Streptococcus  pneumoniae - Apostilas - Biologia_Parte1, Notas de estudo de Biologia. Centro Universitario Nove de Julho (UNINOVE)
Jose92
Jose9214 de Março de 2013

Streptococcus pneumoniae - Apostilas - Biologia_Parte1, Notas de estudo de Biologia. Centro Universitario Nove de Julho (UNINOVE)

PDF (222.5 KB)
13 páginas
1Números de download
790Número de visitas
Descrição
Apostilas de Biologia sobre o estudo do Streptococcus pneumoniae, Caracterização, Meio de cultura, Constituintes, Proteínas que se ligam à colina.
20pontos
Pontos de download necessários para baixar
este documento
baixar o documento
Pré-visualização3 páginas / 13
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Pré-visualização finalizada
Consulte e baixe o documento completo
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Pré-visualização finalizada
Consulte e baixe o documento completo

Streptococcus pneumoniae

Caracterização Gênero: Streptococcus;  35 espécies que podem ser classificados

de acordo com várias características: Tipo de hemólise

 α hemólise  β hemólise  ausência de hemólise

 Espécie: Streptococcus pneunoniae Diplococos Gram-positivo.

Caracterização

 Apresenta-se aos pares;  Bordas adjacentes: achatadas;  Bordas externas: lanceoladas;  Anaeróbico facultativo; Desprovido de catalase.

Meio de cultura: Ágar sangue

Constituintes

Cápsula:

Polímero composto de subunidades oligossacarídicas repetitivas;

Protege da fagocitose graças à composição química;

Fator de virulência.

Constituintes

Antígenos usados na fabricação de vacinas atuais.

 Parede: Peptidoglicano(PG) e ácidos teicóico e

lipoteicóico (ricos em fosforil-colina);

Constituintes  A colina, encontrada na parece de outros

patógenos, é elemento de interação de diferentes patógenos com a mucosa respiratória do hospedeiro;

 A parede é um forte indutor de inflamação;  A proteína C reativa têm a capacidade de

precipitar o polissacarídeo C (ácido teitóico+ ácido murâmico) do penumococo em presença do cálcio;

 Em indivíduos normais: em baixa concentração;  Processos Inflamatórios: alta concentração.

Constituintes

 Proteínas

Até o presente momento, somente algumas parecem envolvidas com a virulência.

Proteínas que se ligam à colina  LYTA

Enzima autolítica- lise da pneumococo na fase estacionária ou na presença de antibióticos.

Libera os constituintes da parede e da pneumolisina (substância que causa inflamação).

 PspA

 Antígeno protetor em animais de laboratório.

 CbpA

 Mutação: incapacidade de colonizar a mucosa respiratória de camundongos e de aderir às células pulmonares e endoteliais.

 Entre outras propriedades, liga-se à IgA secretora e ao terceiro componente do complemento.

Adesina A da superfície (PsAA)

 Lipoproteína que também desencadeia uma resposta protetora em animais. Sua função é transportar íons Mn²+ e Zn²+ para o citoplasma.

Pneumolisina  Citotoxina intracelular liberada quando o

pneumococo sofre lise;  Tóxica para quase todos os tipos de células

eucarióticas;  Poros- oligômeros da toxina que se inserem na

membrana citoplasmática;  Estimula a produção de citocinas inflamatórias.  Inibe a proliferação de linfócitos;  Redução da atividade bactericida dos

leucócitos.

Hialuronidase (HYL)

 Importante na patogênese; Degrada o ácido hialurônico; Quando este ácido é degradado, torna o

tecido conjuntivo mais frouxo, o que facilita a invasão bacteriana.

comentários (0)
Até o momento nenhum comentário
Seja o primeiro a comentar!
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Docsity is not optimized for the browser you're using. In order to have a better experience we suggest you to use Internet Explorer 9+, Chrome, Firefox or Safari! Download Google Chrome