Aula Pteridophytas Sistemática, Prof Daniela, Notas de aula de Botânica
adriana-heloisa-9
adriana-heloisa-9

Aula Pteridophytas Sistemática, Prof Daniela, Notas de aula de Botânica

190 páginas
31Números de download
1000+Número de visitas
Descrição
Aula Botânica 3º per. Uniandrade. 1º semestre 2014
30 pontos
Pontos de download necessários para baixar
este documento
Baixar o documento
Pré-visualização3 páginas / 190
Esta é apenas uma pré-visualização
3 mostrados em 190 páginas
Esta é apenas uma pré-visualização
3 mostrados em 190 páginas
Esta é apenas uma pré-visualização
3 mostrados em 190 páginas
Esta é apenas uma pré-visualização
3 mostrados em 190 páginas
Apresentação do PowerPoint

Pteridophytas Plantas vasculares sem sementes

Samambaias e Licófitas

Prof: Daniela Imig

Quem são as pteridóphytas? Definição:

Plantas vasculares sem sementes; – Pigmentos nos plastídeos: clorofila a e b,

carotenóides, xantofilas; – Substância de reserva: amido; – Ciclo de vida com alternância de gerações, onde

fase esporofítica possui maior porte, maior complexidade anatômica; e a fase gametofítica é transitória e inconspícua;

– Reprodução através de esporos; – Podem ser homosporadas ou heterosporadas; – Folhas podem ser microfilos ou megafilos.

Plantas Vasculares em semente Evolução

• Todos os seres vivos possuem ancestrais aquáticos;

• Evolução: conquista do ambiente terrestre e aumento da independência da água para a reprodução;

• Sendo assim, algumas características evolutivas são utilizadas para delimitação dos grupos vegetais;

X X

Cladograma da evolução das plantas (Simpson, 2006)

Quem são as pteridófitas

• Grupo parafilético constituído pelas plantas vasculares sem sementes; – Pigmentos nos plastídeos: clorofila a e b,

carotenóides e xantofilas; – Substância de reserva: amido; – Ciclo de vida heteromórfico, cuja fase perene é

esporofítica com maior complexidade anatômica, e a fase gametofítica transitória, e na maioria dos casos, inconspícua;

– Reprodução através de esporos; – Podem ser homosporadas ou heterosporadas

“Pteridófitas”

Relações entre os grupos atuais

Gametófito maior, vida livre, esporófito dependente

Esporófito livre, e maiores que os gametófitos

Grupos fósseis

• Rhyniophyta • Zosterophyllophyta • Trimerophyta

• Não possuíam diferenciação de folhas e raízes; • Eram plantas homosporadas (um único tipo de

esporo).

Grupos fósseis - Rhyniophyta

Cooksonia, Rhynia, Aglaophyton e Horneophyton;

Cooksonia – planta vascular mais antiga conhecida (425 m.a.);

•Formados por caules de ramificação dicotômica e esporângio apical.

Grupos fósseis: Rhyniophyta

Esporângio globoso

Grupos fósseis: Rhyniophyta

Rhynia gwynne-vaughanii Aglaophyton (Rhynia) major

Grupos fósseis: Zosterophyllophyta

Zosterophyllum, Sawdonia e Asteroxylon;

• Esporângio lateral no eixo, podendo haver espinhos no corpo; • Caules de ramificação dicotômica; • Estômatos na parte superior.

Grupos fósseis: Zosterophyllophyta

Sawdonia ornata Zosterophyllum sp.

Grupos fósseis: Trimerophytophyta

Psilophyton e Pertica;

• Esporângios terminais fusiformes; • Ramificação mais complexa, formando sistemas de ramificação laterais.

Grupos fósseis: Trimerophyta

Psilophyton sp.

Outras características evolutivas das plantas vasculares sem sementes atuais

• Aparecimento dos vasos condutores;

• A capacidade de sintetizar lignina, incorporando às paredes de células de sustentação e condução;

• Maiores em altura;

• Ramificações por meio de Meristemas no ápice de caules e ramos;

• Produção de esporângios múltiplos (dif. de Briophyta);

• Apresentam corpo mais diferenciado; • Raízes; • Caules e folhas;

• Redução da geração gametofítica, dependente do esporófito;

• Gametófito de vida livre,

• necessitam de água para carregar o anterozoide até a oosfera;

Morfologia geral das Plantas Vasculares

Pteridófitas atuais

• Tem sido tradicionalmente reconhecido dois grandes grupos:

Lycophyta (licófitas) Monilophyta (samambaias, avencas, cavalinhas, ...)

Licófitas + Samambaias

- São plantas vasculares sem flores, frutos e sementes

- 2 gerações no ciclo de vida:

A) gametofítica: haplóide (n)

B) esporofítica: diplóide (2n)

A) Efêmera: filamento ou talo, rizóides, anterídios (anterozóides) e arquegônios (oosfera)

B) Duradora: raízes, caule (rizoma), folhas ou frondes (férteis ou estéreis), esporângios, indúsio, esporos.

Licófitas + Samambaias

- ocorrência: em ambientes temperados, tropicais, subtropicais, periferia de desertos quentes e frios.

- São plantas terrestres, rupícolas, hemiepífitas, epífitas ou aquáticas.

- variam desde ervas (com poucos centímetros de compr.) até plantas arborescentes (8-10 m de compr.)

Evolução Arquitetônica do corpo das Plantas Vasculares sem sementes

• Esporófitos das primeiras plantas vasculares eram dicotômicos, sem raízes e folhas;

• Com a evolução, diferenças morfológicas e fisiológicas foram ocorrendo: Raízes, caules e folhas;

• Surgimento do tecido condutor: xilema e • floema, imerso no tecido fundamental;

Devoniano, as primeiras plantas vasculares...

Plantas vasculares com características ancestrais- Lycophyta (licófitas)

• As Pteridófitas ancestrais se extinguiram; • Hoje temos as Pteridófitas atuais primitivas ou

basais: • Três ordens primitivas são conhecidas atualmente,

que constituem inteiramente de ervas: Lycopodiales, selaginellas e Isoetales, respectivamente;

Raízes adventícias

Rizoma

Micrófilas

Estróbilo

MORFOLOGIA GERAL BÁSICA das Samambaias;

Continuando...

Características reprodutivas

• Morfologia reprodutiva e

• GERAL!

• Todas as Pteridóphytas são oogâmicas: grandes oosferas imóveis e pequenos anterozóides que nadam até a oosfera!

• Alternância de gerações Heteromórficas: Esporófito maior e mais complexo...

Soros esporângios esporos

( ou múltiplos de 16)

É endurecido para proteger os esporângios, encontrado nas folhas submersas das Salvinias, e outras aquáticas!

SOROS

(Sem marca!)

Reprodução geral comparada BRIOFITAS

PTERIDÓFITAS

Atividades para dia 19-05 • Quais são as características mais marcantes

evolutivamente, entre Briophytas e Pteridophytas?

• O que são as Pteridophytas?

• Quais as diferenças morfológicas entre Licófitas e samambaias?

• Desenhe uma samambaia com lâminas bi-pinadas, férteis e monomórficas, caule longo- reptante, raízes adventícias;

Sistemática das principais famílias de Pteridophytas do Sul

Pteridófitas

• Tem sido tradicionalmente reconhecido dois grandes grupos:

Lycophyta (licófitas) Monilophyta (samambaias, avencas, cavalinhas, ...)

LICÓPHYTAS

Características:

1. Plantas com raízes, caule e folhas (microfilas, com uma nervura, com ou sem lígula);

2. Esporângios solitários na axila das folhas, agrupados em estróbilos no ápice do caule ou não formando estróbilos;

3. Origem: Devoniano Inferior;

4. Possuem 3 famílias, 6 gêneros e aproximadamente 1.350 espécies.

LICÓFITAS -Plantas homosporadas

heterosporadas

ou

Família Lycopodiaceae Características:

1. Plantas terrestres ou epífitas (rupícolas);

2. Homofilas ou heterofilas, isofilas ou anisofilas;

3. Caule com ramificação dicotômica (às vezes com ramificação lateral);

4. Microfilas dispostas em forma helicoidal;

5. Plantas homosporadas;

6. Esporângios reniformes a subglobulares, 1-loculares, deiscentes por fendas transversais que dividem cada esporângio em 2 valvas.

A Família Lycopodiaceae

7. Esporos triletes;

8. Possui 4 gêneros e aproximadamente 450 espécies;

9. Distribuição: Cosmopolita; 10. Gêneros com distribuição no Brasil:

Huperzia, Lycopodiella e Lycopodium;

11. O gênero Phylloglossum é endêmico da (Austrália e Nova Zelândia).

Raízes adventícias

Rizoma

Micrófilas

Estróbilo

Taxonomia:

- O gênero Huperzia

Taxonomia:

- O gênero Lycopodiella

Taxonomia:

- O gênero Lycopodium

Família Selaginellaceae Características:

1. Plantas terrestres ou rupícolas (raramente epífitas);

2. Isofilas e dispostas em forma heliocoidal ou anisofilas e dispostas em 4 fileiras (2 fileiras dorsais e 2 laterais); com lígula; uma folha axilar ventral em cada dicotomia do caule;

3. Caule com ramificação dicotômica (às vezes com ramificações laterais), articulados ou não;

4. Plantas heterosporadas (micrósporos e megásporos);

A Família Selaginellaceae 6. Estróbilos terminais nos ramos;

7. Megasporângios geralmente na parte proximal do estróbilo;

8. Microsporângios geralmente na parte distal do estróbilo;

9. Possui 1 gênero (Selaginella) e aproximadamente 700 espécies, aproximadamente 50 espécies no Brasil;

10. Distribuição: Cosmopolita.

O gênero Selaginella

O gênero Selaginella

Estróbilos

Micrófilas

Microesporângios (micrósporos)

Esporofilas

Megasporângio (megásporos)

Lígula

Selaginella flexuosa

Família Isoetaceae Características:

1. Plantas aquáticas ou terrestres;

2. Caule do tipo cormo, globoso ou alongado e ereto;

3. Folhas lineares e ocas, imbricadas, com uma só nervura não ramificada; com lígula;

4. Plantas heterosporadas (micrósporos monoletes e megásporos triletes);

A Família Isoetaceae 5. Possui 1 gênero (Isoetes) e aproximadamente 200

espécies;

6. Distribuição: Cosmopolita.

Megasporângio (megásporos)

Microsporângio (micrósporos)

Cormo

Raízes

Micrófila

Microsporângio

Megasporângio

Características:

1. Plantas com raízes, caule e folhas (microfilas e megafilas);

2. Esporângios leptosporangiados (solitários) ou eusporangiados dispostos em sinângios na superfície abaxial das frondes; também em estróbilos (Equisetum) e em espigas (Ophioglossum);

3. Plantas homosporadas; esporos monoletes ou triletes; com ou sem elatérios;

4. Possui 4 classes, 11 ordens, 37 famílias, ca. de 400 gêneros e aprox. 11.000 espécies.

Monilóphyta

Psilotopsida – Ordem Psilotales - Psilotaceae Características:

1. Plantas terrestres, rupícolas ou epífitas;

2. Rizoma com micorrizas; sem raízes;

3. Caule aéreo, simples a dicotômicos, clorofilado;

4. Frondes pequenas, reduzidas, as estéreis simples, as férteis bifurcadas;

5. Esporângios reunidos em sinângios, 2 o 3-loculares.

6. Plantas homosporadas;

A Família Psilotaceae

7. Esporos monoletes;

8. Possui 2 gêneros e aproximadamente 12 espécies;

9. Distribuição: Cosmopolita, principalmente tropical;

10. Gênero com distribuição no Brasil: Psilotum.

Taxonomia:

- O gênero Psilotum

Taxonomia: - O gênero Psilotum

Tipos de esporângios

• As demais famílias de monilófitas podem apresentar dois tipos de esporângios:

•Eusporangiadas •Leptosporângio Desenvolve-se a partir de

várias células iniciais e apresenta uma parede com

mais de uma camada de células de espessura quando plenamente

desenvolvido

Grande número de esporos

Desenvolve-se a partir de uma célula inicial e

apresenta uma parede com apenas uma camada de

células de espessura quando plenamente

desenvolvido. Possui ânulo

16, 32, 64, ... esporos

Psilotopsida - Ordem Ophioglossales - Ophioglossaceae

Características:

1. Plantas terrestres ou epífitas, carnosas, sem esclerênquima;

2. Rizoma subterrâneo, globoso;

3. Folhas simples ou pinadas;

4. Nervuras livres livres ou anastomosadas;

5. Eusporangiadas;

6. Cada folha fértil consiste em um segmento ou “espiga” e uma parte fértil;

A Família Ophioglossaceae

7. Plantas homosporadas; esporos triletes;

8. Possui 4 gêneros e aproximadamente 80 espécies;

9. Distribuição: Cosmopolita.

10. Gêneros com distribuição no Brasil: Botrychium e Ophioglossum.

Taxonomia:

-O gênero Botrychium - O gênero Ophioglossum

Classe Equisetopsida

Equisetales Equisetaceae

Equisetopsida – Ordem Equisetales - Equisetaceae

Características:

1. Plantas terrestres;

2. Caule com nós e entrenós, ocos articulados e fotossintetizantes;

3. Ramos aéreos e ramos subterrâneos;

4. Depósito de sílica;

5. Folhas reduzidas com 1-nervura, unidas na base, formando uma bainha ao redor do caule;

6. Folhas dispostas em verticilos em torno dos nós;

A Família Equisetaceae

7. Esporângios sem ânulo, reunidos em estruturas denominadas esporangióforos;

8. Esporangióforos se dispõem em cones no ápice dos ramos;

9. Plantas homosporadas; esporos verdes (com clorofila) com elatérios;

10. Distribuição: Cosmopolita, exceto na Austrália e Nova Zelândia.

11. Possui 1 gênero (Equisetum) e aproximadamente 15 espécies;

Taxonomia:

- O gênero Equisetum

Esporos verdes (com clorofila) e elatérios;

Classe Marattiopsida

Marattiales Marattiaceae

Marattiopsida - Ordem Marattiales – Família Marattiaceae

Características:

1. Plantas terrestres;

2. Rizoma delgado e horizontal ou robusto e ereto aparentemente massivo; com raízes suculentas;

4. Frondes 1-4-pinadas; pecíolo com ou sem nós;

5. Esporângios em sinângios na superfície abaxial da fronde, que se abrem através de poros;

6. Plantas homosporadas; esporos monoletes;

Família Marattiaceae

7. Possui 4 gêneros e aproximadamente 150 espécies;

8. Distribuição: Pantropical.

9. Gêneros com distribuição no Brasil: Danaea e Marattia.

Esporângios em sinângios na superfície abaxial da fronde, que se abrem através de poros

Taxonomia:

- O gênero Danaea

Taxonomia: - O gênero Marattia

Classe Polypodiopsida

Osmundales Hymenophyllales

Gleicheniales Schizaeales Salviniales Cyatheales

Polypodiales

Polypodiopsida

•Samambaias leptosporangiadas.

•Maior diversidade – representada por 7 ordens e 33 famílias.

Classe Polypodiopsida

Osmundales 1 família

Osmundaceae

Polipodiopsida - Ordem Osmundales – Osmundaceae

Características:

1.Plantas terrestres;

2. Frondes 1-2-pinadas; dimorfas ou hemidimorfas;

4. Esporângios (leptosporângios),com ânulo rudimentar e lateral, deiscência longitudinal;

A Família Osmundaceae

5. Plantas homosporadas; esporos verdes (com clorofila), triletes;

6. Possui 3 gêneros e aproximadamente 20 espécies;

7. Distribuição: Cosmopolita;

8. No Brasil: Osmunda.

Taxonomia:

- O gênero Osmunda

Classe Polypodiopsida

Hymenophyllales 1 família

Hymenophyllaceae

Características:

1. Plantas terrestres ou epífitas;

2. Esporângios com anel oblíquo, soros marginais com indúsio cupuliforme ou bivalvar;

3. Folhas membranáceas, translúcidas, sem estômatos, 1 a 2 camadas de células de espessura;

Polipodiopsida – Ordem Hymenophyllales – Hymenophyllaceae

A Família Hymenophyllaceae

4. Possui 9 gêneros e aproximadamente 600 espécies;

5. Distribuição: Cosmopolita;

6. No Brasil: Abrodictyum, Didymoglossum, Hymenophyllum, Polyphlebium, Trichomanes, Vandenboschia.

•Indúsio bivalvar. SOROS

Taxonomia: - O gênero Vandenboschia

Indúsio tubular

Taxonomia:

-O gênero Abrodictyum

-O gênero Hymenophyllum

-O gênero Polyphlebium

Classe Polypodiopsida

Gleicheniales 3 família

Gleicheniaceae

Ordem Gleicheniales - Gleicheniaceae

Características: 1. Plantas terrestres;

2. Rizoma longo-reptante com escamas ou tricomas;

3. Frondes monomorfas, pseudodicotomicamente bifurcadas (com uma gema latente na bifurcação);

4. Lâmina 1-4-bifurcadas; nervuras livres, simples ou 1-4- bifurcadas;

5. Soros abaxiais na lâmina, sem indúsio; esporângios pedicelados, com ânulo oblíquo, dispostos sobre a região mediana das nervuras;

A Família Gleicheniaceae

6. Plantas homosporadas; esporos monoletes ou triletes;

8. Possui 6 gêneros e aproximadamente 125 espécies;

9. Distribuição: trópicos e subtrópicos;

10. Gêneros que ocorrem no Brasil: Dicranopteris, Gleichenella e Sticherus.

Dicranopteris

Classe Polypodiopsida

Schuzaeales 3 família

Schizaeaceae Anemiaceae Lygodiaceae

Ordem Schizaeales - Anemiaceae Características: 1.Plantas terrestres;

2. Caule apenas com tricomas;

3.Frondes com crescimento determinado, eretas ou decumbentes; segmentos férteis e estéreis dimorfos;

4.Esporângios (leptosporângios) solitários, não dispostos em soros. Esporângios obovóides ou piriformes, sésseis ou breve-pedicelados; ânulo subapical, completo; sem indúsio.

A Família Anemiaceae

5. Plantas homosporadas; esporos triletes;

6. Possui 1 gênero (Anemia) e aproximadamente 100 espécies;

7. Distribuição: Pantropical.

Taxonomia: O gênero Anemia

Taxonomia: O gênero Anemia

Classe Polypodiopsida

Salviniales 2 família

Salviniaceae Marsileaceae

Samambaias aquáticas (Ordem Salviniales)

Características: - Plantas heterosporadas; -Esporângios formados no interior de

esporocarpos ou não; - Dispersão dos esporos no meio líquido, envolto

em uma gelatina; - 2 famílias, 5 gêneros e ca. de 70 espécies.

A Família Salviniaceae Características: 1.Plantas aquáticas e flutantes; 2. Caule delgado, menos de 1 mm diâmetro; 3.Frondes dísticas ou verticiladas, modificadas; 4.Esporângios formados na porção imersa da

planta, protegidos pelo indúsio (delgado); 5.Plantas heterosporadas; Megasporângios

(megásporos) e microsporângios (micrósporos); esporos triletes;

A Família Salviniaceae

6. Possui 2 gêneros e aproximadamente 16 espécies;

7. Distribuição: Cosmopolita, principalmente nos trópicos.

8. Gêneros que ocorrem no Brazil : Azolla e Salvinia.

Taxonomia: O gênero Azolla

Taxonomia: O gênero Salvinia

Classe Polypodiopsida

Cyatheales 8 família

Samambaias Arborescentes (Ordem Cyatheales)

Características: - Plantas geralmente arborescentes, com caule

ereto (cáudice) bem definido; - Frondes grandes (metros) e dispostas no ápice

do cáudice; - Plantas homosporadas, 16-32 esporos por

esporângio; - Esporângio com ânulo oblíquo, não

interrompido pelo pedicelo;

Samambaias Arborescentes Características: - 8 famílias, aproximadamente 15 gêneros e 600

espécies;

- Famílias que ocorrem no Brasil: Metaxyaceae (Amazônia), Plagiogyriaceae, Culcitaceae (altitudes), Dicksoniaceae e Cyatheaceae.

A Família Dicksoniaceae Características: 1.Plantas terrestres e arborescentes; 2. Pecíolo com tricomas; 3.Frondes monomorfas, 2-5-pinadas, cartáceas a

coriáceas, com tricomas; nervuras livres; 4.Esporângios (leptosporângios) formados na

margem da lâmina; indúsio formado pelo tecido adaxial e abaxial da lâmina; com paráfises;

5.Plantas homosporadas; esporos triletes;

A Família Dicksoniaceae

6. Possui 3 gêneros e aproximadamente 30 espécies;

7. Distribuição: Trópicos.

8. Gênero que ocorrem no Brasil: Lophosoria e Dicksonia.

Taxonomia: O gênero Dicksonia

Taxonomia: Dicksonia

A Família Cyatheaceae Características: 1.Plantas terrestres arborescentes; 2. Pecíolo com escamas; 3.Frondes monomorfas, 1-4-pinadas, cartáceas a

coriáceas, com tricomas e escamas; nervuras livres;

4.Esporângios (leptosporângios) formados na superfície abaxial da lâmina; indúsio presente ou ausente, indúsio verdadeiro ciatiforme ou globoso; paráfises ausentes ou presentes;

5.Plantas homosporadas; esporos triletes;

A Família Cyatheaceae

6. Possui 5 gêneros e aproximadamente 600 espécies;

7. Distribuição: Trópicos.

8. Gêneros que ocorrem no Brasil: Alsophila, Cyathea, Hymenophyllopsis e Spaheropteris.

Taxonomia: O gênero Cyathea

Taxonomia: O gênero Cyathea

Taxonomia: O gênero Cyathea

Taxonomia: O gênero Cyathea

Classe Polypodiopsida

Polypodiales 12 família

Polypodiales

Esporângios pedicelados com ânulo vertical interrompido pelo pedicelo:

A Família Aspleniaceae Carcterísticas: 1. Plantas terrestres, rupícola e epífita;

2.Soros lineares ao longo das nervuras;

3.Indúsio presente;

4.Rizoma apenas com escamas (clatradas);

5. Distribuição cosmopolita;

6.2 gêneros no Brasil: Asplenium e Antigramma;

Taxonomia: O gênero Asplenium

A Família Blechnaceae Características: 1. Plantas terrestres ou hemiepífitas;

2.Rizoma com escamas;

3. Frondes monomorfas a completamente dimorfas, eretas ou escandentes, inteiras a 1-pinado-pinatissectas ou 2-pinadas; nervuras livres ou anastomosadas; frondes jovens avermelhadas;

4. Pecíolo com mais de 3 feixes vasculares na base; 5. Soros abaxiais, lineares, paralelos e adjacentes a costa;

indúsio presente e abrindo-se em direção à costa;

A Família Blechnaceae

6. Esporângios (leptosporângios) pedicelados; ânulo vertical interrompido pelo pedicelo;

7. Plantas homosporadas; esporos monoletes;

8. Possui 9 gêneros e aproximadamente 200 espécies;

9. Distribuição: Cosmopolita.

10. Gêneros que ocorrem no Brasil: Blechnum e Salpichlaena.

Taxonomia: O gênero Blechnum

Taxonomia: O gênero Blechnum

Taxonomia: O gênero Blechnum

Taxonomia: O gênero Blechnum

Taxonomia: O gênero Salpichlaena

Taxonomia: O gênero Salpichlaena

A Família Dryopteridaceae

Características: 1. Plantas terrestres, epífitas e rupícolas; 2. Soros abaxiais, arredondados, oblongos ou

acrosticóides; 3. Indúsio ausente ou presente; 4. Folhas monomorfas ou dimorfas, 1cm a 3m de

comprimento; 5. 40 a 45 gêneros e ca de 1700 espécies; 6. No Brasil 15 gêneros: Arachnioides, Bolbitis, Ctenitis,

Cyclodium, Didymochlaena, Dryopteris, Elaphoglossum, Lastreopsis, Lomagramma, Megalastrum, Olfersia, Polystichum, Polypotrya, Rumohra e Stigmatopteris;

Taxonomia: O gênero Elaphoglossum

Soros acrosticóides

Taxonomia: O gênero Megalastrum

Taxonomia: O gênero Lastreopsis

A Família Polypodiaceae Características: 1. Plantas epífitas, ocasionalmente terrestres o rupícolas; 2. Rizoma apenas com escamas (clatradas ou não

clatradas), peltadas ou basifixas; 3. Frondes monomorfas ou dimorfas; articuladas com o

caule; pecíolo com 3 ou mais feixes vasculares na base; lâmina inteira ou dicotomicamente furcada, ou 1- pinada, o 1-pinado-pinatífida a 3-pinada; nervuras livres ou anastomosadas (aréolas com ou sem vênulas);

4. Soros em posição abaxial, no ápice das nervuras ou na união de nervuras, arredondados ou lineares;

A Família Polypodiaceae 4. Esporângios (leptosporângios), pedicelados; ânulo

vertical, interrompido pelo pedicelo, sem indúsio; com paráfises;

5. Plantas homosporadas; esporas monoletes o triletes, com ou sem clorofila;

6. Possui 56 gêneros e aproximadamente 1200 espécies;

7. Distribuição: Cosmopolita;

8. Alguns gêneros com ocorrência no Brasil: Campyloneurum, Dicranoglossum, Grammitis, Microgramma, Niphidium, Pecluma, Phlebodium, Pleopeltis, Serpocaulon e Solanopteris.

Taxonomia: O gênero Microgramma

Taxonomia: O gênero Pleopeltis

Taxonomia: O gênero Pleopeltis

Taxonomia: O gênero Serpocaulon

Taxonomia: O gênero Serpocaulon

Escamas do caule

Soros e nervuras

Taxonomia: O gênero Serpocaulon

Escamas do caule

A Família Pteridaceae Características: 1.Plantas terrestres, epífitas ou rupícolas; 2. Frondes monomorfas ou dimorfas; articuladas

com o caule; 3. Soros marginais ou não, geralmente alongado; 4. Indúsio ausente, pseudoindúsio; 5.Folhas monomorfas ou hemidimorfas ou dimorfas,

1cm a 4 m de comprimento; 6.50 gêneros a 950 espécies;

A Família Pteridaceae

Características: 7. No Brasil - 170 spp. e 22 gêneros:

Acrostichum, Adiantopsis, Adiantum, Ananthacorus, Anetium, Anogramma, Argyrochosma, Ceratopteris, Cheilanthes, Doryopteris, Eriosorus, Hecistopteris, Hemionitis, Jamesonia, Notholaena, Pellaea, Pityrogramma, Polytaenium, Pteris, Pterozonium, Radiovittaria, Trachypteris e Vittaria.

Soros marginais

Pseudoindúsio

Taxonomia: O gênero Adiantum

Taxonomia: O gênero Adiantopsis

A Família Thelypteridaceae

Características: 1. Plantas terrestres ou raramente rupícola; 2. Frondes monomorfas raramente dimorfas; 3. Pecíolo na base com dois feixes vasculares

alongados que se unem distalmente formando um único feixe

4. Soros marginais, arredondados a oblongos, as vezes alongados ao longo de nervuras;

5. Indúsio ausente ou presente 6. 5 gêneros e 950 espécies; 7. 2 gêneros no Brasil: Thelypteris e

Macrothelypteris

Taxonomia: O gênero Thelypteris

Até o momento nenhum comentário
Esta é apenas uma pré-visualização
3 mostrados em 190 páginas