Análise Sintática é bem interessante, Esquemas de Língua Portuguesa
jessica-soares
jessica-soares

Análise Sintática é bem interessante, Esquemas de Língua Portuguesa

33 páginas
11Número de visitas
Descrição
Sintaxe é um tema muito recorrente nos concursos.
20 pontos
Pontos de download necessários para baixar
este documento
Baixar o documento
Pré-visualização3 páginas / 33
Esta é apenas uma pré-visualização
3 mostrados em 33 páginas
Baixar o documento
Esta é apenas uma pré-visualização
3 mostrados em 33 páginas
Baixar o documento
Esta é apenas uma pré-visualização
3 mostrados em 33 páginas
Baixar o documento
Esta é apenas uma pré-visualização
3 mostrados em 33 páginas
Baixar o documento
Un23 e 24.p65

— 302 —

Análise Sintática – Termos da Oração

23

Conceituação A análise é um processo de divisão. Compõe-se de duas partes distintas: a) divisão de um todo em suas partes

componentes; b) explicação da função de cada uma des-

sas partes. A análise sintática tem seu campo de ação

assim delimitado:

Período Oração Termos da oração

Frase - Oração - Período

FRASE é qualquer enunciado dotado de significação.

A frase pode ser constituída de: • uma só palavra. Ex.: Socorro! • várias palavras (com verbo ou não). Ex.: O tempo está nublado. Que calor! Na língua escrita, a frase separa-se por

meio dos sinais de pontuação. Na língua falada, a frase separa-se por

meio do entonação. → A frase que não tem verbo se denomina

frase nominal.

ORAÇÃO é a frase que apresenta verbo ou LOCUÇÃO VERBAL.

Ex.: A fanfarra desfilou na avenida. As festas juninas estão chegando.

PERÍODO é a frase estruturada em oração ou orações.

Termina sempre por um ponto final, ponto de exclamação, ponto de interrogação, reti- cências e, às vezes, dois-pontos.

– O período classifica-se em: • Simples – aquele constituído por uma

só oração. Essa oração chama-se absoluta. Ex.: Fui à livraria ontem. • Composto – aquele constituído por mais

de uma oração. Ex.: Fui à livraria ontem e comprei vários

livros.

Termos da oração

– Simples – Composto

Sujeito – Indeterminado – Inexistente ou oração sem sujeito

• Nominal Predicado • Verbal

• Verbo-nominal

Complemento Verbal Objeto Direto Complemento Nominal Obj. Indireto Agente da Passiva Adjunto Adnominal

III – Acessórios Adjunto Adverbial Aposto

IV – Vocativo { Não pertence à estrutura da oração.

Predicado verbal

Antes de passar ao estudo dos termos da oração, é importante o exame da predicação

I – Essenciais

II – Iintegrantes

    

  

  

  

  

{ {

Predic. do Suj. Predic. do Obj.

— 303 —

verbal, ou seja, a relação do verbo com seu complemento.

Quanto à predicação, os verbos podem ser: 1. INTRANSITIVOS diretos 2. TRANSITIVOS indiretos 3. DE LIGAÇÃO diretos a indiretos

Intransitivos São verbos de predicação completa,

isto é, não exigem nenhum complemento, porque têm sentido completo por si sós.

Na prática, descobre-se o verbo intran- sitivo porque ele não aceita o raciocínio com «alguma coisa» ou «alguém».

Ex.: Os verbos VIVER, MORRER, VOAR, DORMIR são intransitivos, pois não há sentido em se dizer:

Quem vive, vive «alguma coisa» ou «alguém»

Tal procedimento aplica-se aos demais verbos:

Vivemos bem. A baleia morreu na praia. O pássaro não voou pela manhã. Os rapazes dormiram bastante.

Transitivos diretos São verbos de predicação incompleta,

isto é, exigem depois de si um comple- mento, que lhe completa o sentido.

Na prática, descobre-se o transitivo di- reto por que ele aceita o raciocínio com «al- guém» ou «alguma coisa».

Os verbos TER, ESTUDAR, COLAR, AMAR são transitivos diretos, pois é lógico dizer-se:

Quem tem, tem «alguma coisa». Quem ama, ama «alguém». O mesmo procedimento aplica-se aos de-

mais verbos:

Tenho um grande amigo. Estudei a matéria toda. O aluno colou o cartaz.

— São DIRETOS porque entre o verbo e o complemento não há preposição obrigatória. Os complementos prendem-se aos verbos SEM PREPOSIÇÃO.

Transitivos indiretos Também são verbos de predicação in-

completa, mas estes exigem que o com- plemento venha ligado a eles por meio de uma preposição obrigatória.

Na prática, encontra-se o transitivo indire- to porque ele aceita o raciocínio «de (com) (em) (a) (para) (por) alguma coisa» ou «alguém».

Os verbos GOSTAR, ASSISTIR, CRER, PRECISAR são transitivos indiretos, pois é lógi- co dizer-se:

Quern gosta, gosta «de alguma coisa» ou de «alguém».

Quem assiste, assiste «a alguma coisa».

O mesmo procedimento aplica-se aos de- mais verbos:

Cremos em Deus. O aluno precisa de incentivo. O filho (des)obedece ao pai.

Os complementos prendem-se aos verbos COM PREPOSIÇÃO.

Transitivos diretos e indiretos

Também são verbos de predicação incompleta que exigem dois complementos: um ligado diretamente, SEM PREPOSIÇÃO, e outro COM PREPOSIÇÃO.

Na prática, identifica-se o transitivo direto e indireto porque ele aceita o raciocínio duplo «alguma coisa» «a (para) (de) ... alguém».

— 304 —

Os verbos COMUNICAR, OFERECER, DAR, EMPRESTAR são transitivos diretos e indiretos, pois é lógico dizer-se:

Quem dá, dá «alguma coisa a (para) alguém». Quem faz, faz «alguma coisa a (por) alguém».

Comuniquei-Ihe o fato. Comuniquei-o sobre o fato. Emprestei a caneta ao vestiba.

De ligação São verbos que indicam apenas qualida-

de ou estado ou função, ligando o sujeito ao elemento que a ele se refere.

São verbos de Iigação: FICAR, ESTAR, SER, PARECER, PER-

MANECER, ANDAR, CONTINUAR etc. O dia está Iindo. O vestiba permanece tranqüilo. A sala é ampla.

Observações: a) Os verbos de ligação tornam-se

intransitivos se vierem acompanhados de adjunto adverbial apenas.

É muito tarde. Ele está na cidade. Ficarei em casa.

b) Verbos TRANSITIVOS podem intran- sitivar-se se forem usados de forma genérica:

Aquele menino não estuda. O doente quase não come.

Estudar e comer, normalmente transiti- vos, estão usados de forma genérica, isto é, indeterminada – não têm complemento – e, por isso, tornaram-se INTRANSITIVOS.

c) Verbos intransitivos podem transi- tivar-se se receberem, como complemento, palavra cognata do verbo ou do mesmo grupo de idéias.

Tais complementos deverão vir acompa- nhados de uma palavra ou expressão de valor adjetivo:

O velho morreu morte gloriosa. A noiva chorou lágrimas de desespero.

Os verbos MORRER e CHORAR, que nor- malmente são intransitivos, nos exemplos aci- ma tornaram-se TRANSITIVOS DIRETOS, pois:

-- «morreu» teve como complemento a palavra cognata «morte», acompanhada do adjetivo «gloriosa». -- «chorou» teve como complemento a palavra do mesmo grupo de idéias «lágrimas», acompanhada da expressão adjetiva «de desespero».

I. Termos essenciais

Sujeito Predicado

As orações são constituídas, quase sempre, de dois termos que expressam, respectivamente:

a) — O ser (de quem se diz algo) – SU- JEITO

b) — Aquilo que se diz (do ser) – PREDICADO

Vejamos: SUJEITO PREDICADO O vestibulando estudou a matéria. Os alunos entreolharam-se. (Nós) Sabemos toda a matéria ....... Faz muito tempo.

Sujeito É o ser de quem se diz alguma coisa. Como termo de maior hierarquia dentro da oração, jamais poderá vir regido de preposição.

→ MODO DE ENCONTRÁ-LO – fazem-se as perguntas:

O que é que + verbo? quem é que

Ex.: O aluno saiu. (Quem é que saiu?) Resposta – o aluno (sujeito)

Núcleo do sujeito

O núcleo de um termo é a palavra mais importante que dele participa.

— 305 —

Em geral, o núcleo do sujeito pode ser: • um substantivo. Ex.: O lápis é novo. • um pronome pessoal, demonstrativo, re-

lativo, interrogativo e indefinido. Ex.: Ele está aqui. • uma palavra ou expressão substantivada. Ex.: Viver é lutar • uma oração substantiva. Ex.: Convém que você venha à reunião.

Classificação Classifica-se em: 1. SIMPLES 2. COMPOSTO 3. INDETERMINADO 4. INEXISTENTE

Simples Possui um só núcleo (no singular ou no

plural/claro ou subentendido). Ex. : Os sinos silenciaram. Ninguém ousou levantar a voz. Os nossos guarda-chuvas foram roubados. Esse quê está bem empregado. Somos os melhores. (= suj. oculto simples:

nós) (= ou implícito: nós)

Composto Possui dois ou mais núcleos (no singu-

lar ou no plural). Ex. : Oamar e o querer são requisitos bási-

cos para a felicidade.

Eu e ela somos adversários. Redação e vestibular coexistem nas

preocupações dos que se preparam bem.

Indeterminado Aquele que, embora existindo, não se

pode determinar. Ocorre em dois casos: → 1. Quando um verbo está na 3ª pes-

soa plural, sem que o contexto nos permita identificar o sujeito:

Roubaram-me a carteira. → 2. PIS/IIS – quando um verbo (I, TI

ou VL) está na 3ª pessoa singular acompa- nhado do pronome SE:

Ex. : Hoje, lê-se (V.l.) mais nos tecidos do que

nos livros.

Falava-se (V.T.I.) de cobras e índios.

Era-se (V.L.) feliz naqueles tempos.

Aqui se estuda (V.I.) com amor.

Observação: A indeterminação do su- jeito pode ocorrer com TD + SE, desde que o OD esteja preposicionado:

Ex.: Admira-se a Machado de Assis. TD OD prep.

Atenção Não se confunda o SE PIS ou IIS com o SE – pronome apassivador → PA (com verbos TD): → Ouviram-se tiros espaçados. → Sujeito: tiros espaçados (Tiros espaçados foram ouvidos.) → Ouviu-se um vozerio. → Sujeito: um vozerio (Um vozerio foi ouvido.)

Inexistente ou oração sem sujeito

Ocorre quando o fato enunciado não se refere a elemento algum. Essas orações se

DETERMINADOS

— 306 —

constroem com os verbos impessoais, isto é, usados na 3ª pes. sing.

Os casos de oração sem sujeito são os seguintes:

1) Verbos que exprimem fenômenos da natureza:

• Não ventava. • No dia seguinte choveu torrencial-

mente. 2) O verbo HAVER = EXISTIR ou quando

indica tempo decorrido: • Havia ali ordem e paz. • Há mais de meio século... • Deve haver vários alunos dormindo. 3) Os verbos SER, FAZER, ESTAR, indi-

cando tempo, temperatura, horas, datas... • Faz dois meses. • Está noite. • Eram três horas da manhã. • Hoje são 15 de novembro. • Hoje é 15 de novembro. • Faz um calor insuportável. • Deve fazer mais de um ano. Observações: 1) Os verbos empregados impessoal-

mente transmitem sua impessoalidade aos auxiliares:

Exs. : — Deve haver reclamações. — Principia a haver dificuldades.

2) Além dos casos anteriores, muitas ou- tras construções há que ocorrem sem sujeito possível:

Exs.: — Aqui não me cheira bem. — Onde lhe dói?

3) Diz-se, indiferentemente, sujeito ine- xistente ou oração sem sujeito.

Predicado

PREDICADO é o que se declara do sujeito. Portanto, retirado o sujeito, o que restar será o predicado.

Classificação Pode ser:

1. NOMINAL 2. VERBAL 3. VERBO-NOMINAL

Nominal Apresenta as seguintes características: a) é formado por um verbo de ligação

mais o predicativo do sujeito – VL + PS; b) tem um nome (subst. ou adj.) como

núcleo; c) indica estado ou qualidade.

O vestiba está confiante Suj. VL PS

Pred. nom. → núcleo: confiante

VERBOS DE LIGAÇÃO: ficar, estar, ser, parecer, permanecer, andar, continuar, tornar-se, (mudança de estado) etc.

A crisálida virou borboleta Suj. VL PS

Observação: Com VL haverá sempre PS (termo que,

com VL, dá ao sujeito estado ou qualidade).

Verbal É aquele que se constitui de verbo intran-

sitivo ou transitivo.

  

— 307 —

Apresenta as características: a) o núcleo do PV é um verbo; b) não tem PS; c) indica ação. Ex. : O aluno fez as provas calmamente.

Suj. V.T.D. Pred. Verbal → núcleo: fez

Verbo-nominal Apresenta as seguintes características: a) tem dois núcleos: um verbo e um nome. b) tem predicativo do sujeito ou do

objeto → PS ou PO; c) indica ação e qualidade. É constituído de: VI + PS verbo intransitivo mais predicativo

do sujeito ou VT + PO verbo transitivo mais predicativo

do objeto • Os atletas chegaram cansados =

VI + PS PVN

Os atletas chegaram e Suj. VI

PV os atletas estavam cansados. Suj. VL PS

PN → Observação: O PS (predicativo do sujeito) no PVN é o

termo que ajuda o VI a comunicar estado ou qualidade do SUJ.

• Elegemos nosso candidato vereador = VT OD PO

PVN Elegemos nosso candidato e

VTD OD PV

nosso candidato é vereador. Suj. VL PS

PN

Outros exemplos: → O chefe nomeou-o secretário. → Os alunos vieram atrasados. → O aluno saiu preocupado. → Considero você um idiota.

Exercícios 1) Classifique o sujeito dos verbos desta- cados nas orações abaixo:

a) «Terei a mulher que eu quero...» (M. Bandeira)

.................................................................. b) «Não há mais poesia.» (M. Bandeira)

.................................................................. c) Ficavam correndo o dia todo.

.................................................................. d) «Cai balão!» (M. Bandeira)

.................................................................. e) Ias triste e lúcido pela rua.

.................................................................. f) «Homens e mulheres mantêm-se quie-

tos ante o enorme chicote do Abelardo II.» (O. do Andrade)

.................................................................. g) Deve haver enganos nesta classifica-

ção dos poetas modernistas. ..................................................................

h) Necessita-se de outras explicações. ..................................................................

=

=   

  

— 308 —

i) Onde estavas? ..................................................................

j) Haverá outros poetas tão irreverentes quanto Oswald de Andrade?

.................................................................. I) Hoje é 2 de julho de 1981.

.................................................................. m) No Rio faz dias muito quentes.

.................................................................. n) Faltam alguns minutos para o término

da aula. ..................................................................

o) Ontem fez 40 graus a sombra. ..................................................................

p) Trabalha-se muito nesta cidade. ..................................................................

q) Por toda a parte era reconhecida a figu- ra humilde e meiga da mãe preta.

.................................................................. r) Choveram comentários maldosos a seu

respeito. ..................................................................

s) Havia alegria e rumor ao pé das fogueiras. ..................................................................

t) «Andorinha, andorinha, minha cantiga mais triste!» (M. Bandeira)

................................................................. . u) Como seria o seu corpo?

.................................................................. v) «Fosse uma manhã de sol O índio tinha despido o português.»

(O. de Andrade) ..................................................................

x) «Para dizerem milho dizem mio.» (O. de Andrade)

..................................................................

2) Faça a correlação, tendo em vista o tipo de predicado, e sublinhe o predicativo, se houver:

(a) Predicado verbal (b) Predicado nominal (c) Predicado verbo-nominal 1. ( ) «O homem parecia assustado.»

(J. L. do Rego) 2. ( ) O freguês saiu da loja. 3. ( ) «Nossos guerreiros voltaram vito-

riosos.» (E. Veríssimo) 4. ( ) O mágico parece ágil. 5. ( ) Nossos guerreiros voltaram. 6. ( ) Nossos guerreiros lutaram bra-

vamente. 7. ( ) «Natividade ficou atônita...»

(M. de Assis) 8. ( ) O homem enfrentou seu adversário. 9. ( ) O freguês saiu da loja satisfeito. 10. ( ) «Não sou o herói do dia.» (C. Ricardo) 11. ( ) «Os sapos gargarejavam alto.»

(R. Pompéia) 12. ( ) Virgília entrou tristonha e sosse-

gada.» (M. de Assis) 13. ( ) Virgília entrou cautelosamente. 14. ( ) «Os guindastes rangiam.» (J. Amado) 15. ( ) Os rapazes receberam alegres as

medalhas. 3) Escreva nos parênteses:

(S) para predicativo do sujeito; (O) para predicativo do objeto. a. ( ) Carmela e Marina assistiram ale-

gres ao espetáculo. b. ( ) Consideramos Luzia uma excelen-

te datilógrafa. c. ( ) Estava irritado com as brincadeiras.

— 309 —

d. ( ) O inverno será rigoroso. e. ( ) Encontramos Maria Clara mais enve-

lhecida. f. ( ) A lei foi considerada injusta. g. ( ) Consideraram a lei injusta. h. ( ) Estou farto do lirismo comedido. i. ( ) O meu verso é bom. j. ( ) Na calçada os homens caminha-

vam descobertos. l. ( ) Qual dos dois era o melhor? m. ( ) Vocês nem parecem brasileiros!

4) Classifique os verbos em destaque nas orações abaixo quanto à predicação:

a) Alcântara Machado retrata a nova rea- lidade social e urbana do começo do século.

.................................................................. b) «Diante da mãe e do chinelo parou

(A. Machado) ..................................................................

c) Referimo-nos aos cronistas urbanos. ..................................................................

d) «Primeiro ficou desapontado. ..................................................................

Depois quase chorou de ódio.» (Alcântara Machado)

1. ................................................................. 2. ................................................................. e) «Você conhecia o pai do Afonso, Pepi-

no?» (A. Machado) ..................................................................

f) «Seu Pepino lhe deu um cocre danado de doído.» (A. Machado)

.................................................................. g) O primeiro ensaio foi logo à noite.

..................................................................

h) Fiquem atentos, por favor! ..................................................................

i) Permaneceram atônitos. ..................................................................

j) Permaneceram em casa. ..................................................................

I) As fábricas apitavam. ....................................................

Questões discursivas 1. (FEI-SP) No período: «Toda a humanida- de estaria condenada à morte se houvesse um tribunal para os crimes imaginários.» (Paulo Bonfïm)

a) Qual o sujeito da primeira oração? ..................................................................

b) Qual o sujeito da segunda oração? ..................................................................

2. (CEFET-PR) Dar o sujeito da oração: «Vendem-se livros de Engenharia.» Resp. ..........................................................

3. (FUVEST) Na frase: «Precisa-se de um técnico em previsão do tempo (...)».

(Leon Eliachar) O sujeito é: Resp.: ........................................................

4. (FUVEST) «Quando o ataque passou, fui para casa, tirei o calção e arriei na cama, esgotado, mas logo tocaram a cam- painha e, quando olhei pelo olho mági- co, vi no corredor escuro uma figura toda encapuçada.» (Rubem Fonseca)

Indique o sujeito dos seguintes verbos: — passou: ................................................. — tocaram: ................................................ — vi: ..........................................................

1

2

— 310 —

5. (FAAP-SP) Classifique o sujeito da fra- se: «Soaram no silêncio, nítidos, os pri- meiros passos do burro.» (Osman Lins)

Resp.: ........................................................

6. (UNESP) Em: «com as últimas chuvas, o verde rebentou verdíssimo.»

Identificar as funções sintáticas dos seg- mentos destacados:

com as últimas chuvas: .......................... o verde: ..................................................... verdíssimo: ................................................

7. (UFRJ) Retire do período abaixo um predicativo:

O rapaz ali estava para ser julgado e re- ceava que o considerassem responsável pela acusação.

Resp. .......................................................... 8. (FEA-SP)

«O poeta-ia bêbedo no bonde, O dia nascia atrás dos quintais, As pensões alegres dormiam tristíssimas.»

(C.D.A.) Dê a função sintática de: a) bêbedo: .................................................. b) alegres: .................................................. c) tristíssimas: ...........................................

Testes 1) (UFPR) Qual a oração sem sujeito?

a) Falaram mal de você. b) Ninguém se apresentou. c) Precisa-se de professores. d) Aqui não me cheira bem. e) A noite estava agradável.

2) (UNESP) Analisando-se a oração «Há neste meu recurso um artifício e mesmo deturpação», verifica-se que:

a) o sujeito está eIíptico. b) há sujeito simples: «um artifício». c) o sujeito é indeterminado. d) há sujeito composto: «um artifício e mes-

mo deturpação». e) não existe sujeito.

3) (FEI-SP) Nas frases das alternativas abai- xo, uma só apresenta sujeito indeterminado. Assinale-a:

a) Os dois companheiros aproximaram-se da casa e bateram à porta.

b) Vendem-se casas. c) Um indivíduo fê-la ouvir o que não que-

ria. d) Há dias que não chove. e) Só se necessita de bom-senso para a

resolução da maioria dos problemas. 4) (FMU-SP) «Ouviram do Ipiranga as mar- gens plácidas, De um povo heróico o bra- do retumbante...»

O sujeito dessa afirmação com que se inicia o Hino Nacional é:

a) indeterminado. b) urn povo heróico. c) as margens plácidas do Ipiranga. d) do Ipiranga. e) o brado retumbante.

5) (PUC-RS) Das seguintes orações: «Pede-se silêncio.», «A caverna anoitecia

aos poucos.», «Fazia um calor tremendo na- quela tarde.» – o sujeito se classifica respectiva- mente como:

a) indeterminado, inexistente, simples.

— 311 —

b) oculto, simples, inexistente. c) inexistente, inexistente, inexistente. d) oculto, inexistente, simples. e) simples, simples, inexistente.

6) (MACK-SP) No período: «O homem an- dava triste porque não conseguiu que seu irmão lhe desse apoio naquela difícil em- presa.», os verbos andar, conseguir e dar classificam-se, respectivamente, em:

a) intransitivo, transitivo direto, transitivo in- direto.

b) de ligação, transitivo direto, transitivo di- reto e indireto.

c) de ligação, transitivo direto e indireto, transitivo direto e indireto.

d) transitivo direto, transitivo direto, transiti- vo direto a indireto.

e) intransitivo, transitivo direto, transitivo direto.

7) (SANTA CASA-SP) Assinale a alternativa correta em relação à classificação dos predicados das orações abaixo:

I - Todos nós consideramos a sua atitude infantil.

II - A multidão caminhava pela estrada poei- renta.

III - A criançada continua emocionada. a) I - predicado verbal;

II - predicado nominal; III - predicado verbo-nominal.

b) I - predicado nominal; II - predicado verbal; III - predicado verbo-nominal.

c) I - predicado verbo-nominal: II - predicado verbal; III - predicado nominal.

d) I - predicado verbo-nominal;

II - predicado nominal; III - predicado verbal.

e) I - predicado verbal; II - predicado verbal; III - predicado verbo-nominal.

8) (UFSC) Observe os períodos a seguir: «Ordálio nunca ia à Praia. Caçava passari-

nhos. Era uma vidinha vazia. Propôs indepen- dência, no centro, num emprego. A mãe chorou.

Ordálio saiu pro mar». Assinale a seqüência em que a predicação

de todos os verbos está correta: a) intransitivo, transitivo direto, transitivo

indireto, intransitivo, transitivo direto, transitivo indireto.

b) transitivo direto, transitivo direto, liga- ção, transitivo indireto, transitivo direto-indireto, intransitivo.

c) ligação, transitivo indireto, intransitivo, tran- sitivo indireto, intransitivo, transitivo indireto.

d) intransitivo, transitivo direto, ligação, tran- sitivo direto, intransitivo, intransitivo.

e) transitivo indireto, ligação, ligação, transi- tivo direto-indireto, transitivo direto, intransitivo.

9) (UFBA) Na oração «Não se trata do Mi- nistro», todas as alternativas estão corre- tas, exceto:

a) a oração não tem sujeito. b) o sujeito da oração é «Ministro». c) o verbo (trata) é transitivo indireto. d) «Ministro» é objeto indireto. e) o predicado é verbal.

10) (PUC-RS) Na frase «Todos o considera- vam um Santo», o predicado é:

a) nominal. b) transitivo.

— 312 —

c) verbo-nominal. d) verbal. e) intransitivo.

11) (FAAP-SP) Assinale a frase com sujei- to indeterminado:

a) Quantos doentes havia no hospital? b) Naquela manhã ventava perigosamente. c) Falam mal de nós. d) Pouco a pouco, a noite vem chegando. e) Choviam balaços sobre a cidade. Para resolver as questões 12 a 16, assina-

le as alternativas e some os valores. 12) (UFV-MG) Assinale a(s) alternativa(s) em que o sujeito é indeterminado:

1. Soa um toque áspero de trompa. 2. Falou-se de tudo na reunião. 4. Precisa-se de carpinteiro. 8. Batem à porta. 16. Vendeu-se a pá. 32. Vendem pás. 64. Vendem-se pás.

13) (UNAMA) O predicado é verbo-nomi- nal, exceto em:

1. Após três meses, os montanhistas retor- naram cansados.

2. Os viajantes chegaram cedo ao destino. 4. Comparecem todos atrasados à reunião. 8. Estava irritado com as brincadeiras. 16. O presidente nomeou-o secretário. 32. O professor atravessou o pátio apressado. 64. Encontrei o vestiba mais alegre.

14) (UFPR) Assinale a(s) alternativa(s) cor- reta(s):

1. Contaram-me coisas estranhas. (sujei- to indeterminado)

2. Narramos estórias para enganar o tem- po. (sujeito simples)

4. Não soubeste viver a vida. (sujeito oculto «vós»)

8. Pede-se silêncio. (sujeito simples «si- lêncio»)

16. Havia tempo suficiente para as come- morações. (sujeito «as comemorações»)

32. Faltavam três dias para o batismo. (oração sem sujeito)

15) (FUVEST) Assinale a(s) alternativa(s) em que ocorre oração sem sujeito:

1. Caiu a noite repentinamente sobre a cidade.

2. Nesse mês, vai fazer um ano de seu regresso.

4. Choveram tomates sobre o orador. 8. Bastante límpido amanheceu o dia. 16. Não havia existido ninguém com tan-

tas qualidades. 32. Não havia ninguém com tantos atri-

butos. 64. Só me resta uma esperança.

16) (UFPR) Assinale as alternativas em cujas frases se destacou o objeto direto:

1. Aos chefes da tribo ofereceram os ban- deirantes objetos valiosos.

2. Ainda faltam alguns quilômetros para chegarmos à cidade.

4. Não há dúvida, suas qualidades a todos encantam.

8. Nessa ocasião, discutiram-se todos os problemas da comunidade.

16. E agora, a quem ama sua irmã? 32. Quatro contos já tenho; faltam-me ape-

nas mais dois.

II. Termos integrantes

– Complemento VERBAL – Complemento NOMINAL – AGENTE DA PASSIVA

Objeto Direto Objeto Indireto{

— 313 —

Objeto Direto

OBJETO DIRETO é o termo da oração que completa o sentido do verbo transitivo direto.

— MODO DE ENCONTRÁ-LO: Pergunta-se (após o verbo)

Ex.: O vestiba não entregou a redação. Pergunta-se: o vestiba não entregou o

quê? a redação (OD) • Quanto à relação: vem sempre asso-

ciado a um verbo transitivo. • Quanto à forma: liga-se ao verbo sem

preposição obrigatoriamente exigida por este. • Quanto ao valor: indica o paciente, o

alvo ou o elemento sobre o qual recai a ação verbal.

Exemplo: Os políticos pressionaram o governo. sujeito verbo obj. direto

transitivo (VTD)

Objeto direto preposicionado

Excepcionalmente, o objeto direto vem pre- cedido de preposição (a, de, com, ...). Tal preposição, porém, ocorre por razões várias e não pela exigência obrigatória do verbo.

Exemplo: Os revoltosos tomaram das armas. sujeito VTD OD prepos.

Observação: Nesse exemplo, a preposição de não é

exigida pelo verbo – até poderia ser excluída. → CASOS OBRIGATÓRIOS 1. Com o substantivo DEUS:

Ex.: Amar a Deus. 2. Com as formas tônicas dos pronomes

pessoais: Ex.: Não culpamos a ti. 3. Com o pronome quem de antecedente

expresso: Ex.: Encontrei o professor, a quem admiro. Não estando expresso o antecedente, a pre-

posição é facultativa: Ex.: Aprovei quem estudou, ou a quem

estudou. 4. Quando o objeto direto for constituído de

pronome átono e substantivo: Ex.: O professor o argüira e aos seus co-

legas. 5. Para evitar a ambigüidade: Ex.: Venceu o vilão o herói: (Quem venceu?) Venceu ao vilão o herói. (O herói venceu) Venceu o vilão ao herói. (O vilão venceu) → Outros exemplos de obj. dir. prepo-

sicionado (facultativa):

Amemos a Deus. Ajudou a ambos. Castigaram a José. Beberam do vinho. Comeram do pão. Sacaram do revólver. Puxaram da arma. Estimamos a V. Ex.ª.

Objeto indireto

OBJETO INDIRETO é o termo da oração que completa o sentido do verbo transitivo indireto, auxiliado de uma preposição.

— MODO DE ENCONTRÁ-LO: pergunta-se

Verbo o quê? quem?

— 314 —

a quê(m)? de quê(m)?

VERBO em quê(m)? para quê(m)? outras

Ex.: Obedecemos aos nossos pais. Obedecemos a quem? aos nossos pais (OI)

As preposições Como o objeto indireto costuma vir regido de preposição, convém não esquecê-las. As preposições simples são: A, ANTE, APÓS, ATÉ, COM, CONTRA, DE, DESDE, EM, ENTRE, PARA, PERANTE, POR (PER), SEM, SOB, SOBRE, TRÁS.

Quanto à relação: vem sempre associa- do a verbo transitivo.

Quanto à forma: liga-se ao verbo por meio de preposição obrigatória exigida por este.

Quanto ao valor: indica o paciente ou o destinatário da ação verbal.

Exemplo: O Nordeste precisa de apoio. sujeito verbo obj. indireto

transitivo (paciente (VTI) da ação)

O acusado respondeu ao júri. sujeito VTI obj. indireto

(destinatatário da ação)

Objeto direto ou indireto pleonástico

Costuma-se repetir o objeto, quando se quer chamar a atenção para ele; são os obje- tos pleonásticos, que aparecem sob a for- ma de pronome átono:

A vida, o vento a levou.

objeto objeto direto direto pleonástico Ao indiscreto, não lhe confio nada.

objeto objeto indireto indireto pleonástico

Função sintática dos pronomes oblíquos

Objeto direto Objeto Funções Objeto indireto Objeto direto indireto

→ Adjunto adno- Adjunto Pessoas minal adnominal

1ª me - ‘ - SING. 2ª to -

3ª se o-a (lo, la, lhe no, na)

1ª nos - - PLURAL 2ª vos - -

3ª e os-as (los, Ihes las, nos, nas)

Predicativo do objeto

Vimos que o predicativo do sujeito ocorre no predicado nominal ou no predicado verbo-nominal: O predicativo do objeto só ocorre no predicado verbo-nominal:

• «Teresa encontrou a rapariga transtornada.»(J. Amado) ↓ ↓ ↓ ↓

sujeito verbo objeto predicativo TD direto do objeto

Observe que «a rapariga» é que está «transtornada».

Outro exemplo: • «Julgo ilusória esta interpretação.»

(Carlos Drummond de Andrade) Observa-se que podemos desdobrar a ora-

ção em duas: «(Eu) julgo esta interpretação» + «esta

interpretacão ilusória». O predicativo «ilusó- ria» refere-se ao objeto direto «interpretação».

Observação 1: Apenas o verbo chamar pode ter predicativo do objeto indireto:

«Eu lhe chamo estado do espírito.» (C.D.A.) Observação 2: Na passagem para a voz

passiva, o predicativo do objeto (PO) se trans- forma em predicativo do sujeito (PS). Esse é um bom artifício para reconhecer o predicativo do objeto.

(após o verbo)

↓ ↓

↓ ↓

— 315 —

O júri considerou péssimo o candidato. suj. VTD pred. do obj. direto

objeto O candidato foi considerado péssimo pelo júri.

suj. VTD (voz pas- prod. ag. pass. siva) suj.

Exercícios 1) Faça a correlação, tendo em vista o tipo de complemento verbal:

a) objeto direto b) objeto indireto c) objeto direto + objeto indireto d) objeto direto preposicionado e) objeto direto pleonástico 1) ( ) Santos deu as explicações pedidas. 2) ( ) Meu amigo queixa-se das livrarias... 3) ( ) A vida, tenho-a como um bem

precioso. 4) ( ) ... Deus ao Cristo definiu. 5) ( ) Os outros reparos, aceitei-os todos. 6) ( ) Gosto da voz dele, dos olhos boni-

tos e da cabeleira. 7) ( ) A essas meninas nada se deve

perguntar. 8) ( ) Digam-lhe adeus com a possível

ternura. 9) ( ) Comereis de todos os frutos... 10) ( ) Meu rio, meu Tietê, onde me levas?

2) Preencha as lacunas com os pronomes o(s), a(s) ou lhe(s):

1) – O professor repreendeu o aluno? – Sim, ele .... repreendeu. 2) – Eles fizeram alguma recomendação

aos atletas? – Sim, eles .... recomendaram calma. 3) – Você já conhecia a moça?

– Sim, eu já .... conhecia. 4) – Você entregará os livros a eles? – Sim, eu .... entregarei a eles. 5) – Você já forneceu o material aos em-

pregados? – Sim, eu já .... forneci o material.

3) Dê a função sintática dos termos desta- cados:

1) «Uso conscientemente a palavra.» (C. D. de Andrade)

Resp.: ........................................................ 2) «Obedeciam aos pais sem grande

esforço...» (M. de Assis) Resp.: ........................................................ 3) «Não lhe peçam explicações.»

(M. Quintana) Resp.: ........................................................ 4) «Essa coisa, como defini-la?»

(C. D. de Andrade) Resp.: ........................................................ 5) «Ouro que serve para louvar a Deus.»

(R. Braga) Resp.: ........................................................

4) Dê a função sintática dos pronomes oblíquos em destaque nas seguintes ora- ções:

a) Convocaram-nos para a reunião. ....................................................................

b) Este livro nos pertence. ....................................................................

c) Já te repreenderam várias vezes. ....................................................................

d) Desejamos-te feliz aniversário. ....................................................................

e) Já me deram esse conselho. ....................................................................

— 316 —

f) Procuram-me há algum tempo. ....................................................................

g) Bernardo se atribui um grande valor. ....................................................................

h) O menino feriu-se. ....................................................................

i) Negaram-lhe o documento. ....................................................................

j) Já o adverti do perigo. ....................................................................

5) Substitua as expressões em destaque polo pronome oblíquo correspondente:

a) Os homens esfolavam uma rês. ....................................................................

b) As mulheres iam ferver uma lata de querosene.

.................................................................... c) «A Limpa-Trilho gania e parava, lam-

bendo os pés queimados.» (R. de Queiroz) ....................................................................

d) «O vaqueiro também se achou no direi- to de tomar seu quinhão de abrigo.»

(R. de Queiroz) ....................................................................

e) «E para comemorar o achado, execu- tavam no ar grandes rondas festivas»

(R. de Queiroz) ....................................................................

f) Deram água para ele. ....................................................................

g) Empurrou a porta. ....................................................................

h) Ouviram o barulho do cabriolé. ....................................................................

i) Pediram farinha aos coronéis da cidade.

....................................................................

j) Negaram uma cuia de água ao menino. ....................................................................

6) Reescreva as frases de modo a aparece- rem objetos diretos ou indiretos pleonás- ticos:

a) Estes casos já comentei. ....................................................................

b) Ao mestre não convém a resposta. ....................................................................

c) Estas recomendações eu faço com in- sistência.

.................................................................... d) Ao povo não interessam essas leis. ....................................................................

Questões discursivas

1. (FE-SPI) Classifique sintaticamente o ter- mo destacado:

«Todos ouviam a ela com atenção e respeito.» ....................................................................

2. (CEFET-PR) Substituindo os complemen- tos verbais destacados pelos pronomes oblíquos correspondentes, da frase abai- xo, obtém-se:

«A mulher serviu um prato de mingau ao marido.»

....................................................................

3. (FUVEST) Analise sintaticamente os pro- nomes oblíquos que ocorrem nos versos abaixo:

«Ferve-me o sangue. Acalma-o com teu beijo. Beija-me assim!» (O. Bilac)

me (ferve-me) ........................................... o (acalma-o) .............................................. me (beija-me) ............................................

— 317 —

4. (FUVEST) Dê a função sintática do pro- nome ME nas frases:

a) «Deu-me um botão de flor de laranjeira (...)» (R. Pompéia)

b) «O diretor arremessou-me ao chão.» (R. Pompéia)

a) ................................................................. b ..................................................................

5. (FEI-SP) Qual a função sintática do ter- mo em destaque?

«Meto a mão no colete e não acho o relógio. Última desiIusão! o Borba furtara-mo no abraço.»

Resp. .......................................................... 6. (FAAP-SP) Dê a função sintática dos termos em destaque:

a) «Desesperado, deixou o cravo, pegou do papel escrito e rasgou-o.» (M. de Assis)

b) Não desconfiei do negociante e fechei a porta.

Respostas: a) ........................................... b) ...........................................

Testes

1. (SANTA CASA-SP) Assinale a alternati- va em que há objeto direto preposicionado:

a) Concederam perdão ao condenado. b) Refiro-me a quem esteve aqui ontem. c) Esperei por você até anoitecer. d) Assistiram emocionados ao espetáculo. e) Dirigiu-se a nós com muita delicadeza.

2. (SANTA CASA-SP) Quando «CHAMAR» tem sentido de qualificar, pode-se cons- truir o período, por exemplo, com objeto direto MAIS predicativo. Tudo isso se ob- serva na alternativa:

a) «João é alto, mas treinador nenhum chamou-o para jogar.»

b) «Era a viúva a chamar pelo falecido.» c) «Os inimigos chamam-lhe de traidor do

povo.» d) «Chamei pelo colega em voz alta.» e) «Alguns chamam-no de fiscal.»

3. (UMC/MOJI-SP) Indique a alternativa em que há objeto direto:

a) O tempo vai melhorar. b) Insisto nesta idéia. c) O livro, que você me deu, é ótimo. d) Perdôo-Ihe. e) Você chegou atrasado.

4) (UNICAMP-SP) Assinale a alternativa cujos elementos preenchem corretamen- te os pontilhados:

1) Não ............... convidei para a festa. 2) Eu ......... visitarei na semana que vem. 3) Só .......... chamarei se for necessário. 4) Não fui eu quem ............... viu assim. a) Ihe, o, Ihe, o. b) o, Ihe, o, Ihe. c) o, o, o, o. d) lhe, Ihe, Ihe, Ihe. e) o, o, Ihe, Ihe.

5) (UFPR) Assinale a alternativa que con- tém um objeto indireto:

a) O bom filho é obediente aos pais. b) A festa decepcionou a todos. c) O bom filho obedece aos pais. d) Os pais são obedecidos pelo bom filho. e) A obediência aos pais é dever do bom

filho. 6) (UFSCAR-SP) «Não é mister dizer que dormia pouco; acordava duas a três vezes por noite, passeava à toa, sentia-me com febre».

— 318 —

A função sintática de com febre é de: a) adjunto adverbial de modo. b) adjunto adverbial de causa. c) predicativo do objeto. d) objeto indireto. e) predicativo do sujeito.

7) (UEPG-PR) Qual a função sintática? O velho parecia cansado. a) sujeito. b) aposto. c) predicativo. d) objeto direto. e) objeto indireto.

8) (FMU-SP) Observe os termos destacados: «Passei o dia à toa, à toa.» «Passei a vida à toa, à toa.»

Tais termos exercem: a) a mesma função sintática: sujeito do

verbo passar. b) a mesma função sintática: objeto direto

do verbo passar. c) a mesma função sintática: adjunto adver-

bial de modo. d) funções sintáticas diferentes: o primeiro

é adjunto adverbial; o segundo, sujeito. e) funções sintáticas diferentes: o pri-

meiro é objeto direto; o segundo, sujeito do verbo passar.

9) (UFSCAR-SP) Classifique corretamente os termos integrantes destacados:

«Mulher que a dois ama, a ambos engana.» a) objeto direto preposicionado e objeto

direto preposicionado. b) objeto indireto e objeto direto. c) objeto indireto pleonástico e comple-

mento nominal. d) objeto direto e objeto direto prepo-

sicionado. e) objeto direto preposicionado e objeto in-

direto.

10) (FEFASP) Em que alternativa há objeto direto preposicionado?

a) Passou aos filhos a herança recebida dos pais.

b) Amou a seu pai com a mais plena gran- deza da alma.

c) Naquele tempo era muito fácil viajar para os infernos.

d) Em dias ensolarados, gosto de ver nuvens flutuarem nos céus de agosto.

11) (UFU-MG) Assinale a frase em que o objeto direto é pleonástico:

a) A borboleta negra, encontrei-a à noite, no quarto.

b) Eu a sacudi de novo. c) Fiquei a contemplar o cadáver com

alguma simpatia. d) Um golpe de toalha rematou a aventura. e) Vi dali o retrato de meu pai. Para resolver as questões 12 a 13, assina-

le as alternativas e some os valores.

12) (UFPA) Assinale a(s) alternativa(s) em que o verbo ocorre como transitivo direto:

1. Comprei um terreno e construí a casa. 2. Os guerreiros dormem agora. 4. Aluga-se sala mobiliada. 8. O cego não vê. 16. O aluno parece zangado. 32. Choveu chuva grossa. 64. Esqueceu-se de dizer «até logo».

— 319 —

13) (UFMS) Assinale a(s) afirmação(ções) correta(s) dos termos destacados:

1. O alvo foi atingido por uma bomba formidável. (agente da passiva)

2. Mas de há muito não há pássaros. (sujeito)

4. Um dia um tufão furibundo abateu-o pela raiz. (sujeito)

8. Esqueci o recado. (objeto direto) 16. Esqueci-me do recado. (objeto direto) 32. Esqueceu-me o passado. (sujeito)

Complemento nominal

Complemento nominal é o termo da oração que completa o sentido de um nome com auxílio de preposição. Esse nome pode ser representado por um substantivo, por um adjetivo ou por um advérbio.

→ MODO DE ENCONTRÁ-LO: Pergunta-se a quê(m)? de quê(m)?

Nome + (após o nome) por quê(m)? outras

quem? o quê? → de quê?

Ex.: O vestiba tem necessidade de ajuda.

suj. VTD OD compl. nom. (CN)

Quanto à relação: vem sempre associa- do a um nome de significação transitiva.

Quanto à forma: liga-se ao nome sem- pre por meio de preposição.

Quanto ao valor: indica o alvo ou o ponto sobre o qual recai a ação do nome.

Protestaram contra a queima da floresta nome de signif. compl. nominal transit. (indica sobre

quem recaiu a queima)

OBSERVE A DIFERENÇA Eu resisto ao frio. obj. ind.

Agente da passiva

Agente da passiva é o termo da oração que pratica a ação do verbo na voz passiva, auxiliado de preposição por ou de.

A mãe é amada pelo filho. suj. verbo ag. passiva

passivo (AP) Na oração acima, o sujeito é a mãe. A forma verbal está na voz passiva, pois o sujeito é paciente (sofre a ação verbal). O termo pelo filho pratica a ação verbal (ame a mãe). Na voz passiva, o termo que pratica a ação verbal é o agente da passiva — AP (= pelo filho).

Quanto à relação: vem sempre asso- ciado a um verbo transitivo na voz passiva.

Quanto à forma: liga-se ao verbo sem- pre por meio de preposição (por, per, de).

Quanto ao valor: indica o elemento que executa a ação verbal.

Os reféns foram libertados pelo seqüestrador. sujeito verbo transitivo agente da passiva

na voz passiva (executor da ação)

Voz passiva analítica

Formada pelo verbo principal no particípio mais o verbo auxiliar ser.

sujeito voz ativa objeto direto Teresa colheu as flores.

V. AUX + PARTIC.

As flores forarn colhidas por Teresa. sujeito voz passiva agente da passiva

Observe: 1. O agente da passiva é o sujeito da voz

ativa. O objeto direto da voz ativa passa a sujeito da voz passiva.

2. Nem sempre o agente da passiva está expresso:

«A carne trinchada foi distribuída.» (POR QUEM?)

A ovelha é resistente ao frio. compl. nom.

↓ ↓ ↓ ↓

↓ ↓↑ ↑

↑↑

— 320 —

«Os mortos foram sepultados naquele mesmo dia.» (POR QUEM?)

→ Nestes casos, a passagem para a voz ativa se faz com o verbo na 3ª pessoa do plural:

Distribuíram a carne trinchada. Sepultaram os mortos naquele mesmo dia. 3. O verbo SER é flexionado no mesmo

modo e tempo do verbo da voz ativa: colhe = é colhido colheu = foi colhido colhia = era colhido colhera = fora colhido colherá = será colhido colheria = seria colhido que colha = seja colhido se colhesse = fosse colhido quando colher = for colhido

ATENÇÃO • A) O Brasil era povoado de índios (= por índios)

AP • B) Essa classe se constitui de jovens (= por jovens)

PA AP

Passiva sintética (ou pronominal)

• Formada pelo verbo principal (VTD) acompanhado do pronome apassivador (ou partícula apassivadora) — SE.

• Ocorre somente com VTD + SE • No português moderno, com a voz pas-

siva sintética, o agente da passiva fica indeterminado, usualmente.

VENDEM- SE APARTAMENTOS. ? VTD PA sujeito ag. passiva

(indeterm.) = APARTAMENTOS SÃO VENDIDOS. sujeito

→ ATENTO! É preciso tomar muito cuidado com a concordância verbal na voz passiva sintética. Observe: Construiu- se uma pirâmide. verbo sg PA suj. sg.

Construíram- se pirâmides. verbo pl. PA suj. pl.

Exercícios 1) Escreva nos parênteses:

1. complemento nominal; 2. agente da passiva; 3. objeto indireto. a. ( ) Ele logo chegou com a cabeça cheia

de água suja. b. ( ) Obedecemos aos regulamentos. c. ( ) Somos obedientes aos regulamentos. d. ( ) Temos necessidade de diálogo. e. ( ) Necessitamos de diálogo. f. ( ) Essa terra é habitada de selvagens. g. ( ) A assistência às aulas é indispen-

sável. h. ( ) Gostaria de não ser ouvido pela

vizinhança. i. ( ) Referiram-se aos alunos da outra classe. j. ( ) Fizeram referência aos alunos da

outra classe. I. ( ) Nenhuma palavra foi dita pelo coronel. m. ( ) Muitos alunos são refratários aos

estudos. n. ( ) Esse lugar se habita de gente ig-

norante. 2) Faça a correlação, tendo em vista a fun- ção sintática do termo destacado:

(a) sujeito (b) objeto direto (c) objeto indireto (d) complemento nominal (e) predicativo do objeto (f) agente da passiva 1. ( ) «Ele gosta tanto de você.» (F. Sabino) 2. ( ) «Não chamemos de inimigos da

pátria aos nossos contendores.» (R. Barbosa)

    

— 321 —

3. ( ) «Não tinha tomado o menor conhe- cimento das leis.» (Paulo Mendes Campos)

4. ( ) «Você é muito querido pelos leito- res.» (Paulo Mendes Campos)

5. ( ) «Os quarenta e um anos não lhe trouxeram arrepio.» (Machado de Assis)

6. ( ) «Arrancaram-se depois os pedais e os ornatos de metal.» (A. M. Machado)

7. ( ) «Também se pode bordar nada.» (Machado de Assis)

8. ( ) «O Quilombo dos Palmares era for- mado por vários núcleos.» (É. Veríssimo)

9. ( ) «O pai pediu contra ele toda a seve- ridade.» (Raul Pompéia)

10. ( ) «Sua aplicação à defesa do cor- po feminino é mais ou menos recente.»

(Carlos Drummond de Andrade) 11. ( ) «Perderam-se os meus suspi-

ros.» (Cecília Meireles) 12. ( ) «Abri violentamente a janela

(Raul Pompéia) 13. ( ) «Para os rapazes a chuva foi novo

sinal de desordem.» (Raul Pompéia) 14. ( ) «Ouvi a voz de minha mãe, viú-

va.» (Vinícius de Moraes) 15. ( ) «O dote, pode o senhor levá-lo já.»

(Artur Azevedo) 16. ( ) «O filme é proibido para 75

anos.» (Carlos Drummond de Andrade) 17. ( ) «Lentz achou-o venerável como

um santo(Graça Aranha) 18. ( ) «Ouviram-se sucessivas e medo-

nhas descargas de um tiroteio.» (G. Aranha) 19. ( ) «Que Ihes importa a eles a recom-

pensa?» (Humberto de Campos) 20. ( ) «Aquela voz sempre lhe comuni-

cava vida nova.» (Luís Jardim)

3) Seguem algumas fases na voz ativa. Se possível, faça a transformação para a voz passiva e classifique o verbo quanto à predicação:

1. Voz ativa: «Garrafas dançam na prateleira.» (Antônio Torres)

Voz passiva: ............................................. ....................................................................

Verbo: ......................................................... ....................................................................

2. Voz ativa: «Os anjos não compreen- dem os homens.» (Manuel Bandeira)

Voz passiva: ............................................. ....................................................................

Verbo .......................................................... ....................................................................

3. Voz ativa: «Gosto muito de você, leãozinho.» (Caetano Veloso)

Voz passiva: ............................................. ....................................................................

Verbo: ......................................................... ....................................................................

4. Voz ativa: «O amor dera-me esta cora- gem de leão. » (José Lins do Rego)

Voz passiva: ............................................. ....................................................................

Verbo: ......................................................... ....................................................................

4) Passe as frases abaixo para a passiva pronominal:

1. Seja feita a vossa vontade. Resp.: ..................................................... 2. Vários soldados foram enviados para a

colina. Resp.: ..................................................... 3. Gostos não são discutidos. .................................................................

— 322 —

4. Geladeiras são pintadas no local. ............................................................

5. Tinha sido usado mais de um artifício. ............................................................

6. Foi perdida uma caneta esferográfica. ............................................................

7. Seria visto o eclipse se o tempo esti- vesse claro.

............................................................ 8. Vasos ruins não são quebrados.

............................................................ 5) Passe as frases abaixo para a passiva analítica:

1. Os favores se esquecem facilmente. Resp.: ..................................................

............................................................ 2. Pelo dedo se conhece o gigante. Resp.: . ................................................

............................................................ 3. Contam-se histórias incríveis. Resp. ....................................................

............................................................ 4. Construam-se casas populares. Resp.: ..................................................

............................................................ 5. Descobriram-se novos componentes

eletrônicos. Resp. ....................................................

............................................................

Testes

1) (UFSC) Na oração: «Não foi aceita por mim a recompensa oferecida», os termos por mim e recompensa são, respectiva- mente:

a) sujeito e agente da passiva. b) agente da passiva e sujeito. c) adjunto adverbial de instrumento e obj.

direto. d) objeto direto e sujeito. e) adjunto adverbial de modo e sujeito.

2) (CESCEM-SP) Assinale a análise correta do termo destacado: A terra era povoada de selvagens.

a) objeto direto. b) objeto indireto. c) agente da passiva. d) complemento nominal. e) adjunto adverbial.

3) (UFU-MG) No período: «Quando enxota- da por mim foi pousar na vidraça», qual a função sintática de por mim?

a) objeto direto. b) sujeito. c) objeto indireto. d) complemento nominal. e) agente da passiva.

4) (CTA/Computação-SP) Na oração: «Um dia um tufão furibundo abateu-o pela raiz», um dia é:

a) sujeito. b) adjunto adnominal. c) adjunto adverbial de tempo. d) adjunto adverbial de modo. e) n.d.a.

5) (UFPR) Na oração: «O alvo foi atingido por uma bomba formidável», a locução por uma bomba formidável tem a função de:

a) objeto indireto. b) agente da passiva. c) adjunto adverbial.

— 323 —

d) complemento nominal. e) adjunto adnominal.

6) (UFU-MG) Qual a função sintática da palavra destacada no período seguinte:

«É a hora em que o pássaro volta, mas de há muito não há pássaros;» a) complemento nominal. b) predicativo do sujeito. c) objeto direto. d) sujeito. e) objeto indireto.

7) (FEI-SP) Na oração: «Sem dúvida, esta menina toca piano muito bem» a pala- vra piano e a palavra meninasão, respec- tivamente:

a) sujeito e agente da passiva. b) agente da passiva e sujeito. c) adjunto adverbial de instrumento e

sujeito. d) objeto direto e sujeito. c) adjunto adverbial de modo e sujeito.

8) (UFSCAP-SP) Ele gostava de vinhos bons. O termo

destacado é: a) objeto indireto. b) predicativo do sujeito. c) agente da passiva. d) sujeito.

9) (ESPM-SP) — «Sorvete Kibon decora sua cozinha. E dá nome às latas

Os termos destacados são, respecti- vamente:

a) sujeito, objeto direto, objeto indireto. b) objeto direto, sujeito, objeto indireto. c) sujeito, objeto indireto, objeto direto.

d) sujeito, sujeito, objeto indireto. e) objeto direto, sujeito, objeto direto.

10) (FMU/FIRM-SP) «... os muros com os quais me comunicava com todos os quin- tais do quarteirão sem solução de conti- nuidade... » A expressão destacada é, res- pectivamente, morfológica e sintatica- mente:

a) locução adjetiva/adjunto adnominal. b) locução adjetiva/objeto indireto. c) locução adverbial/adjunto adverbial. d) locução adjetiva/complemento nominal. e) locução adverbial/complemento nominal.

11) (PUC-RS) Transpondo para a voz ati- va a oração «Os processos estavam sen- do estudados pelo juiz», obtém-se a for- ma verbal...

a) haviam de ser estudados. b) haviam sido estudados. c) haviam estudado. d) eram estudados. e) estava estudando.

12) (PUC-RS) Transpondo para a voz ati- va a frase «Todo o material seria trazi- do pelos fiscais antes das duas horas», obtém-se a forma verbal.

a) trariam. b) deviam trazer. c) trar-se-ia. d) vão trazer. e) deve-se trazer.

13) (PUC-SP) A sentença correlata de Reviam-se os manuscritos com cuidado é:

a) Os manuscritos foram revistos com cui- dado.

b) Os manuscritos eram revistos com cui- dado.

— 324 —

c) Nós revíamos com cuidado os manuscritos. d) Revia-se os manuscritos com cuidado. c) Reviram os manuscritos com cuidado.

14) (UNAMA) Marque a opção em que o enunciado não está na voz passiva:

a) O Governador vinha adotando. b) Mendonça Furtado, nessa subida ao Rio

Negro, vinha acompanhado de um séquito grande. c) Óbidos foi declarada vila. d) (Esses homens) vinham sendo consi-

derados de menor idade. Para resolver as questões 15 e 16, assina-

le as alternativas e some os valores. 15) (UFMS) Assinale a(s) alternativa(s)

correta(s): I . Fui favorável ao aluno. (complemento

nominal) 2. Fui-lhe favorável. (complemento nominal) 4. Hiroshima foi destruída pela bomba atô-

mica. (adj. adv. de causa) 8. Esta apostila se constitui de testes. (agen-

te da passiva) 16. Comentaram-se as questões. (partí-

cula de indeterminação do sujeito) 32. Os homens esfolavam-na. (objeto in-

direto) 16) (UNIFOR-CE) Assinale a(s) alternativa(s) correta(s):

1. Todos acreditavam na sabedoria do professor. (objeto indireto)

2. O Detran recomenda aos motoristas a máxima cautela. (objeto indireto)

4. A recomendação aos motoristas é de máxima cautela. (complemento nominal)

8. O bêbado resmungava ameaças con- fusas. (objeto direto)

16. Eles puxaram do dinheiro na hora do acerto. (objeto indireto)

32. As colheitas foram levadas pela chu- va. (adj. adv. de causa)

64. Fiquei ouvindo aquilo por longo tem- po. (agente da passiva)

III. Termos acessórios — ADJUNTO ADNOMINAL — ADJUNTO ADVERBIAL — APOSTO

Adjunto adnominal

É o termo de valor adjetivo que acompanha o núcleo substantivo de uma função sintática (sujeito, objetos, complemento nominal etc.), delimitando ou especificando o significado deste substantivo.

Sujeito Predicado núcleo núcleo do suj. do suj. obj. dir.

↓ ↓ ↓ Meu colega de turma descobriu um selo raro.

↓ ↓ ↓ ↓ ↓ adj. adj. adj. núcleo adj. adn. adn. adn. do adn

obj.

Quanto à relação: vem sempre asso- ciado a um nome.

Quanto à forma: liga-se ao nome com ou sem preposição — sem a mediação de um verbo.

Quanto ao valor: é um atributo (qualifi- cador — caracterizador) do nome a que se refere.

O adjunto adnominal pode ser representado por: – adjetivo .................................. Pessoa bondosa. – locução adjetiva .................... Relógio de ouro. – pronome possessivo ............. Teus pais. – pronome indefinido ............... Alguns amigos. – pronome demonstrativo ........ Aquela fazenda. – artigo .................................... O automóvel. – numeral .................................. Três orquestras. – pron. oblíquo com valor Quebro-te a cara. =

de possessivo ........................ Quebro a tua cara.

Adjunto adnominal X Complemento nominal

Não se confunda o adjunto adnominal com o complemento nominal. Para demarcar as

— 325 —

fronteiras entre esses dois termos (quando o adj. adn. está preposicionado pode gerar con- fusão) observern-se os seguintes dados:

1. Sempre que o antecedente for adjeti- vo ou advérbio, o termo seguinte será com- plemento nominal:

Obediente às leis adjetivo CN Relativamente a outros advérbio CN

2. Sempre que o antecedente for um substantivo abstrato, cognato de verbo ou de adjetivo, usado transitivamente, o termo seguinte será complemento nominal:

Subversão da ordem (cf. Subverter a ordem)

Fidelidade às leis (cf. Fiel às Ieis) 3. Sempre que o antecedente for um

substantivo concreto, o termo seguinte será adjunto adnominal:

Livro de Pedro. 4. Representando o paciente, funcionan-

do como alvo, o destino da ação nominal, o termo preposicionado será complemento nominal; caso contrário, será um adjunto adnominal (agente da ação nominal).

A resposta ao público foi satisfatória. Subst. CN

(alvo da resposta) A resposta do professor foi satisfatória. Subst. adj. adv.

(não é o alvo, mas o agente da resposta)

Adjunto adverbial

Adjunto adverbial é o termo, representado por advérbio ou equivalente, que acrescenta uma circunstância ao verbo, ou intensifica ou gradua a idéia expressa por adjetivo, verbo ou advérbo.

Quanto à relação: vem associado a verbo, adjetivo ou advérbio e pode também se referir a todo o conjunto da oração.

Quanto à forma: liga-se a esses ele- mentos com ou sem preposição.

Quanto ao valor: indica circunstância (de tempo, de lugar, de modo, de intensidade etc.) aos elementos a que se refere.

• Não é o agente nem o alvo do processo verbal.

Exemplos:

A empreiteira entregou a obra com atraso. sujeito VTD OD adj. adv.

TEMPO

Os alunos fizeram uma prova muito boa. adj. adv. adjetivo INTENSIDADE

A prova terminou muito cedo. adj. adv. advérbio INTENSIDADE

Felizmente, o tema da redação foi fácil. adj. adv.

(rnodificando todo o conjunto da frase)

Classificação Eis alguns tipos de adjuntos adverbiais: a) de tempo: «Agora desligue isso e vá

dormir.» (F. S.) b) de lugar: «Passou na rua lateral uma

carroça.» (A. Meyer) c) de causa: «Emília empalideceu de

susto.» (M. Lobato) d) de modo: «O pobre estudante ergueu-se

com ligeireza.» (J.M.M) e) de fim: «Pedrinho dispôs tudo para o

ataque.» (M.L.) f) de dúvida: «Talvez pedisse água.»

(C.D.A.) g) de negação: «Não te entregues à má-

goa vã.» (M.B.)

— 326 —

h) de intensidade: «Macunaíma estava muito contrariado.» (M. de Andrade)

i) de meio: «Deixe; amanhã hei de acordá-lo a pau de vassoura.» (M.A.)

Observações: 1. Acrescentem-se a esses muitos outros

tipos, que devem ser classificados de acordo com o contexto em que se encontram: adjunto adverbial de assunto, de companhia, de comparação, de condição, de concessão, de conformidade, de direção, de instru- mento, de matéria, de preço etc.

2. Não confunda o predicativo com o adjunto adverbial de modo. O predicativo, representado por um adjetivo ou equivalente concorda com o sujeito ou com o objeto; o adjunto adverbial permanece invariável:

→ A moça caminhava apressada. (predicativo) – singular

As moças caminhavam apressadas. – plural

→ A moça caminhava apressadamente. (adj. adverbial)

As moças caminhavam apressadamente. Outro exemplo: Os rapazes falavam alto. (adjunto adverbial) Os rapazes chegaram «altos»do bote-

quim. (predicativo)

Aposto

Aposto é a palavra que serve para explicar, desenvolver ou resumir um substantivo ou equivalente, por meio de palavras que, geralmente, vêm entre vírgulas, depois de uma vírgula, dois pontos ou travessão.

Ex. :«Não sabia ela, Ernestina, que o pai dessa lastimável rapariga, Pedro Torresmo, jurara invadir a casa.» (J. Amado)

Quanto à relação: vem sempre asso- ciado a um nome.

Quanto à forma: Iiga-se ao nome sem preposição, exceto em casos raros. Identifica-se, nomalmente, pela pontuação.

Quanto ao valor: identifica ou esclare- ce o nome a que se associa, estabelecendo uma reIação de equivalência:

«Rio, alma do Brasil, afina também seus melhores sentimentos populares por outra pai- xão não menos respeitável – o futebol.»

(A. Nogueira) Costuma-se classificar o aposto como: a) enumerativo: «É assim Lenine: esqui-

vo, irascível, exigente.» (M. Bandeira) b) recapitulativo: (representado por tudo,

nada, ninguém, qualquer etc.) «...seringa, ter- mômetro, tesoura, gaze, esparadrapo, bone- ca, tudo se derrama pelo chão.» (P.M.C.)

c) distributivo: «Não se confunda econo- mia, com avareza: a primeira é virtude sábia, a segunda é miséria sórdida.» (C. Neto)

e) especificativo: Cidade do Rio de Janei- ro, Rua do Ouvidor, Marechal Deodoro, Mês de setembro.

Vocativo

Vocativo é o termo que serve apenas para chamar, invocar ou nomear um ser, podendo vir precedido de interjeição e caracterizando-se pela entoação exclamativa. (= ó...)

Ex.: «Não quero ser preso, Jesus, ó meu Santo.» (C. D. A. )

Quanto à relação: vem sempre isola- do, isto é, não se liga sintaticamente a outro elemento da frase.

Quanto à forma: vem sempre marcado por pausa (na escrita, vírgula).

Quanto ao valor: indica, na frase, a pessoa ou a coisa com quem falamos, ou a quem nos referimos, fazendo um chamado.

O vocativo não mantém qualquer relação sintática com nenhum outro termo da oração.

Até o momento nenhum comentário
Esta é apenas uma pré-visualização
3 mostrados em 33 páginas
Baixar o documento