Administração do Transporte, Notas de estudo de Logística
adilson-ruivo-5
adilson-ruivo-5

Administração do Transporte, Notas de estudo de Logística

54 páginas
50Números de download
1000+Número de visitas
100%de 0 votosNúmero de votos
Descrição
administração do transporte
100 pontos
Pontos de download necessários para baixar
este documento
Baixar o documento
Pré-visualização3 páginas / 54
Esta é apenas uma pré-visualização
3 mostrados em 54 páginas
Esta é apenas uma pré-visualização
3 mostrados em 54 páginas
Esta é apenas uma pré-visualização
3 mostrados em 54 páginas
Esta é apenas uma pré-visualização
3 mostrados em 54 páginas
Microsoft PowerPoint - Aula2 - Resumo Adm Transporte

Módulo Logística Prof. Juliano Moraes

Pós Graduação em Gestão Industrial UNIFOA

1

Aula 2 – Administração do Transporte Prof. Juliano M. Moraes

Módulo Logística Prof. Juliano Moraes

Pós Graduação em Gestão Industrial UNIFOA

2

Sumário

Introdução

Transporte & Estratégia Logística

Operadores Logísticos

Intermodalidade

Módulo Logística Prof. Juliano Moraes

Pós Graduação em Gestão Industrial UNIFOA

3

Introdução

Transporte é, em geral, responsável pela maior parcela dos custos logísticos

na empresa - 60% e no PIB - 10% no Brasil. é a principal função logística

Preocupação contínua na redução de custos de transporte

Módulo Logística Prof. Juliano Moraes

Pós Graduação em Gestão Industrial UNIFOA

4

Introdução Ações:

Intermodalidade - integração entre modais de transporte.

Operadores Logísticos - prestadores de serviços logísticos integrados

gerar economias de escala compartilhando capacidade e recursos de movimentação com vários clientes.

Módulo Logística Prof. Juliano Moraes

Pós Graduação em Gestão Industrial UNIFOA

5

Transporte & Estratégia Logística Transporte: 60% dos custos logísticos e é fundamental no desempenho do serviço ao cliente

Funções do transporte na logística: dimensões de tempo e utilidade de lugar

Útil para obtenção de diferencial competitivo:

Investimentos em tecnologia de informação + soluções intermodais

Módulo Logística Prof. Juliano Moraes

Pós Graduação em Gestão Industrial UNIFOA

6

Funcionalidades de um software TMS

Monitoramento e controle de custos e serviços

Planejamento e execução

Apoio à negociação e auditoria de frete

Manutenção da frota

Módulo Logística Prof. Juliano Moraes

Pós Graduação em Gestão Industrial UNIFOA

7

TMS - Monitoramento & Controle Informações sobre:

desempenho dos transportadores - modais

frete premium e frete de retorno

cargas expedidas e número veículos usados

desempenho das entregas

Módulo Logística Prof. Juliano Moraes

Pós Graduação em Gestão Industrial UNIFOA

8

TMS - Monitoramento & Controle Controle de custos:

fazer orçamentos e acompanhar evolução custos (orçado versus realizado)

custos/ton-km e valores pagos por rota ou cliente

visualizar custos adicionais (veículos extras, entregas especiais)

Módulo Logística Prof. Juliano Moraes

Pós Graduação em Gestão Industrial UNIFOA

9

TMS – Monitoramento & Controle Tracking - monitorar frota e produtos, agrega valor pela informação para os clientes sobre status e localização dos pedidos, além de gerenciar o risco da carga e do veículo

custo sistema de rastreamento via satélite era US$12.000 agora é R$700,00!

Controle de serviços - monitorar o desempenho das entregas, nível de utilização da frota (otimizar ativos)

Módulo Logística Prof. Juliano Moraes

Pós Graduação em Gestão Industrial UNIFOA

10

TMS – Planejamento & Execução Determinar rotas e modais, seqüenciar paradas dos veículos e os tempos de cada uma delas, preparar documentos para despacho de veículos e verificar disponibilidade dos mesmos.

Base: Modelos e Algoritmos de Otimização da Pesquisa Operacional - Programação Linear, Programação Inteira, Teoria das Filas, Programação em Redes, Simulação - Pacotes Computacionais (Lindo, WinQSB, Cube - IQ3.0, Arena, Promodel, Simul8, ...)

Módulo Logística Prof. Juliano Moraes

Pós Graduação em Gestão Industrial UNIFOA

11

Apoio à Negociação & Auditoria de Frete

Base de dados das tarifas de frete para remunerar serviço e para auditoria

Software compara valor cobrado pelo prestador de serviço com o calculado e apresenta as diferenças

Módulo Logística Prof. Juliano Moraes

Pós Graduação em Gestão Industrial UNIFOA

12

Apoio à Negociação & Auditoria de Frete

Cadastro das condições comerciais: por volumes fracionamento e tamanho das carga custos e volumes expedidos por modais frete por viagem e tipos de veículos rotas e destinos

Apoio à negociação - identificar impacto de novas condições comerciais sobre o custo do frete ASP - Application Service Provider via WEB

Módulo Logística Prof. Juliano Moraes

Pós Graduação em Gestão Industrial UNIFOA

13

Transporte & Estratégia Logística

Fundamental para o objetivo logístico: ao menor custo

Entregar o produto certo, na quantidade certa,

na hora certa e no local certo

Módulo Logística Prof. Juliano Moraes

Pós Graduação em Gestão Industrial UNIFOA

14

Transporte versus Estoques

Visão não integrada: Gestor de estoque quer custo mínimo de estoque

Exige maior flexibilidade da produção lotes menores mais freqüentes com custo maior adequada para estratégias baseadas no tempo:

JIT, ECR, QR

Transporte fracionado: custo unitário de transporte cresce

Módulo Logística Prof. Juliano Moraes

Pós Graduação em Gestão Industrial UNIFOA

15

Transporte versus Estoques

Qual modal? Transit time varia muito com o modal , escolha depende do nível de serviço desejado pelo cliente e dos custos/modal.

Otimizar: Custo Total = transporte door to door + estoque + estoque em trânsito

Exemplo: produto com alto valor agregado - via aérea

Módulo Logística Prof. Juliano Moraes

Pós Graduação em Gestão Industrial UNIFOA

16

Transporte versus Serviços ao Cliente Impacto do transporte no serviço ao cliente é significativo

Principais exigências do mercado:

pontualidade + tempo de viagem

possibilidade de serviço porta a porta

gerenciamento de riscos (roubos, danos)

transportador pode oferecer outras funções logísticas: seleção, embalagem,...

Escolha do modal está vinculada ao desempenho e características

Módulo Logística Prof. Juliano Moraes

Pós Graduação em Gestão Industrial UNIFOA

17

• Ferroviário altos custos fixos em equipamentos, terminais, vias férreas; custo variável baixo.

Estrutura de Custos em cada Modal

Módulo Logística Prof. Juliano Moraes

Pós Graduação em Gestão Industrial UNIFOA

18

Preços Relativos dos Diferentes Modais (carga fechada à média e longa distâncias)

em US$ por 1.000 ton – km

155Aquaviário 0,8989Dutoviário 0,57814Ferroviário 0,271556Rodoviário 1,31422320Aéreo

Brasil/EUABrasilEUA

Módulo Logística Prof. Juliano Moraes

Pós Graduação em Gestão Industrial UNIFOA

19

Impactos da Internet no Transporte Criou novas necessidades e oportunidades para planejamento, controle e operação: melhorou qualidade do serviço

Demanda crescente por entrega mais pulverizadas de produtos com alto valor agregado - entrega direta pelos fabricantes (Dell) Surgimento de portais de transporte - intermediação

entre transportadores e embarcadores Potencial para rastreamento de veículos em tempo

real - disponibilizar o status dos seus carregamentos (FedEx, Varig Cargo) - segurança e transparência

Módulo Logística Prof. Juliano Moraes

Pós Graduação em Gestão Industrial UNIFOA

20

Conceito de Operador Logístico Operador Logístico é uma empresa prestadora de

serviços, especializada em gerenciar e executar todas ou parte das atividades logísticas nas várias fases da Cadeia de Abastecimento, que agrega valor aos produtos e serviços de seus clientes e que tenha competência para, no mínimo, prestar simultaneamente serviços de gestão de estoques, armazenagem e gestão de transportes.

Módulo Logística Prof. Juliano Moraes

Pós Graduação em Gestão Industrial UNIFOA

21

Operadores Logísticos & Gestão de Estoques Estabelecer a política de estoques com o cliente.

Controlar e responsabilizar-se pelas quantidades.

Utilizar técnicas modernas para acompanhar a evolução dos estoques em termos de quantidade e localização.

Emitir relatórios periódicos.

Garantir a rastreabilidade dos produtos.

Módulo Logística Prof. Juliano Moraes

Pós Graduação em Gestão Industrial UNIFOA

22

Operadores Logísticos & Armazenagem Dispor de instalações adequadas com equipamentos de movimentação, armazenagem e outros

Receber e expedir

Dispor de WMS, preferencialmente envolvendo código de barras, leitoras óticas e rádio freqüência

Realizar controle de qualidade nos processos

Possuir apólice de seguros para instalações e materiais

Cumprir exigências legais

Módulo Logística Prof. Juliano Moraes

Pós Graduação em Gestão Industrial UNIFOA

23

Operadores Logísticos & Gestão de Transporte Contratar ou realizar transportes.

Manter valores de fretes competitivos.

Qualificar e homologar transportadoras.

Negociar o nível de serviço com a transportadora.

Conferir e realizar o pagamento de fretes.

Medir e controlar o desempenho das transportadoras.

Emitir relatórios periódicos sobre nível de serviço

Módulo Logística Prof. Juliano Moraes

Pós Graduação em Gestão Industrial UNIFOA

24

Razões para Terceirizar Atividades Logísticas Aumentar o retorno sobre o ativo da empresa que terceiriza, pela redução substancial nos investimentos em armazéns e equipamentos de manuseio, separação e transporte.

Retorno Sobre o Ativo = Giro do Ativo x Margem de Lucro (10%)

20%10%Retorno Sobre o Ativo -ROA 21Giro do Ativo (R$ milhões) 2020Vendas anuais (R$ milhões) 1010Outros Ativos (R$ milhões) 010Ativos Logística (R$ milhões)

DEPOISANTES

Módulo Logística Prof. Juliano Moraes

Pós Graduação em Gestão Industrial UNIFOA

25

Origens dos Operadores Logísticos

Ampliação de serviços (Especialistas em Transporte e Armazenagem & Parcerias e Aquisições)

Diversificação de atividades - empresas industriais ou comerciais (a partir de alta competência para gerenciamento interno decidem criar empresa prestadora de serviços)

Módulo Logística Prof. Juliano Moraes

Pós Graduação em Gestão Industrial UNIFOA

26

O que considerar no momento de decidir sobre utilização de Operador Logístico:

Fazer ou Comprar (contratar)? (Verticalizar x Desverticalizar Operações)

Problema: análise do impacto da escolha sobre custos e controle operacional

Módulo Logística Prof. Juliano Moraes

Pós Graduação em Gestão Industrial UNIFOA

27

Argumentos a favor de Fazer :

Reduz custos (elimina a margem do fornecedor e custos de transação)

Aumenta controle sobre variáveis (qualidade, prazos, disponibilidade)

Módulo Logística Prof. Juliano Moraes

Pós Graduação em Gestão Industrial UNIFOA

28

Argumentos a favor de Comprar:

Empresa nem sempre tem eficiência operacional como a do operador logístico

Especialista explora economias de escala, fato de ser especialista e focado gera custos menores que empresa não especializada.

Falta de concorrência externa pode gerar deterioração de serviços e eficiência

Módulo Logística Prof. Juliano Moraes

Pós Graduação em Gestão Industrial UNIFOA

29

Operações logísticas têm:

Aumentado sua complexidade (gera mais custos)

Ficado mais sofisticadas tecnologicamente (precisa de maiores e mais freqüentes investimentos)

Ficado mais importantes do ponto de vista estratégico (permite maior agregação de valor e diferenciação competitiva)

...e assim têm favorecido o uso de especialistas

Módulo Logística Prof. Juliano Moraes

Pós Graduação em Gestão Industrial UNIFOA

30

Ferramentas para gerenciar a complexidade crescente da Logística:

Tecnologia da Informação - Hardware

códigos de barras, leitora óptica

rádio freqüência, EDI, GPS

Tecnologia da Informação - Software

Data Warehouse

Roteirizadores

Sistemas ERP, GIS, Simuladores e Sistema de Planejamento de Redes

OL: benchmarking contínuo, economia

de escala que viabiliza

investimentos

Módulo Logística Prof. Juliano Moraes

Pós Graduação em Gestão Industrial UNIFOA

31

Problemas Risco de perder acesso a informações-chaves do mercado (mudanças, contato direto com cliente)

Descompasso entre percepções do contratante e operador contratado sobre os objetivos competitivos da empresa

Incapacidade do Operador Logístico de cumprir metas combinadas (prometer e...não cumprir!)

Criação de dependência excessiva da empresa contratante ao Operador Logístico (alto custo no caso de mudança)

Módulo Logística Prof. Juliano Moraes

Pós Graduação em Gestão Industrial UNIFOA

32

Questões Básicas: 1. O quê se deseja ganhar?

2. Características do OL?

3. Instrumentos gerenciais?

4. Como avaliar resultados/sucesso da operação terceirizada?

Custos, Qualidade, Rentabilidade, Market Share

Atitudes Gerenciais, Estrutura

Planejamento e Controle Conjuntos

Objetivos de ganhos acertados e instrumentos gerenciais de planejamento e controle: feedback

Módulo Logística Prof. Juliano Moraes

Pós Graduação em Gestão Industrial UNIFOA

33

Processo de Seleção de Operador Logístico

1. Formação da Equipe de Planejamento: Pessoal de Suprimentos & Materiais TI Logística Vendas e marketing Financeiro e Tributário

Atribuição: Estruturar Processo de Terceirização, Avaliar Oportunidades e Selecionar OL adequado

Módulo Logística Prof. Juliano Moraes

Pós Graduação em Gestão Industrial UNIFOA

34

Processo de Seleção de Operador Logístico

Processo Estruturado de Seleção – Exemplo:

Identificação de parceiros em potencial

Aplicação do RFI - Request For Information

Realização de entrevistas e visitas

Aplicação do RFP - Request For Proposal

Seleção do OL com base na análise do RFP e negociações comerciais

Módulo Logística Prof. Juliano Moraes

Pós Graduação em Gestão Industrial UNIFOA

35

Processo de Seleção de Operador Logístico

2. Definição de Cronogramas. Objetivos:

Prever transição

Seqüência de implementação gradual

Identificação prévia de falhas

Módulo Logística Prof. Juliano Moraes

Pós Graduação em Gestão Industrial UNIFOA

36

Processo de Seleção de Operador Logístico 3. Especificação Clara de Objetivos. Exemplos:

Redução de custos de transferência entre unidades

Aumento da freqüência de entregas

Diminuição de ativos

Concentração de recursos no core competence

Maior variedade de tipos de serviços prestados

Módulo Logística Prof. Juliano Moraes

Pós Graduação em Gestão Industrial UNIFOA

37

Processo de Seleção de Operador Logístico

4. Definição de Ações para Viabilizar os Objetivos. Exemplos:

Reduzir base de fornecedores

Realocação de pessoal

Disponibilização de serviço de home delivery

Módulo Logística Prof. Juliano Moraes

Pós Graduação em Gestão Industrial UNIFOA

38

Processo de Seleção de Operador Logístico (Após o Processo Seletivo)

5. Formação de Equipe de Transição. Objetivos: Garantir operacionalização das decisões

tomadas Não comprometer agilidade para novas

medidas

Módulo Logística Prof. Juliano Moraes

Pós Graduação em Gestão Industrial UNIFOA

39

Processo de Seleção de Operador Logístico

6. Configuração de Manual de Procedimentos. Razões:

Veículo de informação eficiente

Ferramenta de auxílio à implementação estruturada da terceirização

Módulo Logística Prof. Juliano Moraes

Pós Graduação em Gestão Industrial UNIFOA

40

Processo de Seleção de Operador Logístico

7. Criar Canal de Comunicação entre as Equipes Gerenciais do OL e do Contratante. Objetivos:

Permanente e eficiente

Definição de responsabilidades

Mecanismos de monitoramento (relatórios e reuniões periódicas)

Módulo Logística Prof. Juliano Moraes

Pós Graduação em Gestão Industrial UNIFOA

41

Intermodalidade Transporte no Brasil: investir ou paralisar (R$17 bilhões de 2002 - 2005) - Ministério de Transportes

Tipos de produtos transportados por mais de um modal são, no Brasil, commodities (minério de ferro, grãos e cimento) que precisam de sistema de transporte eficiente para serem competitivos.

Dificuldades: infra-estrutura (melhorar a eficiência de Portos e Terminais) e Legislação (Lei 9.611/98 sobre OTM – Operador de Transporte Multimodal)

Módulo Logística Prof. Juliano Moraes

Pós Graduação em Gestão Industrial UNIFOA

42

Definição (Fase 3): “Integração Total da Cadeia de Transporte, permitindo o Gerenciamento Integrado dos Modais usados e das Operações de Transferência, caracterizando uma movimentação porta a porta com a aplicação de um único documento”

Fase 1: uso de mais de um modal - baixa eficiência na transferência

Brasil está no Estágio da Multimodalidade (Fase 2): melhoria da eficiência na integração entre modais, uso de contêineres e de equipamentos de movimentação em terminais para transferência de carga entre modais

Módulo Logística Prof. Juliano Moraes

Pós Graduação em Gestão Industrial UNIFOA

43

Regulamentação e Dificuldades:

Lei 9.611/98 - Define o Transporte Multimodal: “ utiliza duas ou mais modalidades de transporte, regido por um único documento, desde a origem até o destino, executado sob a responsabilidade única de um OTM ”

Documento único: Conhecimento de Transporte Multimodal

Maior dificuldade: Questão fiscal - ICMS nos Estados

OTM - Precisa ter os ativos necessários para a execução da movimentação

Módulo Logística Prof. Juliano Moraes

Pós Graduação em Gestão Industrial UNIFOA

44

ANTT habilita operadores

Gazeta Mercantil - SP - Transporte & Logística - 2 de Fevereiro de 2005

A ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres) está habilitando os primeiros Operadores de Transporte Multimodal de Cargas: Vale do Rio Doce, Interlink Transportes Internacionais, Norgistics Brasil Operador Multimodal e Transportes Excelsior

Módulo Logística Prof. Juliano Moraes

Pós Graduação em Gestão Industrial UNIFOA

45

17/03/2005 - A ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres) habilitou mais 23 empresas como OTM (Operador de Transporte Multimodal). Agora, já são 27 empresas autorizadas. A lei 9.611, de 19 de fevereiro de 1998, define transporte multimodal de carga aquele regido por um único contrato, utiliza duas ou mais modalidades de transporte desde a sua origem até o destino, e é executado sob a responsabilidade única de um Operador de Transporte Multimodal.

http://www.canaldotransporte.com.br/

Módulo Logística Prof. Juliano Moraes

Pós Graduação em Gestão Industrial UNIFOA

46

Por quê usar mais de um modal?

Usar mais de um modal representa agregar vantagens de cada um, tanto com relação a custo como serviços

Considerar valor agregado dos produtos

Questões de segurança roubos: 1994 - 2.566 1999 - 4.967 roubos em 2001: R$550 milhões de

prejuízo

Módulo Logística Prof. Juliano Moraes

Pós Graduação em Gestão Industrial UNIFOA

47

Estudo de Caso Soja produzida em Goiás, segue de caminhão, da lavoura para o Porto de São Simão - GO. De lá, segue até Pederneiras - SP, pela Hidrovia Tietê - Paraná. chega ao Porto de Santos através da Ferroban, totalizando 1.340 km.

Um comboio de 2.200 ton de soja na hidrovia representa a ausência de 70 caminhões das estradas O tempo é maior que o rodoviário O custo do frete é muito menor:

R$34,50 a R$46,00 - Modal Rodoviário

R$25,00 - Multimodal.

Módulo Logística Prof. Juliano Moraes

Pós Graduação em Gestão Industrial UNIFOA

48

Tendências no Brasil Rodoanel (SP e RJ), Ferroanel (faltam 125 km para completar os 280 km em SP - R$1,5 B), Terminais, Eclusas, Gasodutos para GNV, Cabotagem e Hidroviário,...

Terminais de Embarcadores: Basf, CSN, Cargill, Usiminas, Votorantim, ...

Investimento em Carretas Específicas: Rodotrilho (Roadrailer) - ALL & Delara (15.628 km de ferrovias no Brasil e Argentina) e MRS Logística (1.700 km de ferrovias) - www.noma.com.br

Módulo Logística Prof. Juliano Moraes

Pós Graduação em Gestão Industrial UNIFOA

49

Investimento em Carretas Específicas: Rodotrilho (Roadrailer) - ALL & Delara (15.628 km de ferrovias no Brasil e Argentina) e MRS Logística (1.700 km de ferrovias) - www.noma.com.br

Módulo Logística Prof. Juliano Moraes

Pós Graduação em Gestão Industrial UNIFOA

50

Módulo Logística Prof. Juliano Moraes

Pós Graduação em Gestão Industrial UNIFOA

51

Tendências no Brasil

Surgimento de empresas ofertando Serviço de Transporte Multimodal + Movimentação em Terminais + Armazenagem + Gestão de Estoques, Acompanhamento da Carga...

TI é fundamental para Serviço Integrado e disponibilização de informações sobre status da carga para embarcadores e clientes (UPS – Ferrovia + Internet, Ferrovias Brasileiras - GPS)

Módulo Logística Prof. Juliano Moraes

Pós Graduação em Gestão Industrial UNIFOA

52

Outras Dificuldades para a Intermodalidade

Gargalos nas Ferrovias:

Passagens de nível (menor velocidade – cai de 60 km para 10 km) Alta densidade populacional ao lado

(Legislação - 15 m) Diferença de bitola, direito de passagem e

tráfego mútuo

Módulo Logística Prof. Juliano Moraes

Pós Graduação em Gestão Industrial UNIFOA

53

Dificuldades para a Intermodalidade

Caminhões: 1,8 milhões Idade média da frota - 18 anos

1,3 milhões tem mais de 11 anos de idade

2001: 50.000 caminhões eram rastreados

Módulo Logística Prof. Juliano Moraes

Pós Graduação em Gestão Industrial UNIFOA

54

Check Point

Qual a parcela do custo de transporte nos custos logísticos?

O que são Operadores Logísticos? Quais os tipos quanto a origem?

O que é Intermodalidade?

Até o momento nenhum comentário
Esta é apenas uma pré-visualização
3 mostrados em 54 páginas