Processo Administrativo - Apostilas - Ciências Contábeis, Notas de estudo de Contabilidade. Universidade São Marco (UNIMARCO)
Maracana85
Maracana856 de Março de 2013

Processo Administrativo - Apostilas - Ciências Contábeis, Notas de estudo de Contabilidade. Universidade São Marco (UNIMARCO)

PDF (620.6 KB)
23 páginas
1000+Número de visitas
Descrição
Apostilas de Contabilidade sobre o estudo do processo Administrativo, as influências sobre a administração, a organização.
20pontos
Pontos de download necessários para baixar
este documento
baixar o documento
Pré-visualização3 páginas / 23
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Pré-visualização finalizada
Consulte e baixe o documento completo
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Pré-visualização finalizada
Consulte e baixe o documento completo

PROCESSO ADMINISTRATIVO E SUA EVOLUÇÃO

2012

docsity.com

Curso de Ciências Contábeis

EVOLUÇÃO DO PROCESSO ADMINISTRATIVO

2012

docsity.com

Introdução

As influências sobre a administração

A influência dos filósofos

A influência da Igreja Católica

A influência da organização militar

A influência da Revolução Industrial

A influência dos economistas Liberais

A influência dos pioneiros e empreendedores

A organização

A administração científica

A teoria clássica da administração

Funções administrativas

docsity.com

As influências sobre a administração

O ato de administrar, como qualquer outra ação humana, é produto das influências que recebe

do meio em que acontece.

Ao longo da evolução histórica, a administração não teve comportamento diferente: mesmo

antes de ser estudada como uma ciência, a sua prática sempre foi resultado de como a

humanidade percebeu o mundo ao seu redor e de como aplicou essa percepção, cita que a

administração recebeu influências dos filósofos, da organização eclesiástica, da organização

militar, da Revolução Industrial, dos economistas liberais e dos pioneiros e empreendedores.

A influência dos filósofos

Chiavenato relaciona os seguintes nomes que de algum modo mencionaram ou estudaram a

administração e as organizações: Sócrates, Platão, Aristóteles, Francis Bacon, René Descartes,

Thomas Hobbes, Jean-Jacques Rousseau, Karl Marx e Friedrich Engels. Enfatiza que

A administração recebeu duas profundas e marcantes influências. Uma delas veio da física

tradicional de Isaac Newton: a tendência à exatidão e ao determinismo matemático. A outra veio

de René Descartes e seu método cartesiano: a tendência à análise e divisão do trabalho. Essas

duas influências definiram os rumos da administração até a década de 1990.

A influência da Igreja Católica

O autor apresenta dois aspectos: a unidade de propósitos e princípios, fundamentais tanto na

organização religiosa quanto na militar, e a estrutura da organização religiosa, na qual uma só

pessoa – o Papa – pode operar e comandar uma organização de porte mundial.

A influência da organização militar

Veio de fatores como o desenvolvimento da organização linear, de táticas e manobras, de

docsity.com

estratégias, da criação dos conceitos de staff como assessoria à centralização do comando e de

linha, cuidando da execução descentralizada. Além disso, o princípio de direção, que preceitua

que todo soldado deve saber perfeitamente o que se espera dele e o que ele deve fazer, assim

como os princípios da disciplina e do planejamento.

A influência da Revolução Industrial

A primeira Revolução Industrial ocorreu de 1780 a 1860, com base na revolução do ferro e do

carvão. Caracterizou-se por meio de quatro fases: 1) mecanização da indústria e da agricultura; 2)

aplicação da força motriz à indústria; 3) desde aplicação da força motriz à indústria; 3)

desenvolvimento do sistema fabril e 4) espetacular aceleração dos transportes e das

comunicações. Em seguida, de 1860 a 1914, ocorre a segunda Revolução Industrial, baseada no

aço e na eletricidade.

A organização e a empresa moderna nasceram com a Revolução Industrial, graças a vários

fatores, tais como: 1) a ruptura das estruturas corporativas da Idade Média; 2) o avanço

tecnológico e a aplicação dos processos científicos à produção, a descoberta de novas formas de

energia e a enorme ampliação de mercados, e 3) a substituição do tipo artesanal por um tipo

industrial de produção.

O autor ainda afirma que o início da história da administração foi predominantemente uma

história de cidades, de países, de governantes, exércitos e da Igreja.

A Revolução Industrial provocou o surgimento das fábricas e o aparecimento da empresa

industrial, e, com isso, provocou as seguintes mudanças de época:

docsity.com

• substituição do artesão pelo operário especializado;

• crescimento das cidades e aumento da necessidade de administração pública;

• surgimento dos sindicatos como organização proletária a partir do início do século XIX. Somente

a partir de 1890 alguns deles foram legalizados;

• início do marxismo em função da exploração capitalista;

• doutrina social da Igreja para contrabalançar o conflito entre capital e trabalho;

• primeiras experiências sobre administração de empresas;

• consolidação da administração como área de conhecimento; e,

• início da Era Industrial, que se prolongou até a última década do século XX

A influência dos economistas Liberais

Os estudos econômicos, que desde o século XVII já vinham desenvolvendo teorias para

explicar os fenômenos empresariais, evoluíram, passando pelo liberalismo, pelo socialismo

científico e pelo materialismo histórico, que obrigaram a construção de vários conceitos dentro das

organizações para tratar do aperfeiçoamento dos métodos de produção (racionalização do

trabalho) e da adequada remuneração.

20

Unidade I

A influência dos pioneiros e empreendedores

O aparecimento de iniciativas pioneiras e empreendedoras, principalmente nos Estados Unidos,

foi fundamental para a criação das bases que permitiram o surgimento da teoria administrativa. A

necessidade de gerenciar os empreendimentos que surgiam obrigou a criação de técnicas e de

docsity.com

processos de planejamento, de organização, de direção e de controle que ainda são vistos na

prática administrativa atual.

Em resumo: a administração não é uma atividade isolada, mas sim mais uma das inúmeras

atividades humanas. Fica claro que ela tanto sofre influências como também influencia o ambiente

em que é praticada.

Portanto, a formação de um pensamento administrativo foi, é e continuará sendo resultado de

como a humanidade cria e aplica seus paradigmas, em todas as áreas de sua atuação.

A organização

Organização é conceito fundamental para a administração, uma vez que toda a aplicação

administrativa vai ocorrer numa organização e nas consequentes inter-relações dela com outras

organizações. Comecemos com o entendimento do que é e do que faz uma organização.

Em primeiro lugar, uma diferenciação entre duas interpretações para essa palavra:

• a organização, como função administrativa, deriva do verbo organizar, e é a responsabilidade

gerencial, que pertence ao Processo Administrativo definido por Henri Fayol e que tem como

objetivo preparar a empresa para realizar a tarefa para a qual foi criada;

• a organização, como substantivo, é o produto desse esforço de preparação gerencial, que

resulta numa empresa. Assim, por extensão, a empresa também é chamada de organização.

Então, sempre que falarmos em organização neste texto, estaremos nos referindo a uma

dessas conotações, que você vai perceber no contexto em que ela estiver aplicada.

Organização: companhia, corporação, firma, órgão, instituição ou empresa, ou uma unidade

destas, pública ou privada, sociedade anônima, limitada ou com outra forma estatutária, que tem

funções e estruturas administrativas próprias e autônomas, no setor público ou privado, com ou

sem finalidade de lucro, de porte pequeno, médio ou grande.

docsity.com

Unidade social, conscientemente coordenada, composta de duas ou mais pessoas, que

funciona de maneira relativamente contínua para atingir um objetivo comum .

Organizações são entidades sociais que são dirigidas por metas, são desenhadas como

docsity.com

sistemas de atividades deliberadamente estruturados e coordenados e são ligadas ao ambiente

externo. Uma organização é uma combinação intencional de pessoas e de tecnologia

para atingir um determinado objetivo.

Organizações como universidades, museus e corporações são essenciais porque guardam e

protegem a maior parte do conhecimento que nossa civilização juntou e registrou. Neste sentido,

as organizações tornam esse conhecimento uma ponte contínua entre gerações passadas,

presentes e futuras. Além disso, as próprias organizações fazem aumentar nossos

conhecimentos, ao desenvolver meios novos e mais eficientes de realizar coisas. As organizações

proporcionam carreiras: Finalmente, as organizações são importantes porque proporcionam a

seus empregados uma fonte de sobrevivência e, dependendo do estilo e da eficácia de seus

administradores, até mesmo satisfação e autorrealização pessoal. A maioria de nós tende a

associar oportunidades de carreira com corporações empresariais, mas na verdade muitas

organizações, como igrejas, repartições públicas, escolas e hospitais também oferecem carreiras

compensadoras .

A aceitação de uma definição para organização é uma declaração de qual paradigma nos

dirige, assim como todas as nossas ações relacionadas com a administração revelam o nível de

pobreza ou de competência paradigmática que conseguimos construir para nós mesmos, como

pessoas ou como profissionais, ao longo de nossas vidas.

A administração científica

De acordo com Chiavenato, esta abordagem surgiu em 1903, nos Estados Unidos, enfocou a

variável tarefas e teve como seu principal representante Frederick Winslow Taylor.

Considerada como a primeira teoria no campo da administração, começou com F. W. Taylor e

contou com a colaboração de outros estudiosos e seguidores que acrescentaram conceitos

interessantes à abordagem.

docsity.com

O desenvolvimento dessa escola pode ser representado pela própria trajetória de vida de seu

principal autor, Taylor, que começou como operário e supervisor em uma grande indústria e, por

ter estudado engenharia, atingiu altos cargos de direção em sua vida.

Sua teoria, conforme apresenta Chiavenato, é dividida em dois períodos:

1. Primeiro período: É chamado de período da Organização Racional do Trabalho (ORT).

Concentrou-se na execução das tarefas pelos operários. Coincide com a publicação de seu

livro Shop Management, em 1903, sobre a racionalização do trabalho de operários com base no

estudo de tempos e movimentos. Todos os conceitos foram desenvolvidos a partir do contato com

os operários (chão de fábrica), tentando entender e melhorar as condições de realização do seu

trabalho. A maneira como era realizado o trabalho mostrava que havia muita diferença tanto nas

tarefas (a forma como operários diferentes realizavam tarefas parecidas não era homogênea),

quanto nas ferramentas (uso de diferentes ferramentas e, além disso, de forma não padronizada),

esse período incluiu os seguintes aspectos:

• análise do trabalho e do estudo de tempos e movimentos;

• estudo da fadiga humana;

• divisão do trabalho e especialização do operário;

• desenho de cargos e tarefas;

• incentivos salariais e prêmios de produção;

• conceito de Homo economicus;

• condições ambientais de trabalho, como iluminação, conforto e outras;

• padronização e métodos e de máquinas;

• supervisão funcional.

Por meio do estudo detalhado que contou com a ajuda de outros pesquisadores, esses

docsity.com

aspectos foram assim explorados:

- os tempos e movimentos relacionados com cada tarefa foram exaustivamente investigados, de

modo a permitir que se definisse uma maneira única e melhor de realizá-la (the best way). Isso

resulta num desenho de cargos e tarefas que os segmenta, reduzindo-os a pequenas porções de

docsity.com

trabalho, o que conduz à superespecialização do seu executor;

- buscando reduzir a diferenças na aplicação do trabalho, foram padronizados métodos, máquinas

e ferramentas;

- foram implantados a seleção e o treinamento científico dos trabalhadores, de modo a garantir

que cada tarefa fosse executada por quem tivesse condições físicas para isso e,

consequentemente, houvesse maior produtividade dos operários em suas tarefas;

- foram pesquisadas as condições de trabalho, envolvendo o próprio ambiente físico, tal como

ventilação, iluminação, limpeza e as ferramentas utilizadas, considerando sua proximidade,

condições de uso etc.

- houve a preocupação em reduzir condições que elevassem a fadiga do operário, para que sua

produção não fosse prejudicada;o do Pensamento Administrativo

- criou-se o pagamento por produção, como prêmio a quem atingisse os padrões de produção

esperados ou os ultrapassasse. Essa prática baseava-se no conceito de Homo economicus.

- empregou-se a supervisão funcional, na qual um operário poderia ter mais de um supervisor e,

este, poderia ter mais de um operário supervisionado.

Esse primeiro período de sua teoria garantiu a Taylor muito sucesso, de forma que ele levou

esses conhecimentos para o nível gerencial, como uma maneira de preparar a organização para

uma gerência científica, em seu segundo período.

2. Segundo período: denominado de Administração Científica, esse período é marcado pela

publicação de seu segundo livro, The principles of scientific management (1911), no qual Taylor

incorpora conhecimentos de administração geral e leva esses princípios para o nível gerencial

para que possam ser aplicados em toda a organização.

É nesse período que Taylor apresenta seus princípios gerenciais, a saber:

• princípio do planejamento;

• princípio do preparo;

docsity.com

• princípio do controle;

• princípio da execução.

A Administração Científica contou também com outros nomes, tais como Frank B. Gilbreth, que,

juntamente com sua mulher, Lílian Gilbreth, introduziu os estudos sobre tempos e movimentos;

Harrington Emerson, que contribuiu com alguns princípios de rendimento; Henri Ford, o genial

aplicador de métodos e processos que revolucionaram a linha de montagem industrial, além de

Gantt, Barth e outros.

A teoria clássica da administração

Liderada por Henri Fayol, que juntamente com F. W. Taylor são considerados fundadores da

moderna administração, a teoria clássica da administração teve lugar na França. Aliás, tanto

Taylor quanto Fayol desenvolveram suas teorias apenas em empresas industriais (fábricas),

não se envolvendo, portanto, com outros tipos de organização. Fayol apresenta essa teoria em

seu livro

Administration industrielle et générale, de 1916, e enfocou a variável estrutura organizacional.

Conforme mostra Chiavenato , Fayol definiu que a organização era um conjunto de seis funções,

a saber:

1. função técnica (hoje conhecida como área de produção);

2. função financeira;

3. função contábil;

4. função comercial;

5. função de segurança;

6. função administrativa, que era o próprio ato de administrar, envolvendo toda a organização e

pairando acima das cinco funções anteriores.

Fayol definia assim os elementos fundamentais da estrutura organizacional e de sua gestão: a

docsity.com

divisão da empresa em partes (departamentos) mostrava claramente que atividades similares e

sobre o mesmo assunto deveriam ser agrupadas numa mesma função, especializando sua

atuação. Do mesmo modo, independentemente de qual das cinco funções estivesse sendo

tratada, a sua gestão (administração) seria executada pela sexta função, a função administrativa.

Para Fayol, esta função administrativa era constituída pelo P-O-C-C-C, ou seja, a interação da

docsity.com

previsão, da organização, do comando, da coordenação e do controle. Hoje, tais componentes da

função administrativa (ou do PA - Processo Administrativo, como a chamamos atualmente) são

conhecidos como Planejamento, Organização, Direção e Controle (P-OD-C).Lembrete o PA –

Processo Administrativo, é assunto detalhado na Unidade IV deste texto. Fayol também

estabeleceu uma relação de proporcionalidade na utilização da função administrativa e das

demais funções. A função administrativa não acontece apenas no topo da empresa, mas está

distribuída ao longo de todos os níveis hierárquicos. Para Fayol, porém, quanto mais elevado

fosse o nível hierárquico da organização, maior seria a proporção da função administrativa em

relação às outras cinco funções. E o inverso também era verdadeiro: quanto mais baixo o nível

hierárquico,menor seria a participação da função administrativa em relação às demais funções.

Isso é assim ilustrado:

Funções administrativas

• Prever

• Organizar

• Comandar

• Coordenar

• Controlar

Outras funções não administrativas Mais elevados Mais baixos Níveis hierárquicos ele

enumerou 14 princípios gerais que deveriam nortear a aplicação da administração como ciência:

1. divisão do trabalho;

2. autoridade e responsabilidade;

3. disciplina;

4. unidade de comando;

5. unidade de direção;

docsity.com

6. subordinação dos interesses individuais aos gerais;

7. remuneração do pessoal;

8. centralização;

9. cadeia escalar;

10. ordem;

11. equidade;

12. estabilidade do pessoal;

13. iniciativa;

14. espírito de equipe.

Segundo mostra Chiavenato a Teoria de Administração, para os autores clássicos, considerava

os seguintes aspectos:

1. administração como ciência.o Pensamento Administrativo

2. teoria da organização.

3. divisão do trabalho e especialização.

4. coordenação.

5. conceito de linha e de staff.

6. organização linear.

A Teoria Clássica da Administração também teve outros colaboradores, tais como Luther

Gulick, que propôs seus sete elementos, e Urwick, que apresentou quatro princípios para a

administração.

Em síntese, a Teoria Clássica diz que os princípios gerais da administração, divisão do trabalho,

especialização, unidade de comando e amplitude de controle caracterizam a organização formal,

esta, por sua vez, deve atingir a máxima eficiência.

A Teoria Clássica da Administração também representa o desenvolvimento profissional de

Fayol. Vindo de família abastada, formou-se engenheiro e começou a trabalhar já no topo da

docsity.com

organização.

Assim, sua teoria reflete esse caminho, pois sua abordagem começa com uma visão geral da

organização e depois vai descendo para os demais componentes dela, e é considerada uma

abordagem “de cima para baixo” e “do todo para as partes”. Como críticas que a Teoria Clássica

docsity.com

da Administração recebeu, podem ser destacadas:

• abordagem simplificada da organização formal;

• ausência de trabalhos experimentais;

• extremo racionalismo na concepção da administração;

• teoria da máquina;

• abordagem incompleta da organização;

• abordagem de sistema fechado.

RESUMO

Administração ciêntífica

Primeiro Período: Chamado de Organização Racional do Trabalho Frederick Winslow Taylor,

concentrou-se na execução das tarefas dos operários. Este período inclui os aspectos: Análise do

estudo do tempo e dos movimentos, Estudo da fadiga humana, Divisão do trabalho e

especialização do operário desenho de cargas e tarefas, Incentivos salariais e Padronização de

métodos e máquinas.

Segundo Período: Denominado de Administração científica, Taylor incorpora conhecimentos da

administração geral e leva estes princípios para o nível gerencial e assim aplicados em toda

organização.

Nesta fase ele determina quatro

princípios gerenciais, Princípio do Planejamento, Princípio do Preparo, Princípio do Controle

Princípio da Execução.

Administração Clássica

A Abordagem Clássica, pioneira na ciência administrativa, nasce no século XX. A Revolução

Industrial teve papel estruturando neste contexto, pois com a invenção da eletricidade e do aço

docsity.com

tínhamos um crescente número de indústrias, que em sua totalidade cresciam de forma

desordenada e desestruturada, num mercado cada vez mais competitivo. Abordagem clássica da

administração Temos duas teorias ou escolas:

1. Escola da Administração Científica: ocorrida no Estados Unidos com Taylor, e destacava a

importância das tarefas organizacionais.

2. Teoria Clássica da Administração: ocorrida na França com Fayol, e destacava a importância da

estrutura organizacional.

Embora diferentes, aconteceram no mesmo período. Administração científica Esta abordagem

surgiu em 1903 nos Estados Unidos e teve como principal expoente Frederick Winslow Taylor.

Taylor começou como operário numa fábrica, chegando posteriormente a gerente, este fato

ajudou bastante na construção de sua teoria. Temos dois períodos na Teoria de Taylor, vejamos:

Administração científica Primeiro Período: Chamado de Organização Racional do Trabalho.

concentrou-se na execução das tarefas dos operários. Este período inclui os aspectos:

Análise do estudo do tempo e dos movimentos; Estudo da fadiga humana; Divisão do trabalho e

especialização do operário; desenho de cargas e tarefas; incentivos salariais; Padronização de

métodos e máquinas. Administração científica Segundo Período: denominado de Administração

científica, Taylor incorpora conhecimentos da administração geral e leva estes princípios para o

nível gerencial e assim aplicados em toda organização. Nesta fase ele determina quatro princípios

gerenciais:

• Princípio do Planejamento;

• Princípio do Preparo;

• Princípio do Controle;

• Princípio da Execução;

docsity.com

Administração científica

A administração científica promoveu grande salto na produtividade das indústrias, mas também

foi criticada por:

•Excesso de mecanicismo;

•Superespecialização do operário;

•Visão microscópica do homem;

• Ausência de comprovação científica

Conclusão sobre administração

O estudo da Administração veio evoluindo e mostrando que esta relacionado a tudo

principalmente no controle e estudos de resultados visando para isso a reestruturação do

mecanismo para corrigir imperfeições, tendo em vista prever planejar , organizar e controlar de

forma inovadora , passando por varias transformações com novas tecnologia e inovando a cada

tempo, o mercado tecnológico é contribuidor para isso são ferramentas cada vez mais moderna

para administrar.

O Administrador é um profissional com visão do todo de processos que trabalhará com pessoas

diferentes e que com eficiência, dará o resultado que a empresa espera alcançar , ele trabalha na

definição, analise e no cumprimento das normas e metas da organização, em praticamente todos

os departamentos de uma empresa, nos quais gere recursos financeiros, materiais, humanos e

mercadológicos.

Conduz as relações entre a empresa e seus funcionários, participando dos processos de

seleção, admissão e demissão . Coordena, ainda, os recursos materiais institucionais ,

controlando compras, estoque de materiais e consumo do mesmo . No setor financeiro, trabalha

custos, orçamentos , fluxos de caixa, vendas de produtos de todos os tipos, serviços e nas mais

docsity.com

diversas áreas em hospitais, fábricas , escolas , creches , empresas pública etc.

Nunca trabalhará sozinho e dependerá de pessoas e ferramentas administrativas para alcançar

o seu objetivo revendo processos , usados pela empresa e sua técnica de interação para trabalhar

em equipe , sendo justo e auxiliando nas dificuldades que a equipe vai encontrando pela frente,

sempre inovando buscando novas alternativas para melhor conduzir sua equipe sendo estratégico

para padronização da qualidade de serviços , lidando com as diferenças, conhecendo o limite de

cada um de sua equipe integrando e sincronizando o grupo usando a sinergia de cada um dos

membros para produzir , tendo uma visão sistêmica para alcançar as metas passada pela

instituição confiando em sua experiência como administrador .

Até hoje as formas de administração clássica de Fayol e a Administração cientifica de Taylor

continua atuando nas empresas exemplos como controle de produção e controle de qualidade

das empresas e revendo as estruturais das empresas para o melhor rendimento de sua produção

e mantendo a saúde financeira da empresa hoje de forma um pouco diferente com a ajuda das

novas tecnologia e com o reconhecimento que o homem não é uma maquina e que a saúde de

seus funcionários está em primeiro lugar.

docsity.com

Referencias bibliográfica

CHIAVENATO, Idalberto. Introdução à Teoria Geral da Administração . Rio de Janeiro:

Elsevier, 7ª.edição revista e atualizada, 4ª.reimpressão, 2003.

CARAVANTES, Geraldo R.; PANNO, Cláudia C.; KLOECKNER, Mônica C. Administração

–Teorias e Processos. São Paulo: Pearson Prentice Hall – 1ª.edição, 1ª. reimpressão,

2006.

FRANCISCO FILHO, Geraldo; SILVA,Fabio Gomes da. Teorias da Administração Geral.

Campinas: Alínea,1ª.edição, 2006

Bibliografia Complementar

CHIAVENATO, Idalberto. Administração – teoria, processo e prática. Rio de Janeiro:

Elsevier, 4ª. edição, 2007.

OLIVEIRA, Djalma de Pinho Rebouças de. Teoria Geral da Administração - uma

abordagem prática. São Paulo: Atlas, 2008.

docsity.com

docsity.com

comentários (0)
Até o momento nenhum comentário
Seja o primeiro a comentar!
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Docsity is not optimized for the browser you're using. In order to have a better experience we suggest you to use Internet Explorer 9+, Chrome, Firefox or Safari! Download Google Chrome