Elasticidade, Notas de estudo de Engenharia Informática
wellington-cassio-faria-8
wellington-cassio-faria-8

Elasticidade, Notas de estudo de Engenharia Informática

3 páginas
50Números de download
1000+Número de visitas
1Número de comentários
Descrição
Elasticidade
50 pontos
Pontos de download necessários para baixar
este documento
Baixar o documento
Pré-visualização3 páginas / 3

5.10. Conceito de Elasticidade A sensibilidade que a demanda de cada produto tem em relação ao seu preço ou à renda do consumidor é chamada de elasticidade. O conceito de elasticidade é uma informação bastante útil tanto para as empresas se posicionarem quanto aos aumentos/reduções de seus preços, quanto para a administração pública.

Elasticidade-Preço da Demanda É a resposta da quantidade demandada do bem X às variações de seu preço. Ou seja, é a variação percentual na quantidade procurada do bem X, em relação a uma variação percentual em seu preço, coeteris paribus.

Como a correlação entre preço e quantidade demandada é inversa, i.e., um aumento de preços implica na redução da demanda, o valor encontrado da elasticidade-preço da demanda será sempre negativo. Assim, para evitar problemas com o sinal, o valor da elasticidade-preço da demanda é normalmente colocado em módulo.

Por exemplo, se o preço de um bem se reduz de P0 = R$ 20,00 para P1 = R$ 16,00, a quantidade demandada aumenta de Q0 = 30 para Q1 = 39. Assim:

ou simplesmente

Demanda Elástica A demanda de um produto é considerada elástica quando a variação da quantidade demandada é superior à variação no preço do produto.

Matematicamente, a demanda é elástica se

Normalmente bens supérfluos e com muitos substitutos têm demanda elástica.

Demanda Inelástica A demanda de um produto é inelástica se uma variação no seu preço provoca uma variação menor nas quantidades procuradas, coeteris paribus. Ou seja, a quantidade demandada é menos sensível à variação de preços:

Normalmente, produtos essenciais têm demanda inelástica.

Demanda de Elasticidade-Preço Unitária Nesse caso, quando ocorre uma variação no preço do produto, a variação em sua demanda é de mesma magnitude:

Fatores que influenciam o grau de Elasticidade-Preço da Demanda

1) Disponibilidade de Bens Substitutos Quanto mais substitutos existirem, mais elástica será a demanda do produto, pois a um aumento de preços, os consumidores o substitui por seu concorrente (ou substituto).

2) Essencialidade do Bem Quanto mais essencial for o bem, mais inelástica será sua demanda.

3) Importância do Bem no Orçamento do Consumidor Quanto maior peso tem um determinado bem no orçamento do consumidor, mais sensível sua demanda se torna em relação às variações em seu preço. Logo, maior será sua elasticidade- preço. Por exemplo, a demanda de carne é mais sensível a variações em seu preço que a demanda de caixas de fósforo.

Relação entre a Receita Total do Produtor e o Grau de Elasticidade

A Receita Total do produtor é igual a quantidade vendida vezes o preço unitário de

venda.

Quando há variação no preço de determinado bem, a quantidade demandada do mesmo irá variar e ambas as variáveis irão influenciar a receita total do produtor. Dessa forma, o que se deseja saber é: como será a variação da receita total, dada uma variação no preço do produto?

As três possíveis respostas são: Produtos com demanda elástica

Nesse caso, uma redução no preço do bem, aumenta a quantidade demandada mais que proporcionalmente à redução de preços, de forma que aumenta a receita total do produtor. Por outro lado, um aumento no preço provoca a redução na receita total.

Produtos com demanda inelástica Nesse caso, um aumento no preço do bem, reduz a quantidade demandada menos que proporcionalmente ao aumento de preço, de forma que a receita total aumenta. Por outro lado, se houver redução de preços, há redução da receita total.

Produtos de elasticidade-preço da demanda unitária Nesse caso, tanto o aumento, quanto a redução no preço do bem, não alteram a receita total do produtor, afinal, a quantidade aumenta ou diminui na mesma proporção do movimento inverso dos preços.

É importante observar que para bens inelásticos como os produtos agrícolas e os demais bens essenciais, a redução da produção provoca aumento de preços que acabam por aumentar a receita total do produtor. Porém, há um limite nesse aumento de preços, pois quanto maior o peso do bem no orçamento, mais elástica é sua demanda.

Incidência Tributária e Elasticidade-Preço da Demanda Quanto mais inelástica for a demanda do bem, maior será a proporção de imposto que se pode repassar ao consumidor. Por outro lado, se a demanda é elástica, se o produtor repassar partes substanciais de imposto ao consumidor, terá sua receita reduzida, pois a quantidade demandada se reduz mais que proporcionalmente.

Elasticidade-Renda da Demanda O coeficiente de elasticidade-renda da demanda (ER) mede a variação percentual da quantidade demandada do produto, dada uma variação percentual na renda do consumidor, coeteris paribus.

Se a elasticidade-renda da demanda é negativa, o bem é inferior. Ou seja, aumento de renda faz reduzir o consumo desse bem, coeteris paribus.

Se a elasticidade-renda da demanda é positiva e menor que um, o bem é normal. Ou seja, aumentos de renda levam a aumentos da demanda do bem.

Se a elasticidade-renda da demanda é maior que um, o bem é superior ou de luxo, pois um aumento de renda leva a um aumento mais que proporcional no consumo do bem.

Elasticidade-Preço Cruzada da Demanda A elasticidade-preço cruzada da demanda (EXY) mede a variação percentual na quantidade demandada do bem Y, quando há uma variação percentual no preço do bem X, coeteris paribus.

Se X e Y forem bens substitutos, EXY será positiva. Por exemplo, um aumento no preço do Guaraná Antarctica deve provocar um aumento no consumo de Coca-Cola, coeteris paribus.

Se X e Y forem bens complementares, EXY será negativa. Por exemplo, um aumento no preço do café provocará uma redução na demanda de açúcar, coeteris paribus.

Elasticidade-Preço da Oferta O mesmo raciocínio aplicado à demanda, vale para a oferta, com a ressalva que a elasticidade será positiva, pois a correlação entre preço e a quantidade ofertada é direta. Isto é, quanto maior o preço, maior a quantidade que o empresário está disposto a ofertar.

A elasticidade-preço da oferta de produtos agrícolas em países em desenvolvimento é inelástica, pois é pouco sensível à variação de preços. Isto é, mesmo que haja aumento de preços, a oferta não cresce na mesma proporção. Assim, o aumento de preços agrícolas, normalmente gera inflação.

Muito bom me ajudou bastante! Obrigada!