Farmacologia - acs, Notas de estudo de Farmacologia

Farmacologia - acs, Notas de estudo de Farmacologia

13 páginas
50Números de download
1000+Número de visitas
Descrição
FÁRMACO -CONCEITOS
60 pontos
Pontos de download necessários para baixar
este documento
Baixar o documento
Pré-visualização3 páginas / 13
Esta é apenas uma pré-visualização
3 mostrados em 13 páginas
Esta é apenas uma pré-visualização
3 mostrados em 13 páginas
Esta é apenas uma pré-visualização
3 mostrados em 13 páginas
Esta é apenas uma pré-visualização
3 mostrados em 13 páginas

FARMACOLOGIA BÁSICA

CONCEITOS

FARMACOLOGIA BÁSICA

PARTE I- NOÇÕES GERAIS FARMACOLÓGICAS

1-CONCEITOS: 1. Remédios:são os cuidados que utilizamos para curar ou aliviar os sintomas das

doenças, como um banho morno, uma bolsa de água quente, uma massagem, um

medicamento, entre outras coisas.

2. Medicamentos: também são remédios. No entanto, são definidos como produtos farmacêuticos elaborados com a finalidade de ajudar na prevenção, no diagnóstico

e no tratamento das doenças, sendo produzidos com rigoroso controle técnico.

3. Nome químico – é o nome dos elementos químicos que compõem a fórmula farmacêutica do medicamento.

4. Nome genérico – é o nome do ingrediente principal da fórmula farmacêutica, o princípio ativo.

5. Nome comercial – é o nome que o laboratório escolhe para o medicamento que produz.

6. Posologia - é a forma de utilizar os medicamentos, ou seja, o número de vezes e a quantidade de medicamento a ser utilizada a cada dia – que varia em função do

paciente, da doença que está sendo tratada e do tipo de medicamento utilizado. A

posologia deve ser descrita na receita de maneira clara e completa, para que o

usuário possa utilizar os medicamentos, e a farmácia entregar-lhe a quantidade

correta para o tratamento completo. A posologia deve trazer o nome genérico, a

dose do medicamento em mg, ml, etc., a quantidade, o número de tomadas, o

intervalo entre as mesmas e o período de tratamento. Em relação ao período de

tratamento, é importante lembrar que existem diferentes situações na utilização dos

medicamentos.

7. Fórmula farmacêutica, que é a relação de todos os seus componentes. Nesta fórmula farmacêutica está o princípio ativo, o “ingrediente principal” desta relação.

Este princípio ativo que tem o nome genérico, como o Captopril, a Fenitoína, o

Mebendazol, dentre outros, é o que mais interessa saber.

CONCEITOS

FARMACOLOGIA BÁSICA

8. Formas farmacêuticas- são as formas tais como: Cápsulas, comprimidos, drágeas, supositórios, óvulos, soluções, suspensões, xaropes; colírios, gotas

nasais, soluções otológicas, soluções para inalação, spray, aerossóis, cremes e

pomadas, cada forma farmacêutica se destina a um uso diferente, e pretende com

isso facilitar a utilização do medicamento e melhorar a qualidade de vida do

paciente.

2-LEI DOS GENÉRICOS Em 1999, o Congresso Nacional aprovou a Lei n.º 9.787/99, conhecida como a LEI

DOS MEDICAMENTOS GENÉRICOS: A Lei dos Genéricos estabelece que os

medicamentos prescritos pelo nome comercial podem ser substituídos pelo medicamento

genérico correspondente. Por exemplo, o Amoxil® pode ser substituído, sem riscos ao

consumidor, pelo medicamento genérico Amoxilina. Várias indústrias podem fabricar os

medicamentos genéricos e estes medicamentos, após rigorosos testes de qualidade,

são liberados para serem comercializados.

2.1-INFORMAÇÕES IMPORTANTES

CONCEITOS

FARMACOLOGIA BÁSICA

3-FORMA FARMACÊUTICA E VIA DE ADMINISTRAÇÃO

Comprimidos, cápsulas, drágeas e pós para reconstituição a) Lavar as mãos.

b) Os comprimidos, cápsulas e drágeas são geralmente tomados por via oral (pela boca)

com um copo cheio de água; e o paciente deve estar em pé ou sentado.

c) As cápsulas não devem ser abertas (engolir inteiras) e os comprimidos não devem ser

partidos ao meio, exceto se indicado pelo médico ou farmacêutico.

d) Pós para reconstituição (suspensão oral):

• colocar, aos poucos, água filtrada ou fervida (fria) e agitar até completar a

marca indicada no frasco;

• agitar o medicamento até que o mesmo se dissolva;

• verificar, após a agitação, se a mistura atingiu a marca indicada, se não,

acrescentar mais água até a marca e agitar novamente;

• após iniciar o uso, não colocar mais água;

• agitar bem antes de usar;

• utilizar o copo medida que vem junto com o medicamento;

• tomar o medicamento em pé, para não engasgar;

• guardar a suspensão na geladeira, durante o tratamento;

• após o tratamento, desprezar qualquer quantidade que sobrar.

Comprimidos sublinguais a) Lavar as mãos.

b) Colocar o comprimido embaixo da língua, fechar a boca e não

mastigar.

c) Deixar a saliva na boca, sem engolir, até que o comprimido se dissolva e desapareça

CONCEITOS

FARMACOLOGIA BÁSICA

completamente.

d) Não fumar, comer ou chupar balas enquanto o medicamento estiver

na boca.

Suspensão oral a) Lavar as mãos.

b) O paciente deve agitar bem o frasco do medicamento todas as vezes que for consumi-

lo, pois o produto contém partículas que se depositam no fundo.

c) Deve utilizar o copinho-medida de plástico, próprio para esse tipo de medicamento e

que geralmente acompanha o produto (alguns deles vêm com uma colher medida, ao

invés de copinho).

d) Colocar o medicamento no copinho ou na colher, observando a quantidade

recomendada: 2,5ml, 5ml, 7,5ml,10ml.

e) Utilizar o medicamento, ingerindo, logo após, um copo de água.

Gotas nasais a) Lavar as mãos.

b) Assoar o nariz e enxugá-lo com um lenço ou guardanapo de papel.

c) Inclinar a cabeça para trás e colocar, nas narinas, o número de gotas

prescrito, evitando encostar o aplicador dentro do nariz.

d) Manter a cabeça inclinada para trás, durante alguns segundos, para que

o medicamento não escorra do nariz.

Spray nasala) Lavar as mãos.

b) Assoar o nariz e enxugá-lo com um lenço.

c) Manter a cabeça na posição vertical, sem incliná-la para trás.

CONCEITOS

FARMACOLOGIA BÁSICA

d) Retirar a tampa do frasco e colocar o aplicador na narina, evitando

encostá-lo dentro do nariz.

e) Simultaneamente, apertar o spray (o número de vezes indicado na

receita) e aspirar.

f) Repetir a operação na outra narina.

g) Após a aplicação, inspirar profundamente duas ou três vezes.

Colírios

a) Lavar as mãos.

b) Deitar ou sentar, colocando a cabeça bem inclinada para trás.

c) Puxar a pálpebra inferior para baixo, o que facilita que a gota entre no olho.

d) Pingar o colírio sem encostar o aplicador nos olhos, usando as quantidades

recomendadas pelo médico.

e) Fechar os olhos devagar, evitando piscar.

f) Se o produto escorrer um pouco, não enxugue com a mão, use um lenço ou

guardanapo de papel.

g) Quando dois ou mais produtos são receitados para os olhos,

fazer um intervalo de pelo menos 5 minutos entre a aplicação

de cada um deles. Não aplicar simultaneamente os

diferentes produtos.

Gotas no ouvido a) Lavar as mãos.

b) Sentar e inclinar a cabeça para o lado – ou deitar – deixando o ouvido

afetado para cima.

c) Puxar um pouquinho a orelha para “abrir” o canal do ouvido, permitindo

que o produto penetre mais facilmente.

d) Pingar o número de gotas prescrito.

e) Permanecer na posição acima indicada, durante alguns segundos.

f) Fechar bem a embalagem do produto.

Supositórios

CONCEITOS

FARMACOLOGIA BÁSICA

a) Lavar bem as mãos.

b) Deitar de lado na cama e dobrar o

joelho da perna que ficar por cima.

c) Retirar o supositório da embalagem e colocá-lo no ânus.

d) Permanecer deitado por mais alguns minutos, após a colocação do supositório,

procurando mantê-lo

no intestino por, pelo menos, uma hora.

Óvulos, cremes, pomadas e comprimidos vaginais a) Lavar bem as mãos.

b) Remover a embalagem do produto.

c) Colocar o produto no aplicador, caso o mesmo seja fornecido.

d) Deitar na cama, de barriga para cima, com os joelhos dobrados e as plantas dos pés

apoiadas na cama.

e) Introduzir o medicamento (ou o aplicador contendo o medicamento) bem no fundo da

vagina, tomando cuidado para não machucar.

f) Após usar o aplicador tenha o cuidado de lavá-lo bem para a próxima utilização.

4- REAÇÃO ADVERSA: Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS) reação adversa a

medicamentos (RAM), é definida como: "qualquer efeito prejudicial ou indesejável, não

intencional, que aparece após a administração de um medicamento em doses

normalmente utilizadas no homem para a profilaxia, o diagnóstico e o tratamento de uma

enfermidade.

4.1-CLASSIFICAÇÃO E MECANISMOS DE PRODUÇÃO DE REAÇÕES ADVERSAS

Esta classificação abaixo auxilia no entendimento dos principais mecanismos de produção seria a que propõe seis diferentes tipos de reações indesejáveis:

CONCEITOS

FARMACOLOGIA BÁSICA

Superdosagem relativa – é aquela que ocorre quando um fármaco é administrado em doses terapêuticas, porém suas concentrações são superiores às habituais,

fala-se então em superdosagem relativa. O exemplo á seguir que ilustram bem

essa definição : O índice de maior incidência de surdez em pacientes com

insuficiência renal tratados com antibióticos aminoglicosídeos.

Efeitos colaterais – São os relativos à própria ação do medicamento, acontece quando surge o seu aparecimento indesejável, numa determinada aplicação. Na

verdade são um prolongamento da ação farmacológica fundamental do

medicamento e mostram um efeito farmacológico de menor intensidade em relação

à ação principal da substância em questão. Exemplificando temos: A intensa

sonolência causada pelos benzodiazepínicos.

Efeitos secundários – São aqueles relacionados não à ação farmacológica primordial do fármaco , mas em consequência do efeito que o medicamento

deveria atingir. Temos por exemplo, a tetraciclina, um antimicrobiano de ação

bacteriostática que é depositar em dentes e ossos, quando ao uso na pediatria,

estas deposições descolorem o esmalte dentário decíduo e também os

permanentes. A deposição óssea irá por conseguinte ocasionar redução do

crescimento ósseo.

Idiossincrasia – São reações nocivas, e muitas vezes fatais, que podem ocorrer em um número reduzido de pacientes. É também conhecida como uma

sensibilidade relativa a determinado produto, geralmente considera-se que as

respostas idiossincrásicas se devem ao polimorfismo genético.(é a variação no

número e no tipo de mutações estáveis do DNA, a este fenômeno damos estea

denominação).

Hipersensibilidade alérgica – Para sua produção é necessária a sensibilização prévia do indivíduo e a mediação de algum mecanismo imunitário. Trata-se de

reação de intensidade claramente não relacionada com a dose administrada. As

principais características incluem erupções urticariformes, edema dos tecidos

moles, broncoconstricção e hipotensão.

CONCEITOS

FARMACOLOGIA BÁSICA

Tolerância – É o fenômeno no qual a administração de doses repetidas de forma, contínua ou crônica de um fármaco ou droga na mesma dose, diminui

progressivamente a intensidade dos efeitos farmacológicos, sendo necessário

aumentar gradualmente a dose para poder manter os efeitos na mesma

intensidade. A tolerância é um fenômeno que leva dias ou semanas para acontecer.

Exemplo: A tolerância produzida entre pacientes/clientes que usam barbitúricos, o uso contínuo e crônico reduz o seu efeito anticonvulsivante.

4.2-Fatores que predisponentes a Reações Adversas a Medicamentos(RAM)

Determinados tipos (grupos)de população são particularmente suscetíveis ao

aparecimento de RAM. O uso de fármaco por pessoas que pertencem a esses grupos exige uma cuidadosa monitoração clínica e uma rigorosa avaliação da relação

benefício/risco , isso pode variar com a gravidade do quadro clínico, com o efeito das

reações adversas do medicamento, e com o grau de comprometimento do paciente.

Grupo I - Extremos de idade Neonatos e crianças:

As crianças podem sofrer com as variações farmacocinéticas e/ou

farmacodinâmicas, além de outras alterações que são peculiares a essa faixa etária,

modificando os padrões de crescimento e diferenciação que vão refletir no fator

desenvolvimento. Exemplos destas alterações os transtornos do crescimento ósseo ocasionado por drogas como as tetraciclinas, corticoides, ácido nalidíxico, quinolonas e

fluoroquinolonas.

Idosos

Os pacientes geriátricos estão predisponentes às reações adversas por diversas

fatores, dentre estes temos : a dificuldade de obediência ao regime terapêutico, seja por

esquecimento, ou por não compreenderem o esquema de tratamento , ou por

CONCEITOS

FARMACOLOGIA BÁSICA

dependência física, terapia com múltiplas drogas, aumento das reações de

hipersensibilidade, assim como as alterações farmacocinéticas e farmacodinâmicas

relacionadas a esta faixa etária.

Gênero

As mulheres são mais suscetíveis às reações adversas, essa possibilidade, por

uma associação de fatos tais como : as complicações obstétricas que podem ocorrem ao

longo da vida fértil da mulher, episódios de dismenorreia que representam a probabilidade

ao o uso de medicamentos, por vários anos, o uso de anticoncepcionais , e uma maior

concentração de tecido adiposo. Existe ainda a possibilidade de que exista um

determinante hormonal que afete o metabolismo, predispondo ao aparecimento de

reações adversas.

Gestantes O uso de fármacos deve ser avaliado levando-se em consideração as variações

farmacocinéticas que ocorrem durante a gravidez, as alterações fisiológicas das funções

maternas e os efeitos que os mesmos possam ter sobre o feto.

Patologias Insuficiência Renal

O uso de medicamentos em pessoas portadoras de insuficiência renal é um

problema complexo, em atenção principalmente quando se faz necessário o uso de doses

múltiplas. Essa tal complexidade é fator determinante quando ocorrem alterações na

função renal, principal órgão excretor, e devido a este fator as implicações metabólicas

que revelam : a retenção de água e sódio, hiperpotassemia, acidose metabólica e uremia,

entre outros.

Insuficiência Hepática

O fígado possui diversas funções metabólicas importantes para a manutenção do

equilíbrio da homeostase corporal, desta forma essas funções podem ficar

CONCEITOS

FARMACOLOGIA BÁSICA

comprometidas quando este órgão é lesionado por compostos químicos ou patologias, e a

insuficiência hepática pode levar a poderosas alterações na farmacocinética dos

fármacos.

Hipersensibilidade Reação de hipersensibilidade é uma variante resultante da exposição a um

alérgeno (fármaco intacto ou fragmento).

4.3-As reações alérgicas podem ser reveladas, observando algumas características:

 exposição anterior a droga sensibilizante;

 independência da dose feita ao paciente;

 recorrência;

 reação que não tem qualquer associação a atividade farmacológica da droga;

 sintomas relativos a hipersensibilidade.

Variabilidade Genética

Respostas anormais a drogas incidentes em uma determinada população ,

decorrem de modificações farmacocinéticas ou farmacodinâmicas decorrentes do

fenômeno do polimorfismo genético.

Polimedicação

As interações dos fármacos são problemas de grande seriedade da prática médica

e farmacêutica. A ocorrência de reações adversas pode aumentar consideravelmente o

número de drogas administradas e, isto é, devido às interações medicamentosas.

Partindo desse pressuposto podemos dizer que os pacientes hospitalizados estão

CONCEITOS

FARMACOLOGIA BÁSICA

particularmente sujeitos a terem uma maior probabilidade de interações

medicamentosas, uma vez que, estes recebem grande número de medicamentos

medicamentos durante a internação. Pacientes em estado crítico, doentes crônicos,

portadores de disfunções renais e hepáticas e idosos, e imunodeprimidos em geral estão

mais sujeitos a interações medicamentosas graves, não só pela utilização de muitos

medicamentos, mas isso ocorrerá também pelas modificações funcionais e homeostáticas

específicas de cada grupo.

A automedicação, o uso de produtos naturais e remédios caseiros são

responsáveis por uma grande parte das interações medicamentosas. Muitas vezes, não

são adequadamente identificadas e são confundidas com outras doenças.

5- Interações medicamentosas: Quando um medicamento é utilizado com outro(s) medicamento(s) ou com outras substâncias químicas, como o álcool, podem ocorrer

interações medicamentosas.

A interação medicamentosa pode alterar – aumenta, diminui – o efeito do medicamento,

podendo provocar reações indesejadas (reações adversas). Quanto maior for o número

de medicamentos utilizados, maior o risco de haver interações medicamentosas graves e

reações adversas.

CONCEITOS

FARMACOLOGIA BÁSICA

REFERÊNCIA:

Trabalho Agentes-saúde-promoção-2009

CONCEITOS

Até o momento nenhum comentário
Esta é apenas uma pré-visualização
3 mostrados em 13 páginas