Água para uso farmacêutico, Notas de estudo de Farmácia
carla-lanius-2
carla-lanius-2

Água para uso farmacêutico, Notas de estudo de Farmácia

21 páginas
50Números de download
1000+Número de visitas
Descrição
Água para uso farmacêutico
40 pontos
Pontos de download necessários para baixar
este documento
Baixar o documento
Pré-visualização3 páginas / 21
Esta é apenas uma pré-visualização
3 mostrados em 21 páginas
Esta é apenas uma pré-visualização
3 mostrados em 21 páginas
Esta é apenas uma pré-visualização
3 mostrados em 21 páginas
Esta é apenas uma pré-visualização
3 mostrados em 21 páginas

Água para uso farmacêutico

Acadêmicas: Carla Lanius, Cheila Vogt e Leticia Frizon

É considerada Água para uso Farmacêutico, as diferentes formas de água utilizadas durante os seguintes processos:

Na síntese de fármacos

Formulação e produção de medicamentos

Em laboratórios de ensaios

Diagnósticos e demais aplicações na área da saúde

Como componente na limpeza de utensílios e equipamentos

Os requisitos de qualidade da água dependerão de sua finalidade e emprego, e a escolha do sistema de purificação destina atender ao grau de pureza estabelecido.

• Os processos de purificação, armazenamento e distribuição devem

garantir que as especificações farmacopeicas sejam atendidas, mantidas e

controladas adequadamente.

O controle da contaminação da água é crucial, uma vez que a água tem a capacidade de agregar compostos diversos e, também, de se contaminar novamente após a purificação

OS CONTAMINANTES DA ÁGUA SÃO REPRESENTADOS POR DOIS GRANDES GRUPOS:

Contaminant es

Químicos

Contaminant es

Microbiológic os

Os contaminantes orgânicos e inorgânicos tem origens diversas:

Da fonte de alimentação

Absorção de gases da

atmosfera

Da extração de materiais com os quais ela entra

em contato i l

De resíduos poluentes

Resíduos de produtos utilizados na limpeza e

sanitização de equipamentos

Contaminantes Químicos

Esses contaminantes podem ser avaliados, principalmente, pelos ensaios de carbono orgânico total e de condutividade.

A maioria dos compostos orgânicos pode ser removida por osmose reversa. Os de baixo peso molecular demandam técnicas adicionais, como a resina de troca iônica, carvão ativado ou oxidação por ultravioleta ou ozônio.

Contaminantes Microbiologicos

São representados principalmente por bactérias e apresentam grande desafio à qualidade de água.

São originários da própria microbiota da fonte de água e de alguns equipamentos de purificação.

O padrão microbiológico é especificado e consiste na ausência de coliformes totais e termotolerantes, além de enterovírus, cistos e oocistos de protozoários.

Os processos de desinfecção são feitos com substâncias químicas contendo cloro ou outros oxidantes, empregadas há décadas e consideradas relativamente seguras para os seres humanos.

Tipos de água

Agua Potáve

l

Água para

injetávei s

Água reagente

Água purificad

a

Água ultrapurificad

a

Tipo de água Características Exemplos de Aplicação Água Potável

Obtida de mananciais ou da rede de distribuição pública.

Limpeza em geral e fonte de alimentação de sistemas de tratamento.

Água reagente

Água potável tratada por deionização ou outro processo. Possui baixa exigência de pureza.

Lavagem de material, abastecimento de equipamentos, autoclaves, banho-maria, histologia, usos diversos.

Água Purificada

Níveis variáveis de contaminação orgânica e bacteriana. Exige cuidados de forma a evitar a contaminação química e microbiológica. Pode ser obtida por osmose reversa ou por uma combinação de técnicas de purificação a partir da água potável ou da reagente.

Produção de medicamentos e cosméticos em geral, farmácias, lavagem de material, preparo de soluções reagentes, meios de cultura, tampões, diluições, microbiologia em geral, análises clínicas, técnicas por Elisa, radioimunoensaio, aplicações diversas na maioria dos laboratórios,

Água para Injetáveis

Água purificada tratada por destilação ou processo similar.

Como veículo ou solvente de injetáveis, fabricação de princípios ativos de uso parenteral, lavagem final de equipamentos, tubulação e recipientes usados em preparações parenterais.

Água ultrapurificad a

Para análises que exigem mínima interferência e máxima precisão e exatidão. Baixa concentração iônica, baixa carga microbiana e baixo nível de carbono orgânico total. Água purificada tratada por processo complementar.

Dosagem de resíduos minerais ou orgânicos, endotoxinas, preparações de calibradores, controles, SQR, espectrometria de absorção atômica, espectrometria de massa, procedimentos enzimáticos, cromatografia gasosa, CLAE, biologia molecular e cultivo celular.

SISTEMAS DE PURIFICAÇÃO DE ÁGUA

 Pré filtração

 Adsorção por carvão vegetal ativado

 Tratamento com aditivos químicos

 Tratamento com abrandadores

 Deionização e eletrodeionização contínua

 Osmose reversa

 Ultrafiltração

 Filtração com carga eletrostática

 Microfiltração – retenção de micro- organismos

 Radiação ultravioleta (UV)

 Destilação

Pré filtração Tem por finalidade remover sólidos contaminantes com tamanho de 5 a 10 mm, protegendo as tecnologias subsequentes.

Utiliza filtros de areia ou combinação de filtros.

Adsorção por carvão vegetal ativado

Muitas vezes associado ao filtro de areia. O carvão ativado é capaz de absorver moléculas orgânicas de baixo PM e derivados clorados.

Tratamento com aditivos químicos

Tratamento com abrandadores

Destinam-se a ajustar o pH ou a remover carbonatos e amônia, para a proteção de outras tecnologias, entre elas a osmose reversa. Ex: Ozônio - controle de microorgaanismos Metabissulfito – agente redutor para cloro livre

Os aditivos químicos são, necessariamente, removidos em algum estágio posterior de purificação e não podem deixar resíduo na água

final.

Essa tecnologia emprega resinas regeneráveis de troca iônica, que capturam os íons cálcio e magnésio, e liberam íons sódio na água. O abrandamento é utilizado na proteção de tecnologias sensíveis à incrustação.

Deionização e eletrodeionização contínua

Produzida por troca iônica, onde os íons presentes na água são trocados por íons H+ ou OH–.

Os sistemas de deionização são constituídos de resinas de troca iônica que requerem regeneração periódica com ácido e base.

Os sistemas de eletrodeionização contínua combinam resinas catiônicas e aniônicas com membranas semipermeáveis e a aplicação de um campo elétrico, promovendo assim a remoção de íons de forma contínua, isso é, sem necessidade de parada para regeneração.

Produto: Produz água purificada

Osmose reversa

A osmose reversa é uma tecnologia de purificação baseada em membranas semi permeáveis e com propriedades de remoção de íons; micro-organismos e endotoxinas bacterianas. Remove 90 a 99% da maioria dos contaminantes.

As membranas de osmose reversa devem ser devidamente controladas quanto à formação de incrustações provenientes de sais de cálcio, magnésio e outros, e de biofilme, fonte crítica de contaminação microbiana e de endotoxinas. Por isso é imprescindível instalar um sistema de pré-tratamento antes da osmose reversa, que remova partículas e agentes oxidantes, e deve fazer-se, periodicamente, a sanitização do sistema.

A falta de manutenção gera água contaminada!

Ultrafitração

A ultrafiltração é realizada utilizando-se uma membrana especial com a propriedade de reter moléculas conforme o seu peso molecular e estereoquímica. Essa tecnologia pode ser usada em uma etapa final ou intermediária do sistema de purificação, desde que validada. Requer um controle adequado das condições operacionais e procedimentos apropriados de limpeza e sanitização.

Filtração com carga eletrostática

Esse tipo de filtração emprega cargas positivas na superfície das membranas e destina-se a reduzir os níveis de endotoxinas que possuem natureza elétrica negativa. Apresenta uma limitação importante: quando as cargas estão totalmente neutralizadas, por saturação pela captura das endotoxinas, a remoção se paralisa. Por essa razão, filtros com carga eletrostática são extremamente difíceis de validar.

Radiação Ultravioleta (UV)

Essa tecnologia utiliza membranas microporosas, com uma especificação de tamanho de poro de 0,2, ou 0,22μm. Devem ser m. Devem ser validadas quanto à retenção, por meio de um teste bacteriológico, que determina o valor da redução logarítmica dos micro-organismos nas membranas. Não necessariamente será esterilizante, se não produzir um filtrado estéril por meio desse teste. A microfiltração é aplicada na filtração de gases, ou ventilação de

tanques de armazenamento, para evitar contaminação da água neles contida.

Microfiltração – retenção de micro-organismos

A radiação UV é utilizada em sistemas de purificação de água em dois comprimentos de onda: 185 e 254 nm, que promovem dois efeitos:

185 nm + 254 nm – Oxidação de compostos orgânicos e consequente redução de sua concentração. ( a água deve estar no estágio final de purificação e será mais efetiva quanto menor a carga de contaminantes). • 254 nm – Ação germicida nos diversos pontos da sequência de purificação, onde é necessário reduzir a contagem microbiana.

Destilação

Água destilada: obtida por processo no qual a água líquida vaporiza e condensa em um estado mais puro. O controle da água potável de entrada é fundamental, para diminuir a possibilidade de carreamento de compostos voláteis no condensado.

É a água purificada dita como ponto de partida para produzir água ultra- pura

DISTRIBUIÇÃO, SANITIZAÇÃO,

ARMAZENAMENTO E

VALIDAÇÃO

Distribuição A distribuição deve levar em conta a recirculação constante da água purificada e a manutenção da temperatura da água contida no tanque. Tubulações, válvulas, instrumentos e outros dispositivos devem ter construção e acabamento sanitário, para que não ocorra a contaminação microbiana e serem sanitizados.

Sanitização Diversos são os métodos de sanitização dos sistemas de produção, armazenamento ou distribuição. É comum utilizar temperaturas de 80 °C ou de 65 °C, com circulação contínua da água. No entanto, para impedir a formação de biofilmes normalmente é empregada uma combinação de calor e agentes químicos na sanitização.

O procedimento de sanitização deve ser devidamente validado.

Armazenamento

As condições de estocagem devem ser adequadas à qualidade da água.

A água ultrapurificada não deve ser armazenada por período superior a 24 horas.

Quanto maior o grau de purificação da água, mais rapidamente ela tende a se recontaminar.

O reservatório utilizado para a sua manutenção deve ser apropriado aos fins a que se destina, composto por material inerte, limpo e não servir de fonte de contaminação ao conteúdo.

O aço inoxidável 316L eletropolido, com rugosidade menor que 0,5 microRA, é a escolha mais frequente para atender a essas exigências.

reservatórios de água para injetáveis devem manter a água circulante em temperatura superior a 80º C, que restringe significativamente o crescimento bacteriano.

Validação Assegurar a confiabilidade de um sistema de purificação de água, envolvendo sua obtenção, armazenamento, distribuição e qualidade no ponto de uso.

Monitoramento da qualidade da água O monitoramento da qualidade da água deve abranger todos os pontos críticos e representativos do sistema.

Os equipamentos e aparatos utilizados nas verificações devem ser capazes de fornecer a leitura na faixa requerida para a pureza estabelecida e estarem devidamente calibrados.

Os dados obtidos são comparados com as especificações típicas e os limites de alerta e de ação.

O monitoramento da água de uso farmacêutico se baseia no controle microbiológico e nos parâmetros que assegurem a manutenção da qualidade da água desejada.

• Bibliografia :

ANVISA. AGENCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA. Farmacopeia Brasileira, volume 1. 5ª Ed. Brasilia,2010b.

Até o momento nenhum comentário
Esta é apenas uma pré-visualização
3 mostrados em 21 páginas