Reforma Ortográfica - Apostilas - Pedagogia, Notas de estudo de . Universidade do Extremo Sul Catarinense (UNESC)
Gaucho_82
Gaucho_827 de Março de 2013

Reforma Ortográfica - Apostilas - Pedagogia, Notas de estudo de . Universidade do Extremo Sul Catarinense (UNESC)

PDF (231.0 KB)
7 páginas
723Número de visitas
Descrição
Apostilas de Pedagogia sobre o estudo da Reforma Ortográfica, mudanças no alfabeto, mudanças nas regras de acentuação.
20pontos
Pontos de download necessários para baixar
este documento
baixar o documento
Pré-visualização3 páginas / 7
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Pré-visualização finalizada
Consulte e baixe o documento completo
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Pré-visualização finalizada
Consulte e baixe o documento completo

A NOVA REFORMA ORTOGRÁFICA

Rio de Janeiro

Junho/2011

A NOVA REFORMA ORTOGRÁFICA

Trabalho apresentado em cumprimento das exigências da disciplina Produção Textual do curso de Pedagogia.

Francisco Vaz

Rio de Janeiro

Junho/2011

Passados 18 anos de sua elaboração, o Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa promete finalmente sair do papel. Ou melhor: entrar de vez no papel. O Brasil será o primeiro país entre os que integram a CPLP (Comunidade de Países de Língua Portuguesa) a adotar oficialmente a nova grafia, haverá um período de transição até 2012 em que serão válidas as duas formas de escrever: a antiga e a nova. As novas regras ortográficas já estão valendo desde o dia 1º de janeiro de 2009, e de acordo com o decreto assinado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

MUDANÇAS NO ALFABETO

O alfabeto passa a ter 26 letras. Foram reintroduzidas as letras k,w e y. O alfabeto completo passa a ser: A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U W X Y Z.

As letras k, y e w são usadas em casos especiais:

Em nomes de pessoas de origem estrangeira e seus derivados e palavras: Kant, Darwin, Byron, show, playground, etc;

docsity.com

Na escrita de símbolos de unidade de medida: Km (quilômetro), Kg (quilograma) e W (watt);

TREMA

O trema foi suprimido. Exceto nas palavras derivadas de nomes próprios estrangeiros. Exemplos: hübneriano (de Hübner), mülleriano (de Müller), etc.

COMO ERA | COMO FICA |

Cinqüenta | Cinquenta |

Lingüiça | Linguiça |

Seqüestro | Sequestro |

Tranqüilo | Tranquilo |

HÍFEN

As regras de utilização do hífen também ganharam nova sistematização. O objetivo das mudanças é simplificar a utilização do sinal gráfico, cujas regras estão entre as mais complexas da norma ortográfica.

Quando o prefixo termina em vogal e o segundo elemento começa com uma vogal diferente:

COMO ERA | COMO FICA |

Aero-espacial | Aeroespacial |

Extra-escolar | Extraescolar |

Auto-estrada | Autoestrada |

Ante-ontem | Anteontem |

Com prefixos, usa-se sempre o hífen diante de palavra iniciada por h. Exemplos:

Super-homem |

Anti-higiênico |

Mini-hotel |

Co-herdeiro |

Exceção: subumano (nesse caso a palavra perde o “h”).

docsity.com

Não se usa o hífen quando o prefixo termina em vogal e o segundo elemento começa por r ou s. Nesse caso, duplicam-se essas letras. Exemplos:

Antirreligioso |

Contrarregra |

Antissocial |

Microssistema |

Quando o prefixo termina por vogal, usa-se o hífen se o segundo elemento começar pela mesma vogal. Exemplos:

Micro-ondas |

Semi-interno |

Contra-ataque |

Anti-imperialista |

Quando o prefixo termina por consoante, não se usa o hífen se o segundo elemento começar por vogal. Exemplos:

Hiperativo |

Superexigente |

Interistudantil |

Superotimismo |

Com os prefixos: ex, sem, além, aquém, recém, pós, pré, pró, usa-se sempre o hífen. Exemplos:

Ex-aluno |

Pré-história |

Recém-nascido |

Sem-terra |

docsity.com

Deve-se usar o hífen com os sufixos de origem tupi-guarani: açu, gua, çu e mirim. Exemplos: amoré-guaçu, anajá-mirim, capim-açu.

Deve-se usar o hífen para ligar duas ou mais palavras que ocasionalmente se combinam, formando não propriamente vocábulos, mas encadeamentos vocabulares. Exemplos: ponte Rio-Niterói, eixo Rio-São Paulo.

Não se deve usar o hífen em cer- tas palavras que perderam a noção de composição. Exemplos:

Girassol |

Pontapé |

Paraquedas |

Mandachuva |

Para clareza gráfica, se no final da linha a partição de uma palavra ou combinação de palavras coincidir com o hífen, ele deve ser repetido na linha seguinte. Exemplos:

Na cidade conta- -se que ele foi viajar. |

O diretor recebeu os ex- -alunos. |

OBSERVAÇÕES:

O prefixo co aglutina-se em geral com o segundo elemento, mesmo quando este se inicia por o: coobrigação, coordenar, cooperar, cooperação, cooptar, coocupante, etc.

Com o prefixo vice, usa-se sempre o hífen: vice-rei, vice-almirante, etc.

Com o prefixo sub, usa-se o hífen também diante de palavra iniciada por r: sub-região, sub- raça, etc. Palavras iniciadas por h perdem essa letra e juntam-se sem hífen: subumano, subumanidade.

Com os prefixos circum e pan, usa-se o hífen diante de palavras iniciadas por m, n e vogal: circum-navegação, pan-americanos, etc.

MUDANÇAS NAS REGRAS DE ACENTUAÇÃO

docsity.com

Não se usa mais o acento dos ditongos abertos éi e ói das palavras paroxítonas (palavras que têm acento tônico na penúltima sílaba). Exemplos:

COMO ERA | COMO FICA |

Alcatéia | Alcateia |

Bóia | Boia |

Heróico | Heroico |

Platéia | Plateia |

OBSERVAÇÃO: Nos ditongos abertos de palavras oxítonas e monossílabas o acento continua: herói, constrói, dói, anéis, papéis. O acento no ditongo aberto 'eu' também continua: chapéu, véu, céu, ilhéu.

Nas palavras paroxítonas, não se usa mais o acento no i e no u tônicos quando vierem depois de um ditongo. Exemplos:

COMO ERA | COMO FICA |

Baiúca | Baiuca |

Feiúra | Feiura |

Bocaiúva | Bocaiuva |

Cheiínho | Cheiinho |

OBSERVAÇÃO: Se a palavra for oxítona e o i ou o u estiverem em posição final (ou seguidos de s), o acento permanece. Exemplos: tuiuiú, tuiuiús, Piauí.

Desaparece o acento circunflexo das palavras terminadas em êem e ôo (ou ôos). Exemplos:

COMO ERA | COMO FICA |

Creêm | Creem |

Leêm | Leem |

Voô | Voo |

Enjoô | Enjoo |

docsity.com

Não sei usa mais o acento que diferenciava timbres vocálicos. Exemplos:

COMO ERA | COMO FICA |

Esse gato tem pêlos brancos. | Esse gato tem pelos brancos. |

Comi uma pêra. | Comi uma pera. |

Ele foi ao pólo Norte. | Ele foi ao polo Norte. |

Ei, pára o carro! | Ei, para o carro! |

OBSERVAÇÃO:

Permanecem os acentos que diferenciam o singular do plural dos verbos ter e vir, assim como de seus derivados (manter, deter, reter, conter, convir, intervir, advir, etc.). Exemplo: Ele tem dois carros. / Eles têm dois carros.

É facultativo o uso do acento circunflexo para diferenciar as palavras forma/fôrma. Em alguns casos, o uso do acento deixa a frase mais clara. Veja este exemplo: Qual é a forma da fôrma do bolo?

Permanece o acento diferencial em pôde/pode. Pôde é a forma do passado do verbo poder, na 3ª pessoa do singular. Pode é a forma do presente do indicativo, na 3ª pessoa do singular. Exemplo: Ontem ele pôde sair mais cedo, hoje ele não pode.

Não se usa mais o acento agudo no u tônico das formas (tu) arguis, (ele) argui, (eles) arguem, do presente do indicativo dos verbos arguir e redarguir.

Há uma variação na pronúncia dos verbos terminados em guar, quar e quir, como aguar, averiguar, apaziguar, desaguar, enxaguar, obliquar, delinquir, etc. Esses verbos admitem duas pronúncias em algumas formas do presente do indicativo, do presente do subjuntivo e também do imperativo. Veja:

Se forem pronunciadas coma o u i tônicos, essas formas devem ser acentuadas. Exemplos:

Verbo enxaguar (presente do indicativo): enxáguo, enxáguas, enxágua, enxáguam; enxágue, enxágues, enxáguem.

Verbo delinquir (presente do indicativo): delínquo, delínques, delínque, delínquem; delínqua, delínquas, delínquam.

b) Se forem pronunciadas com u tônico, essas formas deixam de ser acentuadas. Exemplos (a vogal sublinhada é tônica, isto é, deve ser pronunciada mais fortemente que as outras):

docsity.com

Verbo enxaguar (presente do indicativo): enxaguo, enxaguas, enxagua, enxaguam; enxague, enxagues, enxaguem.

Verbo delinquir (presente do indicativo): delinquo, delinques, delinque, delinquem, delinqua, delinquas, delinquam.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

Sites

http://www1.folha.uol.com.br/folha/educacao/ult305u415676.shtml

http://www.reformaortografica.com/

http://www.interney.net/?p=9764462

http://pt.scribd.com/doc/6349977/Guia-da-Reforma-Ortografica-da-Lingua-Portuguesa-Saiba- o-que-mudou-na-ortografia-brasileira-Blog-Comunicadores-wwwcomunicadoresinfo

Apostila

Guia do Acordo Ortográfico – UNO Sistema de Ensino

docsity.com

comentários (0)
Até o momento nenhum comentário
Seja o primeiro a comentar!
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Docsity is not optimized for the browser you're using. In order to have a better experience we suggest you to use Internet Explorer 9+, Chrome, Firefox or Safari! Download Google Chrome