Assistência de Enfermagem no Pré-operatório, Notas de estudo de Enfermagem
danilo-coronel-9
danilo-coronel-9

Assistência de Enfermagem no Pré-operatório, Notas de estudo de Enfermagem

5 páginas
50Números de download
1000+Número de visitas
Descrição
documento sobre a assistência de Enfermagem no Pré-operatório
70 pontos
Pontos de download necessários para baixar
este documento
Baixar o documento
Pré-visualização3 páginas / 5
Esta é apenas uma pré-visualização
3 mostrados em 5 páginas
Esta é apenas uma pré-visualização
3 mostrados em 5 páginas
Esta é apenas uma pré-visualização
3 mostrados em 5 páginas
Esta é apenas uma pré-visualização
3 mostrados em 5 páginas

1

Assistência de Enfermagem

Pré-operatória

Curso: Enfermagem Disciplina: Enfermagem Cirúrgica

Profª. Danielle Neris

Pré-operatório

Objetivo: levar o paciente as melhores condições possíveis para a cirurgia, para garantir-lhe menores possibilidades de complicações.

Os cuidados de enfermagem neste período compreendem os preparos psico-espiritual e o preparo físico.

Assistência de Enfermagem Pré-operatória

PRÉ-OPERATÓRIO MEDIATO

PRÉ-OPERATÓRIO IMEDIATO

ANTES DE QUALQUER CONDUTA O PACIENTE DEVE ESTAR CIENTE DA CIRURGIA QUE IRÁ SER REALIZADA, ASSIM ELE PRECISA ESTAR CIENTE DO CONSENTIMENTO INFORMADO, BEM COMO ASSINÁ-LO.

PRÉ-OPERATÓRIO MEDIATO

É O PERÍODO DE TEMPO QUE DECORRE DESDE A INDICAÇÃO DA CIRURGIA ATÉ A VESPERA DE SUA REALIZAÇÃO

Processo de Enfermagem

Histórico de Enfermagem Diagnóstico de Enfermagem

Planejamento das Ações Prescrição de Enfermagem

Avaliação dos Cuidados de Enfermagem

2

Histórico

Identificação

Idade, Sexo, Cor, Estado Civil. Nacionalidade, Naturalidade, Procedência. Ocupação/Profissão Enfermaria/Leito N°Prontuário

Histórico

Doença* e Tratamento

Motivo de internação/diagnóstico médico* Doença crônica/doença preexistente Tratamentos/Traumas anteriores Cirurgias anteriores Complicações cirúrgicas pregressa Terapia medicamentosa (uso contínuo) Alergia Antecedentes familiares

Histórico

Fatores de Risco

Tabagismo Etilismo Obesidade Sedentarismo Dislipidemias Uso de medicamento imunossupressor Hipertensão Diabetes

Histórico

Condições de Moradia Higiene Corporal Recreação e Laser Atividade Física Sono e Repouso Nutrição e Hidratação Eliminações Vesical/Intestinal

Sexualidade* Espiritualidade Suporte Financeiro Relação Familiar Interação Social (sistema de apoio) Conhecimento

Hábitos (Necessidades humanas e Autocuidado)

Exame Físico

SSVV Peso e Altura Nível de Consciência Movimentação Pele, Mucosas e Anexos Cabeça e Pescoço Tórax (Respiratório e Cardiovascular) Abdome (Gastrintestinal e anexos; Urinário) Membros (MMSS e MMII) Genitália

Exames

Hemograma

Coagulograma

Eletrocardiograma

Raio-X de Tórax Tipagem Sanguínea

Urina tipo I

Glicemia

Uréia e Creatinina

Sódio e Potássio

3

INFORMAÇÕES RELEVANTES

PARA AVALIAÇÃO PRÉ-

OPERATÓRIA

Risco de

Complicação nos Pacientes Cirúrgicos

Diagnósticos de Enfermagem

ANSIEDADE

Vago e incomodo sentimento de desconforto ou temor, acompanhado por resposta autonômica; sentimento de apreensão causado pela antecipação de perigo. É um sinal de alerta que chama a atenção para um perigo iminente e permite ao individuo tomar medidas para lidar com ameaça (NANDA, 2010).

Diagnósticos de Enfermagem

MEDO

Resposta à ameaça percebida que é conscientemente reconhecida como um perigo.

 Medo da anestesia  Medo da morte  Medo da dor  Medo do desconhecido  Medo da destruição da imagem corporal  Medo da separação ou perda do apoio familiar  Medo da impossibilidade de desenvolver suas

atividades

Diagnósticos de Enfermagem

CONHECIMENTO DEFICIENTE (especificar)

Ausência ou deficiência de informação cognitiva relacionado a um tópico específico (NANDA, 2010).

 Falta de: capacidade de recordar, exposição, familiaridade com os recursos de informação, interesse em aprender.

 Interpretação errônea  Limitação cognitiva

Pré-operatório

Preparo psico-espiritual: o estado emocional influência diretamente no funcionamento do corpo, conseqüentemente, o paciente que apresenta alterações nesta área (ansiedade, estresse) poderá ter um comprometimento na sua evolução pós- operatória.

Explicar ao paciente a sua cirurgia e os exames na medida do possível.

Reforçar a explicação do médico sobre o procedimento cirúrgico.

Diminuir a sensação de medo da anestesia, cirurgia, dor, morte, do desconhecido, e de destruição da auto-imagem.

Explicar como irá retornar da cirurgia e que a enfermagem estará presente para atendê-lo em qualquer anormalidade.

Transmitir sensação de calma e confiança, e ouvir com atenção os problemas do paciente.

4

Proporcionar um ambiente calmo e tranqüilo, favorecendo o equilíbrio psicológico e o entrosamento com o ambiente hospitalar.

Orientar sobre os procedimentos e a importância da sua cooperação no pré e pós- operatório.

Atender a família, explicando resumidamente a cirurgia, como o paciente retornará da SO e a importância da família em apoiá-lo nesse período.

Providenciar ou dar assistência religiosa, de acordo com a religião ou solicitação do paciente.

È de suma importância o relacionamento dinâmico enfermeiro- paciente, através do uso de linguagem clara e acessível ao seu nível de entendimento, demonstrando interesse pelas suas necessidades.

Preparo físico: são cuidados para melhorar o esclarecimento do diagnóstico e para adequar o estado geral do paciente à cirurgia. Eles objetivam remover as possíveis fontes de infecção e preparar o paciente para a operação.

Pré-operatório Realizar exame físico geral, atentando para determinadas condições que podem interferir na cirurgia; Providenciar e preparar o paciente para os exames; Verificar e controlar os SSVV; Verificar peso e altura; Detectar necessidade de suporte nutricional e equilibrio hidroeletrolítico; Administrar medicamentos, soros conforme necessidade; Orientar o paciente quanto à deambulação precoce; Explicar o paciente sobre o controle da dor.

PRÉ-OPERATÓRIO IMEDIATO

FASE QUE COMPREENDE AS 24 HORAS QUE ANTECEDEM O ATO CIRÚRGICO

Esvaziamento intestinal;

Iniciar o jejum (8horas) CPM, normalmente após o jantar;

Higiene corporal e oral;

Esvaziamento vesical;

Controle de SSVV;

Remoção de próteses dentárias, jóias e adornos;

Manter as unhas curtas, limpas e sem esmalte;

Administração de medicação pré-anestésica;

5

Roupa apropriada para o encaminhamento ao centro cirúrgico; Conferir os exames pré-operatórios, a autorização para a operação e as radiografias se estão junto ao prontuário médico do paciente. Deixar o paciente deitado, protegido com grades. Verificar sinais vitais anotando-os no prontuário e comunicando qualquer anormalidade observada.

Assistência pré-operatória

Planejamento e implementação da assistência de enfermagem no período pré-operatório; Desenvolvimento de um trabalho coeso com os demais membros da equipe; Ensinar medidas preventivas de complicações pós-operatórias; Avaliar a capacidade de aprendizagem do paciente;

Visita pré-operatória

A visita pré-operatória de enfermagem é um recurso de que os enfermeiros do centro cirúrgico utilizam para conhecer o paciente que irá ser submetido a cirurgia.

Visita pré-operatória

Finalidade:

Diminuir a ansiedade do paciente e família em relação ao Centro Cirúrgico; Avaliar as condições físicas e emocionais do paciente; Proporcionar a continuidade da assistência de enfermagem; Contribuir para a melhoria da qualidade da assistência;

Trans-operatório

Na recepção operatória (Centro Cirúrgico):

Identificação do paciente; Identificação do tipo de cirurgia; Certificar dos cuidados pré-operatório prestado; Certificar da retirada de adornos, esmaltes, pulseiras, brincos, dentre outros; Verificar parâmetros vitais; Certificar da presença de gorro e sapatilha.

Referências BARROS, A. L. B. L de. Anamnese e Exame Físico. 2 ed. Porto Alegre: Artmed, 2010. FIGUEIREDO, N. M. A. Ensinando o Cuidar de Clientes em Situações Clínicas e Cirúrgicas. São Caetano do Sul: Difusora Enfermagem, 2003. ROUTHROC, J. C. Cuidado de Enfermagem ao Paciente Cirúrgico. 13 ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2007. SILVA, M. A. A.; RODRIGUES, A. L.; CESARETTI, I. U. R. Enfermagem na Unidade do Centro Cirúrgico. 2 ed. São Paulo: EPU, 1997. SMELTZER, S. C.; BARE, B. G. Tratado de Enfermagem Médico-cirúrgica. 10 ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2005.v.1. UTIYAMA, E. M. et al. Propedêutica Cirúrgica. 2 ed. Barueri: Manole, 2007.

Até o momento nenhum comentário
Esta é apenas uma pré-visualização
3 mostrados em 5 páginas