Campo Magnético de Outros Planetas - Apostilas - Geofísica, Notas de estudo de Geologia
Pao_de_acucar
Pao_de_acucar18 de junho de 2013

Campo Magnético de Outros Planetas - Apostilas - Geofísica, Notas de estudo de Geologia

PDF (1 MB)
4 páginas
765Número de visitas
Descrição
Apostilas de Geofísica sobre o estudo do Campo Magnético de Outros Planetas, Comparação dos campos magnéticos de diferentes Planetas.
20 pontos
Pontos de download necessários para baixar
este documento
baixar o documento
Pré-visualização3 páginas / 4

Esta é apenas uma pré-visualização

3 shown on 4 pages

baixar o documento

Esta é apenas uma pré-visualização

3 shown on 4 pages

baixar o documento

Esta é apenas uma pré-visualização

3 shown on 4 pages

baixar o documento

Esta é apenas uma pré-visualização

3 shown on 4 pages

baixar o documento
O magnetismo da Terra é uma das mais antigas descobertas científicas

1

O estudo do campo magnético dos planetas

é um assunto interessante pelo seu próprio

conhecimento. Por exemplo, se um planeta tem

campo global que é suficientemente forte para

desviar o vento solar, então uma magnetosfera se

formará. Então vamos ver como é estudado o

campo magnético dos planetas.

Mercúrio

Em 1974 a nave espacial Mariner 10

detectou o campo magnético de Mercúrio (Figura

1). A intensidade do campo magnético medido por

Mariner 10 era de 100nT a uma altura de 700 km.

Existem três hipóteses para o campo magnético

desse planeta: um processo de dínamo, um campo

magnético remanescente ou correntes elétricas

induzidas.

Vênus

Na década de 60, sondas espaciais russas e

americanas fizeram várias investigações em Vênus

(Figura 2). Essas pesquisas tinham como objetivo

verificar a possibilidade da existência de campo

magnético no planeta. Em 1967, instrumentos

detectaram ondas de choque causadas pela colisão

do vento solar com Vênus. Entretanto, não

conseguiram encontrar evidências da existência de

campo magnético. Se houver qualquer

característica magnética, ela deve estar muito

próxima à superfície do planeta, o que impossibilita

a detecção pelo magnetômetro instalado na sonda.

A velocidade de rotação do planeta Vênus é

muito inferior à velocidade de rotação da Terra. Um

dia em Vênus dura 243 dias terrestres. Essa

velocidade de rotação não fornece energia

suficiente para o processo de dínamo no interior de

Vênus, impossibilitando a formação de um campo

magnético interno.

Marte

A comunidade científica esperava que Marte

(Figura 3) possuísse um campo magnético, pois sua

MÓDULO 4.3.1: CAMPO MAGNÉTICO

DE OUTROS PLANETAS

Figura 2. Imagem do planeta Vênus.

Figura 1 . Imagem do planeta Mercúrio e da nave Mariner 10.

2

velocidade de rotação é semelhante a da Terra. A

única sonda americana equipada com um

magnetômetro foi a Mariner 4 (Figura 3), que

pesquisou Marte em 1965 e não conseguiu

detectar qualquer atividade magnética no planeta.

Uma sonda russa também fez análises no planeta,

porém os dados são ambíguos e não levam a uma

conclusão definitiva.

Júpiter

Desde 1955 os cientistas tem conhecimento

da existência de um forte campo magnético em

Júpiter. As sondas Pioneer10 e 11 em 1973, a

Voyager 1 e 2 em 1979, verificaram que o planeta

possuía um campo magnético. A enorme

magnetosfera do planeta choca-se com o vento

solar a uma altitude de 5.000.000 km acima de sua

superfície. A cauda magnética se estende até o

planeta Saturno. A intensidade do campo

magnético do planeta Júpiter (Figura 4) é de

aproximadamente 400.000 nT, muito maior do que

o da Terra. O campo magnético de Júpiter é

produzido pela atividade do dínamo no núcleo do

planeta. Esse núcleo é imenso e possui um raio de

75% do raio do planeta. Intensas auroras são

produzidas em Júpiter. A Figura 5 mostra uma

imagem do Telescópio Hubble. As auroras de

Júpiter podem ser milhares de vezes mais

luminosas do que na Terra.

Saturno

A sonda Pioneer 11 em 1979, a Voyager 1 e

2 em 1980 e 1981, respectivamente, chegaram em

Saturno. Os equipamentos a bordo de todas as

sondas detectaram uma onda de choque, causada

Figura 3. Imagem do planeta Marte e da nave Mariner 4.

Figura 5: Imagem feita pelo Hubble, da aurora de Júpiter.

Figura 4. Campo magnético de Júpiter.

3

pelo vento solar e atividade magnética. A

intensidade do campo magnético equatorial de

Saturno é de aproximadamente 58.000 nT, quase o

dobro da Terra na mesma região. O campo

magnético de Saturno é resultado da atividade do

dínamo, presente no núcleo do planeta. Tente

identificar na Figura 6 as diferentes partes da

magnetosfera de Saturno, como a magnetopausa e

vento solar. Se tiver dúvidas, encontre a resposta

em:

http://saturn.jpl.nasa.gov/science/index.cfm?Scien

cePageID=59

Urano

O planeta Urano (Figura 7) foi visitado pela

Voyager 2 em Janeiro de 1986. A sonda encontrou

uma onda de choque e atividade magnética. A

Voyeger 2 entrou na magnetosfera do planeta e

verificou que a intensidade do campo magnético

era de 24.000 nT, valor parecido com o da Terra.

Netuno e Plutão

Não se sabe ainda da existência de

atividade magnética nesses dois corpos celestes.

Plutão é muito pequeno e provavelmente não tem

campo magnético próprio. Netuno, por outro lado,

pode possuir alguma atividade magnética. Ainda

não há dados para confirmar ou negar a existência

de campo magnético em ambos.

A Figura 8 mostra uma comparação entre

os campos magnéticos da Terra, Júpiter, Saturno,

Urano e Netuno. Note que há várias diferenças

entre os campos magnéticos destes planetas, como

a inclinação do eixo do dipolo e a intensidade.

Figura 7 . Imagem do planeta Urano.

Figura 6 . Magnetosfera de Saturno.

4

Referências Bibliográficas Lowrie, William (2004). Fundamentals of

Geophysics. Cambridge University Press. ISBN 0-

521-46164-2.

Merril, R. T., Mcelhinny, M. W.; McFadden, P. L. (1996). The Magnetic Field of the Earth- Paleomagnetism, the core and the deep mantle. Academic Press. Volume 63.

Homepages de Universidades e da NASA, citados

nas figuras.

Fontes das Figuras Figuras 1, 2, 3, 7: Homepage da NASA.

www.nasa.gov

Figura 4:

http://www.lpl.arizona.edu/undergrad/classes/spri

ng2011/Hubbard_206/Lectures3/Mar08.htm

Figura 5:

http://csep10.phys.utk.edu/astr161/lect/jupiter/m

agnetic.html

Figura 6:

http://saturn.jpl.nasa.gov/science/index.cfm?Scien

cePageID=59

Figura 8:

http://www.ifa.hawaii.edu/~barnes/ast110_06/gph

ah.html#[14]

Figura 8: Comparação dos campos magnéticos de diferentes planetas.

comentários (0)

Até o momento nenhum comentário

Seja o primeiro a comentar!

Esta é apenas uma pré-visualização

3 shown on 4 pages

baixar o documento