Humanismo, Slides de História. efg
lara_novais
lara_novais17 de Setembro de 2015

Humanismo, Slides de História. efg

PPTX (1 MB)
20 páginas
688Número de visitas
Descrição
Sobre o humanismo -literatura
20pontos
Pontos de download necessários para baixar
este documento
baixar o documento
Pré-visualização3 páginas / 20
Esta é apenas uma pré-visualização
3 shown on 20 pages
baixar o documento
Esta é apenas uma pré-visualização
3 shown on 20 pages
baixar o documento
Esta é apenas uma pré-visualização
3 shown on 20 pages
baixar o documento
Esta é apenas uma pré-visualização
3 shown on 20 pages
baixar o documento

Contexto Histórico • 1434 a 1527 • Bifrontismo = Transição • TeocentrismoxAntropocentrismo • Declínio da organização Feudal • Ascenção da Burguesia (Burgos) • Início das grandes navegações • Comercio = Mercantilismo • Divulgação da cultura = Imprensa

Características ideológicas

• Abandono da subordinação absoluta da igreja católica

• Resgate dos valores clássicos Greco- romano

• Procura na ciência uma explicação para fenômenos atribuídos a Deus

• Afirmação da capacidade do indivíduo em controlar seu próprio destino

Lusíadas Epopeia Portuguesa

Mares nunca d'antes navegados...

As armas e os barões assinalados Que, da ocidental praia lusitana,

Por mares nunca de antes navegados Passaram ainda além da Taprobana,

Em perigos e guerras esforçados, Mais do que prometia a força humana,

E entre gente remota edificaram Novo reino, que tanto sublimaram.

..... Cantando espalharei por toda a parte,

Se a tanto me ajudar o engenho e arte

— Os Lusíadas, Canto I

Produção

Gênero dramático Teatro de Gil Vicente Gênero Lírico Poesia Palaciana Gênero Narrativo Poesia Historiográfica de Fernão Lopes

Poema

Poesia Palaciana ‘‘Cancioneiro Geral’’ de Garcia

Resende 1516 • A música dissocia-se da palavra • Geralmente usavam redondilhas maiores e

menores • O amor com intimidade ( poetas são mais

realistas) • Usavam uma linguagem elaborada • 1000 poemas de 300 autores

Meu amor, tanto vos amo, que meu desejo não ousa desejar nenhuma cousa. Porque, se a desejasse,

logo a esperaria, e se eu esperasse,

sei que a vós anojaria, mil vezes a morte chamo e meu desejo não ousa desejar-me outra cousa.

— Conde Vimioso

Meu amor, tanto vos quero,

que deseja  coração mil coisas contra a

razão. Porque se não vos

quisesse, como poderia ter

desejo eu me viesse do que nunca pode ser.

Mas com tanto desespero,

tenho em mim tanta afeição

que deseja o coração. — Aires Teles

Prosa

Crônicas de Fernão Lopes

• Narrações históricas e artísticas

• Descrição detalhadas dos Palácios e aldeias

• Apresentas as festas populares • Papel do povo nas guerras e

rebeliões • Verossimilhança Obras Crônica Del Rei D. Pedro Crônica Del Rei D.Fernando Crônica Del Rei D.João I

Pintura

• Influência as artes figurativas

• A arquitetura • Ordem natural • “divi nas proporções” • A escultura • Pintura ocupou

destacada posição • Recriou a natureza • Toda a Renas cença • Idealismo estético.

Teatro

Teatro de Gil Vicente (Vicentino)

• Popular • Critica a todas as

classes sociais • Moralizante • Utiliza humor

‘‘Ridendo se castiga mores’’ (A rir se corrigem os costumes )

Idade média X Humanismo Assunto religioso Pagão Moralizante Satírico Catequese Cotidiano Místico Profano Sagrado

Encenações Profanas • Farsas : Popular – Irônico e

cômico. “Farsa de Inês Pereira”

• Momos : Representações mascaradas – Uso da mimica( ridicularizar costumes )

• Sotties : Personagens loucos que tinham liberdade de expressar verdades .

Encenações litúrgicas • Mistérios : Vida de cristo –

Passagens Bíblicas • Milagre :Vida dos Santos • Moralidades : Representação

alegórica – Autos – Trilogia das Barcas

• Auto da Barca do Inferno (1527), Auto da Barca do Purgatório (1518) e do auto da barca da Glória (1519)

Auto da Barca do inferno

• Gil Vicente • Exalta a fé legítima • Efeitos cômicos

comentários (0)
Até o momento nenhum comentário
Seja o primeiro a comentar!
Esta é apenas uma pré-visualização
3 shown on 20 pages
baixar o documento