Aula de Pressão Sanguínea, Notas de aula de Fisioterapia
marcos-vinicius-18
marcos-vinicius-18

Aula de Pressão Sanguínea, Notas de aula de Fisioterapia

23 páginas
50Números de download
1000+Número de visitas
100%de 0 votosNúmero de votos
Descrição
Inserir Descrição
50 pontos
Pontos de download necessários para baixar
este documento
Baixar o documento
Pré-visualização3 páginas / 23
Esta é apenas uma pré-visualização
3 mostrados em 23 páginas
Esta é apenas uma pré-visualização
3 mostrados em 23 páginas
Esta é apenas uma pré-visualização
3 mostrados em 23 páginas
Esta é apenas uma pré-visualização
3 mostrados em 23 páginas
PowerPoint Presentation

Biofísica cardio-circulatória

Vasos sanguíneos

Artérias

 Estrutura

 Função

Artérias

 Importância da elasticidade

Ateroesclerose

Veias  Estrutura

 Função

Retorno venoso  Determinantes :

 Vis a tergo

Retorno venoso  Determinantes :

 Aspiração torácica

Retorno venoso  Determinantes :

 Contração muscular

Retorno venoso  Determinantes :

 Válvulas venosas

Capilares

 Estrutura

 Função

Pressão Sanguínea

 Definição

Pressão Sanguínea  Tipos :

 Máxima ou sistólica

 Mínima ou diastólica

Pressão Sanguínea  Unidades :

 mmHg

 cmHg

Pressão Sanguínea  Variações :

 Idade  Sexo  Raça  Fatores sócio-culturais  Alimentação  Atividade física

Pressão Sanguínea Classificação para adultos > 18 anos Categoria Sistólica Diastólica Ótima + < 120 e < 80 Normal < 130 e < 85 Normal Alta 130-139 ou 85-90 Hipertensão # Estágio 1 140-159 ou 90-99 Estágio 2 160-179 ou 100-109 Estágio 3  180 ou N110

Pressão Sanguínea  Métodos para aferição :

 Palpatório

 Auscultatório

Método Palpatório  Instrumento

Método Palpatório  Partes do tensiômetro

(esfigmomanômetro)

Método Palpatório  Técnica

Método Auscultatório  Instrumento

Método Auscultatório  Técnica

Sons Korotkoff Fase Qualidade dos sons Base teórica

I Som súbito, forte, bem definido, que aumenta em intensidade

A pressão da bolsa iguala-se a pressão sistólica, ocorre passagem parcial da onda de pulso arterial.

II Sucessão de sons soprosos, mais suaves e prolongados (qualidade de sopro intermitente)

Decorre de mudança no calibre arterial (de estreito para mais largo) com criação de fluxo turbilhonado - o qual produz vibração do sangue e da parede arterial - produzindo sopros.

III Desaparecimento dos sons soprosos e surgimento de sons mais nítidos e intensos (semelhantes ao da fase I), que aumentam em intensidade.

À medida que a pressão na bolsa em adicionalmente diminuída, a artéria permanece aberta na sístole mas permanece fechada na telediástole (diástole tardia).

IV Os sons tornam-se abruptamente mais suaves e abafados, são menos claros.

A pressão da bolsa encontra-se no nível da pressão diastólica intra-arterial.

V Desaparecimento completo dos sons

A artéria permanece aberta durante todo o ciclo cardíaco.

Até o momento nenhum comentário
Esta é apenas uma pré-visualização
3 mostrados em 23 páginas