Psicologia - notas - Sociologia, Notas de estudo de Psicologia Social. Universidade do Vale do Sapucaí
Rio890
Rio8901 de Março de 2013

Psicologia - notas - Sociologia, Notas de estudo de Psicologia Social. Universidade do Vale do Sapucaí

PDF (218.2 KB)
6 páginas
5Números de download
1000+Número de visitas
Descrição
Psicologia jurídica: Definição de psicologia, linguagem e pensamento, teorias cognitivas.
20pontos
Pontos de download necessários para baixar
este documento
baixar o documento
Pré-visualização3 páginas / 6
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Pré-visualização finalizada
Consulte e baixe o documento completo
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Pré-visualização finalizada
Consulte e baixe o documento completo
RESUMO PSICOLOGIA JURÍDICA – 1º BIM

1

PSICOLOGIA JURÍDICA

A PSICOLOGIA

Psicologia.

Definição: ciência que estuda o comportamento, a experiência e as relações sociais do ser humano e

de alguns animais. Exige: observação, descrição e identificação dos fatos.

 Comportamento humano:

- Corpo, cérebro e mente: a psicologia trabalha com a realidade psíquica, elaborada pelo indivíduo

armazenados na mente.

- Sem corpo não há mente e para a ciência, reconhecer que o humano constitui uma entidade total

que inclui corpo e a mente, na qual “o cérebro é a audiência cativa do corpo” – Damásio.

- Segundo neurocientista Antônio Damásio – “as vezesm usamos nossa mente não para descobrir

fatos, mas para encobrí-los ... ainda que nem sempre de maneira intencional”.

 Sensação e percepção:

- Sensação: estimulação dos órgãos do sentido . ex.: lua ou ondas sonoras;

- Percepção: seleção, organização e interpretação do impulso sensorial. Ex.: organização e tradução

do impulso em algo significativo;

- Atenção: a cada momento, muitos estímulos chegam ao cérebro. A atenção possibilita selecionar

alguns e descartar o restante, por meio de células cerebrais especializadas, denominadas detectores

de padrão. Diversos fatores influenciam a atenção seletiva, como a emoção, a experiência, os

interesses, as necessidades do momento, etc. tudo o que modifica chama a atenção como um som

mais alto, um movimento diferente, um brilho, etc. A atenção filtra os estímulos e os estímulos

selecionados irão compor a figura na percepção.

- Fenômenos que contribuem para a “falta de atenção”:

Quando uma pessoa simplesmente não entende o que acontece; mecanismos de defesa do ego

impedem que o indivíduo tenha a atenção despertada para determinados estímulos; ou quando a

pessoa esta concentrada em outra atividade e o organismo não responde a novos estímulos.

- Obtenção e permanência da atenção dependem de dois conjunto de fatores:

1 – características dos estímulos: intensidade, novidade e repetição;

2 – Fatores interno da pessoa: necessidade e objetivos (o que se quer obter); coisas que

proporcionam prazer; indícios de algo temido, esperado ou antecipado.

 Esse conjunto de fatores pode influênciar a pessoa de alguma forma? Sim; São

influenciados pela formação profissional preferências de vida de cada pessoa:

inconscientemente, o juiz, o promotor ou o advogado podem prestar maior atenção a

determinadas situações ou detalhes em detrimento do outros. O memso acontece com as

testemunhas.

 A atenção e a memória são interligadas? Sim; Estão interligadas; a atenção prima pela

inconstância e a memória costuma protagonizar notáveis confusões. Possuem confiabilidade

discutível.

Memória:

docsity.com

2

- Segundo JUNG é a faculdade de reproduzir contéudos inconscientes. Ela e desencadeada por

sinais, informações recebidas pelos sentidos, que despertam a atenção. Se esta não acontecer, a

informação não ativa a memória.

- Uma vez que se preste atenção e registre o estímulo, ocorre a possibilidade de recuperar

informações. A memória possibilita reconhecer o estímulo.

- Nesse processo, a emoção intervém de maneira determinante e contribui decisivamente para que

aconteçam composições, lacunas, distorções, ampliações, reduções dos contéudos e afetando o

reconhecimento.

- Questões dolorosas tendem a ser esquecidas? Sim. Essa tendência contribui para que muitas

pessoas não se recordem de detalhes importantes de eventos ocorridos com elas ou com outras

pessoas, quando chamadas a testemunhar. Os mecanismos psíquicos protegem a mente, embora

possam ser um obstáculo para identificar a verdade dos acontecimentos.

LINGUAGEM E PENSAMENTO: São funções mentais superiores diretamente associadas.

- GODO & LANE – por meio da linguagem, o homem transforma o outro e, por sua vez, é

transformado pelas consequências de sua fala.

- São funções mentais superiores diretamente associadas. Por meio da linguagem o homem

transforma o outro, e é transformado pelas consequências de sua fala. Palavras ajudam a pensar

sobre pessoas e objtos não presentes e assim, expandem, retringem ou limitam o pensamento. A

pessoa é inserida na sociedade pela aprendizagem de uma linguagem, por meio da qual passa a

integrar e representar o seu grupo social.

LANE - A linguagem possibilita representar o mundo, condiciona o registro dos acontecimentos na

memória, porque as práticas, as percepções, os conhecimentos transformam-se quando são falados.

A linguagem influencia e é influenciada pelo pensamento, estabelecendo um círculo de

desenvolvimento.

Segundo MYERS - O pensamento é a atividade mental associada com o processamento, a

compreensão e a comunicação de informações. Compreende as atividades mentais como raciocinar,

resolver problemas e formar conceitos.

Segundo DAMÁSIO – quase nunca pensamos no presente e, quando o fazemos, é apenas para ver

como o pensamento ilumina nosso planos para o futuro.

EMOÇÃO:

KAPLAN e SADOCK – conceitua emoção como um complexo estado de sentimentos, com

componentes somáticos, psíquicos e comportamentais, relacionados ao afeto e ao humor.

- O que é afeto? É a experiência da emoção observável, expressa pelo indivíduo; ele apresenta

correspondente nos comportamentos, por exemplo, na gesticulação, voz, etc.

docsity.com

3

- O que é humor? É experimentado subjetivamente e dele somente se pode obter informaçao

questionando-se a pessoa, pois se trata de experiência interior, subjetiva, que tem a ver com a

percepção do mundo da pessoa.

- A emoção delimita o campo da ação e conduz a razão.

- As inúmeras emoções que o ser humano vivencia podem ser classificadas em dois grupos:

1 – Emoções Positivas: promovem à abertura, a flexibilidade, a disposição para inovar e

ousar a cooperação e estão relacionadas com o prazer. Ex.: Felicidade.

2 – Emoções Negativas: Convidam ao recolhimento, à contenção, ao conservadorismo e

podem tornar-se a base de conflitos e estão relacionados com a dor ou desagrado. Ex.: Raiva.

- A emoção influencia as funções mentais superiores entre seus efeitos podemos citar: a emoção

modifica a sensação e a percepção e provoca ainda a predisposição perceptiva.

Obs.: a fluência das idéias está reduzida na tristeza a aumentada durante a felicidade.

- Quais são as manifestações das emoções?

1 – MEDO: recebe grande influência de condicionamentos, associados a situações ameaçadoras. O

sentimento normal de medo é uma emoção de intensidade e duração variáveis entre o sobressalto e a

ansiedade. Gera condutas esteriotipadas, aumenta o estado de alerta. A frequencia cardíaca acelera.

O medo tolhe o raciocínio.

2 – RAIVA: gera condutas inadequadas e consome as energias. Ela pode seguir-se ao medo. É uma

emoçõa negativa e tolhes a criatividade. A raiva adquire contornos ainda piores quando origina

pensamentos obsessivos, como o desejo de vingança.

3 – PAIXÃO: é uma notável força interior que domina o indivíduo. O que mais surpreende na

paixão é o poder do objeto.

4 – INVEJA: seu aspecto positivo está na situação em que ela desperta a motivação para a ação

proativa. Ex.: trabalha para conquistar uma posição social melhor e assim conquistar o objeto da

inveja. Seu aspecto negativo evidencia-se quando o método de conseguir a satisfação constitui um

delito. Ex.: o invejoso opta por prejudicar quem lhe provoca essa menção negativa.

5 – EXPLOSÃO EMOCIONAL: é um combustível que o corpo acumula até a explosão emocional.

Ex.: chorro compulsivo, depressão profunda, comportamentos agressivos, etc. Uma estratégia para

lidar com esse sentimento é não reagir a ela.

- A administração das explosões emocionais genuínas requer auto-controle e estratégias? Quais são

elas?

1 – deslocar o foco: ex.: do passado (domínio do ódio) para o futuro (campo da expectativa).

- Concentrar em questões práticas: a atenção deixa de ser a pessoa do inimigo para focalizar

procedimentos reais e necessários.

- Promover idalizações do futuro: o indivíduo vê-se forçado a investir no campo da

racionalidade.

- Manter o bom humor: o melhor antídoto conta a raiva, eficaz para promover a

desconcentração, desde que empregado com critério e sensibilidade, para não ser confundido

com desinteresse.

docsity.com

4

PIRANDELO- “assim é, se lhe parece”

- Os memos estímulos; as múltiplas atenções, variadas percepções, memórias diversas, cada qual

com um pensamento. O que é a verdade? Aquela que lhe parece...

 Vivências: fatos e acontecimentos apreendidos por nossa consciência e “coloridos” por nossa

afetividade. Caráter individual e particular. Os fatos podem ser os mesmos, mas a vivência será

sempre diferente.

JASPER - Reações vivenciais: relação causal, proporcional e temporal.

Teorias cognitivas: homem como ser racional, possui desejos conscientes e usam suas próprias

capacidades para satisfazê-los. É o fato de o homem poder controlar a sua vontade o faz responsável

por suas ações.

Teorias comportamentais: alguns comportamentos são herdados. Ex.: o reflexo é incondicionado,

não é aprendido e por isso passível de ser modelado pelo meio ambiente.

Teoria behaviorista: conceito de impulso, todo comportamento como função do impulso e do hábito.

O impulso é o combustível que possibilita a “viagem”.

SKINNER – o comportamento resulta da interação entre o indivíduo e o ambiente, apenas ele pode

ser estudado, por ser passível de percepção, descrição e mensuração por meio de instrumentos; “não

existe a mente como tal, apenas um cérebro que aprende, afetado por estímulos no ambiente interno

e externo.”(FADIMAN; FRAGER).

Teorias analíticas: comportamento humano orienta-se pelo inconsciente. O homem possui desejos

inconscientes que impulsionam e direcionam o comportamento.

Freud – Psicanálise: o inconsciente contém pensamentos e desejos que estão muito abaixo da

superfície da consciência, mas que, apesar de tudo, exercem grande influência sobre o

comportamento.

Psicanálise: procedimento inovador usado por Freud para tratar pessoas atormentadas por problemas

psicológicos, como: temores irracionais, obsessões (pensamento contínuo) e ansiedades.

Método psicanalítico: interpretação dos sonhos e dos fatos infantis, concluindo que existe uma força

(libido) que leva o homem a ação, em busca do prazer.

Princípio do determinismo psíquico ou causalidade: na mente, assim como na natureza física, nada

acontece por acaso.

Psicanálise: aspecto topográfico - 1ª teoria.

Consciente: seu portador conhece os fenômenos mentais e as idéias.

Pré-consciente: os fenômenos mentais se tornam conscientes através da atenção.

Inconsciente: os fenômenos mentais dificilmente se tornam conscientes porque são barrados de

penetrar na consciência. Regidos por leis próprias de funcionamento, não há noção de

temporariedade.

docsity.com

5

Aspecto estrutural – 2ª teoria

ID: reservatório de energia psíquica, onde se localizam as pulsões: da vida e da morte. É regido

pelo prazer.

EGO: estabelece o equilíbrio entre o ID e o SUPREGO. Princípio da relatividade e do prazer.

Funções básicas: percepção, memória, sentimento, controle motor e pensamento.

SUPEREGO: Complexo de Édipo, a partir da internalização das proibições, dos limites e da

autoridade. Funções: moral e idéias. Conteúdo: exigências sociais e culturais.

Obstáculos ao desenvolvimento:

FREUD – o principal problema da psique é encontrar maneiras de enfrentar a ansiedade. Esta é

provocada por um aumento, esperado ou previsto, da tensao ou desprazer, podendo se desenvolver

em qualquer situação (real ou imaginária), quando a ameaça a alguma parte do corpo ou da psique é

muito grande para ser ignorada, dominada ou descartada.

Ansiedade: provocada por um aumento esperado ou previsto, da tensão ou desprazer, podendo se

desenvolver em qualquer situação, real ou imaginária.

Situações que causam ansiedade:

Perda do objeto desejado: privação.

Perda de amor: rejeição, fracasso.

Perda de identidade: medo de castração (Freud) – prestígio.

Perda de auto-estima: desaprovação, traição de si mesmo.

FREUD - Modos de diminuir ansiedade:

1º - Lidando diretamente com a situação;

2º - é a utilizando os mecanismos de defesa do ego.

Mecanismos de defesa do ego:

Repressão: afastar determinada coisa do consciente, mantendo-a a distância (no inconsciente). Ex.:

doenças psicossomáticas (asma, úlcera etc.).

Negação: tentativa de não aceitar na consciência algum fato que pertuba o EGO. Ex.: fantasiar

certos acontecimentos que nunca aconteceram.

Racionalização: processo de achar motivos lógicos e racionais aceitáveis para pensamentos e ações

inaceitáveis. Ex.: disfarçar verdadeiros motivos para tornar as coisas mais aceitáveis.

Formação reativa: substitui comportamentos e sentimentos que são diametralmente apostos ao

desejo real. Ex.: repugnância, vergonha e a moralidade; super proteção dos pais; personalidade

relativamente inflexível.

docsity.com

6

Projeção: ato de atribuir à outra pessoa, animal ou objeto as qualidades, sentimentos ou intenções

que se originam em si próprio, é denominado projeção. Ex.: quando caracterizamos algo de fora de

nós como sendo mau, perigoso, pervertido etc.

Regressão: retorno a um nível de desenvolvimento anterior ou a um modo de expressão mais

simples ou mais infantil. Ex.: se sentir seguro quando agarra seu cobertor.

Sublimação: energia associada a impulso e instinto socialmente e pessoalmente constrangedores e na

impossibilidade da realização destes, canalizado para atividades socialmente merecidas e

reconhecidas. Ex.: frustração de um relacionamento afetivo e sexual mal resolvido é sublimado na

paixão pela leitura e pela arte.

Deslocamento: tirar o foco do objeto principal e levar para o secundário. Ex.: a pessoa quer socar

alguém, mas acaba atirando um copo.

FIORELLI; MANGINI – Advogados, juízes e promotores devem estar atentos às manifestações dos

seus próprios mecanismos de defesa, principalmente quando réu ou testemunha desperta atração

sexual, representa ou simboliza poder, credo, etnia, opão política, ou se trata de personalidade

pública, constituindo alvo preferencial da mídia, ou ainda, apresenta comportamentos nitidamente

desagradáveis.

JUNG – o conceito de símbolo: um produto natural, espontâneo, que “significa sempre mais do que

seu significado imediato e óbvio”.

- Jung, também estabeleceu (*)

1.3 - Necessidade de satisfação:

Processo motivacional: a estrutura emocional, as necessidades, os desejos e a tensões peculiares de

cada pessoa, podem se refletir em comportamentos muito variados. A estrutura emocional, as

necessidades, os desejos e a tensão peculiares cada pessoas, podem se refletir em comportamentos

muitos variados.

Motivação: conjunto de motivos que levam o indivíduo a agir de determinada forma.

Necessidades (nossas):

Fisiológicas: alimentos, repouso, atividade, temperatura corporal adequada, excreção, sexo e outros;

Segurança e proteção: contra perigo, doença, incerteza, desemprego, roubo e outros;

Sociais: relacionamento, aceitação, afeição, amizade, compreensão e consideração;

Estima: autoconfiança, auto-apreciação, reputação, reconhecimento, status, poder, capacidade e

utilidade.

Auto-realização: o que o homem pode ser, ele tem que ser.

docsity.com

comentários (0)
Até o momento nenhum comentário
Seja o primeiro a comentar!
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo