10 forjamento, Teses de Engenharia Automóvel. Universidade de Lisboa
Alexandre.Manta
Alexandre.Manta18 de Abril de 2016

10 forjamento, Teses de Engenharia Automóvel. Universidade de Lisboa

PDF (4 MB)
61 páginas
276Número de visitas
Descrição
Fabricação de matéria Prima
20pontos
Pontos de download necessários para baixar
este documento
baixar o documento
Pré-visualização3 páginas / 61
Esta é apenas uma pré-visualização
3 shown on 61 pages
baixar o documento
Esta é apenas uma pré-visualização
3 shown on 61 pages
baixar o documento
Esta é apenas uma pré-visualização
3 shown on 61 pages
baixar o documento
Esta é apenas uma pré-visualização
3 shown on 61 pages
baixar o documento
A Influência da Velocidade Linear no Comportamento do Desgaste do Revestimento por Spray Térmico sob Condições Dinâmicas do Teste de Abrasão

Prof. Paulo Marcondes, PhD.

DEMEC / UFPR

FORJAMENTO

Conformação – TM 262

2

FORJAMENTO

Histórico;

Conceito;

“Forjamento é o nome genérico para operações de

conformação mecânica efetuadas com esforço de compressão

sobre um material dúctil, de tal modo que ele tende a assumir

o contorno ou perfil da ferramenta de trabalho.”

3

• Tipos básicos:

– Conformação a quente;

– Conformação a frio.

• Classificação;

– Forjamento livre ou em matriz aberta (ferramentas

côncavas ou planas);

– Forjamento em matriz fechada;

CARACTERÍSTICAS GERAIS

CARACTERÍSTICAS GERAIS

Nomenclatura típica

de forjamento

5

• Etapas do forjamento;

Corte –> aquecimento –> pré-conformação –> forjamento -> rebarbação

• Materiais utilizados:

– Aços (comuns, ligados, ferramenta, estruturais e

inoxidáveis);

– Ligas (Cu, Al, Mg, Ni e Ti).

CARACTERÍSTICAS GERAIS

6

FORJAMENTO LIVRE

• Matrizes planas e simples;

• Pré-conformação;

• Lotes pequenos;

• Peças grandes e de geometria simples;

• Baixo custo;

7

• Operações simples de conformação por forjamento;

– Matrizes abertas ou ferramentas especiais;

– Produzir peças acabadas e simples;

– Redistribuir a massa de uma peça bruta para posterior

forjamento em matriz.

– Recalque, estiramento, laminação, alargamento,

fendilhamento, extrusão, etc.

OPERAÇÕES UNITÁRIAS

8

• Recalque ou recalcamento;

– Compressão direta do material entre um par de ferramentas de face plana ou

côncava, visando primariamente reduzir a altura da peça e aumentar a sua

secção transversal.

OPERAÇÕES UNITÁRIAS

Se a redução na espessura a ser

efetuada é grande:

Recobrimento as mordidas.

Estiramento

10

• Estiramento;

– Visa aumentar o comprimento de uma peça às custas da sua espessura.

OPERAÇÕES UNITÁRIAS

11

• Encalcamento;

– Redução da secção de uma porção intermediária da peça, por meio de uma

ferramenta ou impressão adequada.

OPERAÇÕES UNITÁRIAS

12

• Rolamento;

– Operação de distribuição de massa ao longo do comprimento da peça,

mantendo-se a secção transversal redonda enquanto a peça é girada em torno do

seu próprio eixo.

OPERAÇÕES UNITÁRIAS

13

• Alargamento;

– Aumenta a largura de uma peça reduzindo sua espessura.

OPERAÇÕES UNITÁRIAS

Alargamento e estiramento

15

• Furação;

– Abertura de um furo em uma peça, geralmente por meio de um punção de

formato apropriado.

OPERAÇÕES UNITÁRIAS

Furação

Aplicação de punção ou mandril sobre a peça.

17

• Extrusão;

– O material é forçado a passar através de um orifício de secção transversal menor

que a da peça.

OPERAÇÕES UNITÁRIAS

18

• Laminação de forja;

– Redução e da secção transversal de uma barra passando-a entre dois rolos que

giram em sentidos opostos, tendo cada rolo um ou mais sulcos de perfil

adequado, que se combina com o sulco correspondente do outro rolo.

OPERAÇÕES UNITÁRIAS

19

• Caldeamento;

– Visa produzir a soldagem de duas superfícies metálicas limpas, postas em

contato, aquecidas e submetidas à compressão.

OPERAÇÕES UNITÁRIAS

20

• Cunhagem;

– Geralmente realizada a frio, empregando matriz fechada ou aberta, visa

produzir uma impressão bem definida na superfície de uma peça, sendo usada

para fabricar moedas, medalhas talheres e outras peças pequenas, bem como

para gravar detalhes de diversos tipos em peças maiores.

OPERAÇÕES UNITÁRIAS

21

• Fendilhamento;

– Consiste em separar o material, geralmente aquecido, por meio de um mandril

de furação provido de gume; depois que a ferramenta foi introduzida até a

metade da peça, esta é virada para ser fendilhada do lado oposto.

OPERAÇÕES UNITÁRIAS

22

CARACTERÍSTICAS DO PROCESSO

• Recalque de peças cilíndricas;

- Deformação homogênea e heterogênea;

- Aumento da pressão na interface;

- Zona de fluxo restringido;

- Barrilamento;

• Para h/D<1,4 – um bojo;

• Para h/D=1,4 e 1,6 – dois bojos;

• Para h/d >1,6 ?? e h/d > 3 ???

– Tensões residuais (secundárias);

• Trativas, compressivas e circunferênciais;

CARACTERÍSTICAS

DO PROCESSO

24

CARACTERÍSTICAS DO PROCESSO

• Recalque de peças prismáticas; – Secções transversais tendem a se arredondar;

– Divisores de fluxo; • Controlam o escoamento do material na deformação plástica;

– Custo;

– Deformação plana.

Recalque, estiramento,

rolamento

comentários (0)
Até o momento nenhum comentário
Seja o primeiro a comentar!
Esta é apenas uma pré-visualização
3 shown on 61 pages
baixar o documento