Ética e Moral na filosofia. Diferenças, Slides de Ética. Instituto Científico de Ensino Superior e Pesquisa (UNICESP)
patricia-alcantara
patricia-alcantara

Ética e Moral na filosofia. Diferenças, Slides de Ética. Instituto Científico de Ensino Superior e Pesquisa (UNICESP)

PDF (98 KB)
38 páginas
1Números de download
86Número de visitas
Descrição
Texto sobre ética e moral. diferenças, características.
20 pontos
Pontos de download necessários para baixar
este documento
Baixar o documento
Pré-visualização3 páginas / 38
Esta é apenas uma pré-visualização
3 mostrados em 38 páginas
Baixar o documento
Esta é apenas uma pré-visualização
3 mostrados em 38 páginas
Baixar o documento
Esta é apenas uma pré-visualização
3 mostrados em 38 páginas
Baixar o documento
Esta é apenas uma pré-visualização
3 mostrados em 38 páginas
Baixar o documento

ÉTICA APLICADA – Ética e Moral

ÉTICA é o ramo da filosofia dedicado aos assuntos morais, é ciência que se ocupa do estudo do comportamento humano e investiga o sentido que o homem confere às suas ações. - A palavra ética deriva do grego éthos, e significa comportamento ou aquilo que pertence ao caráter.

- Na Filosofia Clássica, a ética não se resumia à moral, mas buscava a fundamentação teórica para encontrar o melhor modo de viver e conviver, tanto na esfera privada como na pública.

- ÉTICA é o conjunto de princípios e valores que o indivíduo utiliza para decidir as 3 grandes questões da vida: QUERO, DEVO e POSSO:

• Tem coisas que eu QUERO, MAS NÃO DEVO; tem coisas que eu DEVO, MAS NÃO POSSO; e tem coisas que eu POSSO, MAS NÃO QUERO.

• Assim, o indivíduo é considerado um ser ético (tem paz de espírito) quando consegue fazer aquilo que quer, pode e deve.

- ÉTICA ≠ MORAL: a moral se fundamenta na obediência à normas, costumes ou mandamentos culturais, hierárquicos ou religiosos recebidos. Já a Ética busca fundamentar, investigar e explicar o (bom) modo de viver em sociedade.

OU SEJA, a Ética é teórica e a Moral é prática.

EXEMPLO: um indivíduo que tenha como princípio ético “não pegar o que não lhe pertence”. O seu comportamento moral é que dirá se ele roubará ou não, portanto, o seu comportamento será baseado ou não em um princípio ético.

- ÉTICA ≠ LEI: apesar da Ética constituir uma das várias fontes da Lei, nenhum indivíduo pode ser compelido, pelo Estado ou por outros indivíduos, a cumprir as normas éticas, nem sofrer qualquer sanção pela desobediência.

EXEMPLO: homem que é agredido por seus vizinhos, quando tomam conhecimento da prática de abuso sexual contra menores.

- CARACTERÍSTICAS DO SUJEITO ÉTICO: • ser consciente de si e dos outros, • ser dotado de vontade e capacidade para

controlar impulsos e sentimentos, bem como ser capaz de distinguir e decidir entre várias alternativas possíveis;

• ser responsável, isto é, reconhecer-se como autor de suas ações;

• ser livre para fazer sua próprias escolhas.

Adolfo Sánchez Vázquez conceitua Ética como a “ciência do comportamento moral dos homens em sociedade. É uma ciência, pois tem objeto próprio, leis próprias e método próprio. O objeto da Ética é a moral”.

MORAL é um conjunto de regras de conduta consideradas como válidas, quer de modo absoluto para qualquer tempo ou lugar, quer para grupos ou pessoas determinadas, ou seja, regras estabelecidas e aceitas pelas sociedades durante várias épocas, com culturas e costumes diferentes.

- CONFUSÃO ETIMOLÓGICA: éthos (do grego) e mos (do latim) teriam o mesmo sentido = costume, modo de ser, hábito.

“Ética e Moral” – Texto extraído de prova aplicada pelo CESPE, em 2006, para o cargo de técnico bancário:

“Ética tem origem no grego ethos, que significa modo de ser. A palavra moral vem do latim mos ou mores, ou seja, costume ou costumes. A primeira é uma ciência sobre o comportamento moral dos homens em sociedade e está relacionada à Filosofia. Sua função é a mesma de qualquer teoria: explicar, esclarecer ou investigar determinada realidade, elaborando os conceitos correspondentes.

A segunda, como define o filósofo Vázquez, expressa “um conjunto de normas, aceitas livre e conscientemente, que regulam o comportamento individual dos homens”.

Ao campo da ética, diferente do da moral, não cabe formular juízo valorativo, mas, sim, explicar as razões da existência de determinada realidade e proporcionar a reflexão acerca dela. A moral é normativa e se manifesta concretamente nas diferentes sociedades como resposta a necessidades sociais; sua função consiste em regulamentar as relações entre os indivíduos e entre estes e a comunidade, contribuindo para a estabilidade da ordem social”.

ÉTICA MORAL

PRINCÍPIO ASPECTO DA CONDUTA

PERMANENTE TEMPORAL

UNIVERSAL CULTURAL

REGRA COMPORTAMENTO

TEORIA PRÁTICA

REFLEXÃO = MODO DE AGIR

AÇÃO

PRINCÍPIOS, VALORES e VIRTUDES

PRINCÍPIOS são preceitos, leis ou pressupostos considerados universais, que definem as regras pelas quais uma sociedade civilizada deve se orientar.

- Amor, felicidade, liberdade, paz, plenitude, verdade, justiça, igualdade e solidariedade são exemplos de princípios universais.

- Em geral, os princípios regem a nossa existência e são comuns a todos os povos, culturas, eras e religiões, independentemente da nossa vontade.

VALORES são normas ou padrões sociais geralmente aceitos ou mantidos por determinado indivíduo, classe ou sociedade, portanto, em geral, dependem da cultura relacionada com o ambiente onde estamos inseridos, seja pessoal ou profissional.

- VALORES ≠ PRINCÍPIOS: princípios são universais e inabaláveis; e valores são pessoais, subjetivos e, portanto, contestáveis.

- Solidariedade, honestidade, verdade, lealdade, bondade, altruísmo são exemplos de valores = mesmos exemplos de princípios, mas a aplicação se dá de forma diferente.

- EXEMPLO: quanto ao conceito de felicidade, pessoas de origem humilde têm valores diferentes daquelas de origem mais abastada. Afinal, o dinheiro traz felicidade?

- O que vale para um indivíduo não vale necessariamente para os demais, inclusive no âmbito profissional. A aplicação dos valores pode ou não ser ética e depende muito do caráter ou da personalidade de quem os adota.

- PORTANTO, agir com base em valores éticos, é uma opção de cada indivíduo.

VIRTUDES são disposições constantes do espírito, as quais, por um esforço da vontade, nos inclinam à prática do bem.

- Aristóteles afirmava que há duas espécies de virtudes: • a intelectual, adquirida com o ensino e

experiência. • a moral, adquirida com o resultado do

hábito (prática repetida).

- Assim, segundo o filósofo, nenhum homem é virtuoso por natureza, visto que adquire esta qualidade com a prática de valores éticos.

- Considere-se os exemplos:

Hilter conhecia os princípios, mas preferiu ignorá-los e adotar valores como a supremacia da raça ariana, a aniquilação da oposição e a dominação pela força. Significa que também não dispunha de virtudes, pois estas são decorrentes dos princípios.

Madre Teresa de Calcutá e Mahatma Gandhi tinham princípios, valores e virtudes integralmente alinhados com a sua concepção de vida. Todos lutavam por causas nobres e tinham um ponto comum: a dignidade humana.

NOÇÕES DE ÉTICA EMPRESARIAL e PROFISSIONAL

A GESTÃO DA ÉTICA NAS EMPRESAS PÚBLICAS e PRIVADAS

- CÓDIGO DE ÉTICA PROFISSIONAL: relação de práticas de comportamentos que se espera sejam observados no exercício de uma profissão. Estas práticas são normas que visam o bem-estar da sociedade, de forma a assegurar a lisura de procedimentos de seus profissionais dentro e fora das instituições.

- OBJETIVO DOS CÓDIGOS DE ÉTICA: formação da consciência profissional sobre padrões de conduta esperados pela sociedade, constituindo um guia de comportamento profissional.

- OS CÓDIGOS DE ÉTICA VARIAM DE ORGANIZAÇÃO PARA ORGANIZAÇÃO, diferenciando-se quanto ao conteúdo, extensão e formato, ainda que possam ter conteúdos assemelhados, eis que todos têm como fundamento regras deontológicas, sendo estas adaptadas às mais variadas classes profissionais (advogados, médicos, contabilistas, servidores públicos, etc.).

- PRINCÍPIOS COMUNS A TODOS OS CÓDIGOS DE ÉTICA PROFISSIONAIS:

Responsabilidade perante a sociedade,

Lealdade à instituição ou organização,

• Responsabilidade em relação aos deveres profissionais,

• Preservação da imagem profissional.

- ÉTICA PROFISSIONAL é o conjunto de princípios que regem a conduta funcional de uma determinada profissão. Desta forma, cada indivíduo deve proceder de acordo com os princípios éticos exigidos pela classe profissional que integra.

- ÉTICA EMPRESARIAL abrange as empresas e organizações, diante da necessidade de se desenvolver uma cultura ética, que seja adotada por todos os seus integrantes (administradores, funcionários e clientes) e sirva de fundamento para os valores e convicções das empresas, sejam públicas ou privadas.

GESTÃO ÉTICA NAS EMPRESAS PÚBLICAS E PRIVADAS

A população não espera somente das entidades públicas que observem e mantenham a prática de uma conduta ética, mas de todas as organizações que atendem ao público, abrangendo, portanto, as empresas da iniciativa privada.

Ainda que visem principalmente o lucro com o desempenho de suas atividades, as empresas privadas devem atuar com honestidade, confiança e integridade, visando conquistar a lealdade de seus clientes, estabelecendo um padrão de comportamento ético, através da adoção dos códigos de ética.

Atualmente, vêm crescendo os movimentos e ações relativas à Ética e Responsabilidade Social no setor privado, que cada vez mais se envolve com os temas sociais.

PADRÃO ÉTICO NO SERVIÇO PÚBLICO A implantação de um padrão ético na

atividade pública implica avaliar a atuação das pessoas que compõem a instituição. De forma geral, essas regras aparecem organizadas na forma de código de ética ou de conduta, a exemplo do Código de Conduta Ética do Banrisul.

Neste sentido, ao servidor, agente, empregado ou funcionário público caberá o exercício de uma postura ética, que garanta o cumprimento dos princípios constitucionais aplicados à Administração Pública, previstos expressamente no caput, do art. 37, CF/88 = LIMPE.

DILEMAS MORAIS NAS ORGANIZAÇÕES

- Segundo Elizete Passos, autora da obra “Ética nas organizações”.

- Prática do favoritismo; sacrifício dos mais fracos; obediência inquestionável às leis; tráfico de influências; suborno; propina; sonegação fiscal; pirataria; exploração do trabalho feminino e infantil.

- DILEMAS MORAIS = COMPORTAMENTOS ANTIÉTICOS.

SOLUÇÃO PARA OS DILEMAS MORAIS

ESTABELECIMENTO e APLICAÇÃO DE PRINCÍPIOS NAS ORGANIZAÇÕES:

- Padrão de qualidade e segurança de produtos e serviços;

- Padrão de responsabilidade dos colaboradores (todos os níveis);

- Repúdio e banimento de qualquer espécie de discriminação.

PERFIL ÉTICO DAS ORGANIZAÇÕES

CONCEPÇÕES ULTRAPASSADAS:

- Positivista = “os fins justificam os meios”, em que o lucro é o objetivo primordial.

- Individualista = cada organização se preocupa com seu próprio bem-estar, em detrimento da sociedade.

NOVA CONCEPÇÃO = ÉTICA: - Articulação da consciência ética e produtividade = LUCRO + QUESTÕES SOCIAS E ÉTICAS.

PERFIL ÉTICO QUE DEVE TER UMA ORGANIZAÇÃO:

“(...) embora saibamos que o mercado, na maioria das vezes, é acionado por interesses individualistas, faz-se necessário que as relações sejam embasadas em valores como: honestidade, confiança, credibilidade e altruísmo, visando sempre ao desenvolvimento e à preservação da qualidade de vida. Nesse empenho, devem se envolver tanto a empresa quanto seus empregados (...)”.

comentários (0)
Até o momento nenhum comentário
Seja o primeiro a comentar!
Esta é apenas uma pré-visualização
3 mostrados em 38 páginas
Baixar o documento