Relatorio pratica 2, Exercícios de A Física da Vida Cotidiana. Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB)
nilsonbarretoo
nilsonbarretoo25 de Janeiro de 2016

Relatorio pratica 2, Exercícios de A Física da Vida Cotidiana. Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB)

DOCX (21.8 KB)
3 páginas
157Número de visitas
Descrição
melhoramento de plantas
20pontos
Pontos de download necessários para baixar
este documento
baixar o documento

Universidade Federal do Recôncavo da Bahia

Centro de Ciências, Agrárias, Ambientais e Biológicas.

Discente: Nilson Raimundo Barbosa Barreto Sobrinho

CCA040 - MELHORAMENTO DE PLANTAS

Prática 02

Extração de DNA de Mamona (Ricinus communis L.)

Cruz das Almas

Novembro de 2015

Introdução

A extração de DNA é o primeiro passo para utilizá- lo em técnicas moleculares. Neste aspecto, a qualidade e integridade do DNA são fundamentais para o sucesso nas etapas posteriores. Existem diferentes protocolos de extração de DNA que variam em função da espécie e do tecido a ser utilizado. A maneira de coletar e acondicionar o tecido, assim como o estado do mesmo é fundamental para o sucesso da extração. Um dos aspectos importantes é que a quantidade de DNA necessária varia em função da técnica molecular a ser utilizada. No caso de uma reação de RAPD (Random Amplified Polymorphic DNA), por exemplo, são necessários somente alguns nanogramas de DNA, e para análise de RFLP (Restriction Fragment Length Polymorphism) são necessárias quantidades de DNA na ordem de microgramas (Bered, 1998).

Objetivo

Está aula prática tinha como intuito nos mostrar quais são passos necessários para realizar a extração de DNA, com a finalidade de estudar o material extraído e as diversas técnicas de amplificação desta molécula.

Materiais e Métodos

Tecido vegetal (Mamona) ;

Almofariz;

Nitrogênio liquido;

Centrifuga ;

Microtúbulos ;

Clorofórmio: álcool iso-amílico (24:1);

1000 μl da solução tampão;

20 μl de acetato de sódio 3M + 200 μl de etanol absoluto;

Pellet;

Pipeta Automática.

Utilizamos o nitrogênio liquido para macerar o material de mamona, coletamos o material macerado com microtúbulos, levamos para capela onde adicionamos 1000 μl uma solução tampão de extração previamente aquecida (65ºC + 100 μl de SDS 20%) incubar os microtubos em banho-maria a 65ºC durante 60

minutos, homogeneizar e resfriar em temperatura ambiente. As amostras foram enumeradas. Antes de aplicar os marcadores moleculares, é preciso fazer a extração do DNA que é através da maceração previa. Depois dos 60 minutos em banho maria vai adicionar clorofórmio: álcool iso-amílico (24:1) para desnaturar as proteínas.

Depois de desnaturar as proteínas tem que homogeneizar e leva para a centrifuga para separar as fases, após 10 minutos na centrifuga o material será separado em três fases: sobrenadante, interfase e clorofórmio. É retirado o sobrenadante e leva para outro túbulo de 1,5 mL onde já vai ser possível visualizar o DNA, mas tem que ser adicionado ¾ de álcool no sobrenadante e homogeneíza e os filamentos de DNA já serão evidentes. Após todo esse processo leva por o material por 20 minutos ao freezer e em seguida leva para a centrifuga e baixa o DNA. Seca o pellet em temperatura ambiente para remoção do etanol, Ressuspender o pellet em (50-100) μl de tampão TE, tendo então o DNA e Conserva a solução estoque a -20ºC.

Pellet: DNA

comentários (0)
Até o momento nenhum comentário
Seja o primeiro a comentar!
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Docsity is not optimized for the browser you're using. In order to have a better experience we suggest you to use Internet Explorer 9+, Chrome, Firefox or Safari! Download Google Chrome