De Stijl - Apostilas - Design Gráfico_Parte2, Notas de estudo de Produção Gráfica. Centro Universitário de Brasília (UniCEUB)
Cunha10
Cunha10

De Stijl - Apostilas - Design Gráfico_Parte2, Notas de estudo de Produção Gráfica. Centro Universitário de Brasília (UniCEUB)

20 páginas
4Números de download
907Número de visitas
Descrição
Apostilas de Design Gráfico sobre o estudo do movimento De Stijl, Construtivismo russo, Artistas do construtivismo.
20 pontos
Pontos de download necessários para baixar
este documento
Baixar o documento
Pré-visualização3 páginas / 20
Esta é apenas uma pré-visualização
3 mostrados em 20 páginas
Baixar o documento
Esta é apenas uma pré-visualização
3 mostrados em 20 páginas
Baixar o documento
Esta é apenas uma pré-visualização
3 mostrados em 20 páginas
Baixar o documento
Esta é apenas uma pré-visualização
3 mostrados em 20 páginas
Baixar o documento

O moinho vermelho, 1910 Tabuleiro com cores clara, 1919

Broadway Boogie Woogie, 1942

Victory Boogie Woogie, 1942-44

(Seu último trabalho, não chegando a terminá-lo, pois morre de pneumonia).

Construtivismo russo- 1919/30

Foi um movimento esté- tico-político, iniciado em 1919. Surge como uma de- corrência do futuris- mo italiano e do cubismo francês,por Vladimir Ta- tlin, Alexander Rodchenko, El Lissitzky e Naum Gabo. Influenciou muito a ar- quitetura , a arte ociden- tal e o design moderno. Negava uma “arte pura”, e procurava abolir a ideia de que a arte é um elemento es- pecial da criação humana separada do cotidiano. Pelo conta- rio ela deveria representar as conquistas do estado operário, revelando a influencia socialista dessa modalida- de artistica. A arte era inspirada nas perspectivas abertas pela má- quina e a industrialização. Utilização de elementos geométricos, o emprego de cores primárias, a foto montagem, tipografia sem serifa.

Marco o início da preoucupação da arte em criar obje- tos numa nova direção: a virtual, no sentido que a ên- fase está mais como espaço vazio que na massa, na au- sência do que na presença. O lema era “devemos apenas construir” e não voltar-se para a inspiração artística. Valoriza a construção da obra em oposição à composi- ção. Tendencia de utilização de objetos tridimensionais, utilizando o ferro, a madeira, o vidro, arame de aço, etc. Acentuam a noção de estrutura e movimento no espaço. Para Lissitzky é “uma arte construtiva que não deco- ra, mas organiza a vida”. Eram apologistas da anti-Arte, criticando os métodos acadêmicos e evitam utilizar: o óleo, a tela, e a pin- tuira de cavalete. Inovaram nas áreas da arquitetura, design e urbanis- mo.

Com o surgimento do NEP ( Nova Política Econômica) em 1921, a utilidade do construtivismo passou a ser se- riamente questionada. No Brasil, as tendências construtivistas encontram ressonância no movimento concretista.Tendo influência em artistas brasileiros como Patrícia Galvão, Oswald de An- drade e Mário Pedrosa.

* NEP : Nova Política Econômica - Im- plantada por Lênin,o qual acreditava que para se conseguir um desenvolvi- mento econômico sólido, era preciso abrior mão do radicalismo da doutrina socialista, e permitir práticas capi- talistas. Ilustrada pela frase “ um passo atrás, dois à frente”. Permitiu o controle do comércio por um setor privado, o aluguel de terras, a forma- ção de cooperativas...

C a r t a z d o N E P - O c a p i t a l i s m o a

s e r v i ç o d o c o m u n i s m o

Concretismo foi um movimento vanguardista surgido em 1953.Iniciado na música, e depois na poesia e nas artes plásticas. Defendia a racionalidade e re- jeitava o ex- pressionismo, o aca- so, a abstração lírica e aleatória. Nas obras sur- gidas do movimento, não há preoucu- pação com o tema, seu intuito era aca- bar com a distinção entre forma e conteúdo e criar uma nova linguagem. No Brasil teve início com a revista “ Noi- gandres”, na década 1950, lidera- do pelos irmãos Au- gusto e Arol- do de Campos. A par- tir de 1960, po- etas e músicos do movimento passaram a se envolver em temas sociais, sur- gindo várias tendências pós ou neo concretistas, entre eles Ferreira Gullar, o poeta Praxis, e Paulo Leminski.

Artistas do construtivismo

Aleksandr Mikhailovich Rodchenko ( 1891 – 1956) Um dos fundadores do construtivismo russo e design moderno russo. Se destacou bastante na fotografia, fotografando seus assuntos em ân- gulos ímpares - geralmente muito de acima de ou baixo - para chocar o espectador. Fez os seus primeiros desenhos abstratos, influenciados por Kazimir Malevich, em 1915. Participou da exibição de “The Store”, organizado por Vladimir Tatlin. Em 1920 foi indicado Diretor do Departamento de um Museu pelo Governo do Bolchevique. De 1923 a 1928 contribuiu com Mayakovsky no design e layout de LEF e de Novy LEF revistas da época. Durante os anos de 1920, trabalhou com abstração freqüentemente a pon- to de ser não-figurativo. Casou-se com Varvara Stepanova, que também era artista, onde fizeram alguns trabalhos juntos. Juntou-se ao Círculo de Outubro de artistas em 1928, mas foi expulso por três anos por ter se transformado em “formalista”. Produziu trabalhos expressionistas abstratos nos anos de 1940.

*LEF : Foi a revista da Frente de Esquerda das Artes, uma ampla asscocia- ção de escritores, fotógrafos, criticos e desnhistas de vanguarda na Rús- sia.

Publicidade através da foto

A foto da operária chaman- do o povo russo, é perfei- ta para ilustrar a polí- tica da época em que foi feita. O texto está bem dividido e é possível en- tendê-lo sem confundir com as cores. O desenho forma uma bandeira passando uma idéia de nacionalismo.

Fo to

d a

Li ly

B ric

k

Plano Quinquenal

Fo i um i ns tr um en to d e pl an if ic aç ão

ec on ôm ic a im pl an ta da p or S ta li n na

Rú ss ia , co m ob je ti vo d e es ta be le -

ce r pr io ri da de s pa ra p ro du çã o in -

du st ri al e a gr íc ol a do p aí s po r

pe rí od os d e ci nc o an os

Capa do cd da banda de rock Franz Ferdinand

Publicidade feita através da capa

Cores –vermelha, amarelo e azul puros - 1921

Resposta a Revolução Russa

Pro p a

gandas

Revista

de

1924

Fotografia de Rodchenko

Kazimir Severinovich Malevich (1878 -1935) Foi o mentor do movimento conhecido como suprematismo. Em 1925, começa a construir os architec- tons, composições suprematistas espaciais. Fundou o grupo Unovis (afirmadores da nova arte) constituído por alguns dos seus alunos. Deixou na Alemanha 70 quadros e um manus- crito “O suprematismo ou o mundo sem objeto”, publicado pela Bauhaus. Em 1926 escreveu o livro O mundo como obje- tividade-Non que descreve suas teorias su- prematista.

*Suprematismo foi o movimento artistico rus- so, centrado em formas geométricas básicas- particularmente o quadrado e o círculo.

Em 1929, foi acusado pelo governo so- viético de “subjetivismo“. Nos anos que se seguiram foi conti- nuamente atacado pela imprensa. Perdeu suas funções oficiais e che- gou a ser preso e torturado. Um cubo branco decorado com um qua- drado preto foi colocado em seu túmulo.

Quadrado preto sobre fundo branco- 1915

Constitui uma ruptura radical

com a arte existente na época. Foi exposto do Petrogrado, marcando o

lançamento do manifesto e o início do movimento.

Suprematismo auto-retrato em duas dimensoes-1915

Até o momento nenhum comentário
Esta é apenas uma pré-visualização
3 mostrados em 20 páginas
Baixar o documento