Subfilo Cephalochordata - Anpostilas - Biologia, Notas de estudo de Biologia. Centro Universitário Franciscano (Unifra)
Real10
Real1011 de Março de 2013

Subfilo Cephalochordata - Anpostilas - Biologia, Notas de estudo de Biologia. Centro Universitário Franciscano (Unifra)

PDF (187.5 KB)
4 páginas
1000+Número de visitas
Descrição
Apostilas de Biologia sobre o estudo do Subfilo Cephalochordata, características gerais, morfologia, tegumento, sustentação.
20pontos
Pontos de download necessários para baixar
este documento
baixar o documento
Pré-visualização3 páginas / 4
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Pré-visualização finalizada
Consulte e baixe o documento completo
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Pré-visualização finalizada
Consulte e baixe o documento completo
Universidade Estadual de Maringá

SUBFILO CEPHALOCHORDATA

CARACTERÍSTICAS GERAIS - Grego: keplale + chorda

- 30 espécies conhecidas, principais gêneros: Branchiostoma e Asymmetron;

- Cordados pisciformes (anfioxos);

- habitantes de costas tropicais e temperadas (60m);

- hábitos: costumam ficar enterrados na areia, deixando apenas a

extremidade anterior para fora;

- podem nadar rapidamente.

MORFOLOGIA

- corpo alongado, afilado nas extremidades e comprimido no sentido dorso-

ventral;

- pequenas nadadeiras medianas (dorsal e pré-anal – raios de tecido

conjuntivo);

- 1 par de aletas laterais (pregas metapleurais);

- natação – miômeros;

- sem cabeça distinta;

- ânus perto da base caudal;

- atrióporo;

- encurtamento do corpo impedido pela notocorda.

TEGUMENTO

- camada simples (monoestratificada) de epiderme, processos sensitivos:

- tecido conjuntivo frouxo.

SUSTENTAÇÃO

- notocorda (bastonete delgado de grandes células contendo material

1

docsity.com

gelatinoso e é circundado por uma bainha de tecido conjuntivo);

- material semelhante à cartilagem (reforço circular no capuz oral);

- raios das nadadeiras;

- traves branquiais (bastonetes).

MÚSCULOS

- ao longo dos lados do corpo e da cauda;

- constituídos por fibras musculares longitudinais e separadas por finos

septos de tecido conjuntivo;

- alternam de posição com dois lados do corpo;

- músculos viscerais (ventrais e peribucais).

ALIMENTAÇÃO

- filtração

TRANSPORTE INTERNO

- transporte de nutrientes;

- veias cardinais anteriores trazem sangue de várias partes do corpo para

um seio venoso, que está localizado ventralmente na parte posterior da

faringe. Pode ser comparada a parte posterior do coração dos vertebrados;

- sem coração – sangue é impulsionado pela contração das artérias;

uma aorta ventral estende-se do seio, em direção anterior, sob a faringe,

para a região anterior e une-se às artérias branquiais, que se seguem

dorsalmente através das barras branquiais, até um par de aortas dorsais,

as quais levam o sangue para os espaços dentro dos tecidos (sem

capilares);

- a direção do fluxo: anterior ventralmente e posterior dorsalmente

(semelhante às dos vertebrados);

- sem hemoglobina.

2

docsity.com

RESPIRAÇÃO

- superfície da pele;

- na faringe há 100 pares de fendas branquiais.

EXCREÇÃO

- 100 pares de protonefrídios ciliados dispostos de forma segmentada,

repousando latero-dorsalmente em certas barras branquiais e abrindo-se

para o átrio.

SISTEMA NERVOSO

- cordão nervoso tubular, dorsalmente a notocorda, com canal central;

- extremidade anterior levemente diferenciada (sem cérebro);

- nervos segmentados paralelos, com raízes dorsais (sensoriais e motoras) e

ventrais (motoras);

- sem órgãos sensoriais: sensível a luz e estímulos químicos (neuróporo) e

táteis.

Fosseta de Hatschek – olfação;

Cél. pigmentadas (vesícula ant.) – termorreceptoras.

Células sensitivas do tegumento – tato.

REPRODUÇÃO - dióicos (exceto B. lanceolatum)

- numerosos testículos (25 pares) ou ovários (25 pares) – dentro da cavidade

atrial;

- gametas são liberados no átrio pela ruptura das paredes da gônada;

- fecundação e desenvolvimento externos;

- larva ciliada (Branchiostoma sp.);

- ovos oligolécitos e holoblásticos;

3

docsity.com

- ovipostura ao pôr-do-sol e na manhã seguinte eclode a larva ciliada de vida

livre.

3. Bibliografia Recomendada

ORR, R. T. Biologia dos Vertebrados. Livraria Roca: são Paulo, 1986, 508p.

ROMER, A. S. Anatomia Comparada: Vertebrados. Interamericana: México.

1973 435p.

STORER, T. I., USINGER, R. L., STEBBINS, R. C. & NYBAKKEN, J. W.

Zoologia Geral. Companhia Editora Nacional: São Paulo. 1986, 816p.

4

docsity.com

comentários (0)
Até o momento nenhum comentário
Seja o primeiro a comentar!
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Docsity is not optimized for the browser you're using. In order to have a better experience we suggest you to use Internet Explorer 9+, Chrome, Firefox or Safari! Download Google Chrome