Sinalizacao Celular - Apostilas - Bioquímica, Notas de estudo de . Universidade Estadual de Maringá (UEM)
Lula_85
Lula_8514 de Março de 2013

Sinalizacao Celular - Apostilas - Bioquímica, Notas de estudo de . Universidade Estadual de Maringá (UEM)

PDF (784.5 KB)
21 páginas
3Números de download
1000+Número de visitas
Descrição
Apostilas de Bioquímica sobre o estudo da Sinalização Celular, Formas de sinalização intercelular, Localização de receptores hormonais, Sistema de cascata hormonal.
20pontos
Pontos de download necessários para baixar
este documento
baixar o documento
Pré-visualização3 páginas / 21
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Pré-visualização finalizada
Consulte e baixe o documento completo
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Pré-visualização finalizada
Consulte e baixe o documento completo
Apresentação do PowerPoint

Rota de sinalização intracelular simples, ativada por uma molécula sinalizadora

extracelular e sua ligação ao receptor.

Formas de sinalização intercelular

DEPENDENTE DE CONTATO PARÁCRINA

SINÁPTICA ENDÓCRINA

(C) PARÁCRINA (D) SINALIZAÇÃO VIA GAP JUNCTION

Uma célula animal depende de sinais extracelulares múltiplos.

SOBREVIVE

DIVIDE

DIFERENCIA

MORRE

Sistema endócrino

Ver arquivo sistema endócrino

Sistema de cascata hormonalLocalização de receptores hormonais

Receptores nucleares e suas

moléculas sinalizadoras.

Respostas induzidas pela ativação de um receptor hormonal nuclear.

RESPOSTA RPIMÁRIA PRECOCE AO HORMÔNIO ESTERÓIDE RESPOSTA SECUNDÁRIA TARDIA AO HORMÔNIO ESTERÓIDE

Receptores de superfície celular.

A. Receptores associados a canais iônicos

B. Receptores associados a proteína G

C. Receptores associados a enzimas

Mecanismo de ação de tipos de proteínas

de sinalização intracelular ao longa da rota

de sinalização desde o receptor de

superfície até o núcleo.

Proteínas de sinalização intracelular

1. Proteínas transmissoras - propagam a

mensagem ao próximo componente da

cascata.

2. Proteínas mensageiras – carregam o sinal de

uma parte da célula a outra.

3. Proteínas adaptadoras – conectam proteínas

sinalizadoras.

4. Proteínas amplificadoras – intensificam o

sinal recebido por meio da produção de grande

quantidade de mediadores intracelulares.

5. Proteínas transdutoras – alteram a forma do

sinal.

6. Proteínas de bifurcação – propagam o sinal

de uma rota para outra.

7. Proteínas integradoras – recebem sinais de

uma ou mais rotas sinalizadoras.

8. Proteínas reguladoras de genes latentes

são ativadas na superfície celular por

receptores ativos e migram para o núcleo onde

estimulam a transcrição gênica.

Tipos de proteína de sinalização intracelular.

Receptores associados a proteína G e seu mecanismo de ação.

Ativação da proteína quinase A

Regulação da transcrição gênica

via AMP-c.

A ligação de um sinal extracelular

ao receptor associado a proteína G ativa a

adenilato ciclase produzindo AMP-c. O que

resulta na ativação da PKA no citosol. As

subunidades catalíticas vão para o núcleo

e fosforila a proteína de ligação ao CRE

(CREB). Este liga-se ao co-ativador a

proteína de ligação ao CREB (CBP), que

estimula a transcrição gênica.

Sinalização hormonal através do sistema Fosfatidilinositol

Modelo de regulação da

atividade da guanilato

ciclase após ligação do

Fator Natriurético Atrial

A insulina liga-se ao receptor e leva a autofosforilação da subunidade e a fosforilação de resíduos de

tirosina no substrato para o receptor de insulina (IRS). O IRS fosforila o domínio SH2 da SHP2, uma tirosina fosfatase

e o domínio SH3 da molécula adaptadora GRB2. A GRB2 ativada recruta SOS1 que por sua vez ativa a proteína Ras

que altera a transcrição gênica e participa ativamente de mecanismos de proliferação e diferenciação celular

promovidos pela insulina. OIRS também ativa fosfoinositídeo 3 quinase (PI3K) que aumenta a concentração

intracelular de PIP3 e PIP. Este ativam uma proteína quinase B que entre os seus papéis tem a capacidade de

promover a liberação de GLUT4 de vesículas citoplasmática para a membrana promovendo a captação de glicose.

Ação da insulina sobre o receptor de tirosina quinase.

Calmodulina e a ativação de CAM-quinase II .

Estrutura da Calmodulina

Ativação de CAM-quinase II

Mecanismos pelo quais as células-alvo tornam-se dessensibilizadas .

SEQÜESTRO DO

RECEPTOR

DOWN-REGULATION

DO RECEPTOR

INATIVAÇÃO DO

RECEPTOR INATIVAÇÃO DA

PROTEÍNA SINAL

PRODUÇÃO DE

INIBIDORES

Diferentes respostas induzidas pela liberação do neurotransmissor acetilcolina.

O óxido nítrico sinaliza através de sua ligação direta a uma enzima intracelular .

A acetilcolina atua indiretamente, induzindo a produção de NO pelas células endoteliais que age sobre as células

musculares lixas relaxando-a, o que aumenta o fluxo sangüíneo através do vaso.

comentários (0)
Até o momento nenhum comentário
Seja o primeiro a comentar!
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Docsity is not optimized for the browser you're using. In order to have a better experience we suggest you to use Internet Explorer 9+, Chrome, Firefox or Safari! Download Google Chrome