Homeo, cromo, aroma, musicoterapia - Apostilas - medicina alternativa, Notas de estudo de Imunologia. Centro Universitario Nove de Julho (UNINOVE)
Adriana_10
Adriana_10

Homeo, cromo, aroma, musicoterapia - Apostilas - medicina alternativa, Notas de estudo de Imunologia. Centro Universitario Nove de Julho (UNINOVE)

4 páginas
1Números de download
1000+Número de visitas
Descrição
Apostilas de Medicina Alternativa sobre o estudo do Homeo, cromo, aroma, musicoterapia, Mantras.
20 pontos
Pontos de download necessários para baixar
este documento
Baixar o documento
Pré-visualização3 páginas / 4
Esta é apenas uma pré-visualização
3 mostrados em 4 páginas
Baixar o documento
Esta é apenas uma pré-visualização
3 mostrados em 4 páginas
Baixar o documento
Esta é apenas uma pré-visualização
3 mostrados em 4 páginas
Baixar o documento
Esta é apenas uma pré-visualização
3 mostrados em 4 páginas
Baixar o documento

Terapias Gerais mais usadas atualmente

1 Homeopatia Samuel Hahnemann foi um médico do séc. XVIII (1755 - 1843) que insatisfeito com a imprecisão e a ineficácia dos remédios da sua época, decide começar a fazer experiências acabando por criar a homeopatia. Esta baseia-se em dois princípios; o da similitude que diz que para curar uma doença, é necessário dar ao doente um remédio que, quando administrado num indivíduo saudável lhe provocaria os sintomas dessa doença. E o principio da diluição infinitesimal que diz que quanto mais diluída for a substância maior eficácia tem. A homeopatia baseia-se no principio de que aquilo que provoca a doença também a cura ou na teoria de que o semelhante cura o semelhante. Assim usa doses mínimas de substâncias (as quais em doses normais provocariam doença - sintomas desta) para curar essa doença . As doses usadas são tão baixas que há quem diga que já não existe qualquer partícula dessa substância no medicamento final mas o que se verifica é que ele mesmo assim é eficaz e a atestar isso está a forte expansão e reconhecimento que homeopatia está a ter em todo o lado. Seja como for a homeopatia baseia-se no fato de que basta mostrar ao corpo uma determinada substância para estimular nele as suas defesas contra essa doença sendo assim ideal para todas as pessoas que não se querem sujeitar à tomada de medicamentos farmacêuticos ou que não os podem tomar devido aos seus efeitos colaterais. Você pode se imaginar como sendo uma coleção de partes que funcionam juntas como um relógio? Ou você é um ser com um corpo que possui partes que interagem entre elas e com o todo, funcionado harmonicamente, para ter o que se chama "vida"? Para a Homeopatia, o corpo de um ser vivo é uma unidade a seu serviço. Unidade esta que apesar de ser feita de partes, partes das partes, partes das partes das partes, e assim vai, deve ser tratada como unidade quando o ser adoece. Ou seja, quando seu corpo adoece, é VOCÊ que adoece, e não seu fígado, seu coração, seu baço. E a Homeopatia se propõe a tratar você e não só suas partes. A soma das partes é muito mais do que as partes juntas. E o que dizer então das interações entre elas? Como se pode esquecê-las? Isso pode parecer pretensioso, mas é o sonho de muita gente desde que o mundo é mundo, tanto que de muitas plantas se diz que são "panacéias para todos os males", pois os homens sempre procuraram e procuram algo que os curasse de todas as doenças. Algo como a procura da "pedra filosofal" na idade média, que faria qualquer metal virar ouro. O bom? São terapias com outro tipo de propostas e são, ou deveriam ser, o ideal de todos que almejam uma cura, qualquer que seja ela. O ruim? Não são todas as pessoas que são dispostas a este tipo de terapia, por se contentarem com "curas" mais superficiais. E também existem ocasiões, por limitação do ser humano que está aplicando a terapia, em que ela fica difícil de funcionar.

2 Aromaterapia A aromaterapia é um método natural de tratamento de doenças e de manutenção da saúde através da inalação de óleos essenciais. As suas propriedades e a ausência de contra indicações fazem deste método um excelente complemento dos tratamentos naturais das doenças, proporcionando um ambiente agradável, calmo e relaxante. Ela melhora, quer o funcionamento do corpo quer o estado de espírito da pessoa; favorece a regeneração, a vitalidade, o bem estar e a qualidade de toda a saúde. Permite lutar contra o desgaste e contra as influências que sofremos no nosso dia a dia como seja as preocupações, a angústia, o stress, a poluição, o ruído, etc. Hoje em dia cada vez são mais os técnicos que recorrem aos óleos essenciais como complemento para os seus serviços adicionando assim uma mais valia no seu trabalho. Os óleos tanto podem ser usados na hora da massagem ou apenas como "ambientadores" quer na sala de massagem quer em casa permitindo assim que a pessoa possa usufruir dos seus benefícios no banho, no quarto ou na sua casa.

docsity.com

Hoje os SPA's, as esteticistas, os massagistas e muitos outros técnicos estão usando as propriedades dos óleos essenciais para que as pessoas que os procuram consigam obter mais e melhor saúde a todos os níveis. O seu uso remonta muito longe na antiguidade mas, infelizmente, ficaram fora de uso durante muito tempo. O seu uso renasceu quando aumentou o fabrico de perfumes e apenas recentemente começaram a ser usados na saúde e bem estar das pessoas quando se viu as suas capacidades para ajudar em muitas das situações de que se padece.

3 Cromoterapia A cromoterapia é uma ciência que emprega as diferentes cores para alterar ou manter as vibrações do corpo naquela freqüência que resulta em saúde, bem-estar e harmonia. A cor é fundamental em qualquer sistema de cura, quer o médico o saiba ou não. Conforme os praticantes da cromoterapia, a cura pela cor é uma ciência divina! Desde tempos pré- históricos as pedras preciosas vêm fascinando a humanidade. As escavações arqueológicas realizadas no mundo demonstram que em todos os lugares o Homem sempre colecionou pedras preciosas e de alguma forma sabia como usa-las. Além de sua beleza que vem fascinando o Homem através dos séculos, as pedras preciosas concentram energia que quando direcionadas para a conscientização e a realização, trazem paz de espírito e inúmeros benefícios físicos. Propriedade terapêutica das cores: Vermelho: Dá energia e vitalidade. Estimula o sangue e libera adrenalina. Combate resfriados sem febre. Dispensa o cansaço e ameniza dores reumáticas. Alaranjado: Tonifica, combate a fadiga, estimula o sistema respiratório e fixa o cálcio no organismo. Aumenta o otimismo. Amarelo: Estimula o sistema nervoso central, contribui para a regeneração de problemas ósseos, bom para prisão de ventre, potencializa o fósforo e o sódio. Estimula o intelecto. Verde: Favorece o equilíbrio hormonal, estimula órgãos digestivos, tem ação refrescantes e anti- infecciosa. Alivia a insônia. Azul: Calmante, analgésico, indicado nas infecções com febre. Atua no sistema nervoso, vasos, artérias e todo o sistema muscular. Combate o egoísmo e traz a harmonia. Índigo: Ação coagulante. Atua diretamente na corrente sangüínea. Usado em casos de ferimentos e sangramentos em geral. Estimula os cincos sentidos e a intuição. Violeta: Ação calmante e purificadora do sangue. Elimina toxinas e estimula a produção de leucócitos. Bom nos casos de pneumonia, tosse seca, asma, irritação da pele e dor ciática. reduz medos e angústias, diminui a irritação. Efeito das Cores: Branco: Pureza, paz e virtude Vermelho: Paixão Amarelo: Ouro Laranja: Alma humana Verde: Natureza/ Mata/ Saúde Azul: Espiritual Violeta: Devoção e energia Rosa: Amor Preto: Isolamento Marron: Terra

4 Musicoterapia É a utilização da música, ou de seus elementos (melodia, som, ritmo e harmonia), por um musicoterapeuta qualificado, com o objetivo de promover mudanças positivas físicas, mentais, sociais e cognitivas em uma pessoa, ou grupo de pessoas, com problemas de saúde ou de comportamento. O musicoterapeuta avalia o estado emocional, físico, comportamental, comunicativo e habilidade

docsity.com

cognitiva através de respostas dadas pela música. As seções, que podem ser individuais, ou em grupo, dependendo das necessidades do paciente, abrangem improvisação musical, audição, composição de músicas, discussão, imaginação, performance e aprendizado através da música. O paciente não precisa ter nenhuma habilidade musical para se beneficiar do tratamento e não existe um estilo particular de música que é mais terapêutico que os outros. O campo de atuação da musicoterapia é muito grande, podendo beneficiar desde crianças à idosos. Existem trabalhos clínicos sendo realizados em várias áreas, como: Deficiência Mental (retardo, síndromes genéticas), Deficiência Física (Paralisia, Cerebral, Amputações, Distrofia Muscular Progressiva), Deficiência Sensorial (surdez, cegueira); nas doenças mentais (área psiquiátrica, autismo infantil, problemas neurológicos); nas áreas social (com crianças e adolescentes carentes ou de rua); em geriatria; em distúrbios infantis de aprendizagem e comportamento e com gestantes, na estimulação precoce. A musicoterapia só pode ser aplicada por um musicoterapeuta, que desenvolve um processo musicoterápico específico para cada paciente ou grupo de pacientes. Se trata da interação paciente x terapeuta. Pessoas saudáveis podem se beneficiar da música para buscar o prazer, estímulo, redução do stress, relaxamento, ou também, para usar em ambientes profissionais e festas, mas isso não se trata de musicoterapia. A ciência já comprovou que a música exerce influência sobre os aparelhos respiratório, digestivo e o circulatório, bem como sobre o sistema nervoso. A medicina tradicional também reconhece a música como um eficiente fator de cura, sendo utilizada em muitos hospitais para auxiliar nos tratamentos e até em grandes empresas, como a melhor alternativa de prevenção. Pensando em tirar o melhor proveito da relação homem-música, surgiu o trabalho com a dançatividade, fruto da terapia alternativa, notado como um recurso terapêutico natural, de qualidade e resultados inigualáveis. A dançatividade tem como proposta promover a consciência corporal, fazendo com que o praticante conheça melhor os limites de seu corpo e possa ampliá-los, levando ao auto conhecimento e permitindo até as transformações emocionais. Como o corpo é nossa principal ferramenta de comunicação e expressão, é justamente nele que se somatiza todo este stress físico e mental levando a uma robotização corporal onde se perde a capacidade de percepção do que se sente. A espontaneidade e a criatividade do trabalho da dançatividade atuam através dos movimentos, como facilitadores para que o indivíduo vivencie corporalmente seu cotidiano tornando-se ator principal de sua própria história. Como recurso terapêutico, pode atuar ainda aliviando dores ou tensões nervosas, ajudando o indivíduo a liberar emoções contidas e reprimidas dentro de si.

5 Mantras Um mantra, proteção mental, é uma série de sílabas que invocam a energia de um buddha ou bodhisattva. A repetição de mantras no Vajrayana é tão importante que o budismo esotérico também é chamado Mantrayana, o Veículo do Mantra. O mantra mais conhecido do buddhismo tibetano é Om Mani Padme Hum (os tibetanos pronunciam Om Mani Peme Hum), associado ao bodhisattva da compaixão, Avalokiteshvara. Nesse mantra, a sílaba Om representa a presença física de todos os buddhas. A palavra sânscrita Mani, jóia, simboliza a jóia da compaixão de Avalokiteshvara, capaz de realizar todos os desejos. A palavra Padme significa lótus, a bela flor que nasce no lodo; do mesmo modo, devemos superar o lodo das negatividades e desabrochar as qualidades positivas. A sílaba Hum, representando a mente iluminada, encerra o mantra. Os mantras nem sempre possuem um significado claro e muitos deles são compostos por sílabas aparentemente ininteligíveis. Mesmo assim, eles são efetivos porque ajudam a manter a mente quieta e pacífica, integrando-a automaticamente na concentração. Eles fazem a mente ser receptiva às vibrações muito sutis e, portanto, aumentam sua percepção. Sua recitação erradica as negatividades grosseiras e a verdadeira natureza das coisas pode ser refletida na claridade resultante em sua mente. O som exerce um poderoso efeito sobre nosso corpo e nossa mente. E pode acalmar-nos e dar-nos

docsity.com

prazer ou ter influência desarmoniosa, gerando uma sensação sutil de irritação. O mantra é ainda mais poderoso do que um som comum: é como uma porta que se abre para a profundidade da experiência. Visto que os mantras não têm sentido conceitual, não evocam respostas predeterminadas. Quando entoamos um mantra, ficamos livres para transcender os reflexos habituais. O som do mantra pode tranqüilizar a mente e os sentidos, relaxar o corpo e ligar-nos com uma energia natural e curativa. Em alguns sistemas hindus, diz-se que os mantras são sons primordiais que possuem poder em e por si mesmos. No tantra buddhista tibetano, os mantras não têm tal poder inerente — a menos que sejam recitados por alguém com uma mente focalizada, eles são apenas sons. Porém, para as pessoas com uma atitude adequada, os mantras podem ser poderosas ferramentas que ajudam no processo de transformação.

docsity.com

Até o momento nenhum comentário
Esta é apenas uma pré-visualização
3 mostrados em 4 páginas
Baixar o documento