Testes de aderência, independência e homogeneidade - Exercícios - Estatística Aplicada, Notas de estudo de Estatística. Universidade de Taubaté (Unitau)
Selecao2010
Selecao20108 de Março de 2013

Testes de aderência, independência e homogeneidade - Exercícios - Estatística Aplicada, Notas de estudo de Estatística. Universidade de Taubaté (Unitau)

PDF (154.6 KB)
2 páginas
1Números de download
1000+Número de visitas
Descrição
Apostilas e exercicios de Estatística Aplicada da Universidade de São Paulo sobre o estudo dos Testes de aderência, independência e homogeneidade.
20pontos
Pontos de download necessários para baixar
este documento
baixar o documento

Universidade de São Paulo – FFCLRP

Departamento de Psicologia

Lista de Exercícios 4 – Estatística Aplicada II (2012-2)

Testes de aderência, independência e homogeneidade

1. Diferencie os testes de aderência, independência e homogeneidade. Para quê servem? Que suposições são feitas na

hipótese nula? São voltados para que tipo de dados/tabelas de contingências? Como se encontram os graus de

liberdade?

2. Os estudantes que tiram nota “A” tendem a se sentar em uma parte particular da sala de aula? Um professor

registrou a localização dos estudantes que tiveram conceito A, com estes resultados: 17 se sentavam na frente, 9 no

meio e 5 no fundo da sala. Há evidência suficiente para apoiar a afirmativa de que os estudantes que tiram A não

sejam uniformemente distribuídos na sala de aula? Adote um nível de significância de 5%. Em caso afirmativo, isso

significa que você pode aumentar sua probabilidade de obter um A sentando na frente? Justifique.

3. Perguntou-se a funcionários e chefes se era seriamente antiético monitorar o e-mail de funcionários, e os resultados

estão resumidos na tabela. Use um nível de significância de 5% para testar a afirmativa de que a resposta é

independente de o sujeito ser funcionário ou chefe. A conclusão muda se for usado um nível de significância de 1%?

Funcionários e chefes parecem concordar em relação a esse problema? Interprete o resultado.

Sim Não

Funcionários 192 244

Chefes 40 81

4. Em seus experimentos com ervilhas, Mendel observou 315 lisas e amarelas, 108 lisas e verdes, 101 estriadas e

amarelas, 32 estriadas e verdes. De acordo com a sua teoria, os números deveriam apresentar-se na proporção 9:3:3:1.

Há evidências para duvidar desta teoria ao nível de (a) 1% e (b) 5%?

5. Um estudo dos efeitos de exercícios feitos por mulheres inclui resultados resumidos na tabela. Os valores dos

exercícios estão em quilocalorias de atividade física por dia. Use um nível de significância de 5% apara testar a

afirmativa de que o nível do fumo é independente do nível de exercício.

Abaixo de 200 200-599 600-1499 1500 ou mais

nunca fumaram 4997 5206 5784 4155

cerca de 15 cigarros por dia 604 484 447 359

mais de 15 cigarros por dia 1403 830 644 350

6. Psicólogos estudaram como pacientes que sofrem de bulimia nervosa se diferem de outros pacientes em

psicoterapia e de participantes controle não-clínico em termos das formas como percebem o relacionamento familiar

atual e passado. É importante verificar se tais grupos não se diferem em variáveis demográficas – assim qualquer

diferença nas variáveis de interesse (nesse caso, a percepção do relacionamento) não será atribuída a, por exemplo,

idade ou status profissional. Logo, estes pesquisadores se preocuparam com a associação entre os diferentes grupos

em termos de status profissional. A amostra distribuída abaixo na tabela em função do grupo e da ocupação tem

proporções diferentes ao nível de significância de 5%?

Status profissional Bulimia Controle Clínico Sem controle clínico

trabalhadores 18 28 15

estagiários 12 11 10

estudantes 71 56 75

donas de casa 0 6 0

7. O modelo teórico do desamparo aprendido tem sido utilizado experimentalmente para se realizar inferências sobre

algumas características da depressão crônica. Neste modelo, roedores são expostos a situações de eventos

incontroláveis, não-contingentes, ou seja, estímulos aversivos, geralmente choques elétricos nas patas, gerando

reações de desamparo. Isso impede que estes animais aprendam uma resposta de fuga e esquiva (aprendizagem

docsity.com

operante). Assim, maiores latências das respostas de fuga e esquiva, ou a não aprendizagem dessas respostas,

caracterizam o desamparo. Em um estudo, animais foram submetidos à 3 injeções diferentes (um antidepressivo, um

depressor e salina) antes do procedimento de desamparo, de acordo com a tabela abaixo. A proporção do desamparo

foi diferente entre os diferentes grupos ao nível de significância de 10%?

antidepressivo depressor salina

desamparados 10 23 18

não desamparados 20 7 12

docsity.com

comentários (0)
Até o momento nenhum comentário
Seja o primeiro a comentar!
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Docsity is not optimized for the browser you're using. In order to have a better experience we suggest you to use Internet Explorer 9+, Chrome, Firefox or Safari! Download Google Chrome