Processos Administrativos - Resumo - Economia, Notas de estudo de Economia. Universidade de São Paulo (USP)
Oscar_S
Oscar_S26 de Fevereiro de 2013

Processos Administrativos - Resumo - Economia, Notas de estudo de Economia. Universidade de São Paulo (USP)

PDF (414.3 KB)
15 páginas
715Número de visitas
Descrição
Processos administrativos, introdução, teorias da administração, as habilidades do administrador, principios principais para a administração.
20pontos
Pontos de download necessários para baixar
este documento
baixar o documento
Pré-visualização3 páginas / 15
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Pré-visualização finalizada
Consulte e baixe o documento completo
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Pré-visualização finalizada
Consulte e baixe o documento completo

SUMARIO

INTRODUÇÃO.........................................................................................................02

TEORIAS DA ADMINISTRAÇÃO .........................................................................03

AS HABILIDADES DO ADMINISTRADOR ........................................................04

A ADMINISTRAÇÃO E SUAS PERSPECTIVAS..................................................06

INFLUÊNCIA DOS FILOSOFOS............................................................................07

ESCOLA DA ADMINISTRAÇÃO..........................................................................09

QUAIS OS PRINCIPIOS E CONTRIBUIÇÕES PARA ADMINISTRAÇÃO ......10

DESENVOLVIMENTO E CONSIDERAÇÕES FINAIS .......................................11

REFERÊNCIAS........................................................................................................12

docsity.com

INTRODUÇÃO

docsity.com

A Teoria Geral da Administração (TGA) surgiu no momento em que as organizações alcançaram certo tamanho e complexidade (no início do século XX).

É um conjunto orgânico e integrado de teorias, hipóteses e idéias a respeito da administração como ciência, técnica e arte.

Essa teoria oferece aos dirigentes das organizações modelos e estratégias adequadas para a solução de problemas empresariais.

A influência que o gerente exerce no processo de mudança organizacional é fundamental em construir espaços nas organizações, sejam estes para facilitar as discussões e questionamentos do grupo. Este estudo busca levantar algumas reflexões sobre o papel da liderança tendo em vista as novas formas de organização do trabalho, suas habilidades, competências e a respectiva gestão da informação.

É natural, portanto que, a preocupação com o ensino de Administração tenha aparecido muito cedo na história de quase todos os países. Embora, cada um tenha cumprido uma evolução própria, até alcançar as soluções compatíveis com suas necessidades. Algumas soluções mundialmente conhecidas, seguidas e celebradas.

O conhecimento filosófico se torna imprescindível para conhecermos as coisas que nos rodeiam.

Os executivos de uma empresa assumem posturas filosóficas, os religiosos, os políticos, os roqueiros, os ecologistas, os sindicalistas e assim por diante, quer os próprios agentes tenham consciência disso ou não. Em suma, a filosofia está presente na existência humana e sua utilização permite ao ser humano pensar com clareza, refletir mais profundamente sobre suas ações.

Com base na personalidade carismática, partia do pressuposto de que era uma forma de personalidade humana na qual o ser humano era visto na figura de um herói pelos seus atos, temos como exemplo os líderes, os profetas, guerreiros dentre outros.

docsity.com

TEORIAS DA ADMINISTRAÇÃO

Teoria é o nome dado a um conjunto de abstrações que tenta explicar a realidade.

Como o mundo real é vasto e complexo, a teoria procura produzir conhecimento codificado a respeito dele e extrair princípios ou leis que o expliquem de maneira organizada e racional.

As teorias nos ajudam a entender processos essenciais.

Todas as teorias da administração são produtos do ambiente, forças sociais, econômicas, políticas, tecnológicas e culturais.

E que permitem trabalhar com maior probabilidade de sucesso nas ações relacionadas a ele.

Assim, a teoria funciona como uma representação abstrata daquilo que se percebe como realidade, um conjunto de afirmações ou regras para abordar algum aspecto do mundo real.

docsity.com

A discussão entre teoria e pratica vem de longe.

A teoria se torna desnecessária e descartável sem que se focalize a ação pratica, e a pratica sem a base de uma teoria que a alicerce é mera brincadeira ou perda de tempo e esforço.

Teorias da Administração são conhecimentos organizados e codificados em decorrência da experiência pratica e empírica da administração em organizações.

É o caso da escola das relações humanas ou a escola do processo administrativo.

As teorias da Administração possuem uma forte capacidade preceptiva, ou seja, elas permitem prever, com base em uma lógica clara, os efeitos que as ações administrativas irão provocar no mundo real.

Como em medicina, por exemplo, o tratamento médico depende das circunstancias de cada paciente.

O medico é formado exatamente para aprender a discernir a melhor linha de conduta a partir da situação especifica de cada paciente.

As teorias da Administração podem ser agrupadas de acordo com sua abordagem ou enfoque.

Uma abordagem constitui um conjunto de perspectivas comuns a alguns autores dentro de um quadro referencial e que as distingue de outras abordagens.

Assim, abordagem clássica, abordagem estruturalista, abordagem comportamental constituem maneiras de enfocar a Administração sob pontos de vista comuns a alguns autores.

Cada abordagem apresenta uma maneira diferenciada e própria de visualizar a administração.

AS HABILIDADES DO ADMINISTRADOR

Em cada organização, o administrador efetua diagnósticos de situações, define estratégias, dimensiona recursos, planeja aplicação, utiliza tecnologias, aplica competências, resolve problemas, gera inovação e competitividade.

O Administrador bem-sucedido em uma organização pode não sê-lo em outra.

Ele não e julgado apenas pelo que sabe a respeito das funções que exerce em sua especialidade, mas pela maneira como realiza seu trabalho e pelos resultados que obtém dos recursos e competências disponíveis.

docsity.com

Levit lembra que o conhecimento do administrador é apenas um dos múltiplos aspectos da sua capacitação profissional.

Ele é avaliado pelo seu modo de agir e decidir, suas atitudes, conhecimentos, habilidades, competências, personalidade e estilo de trabalho.

O administrador precisa reunir três tipos de habilidades: técnicas, humanas e conceituais.

1 - Habilidades técnicas consistem em usar seus conhecimentos, métodos, técnicas e equipamentos para realização de tarefas por meio da experiência profissional.

Estão relacionadas com o fazer, com o trabalho com coisas estáticas e inertes, como processos materiais ou objetos físicos.

2 - Habilidades humanas consistem na capacidade e discernimento para trabalhar com pessoas em equipe.

Estão relacionadas com a interação com pessoas e envolvem a capacidade de comunicar, motivar, coordenar, liderar e resolver conflitos pessoais ou grupais para obter cooperação na equipe, participação e envolvimentos das pessoas.

Habilidades humanas são imprescindíveis para o bom exercício da liderança organizacional

3 - Habilidades conceituais consistem na capacidade para lidar com idéias e conceitos abstratos e está relacionado com pensar, raciocinar, diagnosticar situações e formular alternativas de solução dos problemas.

Representam as capacidades cognitivas que permitem planejar o futuro, interpretar a missão, desenvolver a visão e perceber oportunidades onde ninguém enxerga coisa nenhuma.

As habilidades conceituais são imprescindíveis aos Administradores de Topo.

Segundo pesquisa realizada em empresas:

“[...] as organizações desejam profissionais de Administração com as seguintes características: Capacidade de identificar prioridades; Capacidade de operacionalizar idéias; Capacidade de delegar funções; Habilidade para identificar oportunidades; Capacidade de comunicação, redação e criatividade; Capacidade de trabalho em equipe; Capacidade de liderança; Disposição para correr riscos e responsabilidade; Facilidade de relacionamento interpessoal; Domínio de métodos e técnicas de trabalho; Capacidade de adaptar-se a normas e procedimentos; Capacidade de estabelecer e consolidar relações; Capacidade de subordinar-se e obedecer à autoridade. MEIRELES (2003, p. 34).”

São características desafiadoras, não é fácil desenvolvê-las, sustentá-las é ainda mais complicado. Essa é exatamente a missão do Administrador, vencer todos seus desafios e mostrar

docsity.com

sua capacidade de se manter e crescer-nos mais diferentes cenários. Somente assim o Administrador será considerado capaz de Administrar.

A combinação dessas habilidades e importante, na medida em que se sobe nos níveis mais altos da organização, diminui a necessidade de habilidades técnicas, enquanto aumenta a necessidade de habilidades conceituais.

A TGA de dispõe a alicerçar a habilidade conceitual, embora não omitas as habilidades humanas e técnicas.

Ela se propõe a desenvolver a capacidade de pensar e refletir, definir situações organizacionais complexas, diagnosticar e propor soluções e inovações na organização.

A três habilidades técnicas, humanas e conceituais, requerem competências pessoais distintas.

As competências, qualidades de quem é capaz de analisar uma situação, apresentar soluções e resolver assuntos ou problemas, constituem o maior patrimônio pessoal do administrador.

A ADMINISTRAÇÃO E SUAS PERSPECTIVAS

Em um mundo de negócios altamente competitivo e carregado de mudanças e incertezas, a Administração tornou-se o centro de toda atividades humana.

Vivemos em uma civilização na qual o esforço cooperativo do homem é a base fundamental da sociedade, e a tarefa básica da administração é a base fundamental da sociedade, e a tarefa básica da Administração é a fazer as coisas por meio das pessoas de maneira eficiente e eficaz.

O avanço tecnológico e o desenvolvimento do conhecimento humano, por si apenas, não produzem efeitos se a qualidade da administração efetuada sobre os grupos de pessoas não permitir uma aplicação efetiva dos recursos humanos e materiais.

A administração é considerada a principal chave para a solução dos mais graves problemas que afligem atualmente o mundo moderno.

A tarefa básica da Administração é fazer as coisas por meio das organizações de maneira eficiente e eficaz.

Administração é a chave para a solução dos problemas que afligem o mundo moderno.

O trabalho do administrador , seja ele um supervisor ou o dirigente máximo da organização, é essencialmente o mesmo.

docsity.com

A tarefa de administrar se aplica a todo tipo ou tamanho de organização, grandes empresas, indústrias, universidades, cadeias de supermercados, clubes, hospitais ou organizações não- governamentais (ONGs).

Peter Drucker afirma que não existem países desenvolvidos e subdesenvolvidos, mas países que sabem administrar a tecnologia e os recursos disponíveis e potenciais e países que ainda não o sabem.

Em outros termos, existem países administrados e países sub-administrados.

O mesmo ocorre com as organizações, existem organizações excelentes e existem organizações precariamente administradas, tudo é uma questão de talento administrativo.

INFLUENCIA DOS FILOSOFOS

A Administração recebeu forte influencia da Filosofia desde a Antiguidade.

Confúcio (551 a.C. – 479 a.C.) ressaltava a importância do mérito pessoal, e este tem por base o conhecimento.

As idéias de Confúcio foram adotadas por Shih Huang-TI, que substitui o sistema feudal chinês, e quem o poder e a força militar dependiam da família do imperador, por um sistema baseado no mérito para alcançar posições mais elevadas na hierarquia.

Sócrates (470 a.C399a.C.), filósofo grego, expõe seu ponto de vista sobre a Administração como uma habilidade pessoal separada do conhecimento técnico e da experiência.

Platão (429 a.C. – 347 a.C.), outro filosofo grego, mostra em sua obra A Republica, a forma democrática de administração dos negócios públicos.

Aristóteles (384 a.C. -322 a.C.), discípulo de Platão, deu o impulso inicial à Filosofia, Cosmologia, Nosologia Metafísica, Lógica, Ética e Ciências Naturais, abrindo as perspectivas do conhecimento humano que deve basear-se na realidade.

Aristóteles foi o criador da Ética: As pessoas têm um fim intrínseco e ultimo que é a felicidade.

A razão e a virtude são os meios para se encontrar a felicidade.

No período da Antiguidade ate o inicio da Idade Moderna, a Filosofia desprendeu-se dos problemas administrativos.

Com Francis Bacon (1561-1626), filosofo e fundador da Lógica moderna baseada no método experimental e indutivo, surge à preocupação de separar o essencial do acidental ou acessório.

docsity.com

Os filósofos buscam constantemente soluções para os problemas que o correm em seu meio podendo ser externo ou até mesmo interno.

Eles buscaram em sua época o que as organizações buscam constantemente: planejamento, organização das tarefas, direção e controle, porém vemos que em um período tão desglobalizado, houve mais resultados positivos do que muitas empresas que existem hoje em dia.

Merece referências à influência dos filósofos gregos, como Platão (429 a.C. 347 a.C.) discípulo de Sócrates, e Aristóteles (384 a.C. 322 a.C.), discípulo de Platão. Ambos deixaram contribuições para o pensamento administrativo do Século XX. Platão preocupou-se com os problemas de natureza política e social relacionados ao desenvolvimento do povo grego.

Outros filósofos deixaram importantes contribuições para a formação do pensamento administrativo: Nicolau Maquiavel (1469 – 1527) historiador e filósofo político italiano, seu livro mais famoso, O Príncipe (escrito em 1513 e publicado em 1532) refere-se à forma de como um governante deve se comportar. Segundo Maximiano (2000, p.146), Maquiavel pode ser entendido “como um analista do poder e do comportamento dos dirigentes em organizações complexas”. Certos princípios simplificados que sofreram popularização estão associados a Maquiavel (observa-se o adjetivo maquiavélico):

Francis Bacon (1561 – 1626) filósofo e estadista inglês, considerado um dos pioneiros do pensamento científico moderno, fundador da Lógica Moderna baseada no método experimental e indutivo (do específico para o geral).

René Descartes (1596-1650), filósofo, matemático e físico Francês, considerando o fundador da Filosofia moderna, celebrizou-se pelo livro Discurso do Método, no qual descreve seu método filosófico denominado método cartesiano, cujos princípios são:

01 – Princípio da dúvida sistemática ou da evidência consiste em não aceitar nada como verdadeiro, enquanto não se souber com evidência clara e distintamente aquilo que é realmente verdadeiro, com isto evita-se a precipitação, aceitando com o certo o que seja evidentemente certo.

02- Princípio da análise ou de decomposição consiste em dividir cada problema em tantas partes quantas sejam possíveis e necessárias à sua adequação e solução, e resolvê-las casa uma separadamente.

03 – Principio da síntese ou da composição, consiste em conduzir de maneira ordenada o pensamento e o raciocínio, começando pelos assuntos mais fáceis de conhecer para passar gradualmente aos mais difíceis.

04 – Princípio da enumeração ou da verificação consiste em verificar, rever e recontar para que se fique seguro de nada haver omitido.

docsity.com

Thomas Hobes (1588 – 1679) filósofo e teórico político inglês, segundo o qual o homem primitivo era um ser anti-social por definição, atirando-se uns contra os outros pelo desejo de poder, riquezas e propriedades – “o homem é o lobo do próprio homem”. O Estado surge como a resultante da questão, que, de forma absoluta, impõe a ordem e organiza a vida social.

Karl Marx (1818 – 1883) e Friedrich Engels (1820 – 1895) propuseram uma teoria da origem econômica do Estado. Chiavenato (1983, p.23) escreve que, de acordo com Marx e Engels a dominação econômica do homem pelo homem é a geradora do poder político do Estado, que vem a ser uma ordem coativa imposta por uma classe social exploradora.

Adam Smith (1723 – 1790) filósofo e economista escocês, considerado como criador da Escola Clássica da Economia, em 1776 publica a sua obra “Uma investigação sobre a natureza e as causas da riqueza das nações”, mais conhecido como A Riqueza das Nações, já abordava o princípio da especialização dos operários e o princípio da divisão do trabalho em uma manufatura de agulhas para destacar a necessidade da racionalização da produção.

Todo indivíduo necessariamente trabalha no sentido de fazer com que o rendimento anual da sociedade seja o maior possível.

Ao preferir dar sustento mais à atividade doméstica que à exterior, ele tem em vista apenas sua própria segurança; e, ao dirigir essa atividade de maneira que sua produção seja de maior valor possível, ele tem em vista apenas seu próprio lucro, e neste caso, como em muitos outros, ele é guiado por uma mão invisível a promover um fim que não fazia parte de sua intenção.

Ao buscar seu próprio interesse, freqüentemente ele promove o da sociedade de maneira mais eficiente do que quando realmente tem a intenção de promovê-lo.

David Ricardo (1772 – 1823) economista britânico, em sua obra “Princípios de Economia Política e Tributação”, publicada em 1817, tratava de teorias cujas bases residiam nos seus estudos sobre a distribuição da riqueza em longo prazo. Segundo David Ricardo o crescimento da população tenderia a provocar a escassez de terras produtivas. Tal Como Adam Smith, Ricardo admitia que a qualidade do trabalho contribuía para o valor de um bem.

Uma importante contribuição sua foi o princípio dos rendimentos decrescentes, devido à renda das terras. Tentou deduzir uma teoria do valor a partir da aplicação do trabalho.

John Stuart Mill (1806 – 1873) filósofo e economista britânico publicou “Princípios de Economia Política” onde, segundo Chiavenato (1983, p.31) apresenta um conceito de controle objetivando evitar furtos nas empresas.

A partir do Séc. XX poderemos verificar no pensamento de Peter Drucker a crescente preocupação com as novas formas de atuação do administrador enquanto individuo e da administração enquanto prática para que tal indivíduo alcance e desenvolva a felicidade, zelo, controle do trabalho, utilidade do valor, a ordem, a organização, e outros aspectos já

docsity.com

evidenciados pelos filósofos clássicos diante de um mundo tão complexo como o que vivenciamos hoje, chamados de mundo globalizado.

ESCOLA DA ADMINISTRAÇÃO CIENTIFICA

Escola da Administração Científica, desenvolvida nos Estados Unidos a partir dos Trabalhos de Taylor.

Frederick Taylor foi o criador e participante mais destacado do movimento da Administração Científica. Nasceu em 1.856, na Pensilvânia. Tornou-se trabalhador manual, apesar de ter sido aprovado para a Escola de Direito de Harvard. Segundo seus biógrafos, Taylor tomou essa decisão, pois os estudos prejudicaram sua visão.

Trabalhou para uma empresa fabricante de bombas hidráulicas onde começou a observar o que achava má administração.

Em 1.878, retomou os estudos, desta vez em engenharia; obteve o título de mestre em 1.883. Começou a desenvolver, também, os primeiros de uma série de muitos aprimoramentos técnicos.

Essa escola era formada por engenheiros, como Frederick Winslow Taylor, Henry Lawrence Gantt, Frank Bunker Gilbreth, Harrington Emerson, alem de Henry Ford.

Foi na Midvale que observou os problemas das operações fabris que podemos encontrar em algumas empresas até hoje. Por exemplo:

· A administração não tinha noção clara da divisão de suas responsabilidades com o trabalhador.

· Não havia incentivos para melhorar o desempenho do trabalhador.

· Muitos trabalhadores não cumpriam suas responsabilidades.

· As decisões dos administradores baseavam-se na intuição e no palpite.

· Não havia integração entre os departamentos da empresa.

· Os trabalhadores eram colocados em tarefas para as quais não tinham aptidão.

· Os gerentes pareciam ignorar que a excelência no desempenho significava recompensas tanto para eles próprios quanto para a mão-de-obra.

· Havia conflitos entre capatazes e operários a respeito da quantidade da produção.

docsity.com

Taylor procurou resolver esses e outros problemas que eram e continuam sendo comuns nas empresas.

Em 1.893, Taylor foi contratado para trabalhar exclusivamente na Bethlehem Steel (uma das grandes siderúrgicas, com 400 empregados em 1900), na qual desenvolveu suas idéias a respeito da administração científica.

Nessa empresa, inventou com J. Maunsel White, o que se tornou conhecido como o processo Taylor-White para o tratamento térmico do aço empregado na produção de ferramentas; o que trouxe aprimoramentos de 200 a 300% na capacidade de corte.

Em 1.901, retornou para a Filadélfia, dedicando-se à divulgação de suas idéias. Em 1.910, foi criada a Sociedade para a Promoção da Administração Científica, que se tornou, em 1.915, ano de sua morte, Sociedade Taylor.

QUAIS OS PRINCIPIOS E CONTRIBUIÇOES PARA ADMINISTRAÇÃO

Fayol desenvolveu 14 princípios gerais de administração que se aplicam a todos os tipos de organização. Eram considerados flexíveis e capazes de ir ao encontro das necessidades administrativas se usado com inteligência, experiência, capacidade de tomar decisões e senso de proporção.

01. Divisão do Trabalho: Executando somente uma parte da tarefa, um trabalhador pode produzir mais e melhor com o mesmo esforço. A especialização é a maneira mais eficiente de usar o esforço humano.

02. Autoridade e Responsabilidade: Autoridade é o direito de dar ordens e conseguir obediência. Responsabilidade é uma conseqüência de autoridade.

03. Disciplina: É necessário haver obediência às regras da organização. A melhor maneira de ter bons chefes e regras justas e claras, e bons acordos, é aplicar as sanções com justiça.

04. Unidade de Comando: Deve haver somente um chefe para cada empregado.

05. Unidade de Direção: Todas as unidades da organização devem seguir em direção aos mesmos objetivos através de um esforço coordenado.

docsity.com

06. Subordinação do interesse individual ao geral: Os interesses da organização devem ter prioridade sobre os interesses dos empregados.

07. Remuneração dos empregados: O salário e a compensação para os empregados devem ser justos, tanto para os empregados como para a organização.

08. Centralização: Deve haver um equilíbrio entre o envolvimento do empregado, através da descentralização, e a autoridade final do administrador, através da centralização.

09. Hierarquia: As organizações devem ter uma via de autoridade e comunicação, que vem do alto até os níveis mais baixos e deve ser seguida pelos administradores e pelos subordinados.

10. Ordem: Pessoas e materiais devem estar em lugares adequados e no tempo certo para o máximo de eficiência, isto é, um lugar para cada coisa e cada coisa em seu lugar.

11. Eqüidade: É necessário bom senso e experiência para assegurar um tratamento justo a todos os empregados, os quais devem ser tratados da mesma forma.

12. Estabilidade de Pessoal: A rotatividade de mão-de-obra deve ser diminuída, para manter a eficiência da organização.

13. Iniciativa: Os empregados devem ser encorajados a desenvolver e programar planos de melhorias.

14. Espírito de Grupo: A administração deve promover um espírito de unidade e harmonia entre os empregados, para um trabalho em grupo.

docsity.com

DESENVOLVIMENTO

Os estudos de Taylor, relacionados à Administração Científica, evidenciam a busca constante pela produtividade com a máxima eficiência, através da Organização Racional do Trabalho que é à base desse estudo e que se fundamenta nos seguintes princípios: estudo dos tempos e movimentos, prêmios de produção, divisão de tarefas, padronização, desenho de cargos e tarefas e condições ambientais, entre outros, sendo que esses são os principais para o desenvolvimento de tarefas e conseqüentemente um aumento na produtividade.

O tempo passou e os pontos evidenciados por Taylor ainda são muito presentes nas organizações.

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Neste trabalho, nós entendemos que Taylor e Henry Fayol com os seus conceitos influenciaram muito no desenvolvimento do comportamento da sociedade dentro de um ambiente empresarial e a evolução das máquinas, como isso, ele beneficiou a mão de obra, reduzindo a carga horária dos operadores e ajudou a aumentar a produtividade com os seus projetos científicos.

As cinco funções precípuas da gerência administrativa como: planejar, comandar, organizar, controlar e coordenar, essas regras no nosso consentimento é visto como ponto de partida para administração de uma empresa.

Referências bibliográficas:

Programa do Livro Texto PLT – 158 Administração Idalberto Chiavenato

http://blig.ig.com.br/mundoacademico/2009/05/19/a-administracao-e-suas-perspectivas/

http://www.administradores.com.br

docsity.com

http://www.administradores.com.br/informe-se/artigos/a-influencia-dos-filosofos-na- administracao/25128/

http://www.serratalhada.net/negocios/mostra.asp?noticia=noticia7.asp

http://www.spiner.com.br/modules.php?name=Forums&file=viewtopic&t=394

http://www.admpga.hpg.ig.com.br

docsity.com

comentários (0)
Até o momento nenhum comentário
Seja o primeiro a comentar!
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Docsity is not optimized for the browser you're using. In order to have a better experience we suggest you to use Internet Explorer 9+, Chrome, Firefox or Safari! Download Google Chrome