Aula sobre Traumatismo Craniano, Slides de Neurologia. Universidade Paulista (UNIP)
fercostacardoso
fercostacardoso28 de agosto de 2017

Aula sobre Traumatismo Craniano, Slides de Neurologia. Universidade Paulista (UNIP)

PPT (3 MB)
57 páginas
30Número de visitas
Descrição
Slides da Aula de Fisioterapia Aplicada a Neurologia da professora Luciane Pessina
20 pontos
Pontos de download necessários para baixar
este documento
baixar o documento
Pré-visualização3 páginas / 57

Esta é apenas uma pré-visualização

3 shown on 57 pages

baixar o documento

Esta é apenas uma pré-visualização

3 shown on 57 pages

baixar o documento

Esta é apenas uma pré-visualização

3 shown on 57 pages

baixar o documento

Esta é apenas uma pré-visualização

3 shown on 57 pages

baixar o documento
TRAUMATISMOS CRANIANOS

TRAUMATISMO CRANIENCEFÁLICO (TCE)

Profa. Luciane Licre Pessina Baldassin

TRAUMATISMO CRANIENCEFÁLICO

• Agressão ao cérebro, não de natureza

degenerativa ou congênita, mas causada por uma

força física externa, que pode produzir um estado

diminuído ou alterado de consciência ou do

funcionamento motor.

• Pode provocar comprometimento funcional parcial

ou total. SMITH e WINKLER, 1994

TRAUMATISMO CRANIENCEFÁLICO • Características distintas:

- Surgimento súbito; - grupo etário; - possibilidade de lesões concomintantes.

• Pode ocorrer sem perda da consciência.

• Sintomas : resolvem-se gradualmente

prolongamento da inconsciência por mais de 6horas – indica um traumatismo craniano mais grave

TRAUMATISMO CRANIENCEFÁLICO

• Entende-se por TCE qualquer agressão de ordem

traumática que acarrete lesão anatômica ou

comprometimento funcional do couro cabeludo,

crânio, meninges, encéfalo ou seus vasos.

• Epidemiologia: - O trauma é a principal causa de morte em pessoas entre 1 e 44 anos.

Sendo o principal determinante de morbidade, incapacidade e mortalidade

dentro deste grupo.

- O TCE grave está associado a uma taxa de mortalidade de 30% a 70%, e

a recuperação dos sobreviventes é marcada por sequelas neurológicas

graves e por uma qualidade de vida muito prejudicada.

- Os acidentes automobilísticos são responsáveis por metade dos casos deste problema, sendo que 72% dos acidentes está associado ao

consumo de bebidas alcóolicas.

TRAUMATISMO CRANIENCEFÁLICO

- Outras causas de traumatismo craniencefálico:

*quedas (21%), particularmente em crianças e idosos. (principal causa morte crianças acima de 5 anos 71%);

*assaltos e agressões (12%);

*causas relacionadas ao esportes e recreação (10%).

- Incidência maior em indivíduos jovens (15 a 24 anos) e do sexo masculino (3 a 4 / 1).

TRAUMATISMO CRANIENCEFÁLICO

Mecanismo do TCE Lesões difusas Acometem o cérebro como um todo e, usualmente

ocorrem por forças que levam a rotação do encéfalo dentro da caixa craniana. termo CONCUSSÃO cerebral – perda temporária da consciência

Lesões Focais Compostas por hematomas- intra ou extracerebrais,

que acometem apenas uma região do cérebro

Mecanismos de lesão A Lesão cerebral pode ser causada por:

- Lesões corto-contusas;

- Perfurações;

- Fraturas do crânio;

Mecanismos de lesão

Golpe: lesões no local do impacto. (contusão cerebral)

Contragolpe: lesões distantes da parte do cérebro que recebeu o golpe.

rápida desaceleração do crânio (batida contra objeto estacionário)

Tipos de traumatismos Fisiopatologia

Lesão cerebral primária Lesão cerebral secundária

Lesão primária: inclui fraturas do crânio, contusões da substância cinzenta e lesões difusas da substância branca.

Lesão secundária: inclui edema cerebral, hematoma intracraniano, hipoxia cerebral e isquemia.

Tipos de traumatismos • Segundo GILROY e MEYER (1980)

Tipos de Traumatismos: - Fratura de Crânio:

*fraturas lineares e cominutivas – provocadas por objetos em baixa velocidade - Podem produzir - contusões, lacerações e lesão de nervos cranianos.

Fratura de Crânio: *fraturas com depressão

Provocadas por objetos em alta velocidade

- Diminuem o volume da caixa craniana e podem produzir – herniação do tronco encefálico, lesão em nervos cranianos, contusões e lacerações

Tipos de traumatismos

- Lesões Cranianas Fechadas: podem ocorrer lesões mínimas ou lesões graves e irreversíveis.

- Podem incluir: lesão do tronco encefálico, contusões, lesões difusas em substância branca.

Tipos de lesão fechada

1. Comoção

2. Contusão

3. Hematoma

Comoção • “Perda da consciência em consequência de um

golpe na cabeça”.

• Áreas de lesão: Focais no hemisfério lesionado. Difusos no contragolpe.

Déficit cognitivo nesse momento, relacionado com a perda de consciência (não a lesão cerebral).

Contusão

Com objeto pequeno: hemorragia imediata debaixo do lugar de impacto.

Com objeto grande: pode romper os vasos sanguíneos que unem o cérebro e as meninges.

Hemorragias

Na hemorrogia, há derrame de sangue por ruptura de algum vaso sanguíneo (sangue nas meninges).

Extradural: entre a placa óssea do crânio e a duramáter.

Subdural: entre a duramáter e as aracnoides.

Arma de fogo

ÍNDICES DE GRAVIDADE DO TCE - A profundidade e a duração do coma são consideradas como índices de gravidade de TCE

Caracterizado como: -Leve: quando o distúrbio fisiológico da função cerebral, induzido pelo trauma, é manifestado por ao menos um dos sintomas de qualquer período de perda de consciência ou memória; pontuação inicial de 13 a 15 na Escala de Coma de Glasgow; -Moderado: pontuação inicial de 9 a 12 na Escala de Coma de Glasgow; amnésia pós-traumática de 1 a 24 horas; -Grave: perda de consciência por mais de seis horas; pontuação inicial igual ou inferior a 8 na Escala de Coma de Glasgow.

TRAUMATISMO CRANIENCEFÁLICO

Aspectos clínicos imediatos

• Alteração da função motora;

• Alteração da função autonômica;

• Flacidez inicial evoluindo para espasticidade;

• Alteração da consciência; O comportamento consciente é determinado pelo conteúdo (soma

das funções cognitivas - cognição) e o alerta (estar desperto)

• Coma: definido como uma paralisia completa da função cerebral, um estado de não-responsividade. Não existe resposta a estímulos dolorosos

• Estupor: condição de não-responsovidade geral. O paciente pode ser acordado com um estímulo vigoroso e repetido.

• Sonolência: descreve um paciente que dorme demasiadamente e apresenta um estado de redução de alerta, com baixa resposta à estimulação.

• Delírio: observado na recuperação da inconsciência. Estado caracterizado por desorientação, medo, e má interpretação dos estímulos sensoriais. Paciente está agitado.

comentários (0)

Até o momento nenhum comentário

Seja o primeiro a comentar!

Esta é apenas uma pré-visualização

3 shown on 57 pages

baixar o documento