Compostagem Doméstica, Resumos de Citologia. Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM)
luiza-alves
luiza-alves1 de setembro de 2017

Compostagem Doméstica, Resumos de Citologia. Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM)

DOCX (17 KB)
4 páginas
22Número de visitas
Descrição
Explicação sobre compostagem doméstica, suas vantagens e como ocorre.
20 pontos
Pontos de download necessários para baixar
este documento
baixar o documento
Pré-visualização3 páginas / 4

Esta é apenas uma pré-visualização

3 shown on 4 pages

baixar o documento

Esta é apenas uma pré-visualização

3 shown on 4 pages

baixar o documento

Esta é apenas uma pré-visualização

3 shown on 4 pages

baixar o documento

Esta é apenas uma pré-visualização

3 shown on 4 pages

baixar o documento

O que é a compostagem?

É o processo biológico de valorização da matéria orgânica, seja ela de origem urbana, domestica, industrial, agrícola ou florestal, e pode ser considerada como um tipo de reciclagem do lixo orgânico. Trata-se de um processo natural em que os microorganismos, como fungos e bactérias, são responsáveis pela degradação de matéria orgânica.

A técnica de composta ajuda na redução das sobras de alimentos, tornando-se uma solução fácil para reciclar os resíduos gerados em nossa residência.

Fatores que influenciam na geração e na qualidade do composto:

São muitos os fatores que podem influenciar na quantidade e qualidade dos compostos gerados durante a compostagem, os principais são os seguintes:

Microorganismos:

A transformação da matéria orgânica bruta para húmus é um processo, basicamente, microbiológico, operado principalmente por fungos e bactérias, que, durante as fases da compostagem, alternam espécies de microorganismos envolvidos. Também há a colaboração da macro e mesofauna, como minhocas, formigas, besouros e ácaros, durante o processo de decomposição;

Temperatura:

Um dos fatores de grande importância no processo de compostagem. Esse processo de decomposição da matéria orgânica por microorganismos que produzem o calor, pela metabolização da matéria orgânica, estando a temperatura relacionada a vários fatores, como materiais ricos em proteínas, baixa relação carbono/nitrogênio, umidade e outros. Materiais moídos e peneirados, com granulométria mais fina e maior homogeneidade, originam uma melhor distribuição de temperatura e menor perda de calor.

Aeração:

No processo de compostagem, é possível dizer que a aeração é o fator mais importante a ser considerado, isso porque o arejamento evita a formação de maus odores e a presença de insetos, como as moscas de frutas, por exemplo, o que é importante tanto para o processo como para o meio ambiente. Também deve-se levar em conta que, quanto mais úmida está a massa orgânica, mais deficiente será sua oxigenação. É recomendado que o primeiro revolvimento seja feito em duas ou três semanas após o inicio do processo, pois esse é o período em que se exige

a maior aeração possível em seguida, o segundo revolvimento deve ser feito aproximadamente três semanas após o primeiro, e dez semanas após o inicio do processo de compostagem deve ser feito o terceiro revolvimento para uma incorporação final de oxigênio.

Uma massa orgânica com uma dose apropriada de nitrogênio e carbono ajuda no crescimento e a atividade das colônias de microorganismos envolvidos no processo de decomposição, possibilitando a produção do composto em menos tempo.

Umidade:

A presença de água é fundamental para o bom desenvolvimento do processo, pois a umidade garante a atividade microbiológica, isso se deve porque, entre outros fatores, a estrutura dos microorganismos consiste de aproximadamente 90% de água e, na produção de novas células, a água precisa ser obtida do meio, ou seja, neste caso, da massa de compostagem. Porém, a escassez ou o excesso do liquido pode desacelerar a compostagem – se houver excesso, é necessário acrescentar matéria seca, como serragem, que é a melhor indicação para isso.

A faixa de umidade ótima recomendada para se obter um máximo de decomposição está próxima de 50%, devendo haver uma maior atenção ao teor de umidade durante a fase inicial, pois esta precisa de uma adequação do suprimento de água para promoção do crescimento dos organismos biológicos envolvidos no processo e para que as reações bioquímicas ocorram no tempo certo, durante o processo de compostagem.

Como a compostagem acontece?

O processo acontece em fases, sendo elas muito distintas umas das outras. Suas principais características são:

1ª) Fase mesofilica:

Nessa fase, fungos e bactérias mesófilas (ativas a temperaturas próximas da temperatura ambiente), que começam a se proliferar assim que a matéria orgânica é aglomerada na Composteira, são de extrema importância para decomposição do lixo orgânico. Eles vão metabolizar principalmente os nutrientes mais facilmente encontrados, ou seja, as moléculas mais simples. As temperaturas são moderadas nesta fase (cerca de 40C) e ele tem duração de aproximadamente 15 dias.

2ª) Fase termofilica:

É a fase mais longa, e pode se estender por ate dois meses, dependendo das características do material que esta sendo compostado. Nessa fase, entram em cena os fungos e bactérias denominados de termofilicos ou termofilos, que são capazes de sobreviver a temperaturas entre 65°C e 70°C, à influencia da maior disponibilidade de oxigênio – promovida pelo revolvimento de pilha inicial. A degradação das moléculas mais complexas e a alta temperatura ajudam na eliminação de agentes patogenos.

3ª) Fase da maturação:

A última fase do processo de compostagem, e que pode durar ate dois meses. Nessa fase há diminuição da atividade microbiana, juntamente com as quedas de gradativas de temperatura (ate se aproximar da temperatura ambiente) e acidez, antes observada no composto. É um período de estabilização que produz um composto maturado. A maturidade do composto ocorre quando a decomposição microbiológica se completa e a matéria orgânica é transformada em húmus, livre de toxicidade, metais pesados e patogenos.

O produto gerado a partir desse processo de degradação recebe o nome de composto orgânico, que é um material estável, rico em substancias humicas e nutrientes minerais, que pode ser utilizado em hortas, jardins e para fins agrícolas, como adubo orgânico, devolvendo à terra os nutrientes de que necessita, e evitado o uso de fertilizantes sintéticos.

Como construímos a composteira:

Para construir a composteira são necessários 3 baldes, terra, material orgânico e folhas secas. Utilizamos 3 baldes de margarina, lavamos para retirar os resíduos, pois poderia atrapalhar nos resultados. Foram feitos furos na parte inferior de dois dos baldes e nas laterais dos três baldes para a penetração do oxigênio. Foram abertos buracos nas tampas de dois baldes para e o xorume possa passar e ficar armazenado no ultimo balde, alem de facilitar no acesso das minhocas entre os baldes.

Depois começamos a montagem, os baldes foram numerados e colocados em ordem onde os baldes com furo na parte inferior ficaram em cima do balde sem furos, no balde 1 foi colocado, no dia 01/07, terra, material orgânico e folhas secas. No dia 16/07 foi feita a troca dos baldes, onde o primeiro balde desce e o segundo fica por cima, nesse segundo balde fizemos a montagem da compostagem colocando terra, material orgânico e folhas secas.

Resultados:

No processo de decomposição da compostagem, ocorre somente a formação de Dióxido de carbono ou gás carbônico (CO²), água (H²O) e biomassa (húmus). Por se tratar de um processo de fermentação que ocorre na presença de oxigênio (aeróbico), permite que não ocorra a formação de gás metano (CH4) que é altamente nocivo ao meio ambiente e muito mais agressivo.

comentários (0)

Até o momento nenhum comentário

Seja o primeiro a comentar!

Esta é apenas uma pré-visualização

3 shown on 4 pages

baixar o documento