Projeto de combate incendio, Projetos de Administração Empresarial. Instituto Superior de Entre Douro e Vouga
ocpet_banho_e_tosa
ocpet_banho_e_tosa17 de Dezembro de 2015

Projeto de combate incendio, Projetos de Administração Empresarial. Instituto Superior de Entre Douro e Vouga

DOCX (1016.4 KB)
12 páginas
309Número de visitas
Descrição
Relatório de abandono de incêndio
20pontos
Pontos de download necessários para baixar
este documento
baixar o documento
Pré-visualização3 páginas / 12
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Pré-visualização finalizada
Consulte e baixe o documento completo
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Pré-visualização finalizada
Consulte e baixe o documento completo

OBJETIVO GERAL

O objetivo geral é elaborar um plano de segurança contra incêndio e pânico para uma fábrica de conexões plásticas com área construída de 1200m².

OBJETIVOS ESPECIFICOS

• Dimensionar o sistema móvel necessário para proteção da fábrica de conexões plásticas.

• Sinalizar no Plano de Segurança Contra Incêndio e Pânico - PSCIP as rotas de fuga necessárias para evacuação da empresa em caso de sinistro.

• Construir rede de hidrante com caixa de água elevada com pressão por gravidade, contendo bomba jockey.

• Construir rede de mangotinhos e de extintores.

TIPOS DE CONEXÕES

Os tubos de conexões são classificadas em linha predial cujos produtos são indicados para o uso em edificações residências e comerciais, outra linha chamada de linha industrial caracteriza-se por ter uma alta tecnologia de formulação, rigoroso controle de qualidade das matérias-primas, pelo processo de fabricação e por resistir à agressividade do meio. Ainda podem ser divididos em tipos PVC, RPVC, CPVC, PPR, PVC esgoto.

EXTINÇÃO DO FOGO

Quando a prevenção falha, os empregados e empregadores devem estar preparados para combater ao incêndio de forma rápida antes que ele se propague e saia do controle e quanto mais se demora a tomar uma atitude, maiores são as consequências causadas pelo fogo. Sendo assim a extinção de um princípio de incêndio consiste basicamente na retirada de um dos três elementos que compõem o fogo e pode ser feita através do abafamento, resfriamento ou retirada do combustível

• ABAFAMENTO: consiste em impossibilitar a chegada de oxigênio (comburente) à combustão, diminuindo seu percentual necessário à queima, extinguindo-a.

• RESFRIAMENTO: consiste em diminuir a temperatura de queima, até o limite em que a temperatura de ignição do combustível não seja proporcional para que ocorra a combustão.

• RETIRADA DO COMBUSTÍVEL: consiste em retirar do local da queima o combustível, que poderá ser total ou parcial, diminuindo o tempo de combustão ou extinguindo-o.

NORMA REGULAMENTADORA REFERENTE A INCENDIO

Conforme redação dada pela Portaria SIT n.º 221, de 06 de maio de 2011 a NR 23 relata que:

23.1 Todos os empregadores devem adotar medidas de prevenção de incêndios, em conformidade com a legislação estadual e as normas técnicas aplicáveis. 23.1.1 O empregador deve providenciar para todos os trabalhadores informações sobre:

• Utilização dos equipamentos de combate ao incêndio;

• Procedimentos para evacuação dos locais de trabalho com segurança;

• Dispositivos de alarme existentes.

23.2 Os locais de trabalho deverão dispor de saídas, em número suficiente e dispostas de modo que aqueles que se encontrem nesses locais possam abandoná-los com rapidez e segurança, em caso de emergência.

23.3 As aberturas, saídas e vias de passagem devem ser claramente assinaladas por meio de placas ou sinais luminosos, indicando a direção da saída.

23.4 Nenhuma saída de emergência deverá ser fechada à chave ou presa durante a jornada de trabalho.

23.5 As saídas de emergência podem ser equipadas com dispositivos de travamento que permitam fácil abertura do interior do estabelecimento.

DESENVOLVIMENTO DO PROJETO

O primeiro passo para formulação do PSCIP é determinar o grupo ao qual a empresa pertence. Consultando o Código de Segurança Contra Incêndio e Pânico do Corpo de Bombeiros encontra-se a classificação de I3 para a indústria em estudo, por se tratar de uma indústria de risco 3.

Levando em consideração a altura da edificação a Tabela 2 do CSCIP classifica a mesma como sendo uma edificação térrea, pois possui apenas um pavimento.

Conforme a Tabela 3 a empresa é classificada com o risco de incêndio elevado, pois sua carga de incêndio é superior a 1.200 MJ/m² devido a matéria prima utilizada. Essa classificação irá determinar qual será o dimensionamento dos extintores no local.

O próximo passo é determinar as medidas de segurança contra incêndio para a edificação. A Tabela 4 do CSCIP do Corpo de Bombeiros do Paraná determina quais as medidas necessárias para e edificação em estudo.

Com a classificação da edificação pela Tabela 4 pode – se observar que a edificação necessita de saídas de emergência, iluminação de emergência, sinalização de emergência, extintores e brigada de incêndio. Neste estudo será dimensionado os equipamentos de combate a incêndio e também as rotas de fuga em caso de incêndio.

Nossa empresa oferece três principais riscos:

Classe A: Materiais que queimam em superfície e em profundidade. Ex.: Madeira, papel, tecido

Classe B: Materiais inflamáveis queimam na superfície. Ex.: Álcool, gasolina, querosene, gás.

Classe C: Equipamentos elétricos e eletrônicos energizados. Ex.: Computadores, TV, motores.

DIMENSIONAMENTO DE EXTINTORES

Além de saber qual a carga que um extintor deve possuir é muito importante que se caminhe o mínimo possível até chegar em um extintor a Tabela 5 fornece esse tipo de informação.

O dimensionamento de extintores de incêndio em uma edificação deve estar baseado em no grau de risco incêndio da ocupação que compreende a soma da carga incêndio de todo de todo material combustível existente no local, inclusive os revestimentos das paredes, divisórias, teto e piso, conforme anexos A e B da NBR 12693/2010.

Dependendo do risco que a empresa, fábrica ou o empreendimento oferece existe um limite máximo de caminhamento para chegar a um extintor, que neste caso é de 15 metros, pois a empresa está enquadrada no risco elevado. É importante que os extintores que forem instalados em paredes ou divisórias a altura máxima de fixação do suporte deve variar, no máximo, entre 1,6 m do piso e de forma que a parte inferior do extintor permaneça, no mínimo, a 0,10 m do piso acabado. Os extintores não devem ser instalados em escadas (Normas de Procedimentos Técnicos - 021, 2011).

Um extintor deve ficar pelo menos 5 metros da entrada e saída de emergência mais próxima. Para efeito de vistoria do Corpo de Bombeiros, o prazo de validade da carga e a garantia de funcionamento dos extintores deve ser aquele estabelecido pelo fabricante, se novo, ou pela empresa de manutenção certificada pelo Inmetro, se recarregado (Normas de Procedimentos Técnicos - 021, 2011). Na planta fabril desse documento serão usados 16 unidades dos modelos abaixo. Os modelos de extintores usados nesse pavimento devem ser:

• Pó ABC: excelente para gasolina e bom para papel e plásticos PVC.

■ Será necessário 11 unidades desse modelo, sendo 8 unidades na fábrica e 3 unidades no escritório.

• CO2: excelente para gasolina e eletricidade.

Será necessário 1 unidade desse modelo que será usado na fábrica.

• Água: excelente para eletricidade, madeira e plásticos.

■ Será necessário 4 unidades desse modelo, sendo 3 unidades na fábrica e 1 unidade no escritório.

SINALIZAÇÃO POR SÍMBOLOS

A figura abaixo indica qual a sinalização de parede para os extintores conforme a NPT - 020 (2011) incêndio deve ter a seguinte ilustração segundo Sinalização de Equipamentos de Combate a Incêndios e Alarme E5.

Já a figura abaixo indica como deve ser a sinalização de solo para os extintores.

DIMENSIONAMENTO DE HIDRANTES

As instalações de sistema fixos de combate a incêndio não podem substituir totalmente a utilização dos extintores, isto é, independentemente do tipo do sistema fixo projetado.

Segundo a NBR 13714, os hidrantes são pontos de tomadas de água com saídas simples ou duplas, com válvulas angulares com seus respectivos equipamentos. Os hidrantes são considerados de combate a incêndio e devem ser utilizados quando o emprego do extintor não for suficiente.

Os hidrantes adotados nessa planta devem ser instalados dentro dos abrigos ou projetados para fora da parede, a quantidade para essa empresa é de 4 hidrantes, sendo 3 unidades dentro da fabrica e 1 no escritório.

São compostos por: abrigo, lances de mangueira, esguichos agulheta, chaves de mangueira. Os hidrantes, lances de mangueiras e esguicho deverão ser dotados de uniões de engate rápido.

DIMENSIONAMENTO DE MANGOTINHOS

Os mangotinhos são tubos flexíveis de borracha, reforçado para resistir a pressões elevadas e dotadas de esguichos próprios.

A vantagem sobre os hidrantes é que não é necessário manobras, pois o mangotinho já fica com uma das extremidades acopladas a tubulação enquanto que na outra extremidade já fica acoplado um esguicho.

Esses equipamentos devem ser acondicionados enrolados em um carretel de alimentação axial, permitindo ser desenrolado com facilidade. A quantidade para essa empresa é de 4 mangotinhos, sendo 3 unidades dentro da fabrica e 1 do lado de fora do escritório.

DIMENSIONAMENTO DE BRIGADA

Segundo a IT a brigada de incêndio é uma equipe formada por ocupantes de uma edificação, cuja a função é a de prevenção e combate a incêndio e salvamento e também acompanhar os bombeiros quando chegarem ao local, para passar as informações importante do ambiente, por exemplo, se a vítimas, que material que está queimando ou onde estão os equipamentos de incêndio.

A fábrica tem um pavimento único com 140 funcionários trabalhando em turno único. Como o grau de risco da fábrica em questão é I3 (locais onde há alto risco de incêndio). Pelo o cálculo feito chegamos a um dimensionamento de 19 brigadista, sendo um responsável geral.

Cabe aos brigadistas checarem os equipamentos de combate a incêndio, sua localização e se há algum tipo de obstrução. Pode-se observar na figura abaixo, quais são as recomendações a serem feitas em caso de acionamento de brigada.

TREINAMENTO DA BRIGADA PREVENÇÃO E COMBATE A INCENDIO

Fatores para prevenção de incêndio é estar sempre em dia com os documentos dos bombeiros, manutenção, equipamentos adequados ao risco, sinalização, familiarização dos ocupantes com o local.

Para que haja fogo é necessário ter três fatores muito importantes que são:

• Combustível

• Comburente

• Calor

São reações que se processam durante o fogo produzido sua própria energia de ativação (calor) enquanto houver suprimento de combustível (oxigênio) e material combustível para queimar.

Combustão: é uma reação química entre elementos. Durante esta reação química entre os combustíveis e os comburentes, ocorrerá à combinação dos elementos químicos, originando outros produtos diferentes que são:

1. Fumaça

2. Calor

3. Gases

4. Chamas ou incandescência

FUMAÇA

A fumaça é um mescla de gases, partículas solidas e vapores de água. A cor da fumaça serve de orientação prática, indica o tipo do material que está sendo decomposto na combustão.

• Fumaça branca ou cinza clara indica que é uma queima de combustível comum como, por exemplo, madeira, tecido, papel, capim.

• Fumaça negra ou cinza escura é originária de combustão incompleta, geralmente produtos derivados de petróleo, tais como graxas, óleos, pneus, plásticos.

• Fumaça amarela ou vermelha indica que está queimando um combustível em que seus gases são altamente tóxicos como, por exemplo, produtos químicos.

COMBUSTIVEL

É o material que alimenta o fogo e serve de campo à sua propagação. Pode ser divididos em 3 classes: Sólidos (papel, madeira, tecido), Líquidos (gasolina, diesel, querosene, solventes) e Gasosos (GLP, acetileno, gás natural, gás de nafta).

O comburente é o que dá vida ao fogo e o calor é o elemento que dá início a combustão.

FORMAS DE COMBUSTÃO

As formas de combustão podem ser de quatro tipos:

Completa: o fogo além de produzir calor, produz chama, isto é, luz. A reação se processa em ambiente rico em oxigênio.

Incompleta: o fogo só produz calor, não apresenta chamas, geralmente em ambientes com taxa de oxigênio abaixo de 16%.

Explosão: é uma combustão ultrarrápida e atinge altas temperaturas e grande deslocamento de ar e violenta pressão as paredes, quando confinados.

Espontânea: alguns materiais de origem vegetal tendem a fermentar quando armazenados. Isto resulta em calor e faz o combustível atingir seu ponto de ignição. O mesmo acontece com a incompatibilidade de produtos, ou seja, quando determinados produtos reagem quimicamente quando em contato com outros.

CLASSE DE FOGO

Em nosso ambiente temos alguns materiais que podem trazer problemas futuros com princípio incêndio, as classes de fogo são quatro:

Classe A: Materiais que queimam em superfície e em profundidade. Ex.: Madeira, papel, tecido

Classe B: Materiais inflamáveis queimam na superfície. Ex.: Álcool, gasolina, querosene, gás.

Classe C: Equipamentos elétricos e eletrônicos energizados. Ex.: Computadores, TV, motores.

Classe D: Materiais que requerem agentes extintores específicos. Ex.: Pó de zinco, sódio, magnésio.

EXTINÇÃO DO FOGO

Resfriar: Ao jogarmos água em um incêndio, estamos resfriando, retirando o componente calor.

Abafamento: Ao abafarmos, retiramos o componente oxigênio.

Separar: Ao separarmos o combustível, estamos isolando, como o caso de se abrir uma trilha (acero) no mato para que o fogo não passe.

AÇÕES PREVENTIVAS

Líquidos inflamáveis se evaporam rapidamente quando os recipientes em que são guardados ficam abertos por algum tempo. Tenham cuidado com eles. Se necessário armazene-os, em pequenas quantidades e recipientes fechados.

Ao final do expediente desligue as tomadas quando possível. Mantenha as instalações em bom estado, para evitar sobrecarga, mau contato e curto circuito. Não sobrecarregue as instalações elétricas com vários utensílios ao mesmo tempo, pois os fios esquentam e podem ocasionar um incêndio. Se o local for ficar desocupado por um período prolongado, desligue a chave elétrica principal.

Cuidado com cigarros, eles podem provocar grandes tragédias. Ao terminar, apague completamente o cigarro, não deixe queimando no cinzeiro.

Mantenha sempre livre o acesso a hidrantes, extintores e as saídas de emergência. Faça inspeções periódicas nestes equipamentos.

TIPOS DE EXTINTORES E COMO USAR

Agente extintor (ÁGUA): Indicado com ótimo resultado para incêndios de classe “A”. Esse equipamento é ineficaz para classe “B” e “C”. A extinção do fogo nesse caso é de resfriamento.

• Modo de usar (Pressurizado): Rompa o lacre e aperte o gatilho, dirigindo o jato para a base do fogo.

Modo de usar (Água - gás): Abra o registro da ampola de gás e dirija o jato para a base do fogo.

Agente extintor (ESPUMA MECÂNICA): Indicado com ótimo resultado para incêndios de classe “B” e com bom resultado para a classe “A”, não use esse extintor para classe “C”. A extinção do fogo nesse caso é abafamento.

• Modo de usar: Aproxime-se com segurança do líquido em chamas, inverta a posição do extintor (de cabeça para baixo) e dirija o jato para um anteparo, de modo que a espuma gerada cubra o líquido como uma manta.

Agente extintor (PÓ QUÍMICO SECO): Indicado com ótimo resultado para incêndios de classe “C” e sem grande eficiência para classe “A”. A extinção do fogo nesse caso é abafamento.

• Modo de usar: Rompa o lacre e aperte o gatilho, dirigindo o jato para a base do fogo. A pressurizar abra o registro da ampola de gás e dirija o jato para a base do fogo.

Agente extintor (GÁS CARBÔNICO): Indicado para incêndios de classe “C” e sem grande eficiência para a classe “A”. A extinção do fogo nesse caso é abafamento.

• Modo de usar: Rompa o lacre e aperte o gatilho, dirigindo o difusor para a base do fogo. Não toque no difusor, poderá gelar e colar na pele causando lesões.

Incêndios de classe “D” requerem extintores específicos, podendo em alguns casos serem utilizados o de gás carbônico CO2 ou o pó químico.

HIDRANTES

As mangueiras devem permanecer desconectadas – conexão tipo engate rápido – devem estar enroladas convenientemente e sofrer manutenção constante. Os abrigos dos hidrantes geralmente alojam mangueiras de 15 ou 30 metros e bicos que possibilitam a utilização da água em jato ou sob a forma de neblina tipo universal.

• Procedimentos de uso: Abra a caixa de incêndio logo depois segure o esguicho da mangueira retirando-o da caixa de incêndio. Abra então o registro, após esticar bem a mangueira, dirija o jato de água para a base do fogo.

SPRINKLERS

Formadas por uma rede de tubulações, dotadas de dispositivos especiais que entram em ação conforme a temperatura dimensionada, descarregando agua sobre o foco de incêndio, em quantidade suficiente para o controle do incêndio.

Mandar os extintores sempre vazio para recarga, conheça os locais onde estão instalados os outros equipamentos de proteção ao fogo. Nunca obstrua os acessos aos extintores ou hidrantes. As mangueiras devem ser confeccionadas em fibra sintética, produzida com composto de borracha vulcanizada. Medindo de 15 a 30 metros.

Quando acontecer algum princípio de incêndio, deve acionar os brigadistas do turno para auxiliar e tomar as devidas providencia no qual foi dito nesse treinamento, e chame o bombeiro pelo 193.

comentários (0)
Até o momento nenhum comentário
Seja o primeiro a comentar!
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Docsity is not optimized for the browser you're using. In order to have a better experience we suggest you to use Internet Explorer 9+, Chrome, Firefox or Safari! Download Google Chrome