Vacinação - Apostilas - Saúde Coletiva, Notas de estudo de . Faculdade Medicina Estadual (ISEP)
Tucupi
Tucupi11 de Março de 2013

Vacinação - Apostilas - Saúde Coletiva, Notas de estudo de . Faculdade Medicina Estadual (ISEP)

PDF (170.9 KB)
3 páginas
3Números de download
1000+Número de visitas
100%de 1 votosNúmero de votos
Descrição
Apostilas de Saúde Coletiva sobre o estudo da vacinação, calendario de vacinação, vacina hepatite B, vacina poliomielite 1, 2 e 3.
20pontos
Pontos de download necessários para baixar
este documento
baixar o documento

CALENDÁRIO DE VACINAÇÃO: IDADE VACINA DOSE DOENÇAS EVITADAS

Ao nascer BCG-ID Única TB grave (pp miliar)

Hepatite B (recombinante) 1ª Hepatite B

1 mês Hepatite B (recombinante) 2ª Hepatite B

2 meses

Tetravalente (DTP+Hib) adsortiva difteria, tétano, pertussis e

H. influenzae B(conjugada)

Difteria, tétano, coqueluche, infecções por H. influenzae B

VOP (vacina oral de poliomielite) (atenuada)

Poliomielite

VORH (vacina oral de rotavírus humano) (atenuada)

Diarreia por rotavírus

Pneumocócica 10 (conjugada) Pneumonia, otite, meningite e outras doenças causadas pelo

Pneumococo

3 meses Meningocócica C (conjugada) 1ª Doença invasiva causada por Neisseria meningitidis C

4 meses

Tetravalente (DTP+Hib) adsortiva difteria, tétano, pertussis e

H. influenzae B(conjugada)

Difteria, tétano, coqueluche, infecções por H. Influenzae B

VOP (vacina oral de poliomielite) (atenuada)

Poliomielite

VORH (vacina oral de rotavírus humano) (atenuada)

Diarreia por rotavírus

Pneumocócica 10 (conjugada) Pneumonia, otite, meningite e outras doenças causadas pelo

Pneumococo

5 meses Meningocócica C (conjugada) 2ª Doença invasiva causada por Neisseria meningitidis C

6 meses

Tetravalente (DTP+Hib) adsortiva difteria, tétano, pertussis e

H. influenzae B(conjugada)

Difteria, tétano, coqueluche, infecções por H. Influenzae B

VOP (vacina oral de poliomielite) (atenuada)

Poliomielite

VORH (vacina oral de rotavírus humano) (atenuada)

Diarreia por rotavírus

Pneumocócica 10 (conjugada) Pneumonia, otite, meningite e outras doenças causadas pelo

Pneumococo

9 meses Febre amarela (atenuada) Inicial Febre amarela

12 meses

Tríplice viral (SCR ou MMR) sarampo, caxumba e rubéola

(atenuada) 1ª Sarampo, caxumba e rubéola

Pneumocócica 10 (conjugada) Reforço Pneumonia, otite, meningite e outras doenças causadas pelo

Pneumococo

15 meses

Tríplice bacteriana (DTP) adsortiva difteria, tétano e pertussis

1º reforço Difteria, tétano e coqueluche

Vacina oral de poliomielite (VOP) (atenuada)

Refoço

Poliomielite

Meningocócica C (conjugada) Doença invasiva causada por Neisseria meningitidis C

docsity.com

4 anos

Tríplice bacteriana (DTP) adsortiva difteria, tétano e pertussis

2º reforço Difteria, tétano e coqueluche

Tríplice viral (SCR ou MMR) sarampo, caxumba e rubéola

(atenuada) 2ª dose Sarampo, caxumba e rubéola

10 anos Febre amarela (atenuada) 1 dose a cada 10 anos Febre amarela

BCG: – administrar o mais precocemente possível, preferencialmente após o nascimento; – prematuros com menos de 36 semanas: administrar após completar 1 mês de vida e atingir 2 Kg; – administrar uma dose em menores de 5 anos de idade (4 anos 11meses e 29 dias) sem cicatriz vacinal; – contatos íntimos de portadores de hanseníase menores de 1 ano de idade, comprovadamente vacinados,

não necessitam de outra dose de BCG; – contatos de portadores de hanseníase com mais de 1 ano de idade, sem cicatriz - administrar uma dose; – contatos comprovadamente vacinados com a primeira dose - administrar outra dose de BCG; – manter intervalo mínimo de seis meses entre as doses da vacina; – contatos com duas doses não administrar nenhuma dose adicional; – na incerteza da existência de cicatriz vacinal ao exame dos contatos íntimos de portadores de hanseníase,

aplicar uma dose, independentemente da idade; – para criança HIV positiva a vacina deve ser administrada ao nascimento ou o mais precocemente possível; – para as crianças que chegam aos serviços ainda não vacinadas, a vacina está contraindicada na existência

de sinais e sintomas de imunodeficiência, não se indica a revacinação de rotina; – para os demais portadores de HIV (positivo) a vacina está contra indicada em qualquer situação;

vacina hepatite B (recombinante): – administrar preferencialmente nas primeiras 12 horas de nascimento, ou na primeira visita ao serviço de saúde; – prematuros, menores de 36 semanas de gestação ou em recém-nascidos a termo de baixo peso (<2Kg), seguir

esquema de quatro doses: 0, 1, 2 e 6 meses de vida; – na prevenção da transmissão vertical em recém-nascidos (RN) de mães portadoras da hepatite B, administrar a

vacina e a imunoglobulina humana anti-hepatite B (HBIG), disponível nos Centros de Referência para Imunobiológicos Especiais - CRIE, nas primeiras 12 horas ou, no máximo, até sete dias após o nascimento. Administrar vacina e a HBIG em locais anatômicos diferentes. A amamentação não traz riscos adicionais ao RN que tenha recebido a primeira dose da vacina e a imunoglobulina;

vacina adsorvida difteria, tétano, pertussis e Haemophilus influenzae b (conjugada): – administrar aos 2, 4 e 6 meses de idade; – intervalo entre as doses de 60 dias e, mínimo de 30 dias; – para a vacina adsorvida difteria, tétano e pertussis – DTP são indicados dois reforços. O primeiro reforço

administrar aos 15 meses de idade e o segundo reforço aos 4 (quatro) anos. Importante: a idade máxima para administrar esta vacina é aos 6 anos 11meses e 29 dias;

vacina poliomielite 1, 2 e 3 (atenuada): – administrar três doses (2, 4 e 6 meses); – intervalo entre as doses de 60 dias e, mínimo de 30 dias; – administrar o reforço aos 15 meses de idade; – considerar para o reforço o intervalo mínimo de 6 meses após a última dose;

vacina oral rotavírus humano G1P1 (atenuada): – administrar duas doses seguindo rigorosamente os limites de faixa etária:

– primeira dose: 1 mês e 15 dias a 3 meses e 7 dias; – segunda dose: 3 meses e 7 dias a 5 meses e 15 dias;

– intervalo mínimo preconizado entre a primeira e a segunda dose é de 30 dias; – nenhuma criança poderá receber a segunda dose sem ter recebido a primeira; – se a criança regurgitar, cuspir ou vomitar após a vacinação não repetir a dose;

vacina pneumocócica 10 (conjugada): – no primeiro semestre de vida, administrar 3 doses, aos 2, 4 e 6 meses de idade;

– intervalo entre as doses é de 60 dias e, mínimo de 30 dias; – reforço, preferencialmente, entre 12 e 15 meses de idade, considerando o intervalo mínimo de 6 meses

docsity.com

após a 3ª dose; – crianças de 7-11 meses de idade:

– o esquema de vacinação consiste em duas doses com intervalo de pelo menos 1 (um) mês entre as doses; – reforço é recomendado preferencialmente entre 12 e 15 meses, com intervalo de pelo menos 2 meses;

vacina meningocócica C (conjugada): – administrar duas doses aos 3 e 5 meses de idade, com intervalo entre as doses de 60 dias, e mínimo de 30 dias; – reforço é recomendado preferencialmente entre 12 e 15 meses de idade;

vacina febre amarela (atenuada): – administrar aos 9 (nove) meses de idade; – durante surtos, antecipar a idade para 6 (seis) meses; – indicada aos residentes ou viajantes para as seguintes áreas: AC, AM, AP, PA, RO, RR, TO, MA, MT, MS, GO,

DF, MG e alguns municípios dos estados do PI, BA, SP, PA, SC e RS. Para informações sobre os municípios destes estados, buscar as Unidades de Saúde dos mesmos;

– no momento da vacinação considerar a situação epidemiológica da doença; – para os viajantes que se deslocarem para os países em situação epidemiológica de risco, buscar informações

sobre administração da vacina nas embaixadas dos respectivos países a que se destinam ou na Secretaria de Vigilância em Saúde do Estado. Administrar a vacina 10 (dez) dias antes da data da viagem;

– administrar reforço, a cada dez anos após a data da última dose;

vacina sarampo, caxumba e rubéola: – administrar duas doses: primeira aos 12 meses de idade e a segunda 4 (quatro) anos de idade; – em situação de circulação viral, antecipar a administração de vacina para os 6 (seis) meses de idade, porém

deve ser mantido o esquema vacinal de duas doses e a idade preconizada no calendário; – considerar o intervalo mínimo de 30 dias entre as doses.

docsity.com

comentários (0)
Até o momento nenhum comentário
Seja o primeiro a comentar!
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Docsity is not optimized for the browser you're using. In order to have a better experience we suggest you to use Internet Explorer 9+, Chrome, Firefox or Safari! Download Google Chrome