Vestibular de Literatura - Universidade Federal de Juiz de Fora - 2012 - UFJF, Notas de estudo de Literatura. Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)
VictorCosta
VictorCosta13 de Março de 2013

Vestibular de Literatura - Universidade Federal de Juiz de Fora - 2012 - UFJF, Notas de estudo de Literatura. Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)

PDF (154.0 KB)
5 páginas
1000+Número de visitas
Descrição
Vestibular de Literatura da Universidade Federal de Juiz de Fora do ano de 2012.
20pontos
Pontos de download necessários para baixar
este documento
baixar o documento
Pré-visualização3 páginas / 5
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Pré-visualização finalizada
Consulte e baixe o documento completo
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Pré-visualização finalizada
Consulte e baixe o documento completo
LiteraturasVestibular

UFJF – CONCURSO VESTIBULAR 2012 – PROVA DE LITERATURAS PARA O DESENVOLVIMENTO E A RESPOSTA DAS QUESTÕES, SÓ SERÁ ADMITIDO USAR CANETA ESFEROGRÁFICA AZUL OU PRETA

Proibido escrever na prova informações como: apelidos, desenhos, nome, números, símbolos e tudo o que possa identificar o candidato. 2

Leia o poema abaixo, de Castro Alves, para responder à questão.

Maria

Onde vais à tardezinha, Mucama tão bonitinha, Morena flor do sertão? A grama um beijo te furta Por baixo da saia curta, Que a perna te esconde em vão... Mimosa flor das escravas! O bando das rolas bravas Voou com medo de ti!... Levas hoje algum segredo... Pois te voltaste com medo Ao grito do bem-te-vi! Serão amores deveras? Ah! Quem dessas primaveras Pudesse a flor apanhar! E contigo, o tom d’aragem, Sonhar na rede selvagem... À sombra do azul palmar! Bem feliz quem na viola Te ouvisse a moda espanhola Da lua ao frouxo clarão... Com a luz dos astros – por círios, Por leito – um leito de lírios... E por tenda – a solidão!

(Castro Alves. Obra completa. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 1986, p. 315.)

Questão 1 – Assinale e explique, no poema, elementos em que se percebe a construção de uma identidade nacional. LIMITE SUA RESPOSTA AO ESPAÇO ABAIXO

docsity.com

UFJF – CONCURSO VESTIBULAR 2012 – PROVA DE LITERATURAS PARA O DESENVOLVIMENTO E A RESPOSTA DAS QUESTÕES, SÓ SERÁ ADMITIDO USAR CANETA ESFEROGRÁFICA AZUL OU PRETA

Proibido escrever na prova informações como: apelidos, desenhos, nome, números, símbolos e tudo o que possa identificar o candidato. 3

Questão 2 – Leia o poema abaixo para responder à questão.

Erro de português

Quando o português chegou Debaixo de uma bruta chuva Vestiu o índio Que pena! Fosse uma manhã de sol O índio tinha despido O português.

(ANDRADE, Oswald de. Poesias Reunidas. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1971, p. 28.)

Uma das principais estratégias de Oswald de Andrade é construir suas críticas com recurso do humor. Comente o humor neste poema e explique como ele estrutura a crítica oswaldiana ao processo de colonização do Brasil pela Europa? LIMITE SUA RESPOSTA AO ESPAÇO ABAIXO

docsity.com

UFJF – CONCURSO VESTIBULAR 2012 – PROVA DE LITERATURAS PARA O DESENVOLVIMENTO E A RESPOSTA DAS QUESTÕES, SÓ SERÁ ADMITIDO USAR CANETA ESFEROGRÁFICA AZUL OU PRETA

Proibido escrever na prova informações como: apelidos, desenhos, nome, números, símbolos e tudo o que possa identificar o candidato. 4

Leia os fragmentos abaixo para responder à questão.

A – “O que penso eu do mundo? Sei lá o que penso do mundo! Se eu adoecesse pensaria nisso.”

(PESSOA, Fernando. O eu profundo e outros eus. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, [s/a], p. 139.) B – “Tenho medo de pensar (...) O meu mistério eu avivo Se me perco a meditar.”

(PESSOA, Fernando. O eu profundo e outros eus. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, [s/a], p. 90.)

Questão 3 – Pode-se dizer que a questão central nos dois fragmentos gira em torno da ação de pensar. Ao comparar os dois fragmentos, explique a diferença de concepção da ação de pensar entre o fragmento A e o fragmento B. LIMITE SUA RESPOSTA AO ESPAÇO ABAIXO

docsity.com

UFJF – CONCURSO VESTIBULAR 2012 – PROVA DE LITERATURAS PARA O DESENVOLVIMENTO E A RESPOSTA DAS QUESTÕES, SÓ SERÁ ADMITIDO USAR CANETA ESFEROGRÁFICA AZUL OU PRETA

Proibido escrever na prova informações como: apelidos, desenhos, nome, números, símbolos e tudo o que possa identificar o candidato. 5

Leia o poema concreto abaixo, de Décio Pignatari para responder à questão.

(PIGNATARI, Décio. “Contribuição a um alfabeto duplo”. In.: Poesia, Pois é, Poesia. / Poetc. São Paulo: Brasiliense, 1986, p. 184.)

Questão 4 – Uma das questões centrais para Décio Pignatari é a “afirmação plena da vida por meio da afirmação da razão, do sensível e do sexual, numa síntese feliz” (SIMON, Iumna Maria & DANTAS, Vinícius. Literatura Comentada: Poesia Concreta. São Paulo: Abril Educação, 1982, p. 18). Levando em consideração esse comentário, elabore uma proposta de leitura para o poema acima. LIMITE SUA RESPOSTA AO ESPAÇO ABAIXO

docsity.com

UFJF – CONCURSO VESTIBULAR 2012 – PROVA DE LITERATURAS PARA O DESENVOLVIMENTO E A RESPOSTA DAS QUESTÕES, SÓ SERÁ ADMITIDO USAR CANETA ESFEROGRÁFICA AZUL OU PRETA

Proibido escrever na prova informações como: apelidos, desenhos, nome, números, símbolos e tudo o que possa identificar o candidato. 6

Questão 5 – Leia o poema “Cemitério dos desaparecidos”, de Alex Polari, e responda à questão.

Cemitério de desaparecidos

Fala-se à boca miúda nos corredores do Cisa, Cenimar e Doi que a Vanguarda Popular Celestial (como eles denominam o local que os guerrilheiros vão depois de mortos) está sediada em algum ponto da Restinga da Marambaia. É lá que os corpos dos militantes presos são jogados à noite de helicóptero: descrevem uma parábola no ar abrem uma fenda branca na espuma se aprofundam e adormecem sem vingança possível.

(ALVERGA, Alex Polari de. Inventário de cicatrizes. Rio de Janeiro: Teatro Ruth Escobar / Comitê Brasileiro pela Anistia, 1978, p.50.)

a) Caracterize, através de referências do texto, o contexto histórico a que o poema se refere. LIMITE SUA RESPOSTA AO ESPAÇO ABAIXO

b) No penúltimo verso, o verbo “adormecem” pode ser lido como um comentário irônico do poeta, que retoma a ideia presente no título. A que se refere tal ironia?

LIMITE SUA RESPOSTA AO ESPAÇO ABAIXO

docsity.com

comentários (0)
Até o momento nenhum comentário
Seja o primeiro a comentar!
Esta é apenas uma pré-visualização
Consulte e baixe o documento completo
Docsity is not optimized for the browser you're using. In order to have a better experience we suggest you to use Internet Explorer 9+, Chrome, Firefox or Safari! Download Google Chrome