA COSTA 2006, mostram a importância de salientar que o processo de aprendizagem da natação seja focado no aluno e não no produto final. O professor deve mostrar ao aluno que a água é um ambiente prazeroso, relaxante utilizando os quatro nados conhecidos como meio e não como produto final do processo de aprendizagem.

Os primeiros métodos pedagógicos da natação foram realizados de maneira muito rudimentar, no final do século XVII, através da fabricação de máquinas colocadas ao lado das piscinas, os aprendizes executavam os movimentos que mais tarde seriam repetidos na piscina, os alunos usavam cintas para que, por medida de segurança, para que os mesmos tivessem uma flutuação facilitada. Existem poucos trabalhos que sustentem as metodologias, logo apresentadas, até o presente momento não há muitas pesquisas realizadas que busquem apoiar, por exemplo, a utilização de bóias, pranchas entre outros materiais, o que muitos autores buscam é fundamentar seus preceitos de aprendizagem da natação nos estudos de desenvolvimento motor juntamente com as necessidades da natação. (FREUDENHEIM; GAMA; CARRACEDO, 2003).

No Brasil os primeiros estudos que buscam fundamentar o ensino da natação apareceram com os estudos do professor David Machado em 1978, incluindo em seu método uma fase inicial de adaptação ao meio liquido, tempos depois, a tradução da obra de Counsilman, trouxe de maneira detalhada a descrição técnica dos quatro estilos de nado. Atualmente na natação, muitas idéias orientam o ensino da natação, porem a falta de fundamentação técnica, faz com que alguns professores criem métodos próprios.

docsity.com

4- Sequencias pedagógicas.

A pedagogia da natação tem como propósito desenvolver os métodos de ensino mais eficientes para que os indivíduos adquiram as habilidades que constituem o domínio da natação.

Lima 2006 defende a idéia que independente da idade, ao iniciar um trabalho de aprendizagem da natação, devemos começar com uma adaptação ao meio liquido para que o aluno segundo ele diminua o grau de ansiedade, buscando não acelerar demasiadamente os exercícios. Após esta fase, focar as atenções ao aprimoramento da respiração para que mais tarde possamos realizar um trabalho seguro e mais facilitado da flutuação que por sua vez irá colaborar para o trabalho de sobrevivência aquática. Após o objetivo de estas fases serem alcançados o trabalho se direciona para o aprendizado da propulsão das pernas e braços e a vivencia dos nados crawl e costas.

Já CORREA, C.R.F; MASSAUD 2004, objetiva o deslocamento logo após o trabalho de adaptação do aluno e enfatiza o trabalho de imersão após a aprendizagem da flutuação, visando com que o aluno vença um novo desafio de molhar a cabeça, assim ganhando confiança para prosseguir com segurança as fases a seguir.

Em um dos primeiros livros que temos que nos mostra uma sequencia pedagógica para o aprendizado da natação Machado (1976) apresenta, também, três concepções para o aprendizado da natação, a primeira é a concepção global que tem como características o fato que os alunos aprendem a nadar pelo extinto de sobrevivência e pela vivencia de experiências. A segunda é a concepção analítica, partiu-se do pressuposto que para nadar é necessário tão somente executar movimentos que geram propulsão e movimentos que levavam a realizar o deslocamento. Uma terceira corrente é a corrente sintética, que procurou uma unidade de ensino acabou elaborando uma sequencia de objetivos para as diversas fases de aprendizagem.

Assim, Machado 1978, apresenta uma sequencia que o aluno inicia o aprendizado com uma adaptação ao meio líquido realizando exercícios que façam com que tenha uma socialização entre o professor e os alunos e que o aluno tenha seus primeiros contatos com a água, após este momento ele passara para o aprendizado da flutuação, com conteúdos que o aluno realize submersão total e parcial entre outros. A respiração vem logo em seguida com objetivos de submersão completa com apnéia para depois o aprendizado própria mente dita da respiração, para depois ter o aprendizado da propulsão de pernas e braços para no fim ser aprendido o mergulho.

Segundo Freudenheim, Gama e Carracedo 2003, o programa deve ser desenvolvido tendo pelo menos três fases como referência. Espera-se que no final da primeira fase, a criança domine os movimentos fundamentais relacionados ao nadar, controle respiratório e equilíbrio; na segunda fase combinação de movimentos, aperfeiçoamento dos movimentos fundamentais, equilíbrio estático e dinâmico em diferentes posições, salto combinado com deslocamento

docsity.com

submerso; e na terceira fase os movimentos culturalmente conhecidos, combinações mais complexas e específicas.

Corbim, 1973 citado por Freudenheim 2003, o ser humano é indivisível, portanto para aprender a nadar não deve ser uma preocupação apenas em relação ao aspecto motor, mas também um bom relacionamento social e cognitivo pois sem a confiança o individuo poderá ter grandes dificuldades nos movimentos propostos.

Referencias:

AMARAL, AC, TABAQUIM, ML, LAMÔNICA, D.A. Avaliação das habilidades cognitivas, da comunicação e neuromotoras de crianças com risco de alterações do desenvolvimento. Revista Brasileira de Educação Física e Esporte, vol. 11, p. 185-200, 2005.

CORREA, C.R.F; MASSAUD, M.G. Natação na pré-escola. Editora: Sprint, Rio de Janeiro, 2004.

CORREA, C.R.F; MASSAUD, M.G. Natação da iniciação ao treinamento. 3ºed. Editora: Sprint, Rio de Janeiro, 2007.

COUNSILMAN, J. E. A natação: ciência e técnica para a preparação de campeões. Rio de Janeiro: Livro Ibero-Americano, 1980.

DAMASCENO, L.G Natação: Psicomotricidade e desenvolvimento. Autores Associados – Campinas, SP, 1997.

DELUCA, A.H; FERNANDES, I.R.C. Brincadeiras e Jogos Aquáticos. 3º Ed, Rio de Janeiro: Sprint, 2002.

DURAN, M. Aprendendo a nadar em ludicidade. São Paulo: Phorte Editora, 2005.

docsity.com

FERREIRA, A. B. H. Minidicionário Aurélio. Ed. Positivo, 2008.

FERNANDES, J.R.P; DA COSTA, P.H.L. Pedagogia da natação: um mergulho para além dos quatro estilos. Rev. bras. Educ. Fís. Esp., São Paulo, v.20, n.1, p.5-14, jan./mar. 2006.

FREUDENHEIM, A.M.; GAMA, R.I.R.B.; CARRACEDO, V.A. Fundamentos para a elaboração de programas de Ensino do nadar para crianças. Revista Mackenzie de Educação Física e Esporte, São Paulo, v.2, n.2, p.61-9, 2003.

GALLAHUE, DL, OZMUN, JC. Compreendendo o desenvolvimento motor: bebês,

crianças, adolescentes e adultos. São Paulo: Phorte Editora; 2006.

LIMA, S.R, ALMEIDA, M.A. Iniciação à aprendizagem da natação e a coordenação corporal de uma criança deficiente visual: algumas contribuições. Revista Brasileira de Ciência e Movimento, vol.29, p 57-78. jan,2008.

Lima WU De, Borges G, Raso V. Idade cronológica de acordo com o nível de aprendizagem em natação. Revista Brasileira de Ciência e Movimento. 2008; v16(2): 67-73. 2008.

LIMA, E. L. A prática da natação para bebes. Jundiai, SP, Fontoura, 2003.

LIMA, W. U. Ensinando Natação – 2ed. São Paulo: Phorte, 2006.

RAYS , O. Pressupostos teóricos para o ensino da Didática. In: Candau Vera María. A Didática em questão. Petrópolis. Vozes. 13a. edição. 1996.

MACHADO, D.C. Metodologia da natação. São Paulo: EPU, 1978.

docsity.com

MACHADO, D. C. NATAÇÃO - INICIAÇÃO AO TREINAMENTO São Paulo: EPU, 2006.

NEIRA, M.G. Educação física: desenvolvendo competências. São Paulo: Phorte, 2003

PALMER, M.L. A ciência do ensino da natação. São Paulo: Manole, 1990.

Tahara, A,K. O elemento lúdico presente em escolas de natação para crianças. Revista Fafibe Online, n.3, agosto, 2007.

THOMAS, D. G. Natação: etapas para o sucesso. 2ed. Editora: Manole, 1999.

XAVIER FILHO, E.; MANOEL, E.J. Desenvolvimento do comportamento motor aquático: implicações para a pedagogia da natação. Revista Brasileira de Ciência e Movimento, Brasília, v.10, n.2, p.85-94, 2002.

Centro Universitário UNIFMU

Centro de Pós-Graduação e Pesquisa

Faculdade de Educação Física

A EVOLUÇÃO E AS SEQUENCIAS PEDAGÓGICA PARA O APRENDIZADO DA NATAÇÃO.

Thiago Leão Zabeu

São Paulo

2009

Resumo

docsity.com

O presente trabalho teve o objetivo de demonstrar as diferentes metodologias para o aprendizado da natação em qualquer idade. O estudos ao decorrer do tempo mostra que o aprendizado da natação, sofreu uma grande mudança, no decorrer da história em diversos aspectos, entre eles os motivos que levavam as pessoas buscar a sua prática, métodos de aprendizado, sequência pedagógicas entre outras. Os benefícios da natação foram sendo descobertos durante os anos, juntamente com o aprimoramento das técnicas, utilizando-os para diversos objetivos. Muitos métodos são utilizados e aprimorados ao longo dos anos, porem a grande maioria dos autores se baseiam em estudos sobre o desenvolvimento motor e psíquico e experiências anteriores, para fundamentar seus programas de ensino da natação. Os professores devem durante a realização de seus planejamentos e elaborações de programas de nadar devem levar em consideração as experiências vividas anteriormente e adaptar a melhor metodologia para cada aluno, não havendo uma metodologia ou sequencia que deva ser seguida sem adaptações.

Agradecimentos

Primeiramente a Deus por ter me dado a oportunidade de estudar e me guia em todas as minhas decisões, aos meus pais que me incentivaram e me apoiaram em todas as fases da minha vida, aos meus familiares, amigos e alunos que também me incentivaram e colaboram para a conclusão deste trabalho.

Thiago Leão Zabeu

A EVOLUÇÃO E AS SEQUENCIAS PEDAGÓGICA PARA O APRENDIZADO DA NATAÇÃO.

Monografia apresentada ao Centro Universitario UniFMU, como requisito parcial para obtenção do Título de Especialista em Natação e Atividades Aquáticas.

2009

docsity.com

“No que diz respeito ao desempenho, ao compromisso, ao esforço, a dedicação, não existe meio termo. Ou você faz uma coisa bem feita ou não faz.”

(Ayrton Senna)

Conclusão

Conclui-se pelo exposto nessa pesquisa bibliográfica que através dos anos muito se estudou e inventou para que muitas pessoas pudessem aprender e praticar a natação nas piscinas. Desde métodos arcaicos no qual o aprendizado era realizado primeiramente com movimentos a seco para depois de automatizados serem repetidos na água, máquinas que foram inventadas para que muitas pessoas pudessem aprender ao mesmo tempo, a utilização de sintas de junco, até as primeiras bóias e métodos com auxilio de um professor. Atualmente a existência de muitos métodos, permite que cada professor escolha seu método e maneira de ensinar a natação a seus aprendizes. Entretanto a grande maioria dos métodos concorda que primeiramente devemos levar em consideração a experiência já adquirida, a seguir a aprendizado da respiração deve ocorrer para que permita que possamos trabalhar com segurança, seguido do aprendizado da flutuação visando à conscientização de planos. Porem no que se refere a equilíbrio, sobrevivência, propulsão de pernas e braços e o nado que deve ser aprendido primeiro existe muita distinção na visão dos autores apresentados nesta obra.

O melhor método a ser utilizado pelos professores talvez seja ser adaptado pela necessidade do aluno e possibilidades apresentadas nas aulas, sem a existência de uma sequência exata que deva ser seguida por todos.

A aprendizagem da natação deve ser muito estudada, pois não possuem muitos estudos que priorizam este assunto.

docsity.com

comentários (0)
Até o momento nenhum comentário
Seja o primeiro a comentar!
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Docsity is not optimized for the browser you're using. In order to have a better experience we suggest you to use Internet Explorer 9+, Chrome, Firefox or Safari! Download Google Chrome